• Caro Visitante, por que não gastar alguns segundos e criar uma Conta no Fórum Valinor? Desta forma, além de não ver este aviso novamente, poderá participar de nossa comunidade, inserir suas opiniões e sugestões, fazendo parte deste que é um maiores Fóruns de Discussão do Brasil! Aproveite e cadastre-se já!

Como prever o futuro do personagem?

evincarzed

Usuário
Senhores, apresento aqui um mecanismo que utilizei com muita satisfação em minhas aventuras, como narrador.
Trata-se de um sistema de leitura da sorte via cartas, que quando utilizado com planejamento, pode criar um sentido de profecia nas estórias que os jogadores costumam gostar (seja para fazer com que a previsão aconteça, seja para fazer com que não se cumpra). Um modo de criar um sentido épico à vida do personagem, na melhor tradição gótica. Uma arma para os GMs buscarem inspiração e os jogadores terem com o que esquentar a cabeça.
Vejam o diagrama abaixo:

===============
====== [G]======
====== [C]======
[H]=[D]=[A]==[F]
====== [E]======
====== ======
===============

Ele representa a disposição das cartas, em formato de cruz estendida. Quem conhece o deck Tarok ka, usado no ravenl0ft, vai reconhecer a teoria do processo.
A sequência numérica significa a ordem de revelação das cartas, assim como a posição delas revela o seu significado. São eles:

[A] - quem você é. Os significados que talvez nem mesmo o personagem conhece, são representados pela carta central.

- A ameaça imediata: Qual é o problema imediato (a curto prazo) que vai ameaçar o personagem? Não necessariamente um inimigo, mas um companheiro ou uma atitude dele mesmo.

[C] - O futuro imediato: O que o futuro próximo reserva? é a possível consequência das próximas aventuras do personagem, caso ele consiga seu objetivo ou falhe em impedir uma desgraça.

[D] - O auxílio menor: O fator que pode ajudar o personagem a conseguir seu objetivo imediato, ou livrá-lo da sua ameaça imediata. pode ser um aliado ou um erro do inimigo. Algo novo ou algo que sempre esteve com o personagem mas que se revelará em momento oportuno.

[E] - O passado próximo: Os eventos que ocorreram no passado próximo que talvez o personagem não conhaça plenamente. O que causou o gatilho da ameaça que se aproxima? O que de fato ocorreu no passado recente que o personagem não sabe, ou acha que sabe?

[F] - A ameaça distante: O último adversário, nêmesis supremo da vida do personagem (ou o fim do plot do mestre por volta do nível 30 ou a morte do personagem, o que vier primeiro >:)). O problema final da sequência de aventuras, a ser derrotado ou sucumbir perante a ele. Pode ser um indivíduo ou uma difícil decisão.

[G] - O futuro distante: O que o futuro distante reserva? Pode ser o que ocorrerá caso o personagem falhe, ou o que pode vir a ser caso ele tenha sucesso.

[H] - O grande auxílio - A força que impedirá que o jogador sucumba, que pode ser a luz no fim do túnel quando tudo parece perdido. Nem sempre será bom para o personagem ;), apenas salvará sua pele.

- O passado remoto - O que ocorreu antes do personagem vir ao mundo? Que legado antigo preparou o terreno para que o mundo fosse como o personagem o conheceu? Essa carta indica.

No próximo post, a munição:
A lista das cartas e seus significados:
 

evincarzed

Usuário
Seguem abaixo as cartas e seus significados.
Vagos propositalmente.

1. O Juiz: O equilíbrio, imparcialidade, julgamento.
2. A Escolha: Possibilidades, o inesperado, opções e desdobramentos insuspeitos.
3. O Vizir: Sabedoria, discernimento, poder divino.
4. A Lua: Desejo físico, propósito oculto, ânsia secreta.
5. A Ruína: Perda de riqueza material, fracasso, falha social.
6. A Estrela: Esperança, promessa divina, expectativa.
7. O tolo: Ignorância, ingenuidade, falta de experiência.
8. O Determinado: Avanço repentino, desenvolvimento arriscado, experiência rápida.
9. O Ladino: O desconhecido, dissimulação, ameaça velada.
10. O Sol: Dádiva de vida, revelação de mentiras, dissipação do medo.
11. A Morte: A morte física, degeneração, mortos.
12. As Nornes: Destino, profecia, pré-determinação.
13. O Vazio: Desolação, ausência de vida, fim das coisas.
14. A Medusa: Maldição, força oculta, influência daninha.
15. O Mago: Conhecimento, inteligência, poder mágico.
16. A Távola: Carisma, liderança, alguém destinado a governar.
17. As Chamas: Destruição, fúria, expurgo.
18. As Gemas: Riqueza, fartura, beleza.
19. O Cavaleiro: Aliados, seguidores, honra.
20. A Torre: Prisão, isolamento, separação, solidão.
21. A Perdição: Perda imaterial, falha moral, tragédia.
22. A Revelação: Descoberta importante, segredo revelado, informação valiosa.
23. O Senhor sombrio: Corrupção, desorientação, busca infrutífera, ver nos outros um reflexo de si mesmo.
24. O Enforcado: Castigo, punição injusta, morte indevida.
25. O Charlatão: Enganação, mentira, desonestidade.
26. O Traidor: Trair a confiança depositada, ação intencional, deslealdade.
27. O Missionário: Obrigação pessoal, objetivo de vida, crença que motiva ação.
28. O Druida: A natureza, vida sem interferência, indomabilidade.
29. A Neblina: O desconhecido, segredo, medo, incerteza.
30. O Artefato: Poder incontrolável, força destrutiva, algo não destinado aos mortais.
31. A Tentação: O caminho fácil, fruto belo, mas envenenado pelos antecedentes, desilusão.
32. O Inocente: A invulnerabilidade da ignorâcia, pureza de coração, refração ao mal.
33. A Marionete: Ser manipulado, conduzido por mãos ocultas, levado a situações forjadas.
34. O Corvo: Mau agouro, arauto insuspeito da destruição, profecia ruim.
35. O Fantasma: O passado que retorna, ameaça de atos pregressos, assombrado pelo passado.
36. A Vidente: Capaz de ver o que não pode ser visto, incapaz de ver seu próprio futuro.
37. O Mercante: Ganância, sucesso econômico, identificar oportunidades.
38. O Filantropo: Desprendimento, divisão de boas obras, ajudar os que o cercam.
39. O Vingador: Justiça pessoal, determinação para a vingança, punição à ofensa.
40. A Tortura: Punição, sofrimento auto imposto ou não, angústia.
41. O Paladino: Bondade, luta contra o mal, ser capaz de olhar o interior dos outros.
42. A Besta: Sede de sangue, ódio, necessidade incontrolável de satisfação.
43. O aleijado: Prejuízo físico ou mental, incapacitação, retirada de poder.
44. O Espelho do Caos: A incerteza do que a aparência indica. Dúvida entre o que se percebe e o que se supõe ser real.

Abaixo, um exemplo:
 
Última edição:

evincarzed

Usuário
[FONT=&quot]Neste exemplo retirado de um fórum extinto, aparece Maxwell, o regente de um reino que lhe foi confiado após a morte de seu rei e a extinção da linhagem real. Está na cabana frente a figura misteriosa do vidente, que lhe apresenta as cartas. Eu representava o vidente.[/FONT]
[FONT=&quot] [/FONT]
[FONT=&quot](resultado da distribuição)[/FONT]
[FONT=&quot]Quem és tu? – O fantasma[/FONT]
[FONT=&quot]Teu passado recente - Alua[/FONT]
[FONT=&quot]auxílio imediato – A tentação – O inimigo quer algo dele[/FONT]
[FONT=&quot]o futuro próximo - A Estrela: Esperança, promessa divina, expectativa[/FONT]
[FONT=&quot]A ameaça imediata - A Vidente: Capaz de ver o que não pode ser visto, incapaz de ver seu próprio futuro[/FONT]
[FONT=&quot]O passado remoto - As Chamas: Destruição, fúria, expurgo – (o povo dele foi detonado)[/FONT]
[FONT=&quot]O grande Auxílio - O Enforcado: Castigo, punição injusta, morte indevida – (Ser destronado)[/FONT]
[FONT=&quot]A futuro distante - O Paladino: Bondade, luta contra o mal, ser capaz de olhar o interior dos outros.[/FONT]
[FONT=&quot]A grande Ameaça - O aleijado: Prejuízo físico ou mental, incapacitação, retirada de poder. – (o novo rei.)[/FONT]
[FONT=&quot] [/FONT]

[FONT=&quot]O vidente agora levantava-se mais em sua cadeira. Sua aparência mudava frente a seus olhos, tornando-se um homem de meia-idade que até seria belo se não fossem as aberrações negras como a noite em lugar de seus olhos. Todos os presentes na sala, de algum modo inexplicável, souberam que o regente deveria organizar as cartas em formato de cruz. Com um rápido olhar entre os três, todos observaram o regente colocar as cartas na devida posição. Com uma agilidade inesperada, o homem de olhos negros começou a posicionar as mãos sobre toda a forma de cruz.[/FONT]
[FONT=&quot] [/FONT]
[FONT=&quot]O vidente vira a primeira carta, a que representa o que o regente é para o mundo, e em ultima instância, para si mesmo. Os olhos assustadores, negros como a morte, prescrutavam a sala.
[/FONT]

[FONT=&quot]- O fantasma - disse o vidente, com um sorriso nos lábios decrépitos. - És alguém que ocupa o lugar de um morto, e esta sombra nunca o deixa, de modo que em certos momentos, não sabes se és você mesmo ou o reflexo daquele que te antecedeu.[/FONT]
[FONT=&quot]A platéia qeu acompanhava o regente se entreolhou inquieta. Não estavam acostumados a ver o regente ser tratado de tal modo.[/FONT]
[FONT=&quot]Continuando, o vidente revela acarta do passado recente.[/FONT]
[FONT=&quot]- A lua! - O vidente então olha de um modo travesso para Maxwell. - Estiveste ocupado com as damas, não? No entanto, uma delas significou algo para ti.[/FONT]
[FONT=&quot]Em um gesto contínuo, o vidente então virou a carta do auxílio imediato: A tentação[/FONT]
[FONT=&quot]- Ah, vejo que a mesma tentação que o atormentou em teu passado poderá lhe ser útil. Alguém o deseja tanto que poderá comprometer sua segurança para garantir a sua. Imagino se isso será realmente bom para você, caro regente.
[/FONT]


[FONT=&quot]- Ah, vejo que as Nornes tem um carinho especial por ti, regente... Desejas ver mais?[/FONT]
[FONT=&quot] [/FONT]
[FONT=&quot]Maxwell parece hesitar por alguns instantes. Em sua memória, enterrada pela racionalidade, um sentimento primitivo parecia querer se afastar dali...[/FONT]
[FONT=&quot]Demonstrando a fibra de um rei (ou o orgulho de um louco) Maxwell diz:[/FONT]
-[FONT=&quot] [/FONT][FONT=&quot]Continue...[/FONT]
[FONT=&quot]O vidente então vira a carta para cima, como que enojado pelo seu símbolo.[/FONT]
[FONT=&quot]- A Estrela... – disse com um ar sarcástico. – Parece que seu povo aclamará você ou seu herdeiro... – O vidente notou com prazer a expressão de surpresa do regente... - como um salvador, um campeão profetizado da esperança... – Sua voz vinha carregada de desprezo e malícia. – Como será que o seu passado reagirá a esse futuro?[/FONT]
[FONT=&quot]Com um sorriso maligno, o vidente perguntou...[/FONT]
[FONT=&quot]- Mais?...[/FONT]

[FONT=&quot] [/FONT]
[FONT=&quot]- Sim... – disse o vidente. – Um herdeiro legítimo para o regente vermelho... seria ele o primogênito? – disse com clara voz de dúvida.[/FONT]
Sem mais demoras, ele se voltou para a carta interna do oeste, a ameaça imediata. Com sua mão sobre ela, ele divisou seu objetivo.

[FONT=&quot]- A vidente... o conhecimento de seu futuro será sua maior ameaça... e com razão! Ele será dado a outro! O passado que o persegue saberá o que está destinado a ti, mas não você! Hahaha! Alegra-te, regente! Tua ignorância pode ser tua salvação... – disse, e recolhendo em um rápido correr de mãos as cartas sobre a mesa, sussurrou, ameaçadoramente: - ou tua perdição...[/FONT]
[FONT=&quot] [/FONT]
[FONT=&quot]A cabana então começou a se desfazer, e Maxwell, Agamenon e Dr. Yorktown se encontram sentados em meio a um gramado, perdido nos ermos.[/FONT]
[FONT=&quot] [/FONT]
[eh, senhores... A leitura das nornes para vocês acabou. Pena... a estória proposta para Maxwell tinha potencial para ser ótima... Deseja saber as cartas? Vou envia-las ao JM, assim como a estória proposta na segunda... Se ele quiser, ele mostra... ou não... huahuahua!]
[FONT=&quot] [/FONT]

Segue o texto enviado para o narrador, com base na leitura e no background do jogador que controla Maxwell
[FONT=&quot]finalmentes:[/FONT]
[FONT=&quot]Após o expurgo dos Prichè, Max se tornou um errante.[/FONT]
Em seu início de carreira, ele se envolveu com inúmeras mulheres, e em uma delas, ele deixou uma marca no coração que nunca foi superada. Esta mulher, ao ser abandonada pelo errante bardo, jamais foi capaz de esquece-lo. Buscou consolo nos braços de um bom homem que a amava, mas que nunca foi capaz de substituir o vazio que o bardo deixou. Nove meses depois, nasceu um menino. Sua origens eram desconhecidas (na verdade, ele era realmente filho do bom homem, mas disso, ninguém podia ter certeza). O Homem sabia que não teria lugar no coração de sua esposa do modo que desejava, e isso lentamente o matou. O filho, por sua vez, criado sempre na verdade, pela rebeldia característica da juventude voltou-se para a raiva e rancor pelo homem que abandonara sua mãe, em vez de viver uma vida feliz com o pai que o criou. Com sua morte, perdia a oportunidade de descobrir essa felicidade, e voltou-se então mais ainda para o ódio. Com a leitura do vidente, Max e os outros não souberam o que aconteceria, mas em sonhos o rapaz descobriu onde encontrar seu pai. Os símbolos eram vagos, e ele não os entendia corretamente. Pensou que a estrela da esperança era referente a ele, que o futuro era o dele. Partiu à procura do “pai”, com uma ponta de esperança, mas muito mais raiva e inveja. Vai se apresentar em brufórdien ao regente, que ineperadamente o acolheria. Comovido pelo gesto de Maxwell (ele é uma pessoa boa), ele deixa de lado sua vingança, apenas para ver seus recentes sonhos ruírem. Max e Manah terão um filho. Para este é que era a profecia da estrela da esperança. Voltando-se novamente para o ódio (sim, ele é um fraco, mas isso é uma característica do mal, não é?), ele começará a planejar um modo de tomar o trono do regente.
[FONT=&quot]Quando suas maquinações conseguirem aproximar o aspecto dO Aleijado, o aprisionamento e retirada do trono de Max (deixo isso por sua conta, afinal, você é o mestre de jogo, certo? Tem responsabilidade mais do que suficiente para ver o potencial de estória e usar como quiser), a grande ajuda virá na forma dO Enforcado. Uma punição que deveria fazer o ex-regente sofrer (bani-lo para longe do filho, etc...) vai dar a força para lutar ao regente (talvez um movimento de resistência secreta, provavelmente encabeçado pelos próprios jogadores) contra o novo sistema opressor do usurpador. O aspecto dO Paladino vai tornar Max o símbolo da luta contra o mal, contra a tirania e ainda mais... Max será capaz de descobrir que o usurpador não é seu filho, que toda a dor que o usurpador sofreu foi auto-imposta e poderia ter sido evitada se ele tivesse amado seu pai, mesmo que não fosse de seu sangue. Coloque no usurpador mais uns poderes malignos fodões e se tem uma estória épica e de esperança! Lutar pela liberdade! Pelo perdão! Finais felizes!,[/FONT]
 
Última edição:

Valinor 2020

Total arrecadado
R$1.595,00
Meta
R$4.800,00
Termina em:
Topo