1. Caro Visitante, por que não gastar alguns segundos e criar uma Conta no Fórum Valinor? Desta forma, além de não ver este aviso novamente, poderá participar de nossa comunidade, inserir suas opiniões e sugestões, fazendo parte deste que é um maiores Fóruns de Discussão do Brasil! Aproveite e cadastre-se já!

Dismiss Notice
Visitante, junte-se ao Grupo de Discussão da Valinor no Telegram! Basta clicar AQUI. No WhatsApp é AQUI. Estes grupos tem como objetivo principal discutir, conversar e tirar dúvidas sobre as obras de J. R. R. Tolkien (sejam os livros ou obras derivadas como os filmes)

Conselhos de escritores para quem quer ser escritor

Tópico em 'Clube dos Bardos' iniciado por Clara, 11 Jun 2011.

  1. Clara

    Clara Que bosta... Usuário Premium

    Última edição por um moderador: 6 Out 2013
  2. Excluído044

    Excluído044 Banned

    Muito legal o posicionamento do cara. A seguinte fala me chamou a atenção:"Eu fiz faculdade porque queria ser professor." Ou seja, ele, além de querer ser escritor, também desejava ser professor. Acho meio brochante a pessoa encarar a educação como um "bico" ou "vou dar aula enquanto não viro um grande escritor". Legal a preocupação dele em querer ser um bom professor. Em determinado momento, quando ele pôde, dedicou-se somente à literatura.

    Algumas pessoas, eu disse a-l-g-u-m-a-s p-e-s-s-o-a-s, acham que, porque receberam uma educação formal (principalmente no jornalismo e nas letras), podem ser grandes escritores literários. Eu duvido um pouco da capacidade literária de uma pessoa que jogará todo seu conhecimento técnico em cima de uma história visando os acadêmicos pois o leitor "comum" é "ignorante demais, ratinho de biblioteca que ACHA que entende de literatura pq leu meia dúzia de clássicos. Mas a Academia vai me entender." Aí é foda...
     
  3. Clara

    Clara Que bosta... Usuário Premium

    Então, ele queria mesmo trabalhar como professor.
    Interessante que ele aconselha aos que precisam trabalhar que façam uma atividade que não exija muito da imaginação.
    Acho que os (bons) professores têm mesmo que ser imaginativos pra manter uma sala cheia de crianças e adolescentes ligados na aula, não pra fazer tudo "no automático".
    É assim mesmo, Maura ( outros professores do fórum)?
     
  4. Excluído044

    Excluído044 Banned

    Eu acho que dar aulas requer uma dose de criatividade, sim! Não é fazer experiências nada a ver com os meninos ou ter assistido "Sociedade dos Poetas Mortos" e dar aula ao ar livre e achar que vc tá mt na vanguarda do ensino. Assim como escritores precisam se aperfeiçoar com muita leitura e estudo, o mesmo deve fazer o professor. Às vezes, a gente tem um insight para lidar com um determinado aluno, uma ideia para um projeto em sala de aula... Enfim... Criatividade e vida inteligente tbm existe no magistério.
     
  5. JLM

    JLM mata o branquelo detta walker

    ñ entendi as palavras dele desse jeito, moças.

    ser escritor era o sonho dele, mas para alcançar esse sonho ele teve d tornar-se professor.

    ele enfatizou q só entrou na faculdade para pq a mãe dele (e acho q até ele mesmo na época) ñ acreditavam q ser escritor dava retorno financeiro. ou seja, ele ñ entrou na faculdade d pedagogia para ser escritor, mas para dar aulas, um caminho q o levaria ao sonho. mas a vontade real dele era ser escritor, tto é q qdo começou a ganhar dinheiro escrevendo abandonou a docência.

    acho q assim ele respondeu a pergunta inicial ond indagaram dele se era preciso fazer faculdade na área para ser escritor.
     
  6. ricardo campos

    ricardo campos Debochado!

    Numa entrevista ao programa (“Imagem da Palavra” na Rede Minas) a poeta Mariana Botelho, que reside atualmente em Belo Horizonte, disse que abandonou o curso de Letras para não perder a paixão de escrever. Publicou recentemente o livro “O silêncio Tange o Sino” poesias. Detalhe, ela é graduada em Educação Física.
     
  7. Clara

    Clara Que bosta... Usuário Premium

    Sim, acima de tudo ele queria ser escritor, é claro, mas escolheu ser professor porque gostava disse que "era fácil" pra ele; gostava de ensinar e acho que é isso que a Maura achou bacana.
    Em outras palavras, ele não foi ser professor porque queria ser escritor (ele até aconselha a não seguir essa profissão) mas porque era uma coisa que gostaria de fazer e pelo jeito gostou.
    É que eu e a Maura, naqueles posts, fugimos um pouco do tema do tópico, JLM, e só discutimos essa parte.
     

Compartilhar