1. Caro Visitante, por que não gastar alguns segundos e criar uma Conta no Fórum Valinor? Desta forma, além de não ver este aviso novamente, poderá participar de nossa comunidade, inserir suas opiniões e sugestões, fazendo parte deste que é um maiores Fóruns de Discussão do Brasil! Aproveite e cadastre-se já!

Dismiss Notice
Visitante, junte-se ao Grupo de Discussão da Valinor no Telegram! Basta clicar AQUI. No WhatsApp é AQUI. Estes grupos tem como objetivo principal discutir, conversar e tirar dúvidas sobre as obras de J. R. R. Tolkien (sejam os livros ou obras derivadas como os filmes)

Concurso para a Polícia Civil da Bahia pede comprovação de virgindade

Tópico em 'Atualidades e Generalidades' iniciado por ricardo campos, 14 Mar 2013.

  1. ricardo campos

    ricardo campos Debochado!

    "publicado em 13 de março de 2013 às 22:24

    Este conteúdo é limitado a Usuários. Por favor, cadastre-se para poder ver o conteúdo e participar (não demora e não possui custos)
    , dica da Maria Frô


    Uma norma constante no edital de um concurso público promovido pelo governo baiano para a Polícia Civil do Estado levou a seccional baiana da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) a emitir uma nota de repúdio nesta quarta-feira. O edital exige a comprovação de virgindade para candidatas aos postos de delegado, escrivã e investigador.

    “Essa exigência nos dias atuais é, extremamente, abusiva e desarrazoada em virtude da grave violação ao inciso III do art. 1º da Constituição Federal de 1988, que consagra o Princípio da Dignidade da Pessoa Humana, bem como ao art. 5º do citado Diploma Legal, que dispõe sobre o Princípio da Igualdade e o Direito a Intimidade, Vida Privada, Honra e Imagem”, diz a nota da Comissão de Proteção aos Direitos da Mulher OAB-BA.


    O edital pede exames de “colposcopia, citologia e microflora” às candidatas, mas libera a apresentação dos exames para as mulheres com “hímen íntegro”, exigindo, no entanto, a apresentação de atestado médico para a comprovação da referida condição, com assinatura, carimbo e CRM do médico que o emitiu.


    Segundo a OAB-BA, o Estado “atuou desrespeitando o mínimo existencial para as candidatas”. “A imposição legal de critérios de admissão baseados em gênero, idade, cor ou estado civil configura uma forma gravosa de intervenção no âmbito da proteção à igualdade jurídica (CF, art. 5º, caput) e da regra que proíbe quaisquer desses requisitos como critério de admissão (art. 7º, XXX,CF), além das violações à Lei 9.029/95″, diz trecho da nota.


    “Exigir que as mulheres se submetam a tamanho constrangimento é, no mínimo, discriminatório, uma vez que tal exigência não tem qualquer relação com as atribuições do cargo, além de tornar mais oneroso o concurso para as candidatas do gênero feminino”, segundo a OAB-BA.

    O concurso tem 600 vagas, com salários variando de R$ 1.558,89 a R$ 9.155,28.
    O Terra tentou contato com a Secretaria de Administração do governo da Bahia, sem sucesso."

    Fonte:Viomundo
    Idade média ainda...
     

Compartilhar