1. Caro Visitante, por que não gastar alguns segundos e criar uma Conta no Fórum Valinor? Desta forma, além de não ver este aviso novamente, poderá participar de nossa comunidade, inserir suas opiniões e sugestões, fazendo parte deste que é um maiores Fóruns de Discussão do Brasil! Aproveite e cadastre-se já!

Dismiss Notice
Visitante, junte-se ao Grupo de Discussão da Valinor no Telegram! Basta clicar AQUI. No WhatsApp é AQUI. Estes grupos tem como objetivo principal discutir, conversar e tirar dúvidas sobre as obras de J. R. R. Tolkien (sejam os livros ou obras derivadas como os filmes)

Notícias Conheça o elenco da nova "Escolinha do Professor Raimundo"

Tópico em 'TV' iniciado por Fúria da cidade, 19 Out 2015.

  1. Fúria da cidade

    Fúria da cidade ㅤㅤ ㅤㅤ ㅤㅤ


    Sob a direção-geral de Cininha de Paula, as gravações da nova "Escolinha do Professor Raimundo" começam no próximo dia 27. O projeto é uma parceria do canal Viva com a TV Globo, e caberá a Bruno Mazzeo, atualmente na novela "A Regra do Jogo", o papel que foi de seu pai, Chico Anysio.

    No total serão sete episódios realizados nos estúdios do Projac, no Rio de Janeiro. A estreia no Viva será em novembro, com a exibição de cinco programas e, na sequência, a Globo exibirá os sete.

    O elenco confirmado ficou definido assim:

    Professor Raimundo: Bruno Mazzeo
    Aldemar Vigário: Lúcio Mauro Filho
    Rolando Lero: Marcelo Adnet
    Armando Volta: Evandro Mesquita
    Joselino Barbacena – Ângelo Antônio
    Dona Bela – Betty Gofman
    Seu Boneco – Marcius Melhem
    Cacilda – Fabiana Karla
    Zé Bonitinho - Mateus Solano
    Capitu - Ellen Roche
    Tati - Tatá Werneck
    Galeão Cumbica - Kiko Mascarenhas
    Cândida - Maria Clara Gueiros
    Catifunda - Dani Calabresa
    Batista - Rodrigo Sant"anna
    Marina da Glória - Fernanda de Freitas

    Divulgação
    Este conteúdo é limitado a Usuários. Por favor, cadastre-se para poder ver o conteúdo e participar (não demora e não possui custos)

    Chico Anysio como o personagem Professor Raimundo


    Em tempo, Leandro Hassum foi convidado para o elenco da "Escolinha", mas não pode aceitar devido a compromissos já fechados. Existe ainda o interesse de que Lúcio Mauro faça uma breve participação no primeiro episódio - e não será como Aldemar Vigário, que ele interpretou na antiga Escolinha.

    Marcos Caruso foi convidado para interpretar o Seu Peru e Marcos Palmeira, o Ptolomeu. Os atores ainda não confirmaram as participações.

    Como se trata de uma homenagem a Chico Anysio, morto em março de 2012, não há previsão de que outros episódios sejam produzidos, nem mesmo no ano que vem.

    Essa versão da "Escolinha", dirigida pela Cininha, conta com a redação-final de Daniel Adjafre e Péricles Barros. O projeto está sendo supervisionado por Ricardo Waddington, diretor de núcleo da Globo.

    Este conteúdo é limitado a Usuários. Por favor, cadastre-se para poder ver o conteúdo e participar (não demora e não possui custos)

    ------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

    Ainda bem que no anúncio ficou explícito que essa versão ficará como uma homenagem, pois já vi várias outras versões similares da Escolinha, mas que infelizmente não tem e nunca terão a mesma aura da original.
     
    • Gostei! Gostei! x 1
  2. Neithan

    Neithan Ele não sabe brincar. Ele é Mito

    Parei de ler no Bruno Mazzeo. Lixo.
     
    • LOL LOL x 1
  3. Grimnir

    Grimnir Usuário

    Porra, não posta esse tipo de coisa depois do almoço não. Faz mal pra digestão.
     
    • LOL LOL x 2
  4. Fúria da cidade

    Fúria da cidade ㅤㅤ ㅤㅤ ㅤㅤ

    Este conteúdo é limitado a Usuários. Por favor, cadastre-se para poder ver o conteúdo e participar (não demora e não possui custos)


    A Globo estreou no final do mês passado um remake da "Escolinha do Professor Raimundo", criação de Chico Anysio (1931-2012). Agora anuncia com pompa que a versão entrará no próximo mês no lugar do "Esquenta", aos domingos.

    O fato é que a emissora vêm tratando o novo programa como se fosse uma "homenagem" ao legado e à história do genial Chico Anysio. Tanto que escalou Bruno Mazzeo, um dos filhos de Chico, para o papel principal: o do professor Raimundo.

    Mazzeo, aliás, tem uma atuação impressionante, que realmente honra a memória do pai.

    Porém, é importante lembrar que a despeito de sua genialidade e quase duas centenas de personagens, Chico Anysio passou a última década de sua vida em regime de "geladeira" na TV Globo. Seus projetos foram solenemente ignorados, seus personagens foram apagados da tela, sua história de sucesso e décadas de serviços prestados à emissora foram simplesmente esquecidos.

    Vamos usar o português claro: Chico foi claramente desprezado pela Globo nos últimos anos de sua vida. Quando muito era chamado para fazer uma "ponta" em uma novela ou outra produção qualquer, como o "Zorra". E até sendo "figurante" ele era brilhante. Mas isso não fez com que a emissora percebesse o talento que estava desperdiçando.

    E Chico não só era um grande artista como se dedicava sempre em criar projetos que também se tornavam uma fonte de emprego e trabalho para centenas de outros artistas e até figurantes. Chico foi um grande empregador.

    O próprio Chico desabafou sobre o quanto se sentia desprezado e ressentido com o (não) tratamento que vinha recebendo da Globo,
    Este conteúdo é limitado a Usuários. Por favor, cadastre-se para poder ver o conteúdo e participar (não demora e não possui custos)
    e em um Bate-Papo no UOL em 2007.

    "Não estou na geladeira. Estou no freezer", declarou magoado cinco anos antes de morrer.

    Aí ocorreu a morte do humorista, em 2012, após semanas internado em lenta agonia.

    Bastou a passagem para Chico ser alçado pela emissora ao posto de "monstro sagrado", "ídolo", "gênio da dramaturgia" e outros epítetos grandiosos que todos estão acostumados.

    Ganhou reportagens especiais, foi relembrado em vários programas da casa e teve a carreira cantada em prosa e verso.

    Poucos dias após a morte do artista, as lojas e livrarias do país começaram a ser inundadas com DVDs da histórica "Escolinha" original, providenciados prontamente pela Globo Marcas.

    Agora, quase três anos após sua morte, lançam mais um prego no caixão do artista, com o "remake" da escolinha que a própria Globo tirou do ar.

    Cabe dizer que Mazzeo e o resto do elenco não têm qualquer responsabilidade nisso. Eles fazem seu papel, afinal são artistas, e na verdade o novo elenco é realmente brilhante.

    Eu assisti à estreia no canal pago Viva, mas não consegui rir de nenhuma piada. Pelo contrário. Como telespectador, senti tristeza e uma sensação de vazio.

    Pessoalmente, acredito que não existe nada mais hipócrita que homenagear os mortos depois que eles foram destratados em vida.

    Essas homenagens tardias aos mortos, para mim sempre soam como remorso e peso na consciência de quem ainda está vivo.

    A Globo deveria ter homenageado Chico Anysio quando ele ainda estava entre nós, e poderia ouvir o quanto era querido e o quanto havia sido importante na construção da própria emissora. E olhem que ele teve um peso enorme, como concreto, na história dessa construção.

    Chico foi a vida toda (no ar) um rei de audiência. Um ídolo. Mas foi enterrado sem ter ouvido em alto e bom som esse reconhecimento por parte de sua casa profissional.

    Nesse ponto, pode-se falar de tudo contra Fausto Silva, mas é preciso reconhecer: ele foi o único que se dignou a fazer isso com Chico ainda vivo, em 2002, numa das melhores e mais comoventes edições do quadro "Arquivo Confidencial".

    Homenagear Chico Anysio agora que ele não está mais aqui, como a Globo pretende fazer com a nova "Escolinha", não é virtude alguma. Pelo contrário. Soa mais como um insulto a sua memória.
     
    • Ótimo Ótimo x 2
    • Gostei! Gostei! x 1

Compartilhar