1. Caro Visitante, por que não gastar alguns segundos e criar uma Conta no Fórum Valinor? Desta forma, além de não ver este aviso novamente, poderá participar de nossa comunidade, inserir suas opiniões e sugestões, fazendo parte deste que é um maiores Fóruns de Discussão do Brasil! Aproveite e cadastre-se já!

Dismiss Notice
Visitante, junte-se ao Grupo de Discussão da Valinor no Telegram! Basta clicar AQUI. No WhatsApp é AQUI. Estes grupos tem como objetivo principal discutir, conversar e tirar dúvidas sobre as obras de J. R. R. Tolkien (sejam os livros ou obras derivadas como os filmes)

Como escolher uma universidade?

Tópico em 'Atualidades e Generalidades' iniciado por Lu Eire, 14 Jan 2012.

  1. Lu Eire

    Lu Eire Usuário

    (soh para avisar, estou usando um teclado que nao tem a pontuacao usada no portugues)

    O que eh necessario para escolher a universidade em que se vai estudar? Pretigio, local, oportunidades?

    Bom, para quem nao me conhece muito de perto, esse ano eu estive estudando para o vestibular. Nao passei em nada em que me inscrevi, e um dos motivos para esse resultado foi falta de saber o que eu realmente gostaria de fazer. E eu senti que essa minha indecisao me prejudicou porque eu nao soube eleger, afinal, uma universidade especifica e sua prova de vestibular para poder estudar.

    Explicando melhor: eu percebi esse ano que o vestibular nao cobra apenas o conhecimento do aluno - ele exige, tambem, que o aluno se adeque a sua forma de selecao. O que voce precisa adquirir para o ENEM, por exemplo, eh diferente do que voce tem de adquirir para a UNICAMP, ou para a UnB, por exemplo, ainda que em alguns casos as habilidades se complementem.

    Acredito que seja bom para o vestibulando, portanto, saber o curso que deseja entrar e tambem priorizar as melhores universidades. Mas essa escolha nao eh simples. Vou contar o meu caso:

    O curso que escolhi foi Relacoes Internacionais, e moro em Sao Paulo. Mais perto da minha casa seriam a USP e Unicamp (falando apenas de faculdades publicas), mas a Unicamp nao tem R.I. e o curso da USP parece que eh um pouco desestruturado. Longe de casa, ainda em SP, tem a UNESP, mas nao sei muito do prestigio do curso, e fora que Franca, onde fica o campus com RI, nao deve ter tanto a oferecer como Sao Paulo. No RJ, existem a Ufrj e a Uff, para onde eu poderia me mudar, e como o Rio eh tambem uma cidade grande, talvez eu nao estranharia tanto como Franca. Mas a melhor universidade mesmo eh a UnB, em Brasilia, onde o custo de vida eh realmente de se assustar, na minha opiniao.

    Moral da historia: estou com um grande receio de me mudar de Sao Paulo, como se estivesse deixando para tras o que o maior centro cultura e trabalhista estaria me oferecendo.

    Eu sei que aqui no forum tem muita gente de SC, do RJ, de GO, do RS... voces deixariam suas casas para ir estudar na USP, que eh dita ser a melhor universidade do pais?
     
  2. Calib

    Calib Visitante

    Eu particularmente penso, depois de dez anos de faculdade sem ainda me formar, que o que mais conta na sua formação é o esforço que você mesma vai fazer por fora, além do que é pedido pelos professores. Por isso, não dou lá muita bola para o curso ser "o melhor" ou estar "entre os melhores", etc. Desde que seja público (porque EU não posso bancar um privado) e com alguma qualidade, já está valendo.
    É preciso levar em conta, também, se o curso escolhido permitirá a você trabalhar durante os 4 ou 5 anos de faculdade (se não houver necessidade disso - a.k.a. "paitrocínio", então uma variável a menos, ignore).

    Não sei o que pensar quando você diz que o curso de Relações Internacionais da USP é "um pouco desestruturado", mas se EU morasse por aí, e a USP fosse a opção mais próxima de minha casa, não hesitaria em escolhê-la.
    Como moro em Porto Alegre, e sou muito acomodado, ficaria por aqui mesmo já que a UFRGS tem esse curso (mas é no turno da tarde, então EU nem posso cogitar de fazê-lo hehehe). Mas, qualidade por qualidade, não creio que a diferença será tão grande entre USP, UFRGS ou UnB que eu mesmo (ou que você mesma) não pudesse compensar com boa vontade.
     
  3. Liv

    Liv Visitante

    Ok. Eu estou iniciando em fevereiro a sexta fase de pedagogia em uma faculdade municipal, perto da minha casa. Muito do que eu sou como pedagoga, não devo à USJ. A faculdade em si, vem capengando as pernas com a ameaça de fechar as portas, pois o prefeito alega não ter verba suficiente pra manter funcionando. Porém, eu me esforço sendo uma boa aluna e já estou de olho no mestrado. Como o Calib disse, você precisa considerar um emprego durante os estudos (eu por exemplo, sempre trabalhei e por isso a USJ foi uma boa opção pra mim, pois está mais perto da minha casa) a não ser que você tenha uma fonte de renda alternativa. No meu caso, acredito que o fato da USJ ter a fama de capenga não vá pesar no meu currículo, pois eu pretendo ser uma profissional sempre atualizada. Até considero a opção de mais uma graduação no meu currículo.

    Respondendo a sua pergunta: Não deixaria Santa Catarina pra estudar na USP e me esforçaria para que os meus desejos acontecessem na minha cidade. (Mas isso é uma questão pessoal, sou bastante ligada a minha família e não me vejo morando longe deles).
     
  4. Pescaldo

    Pescaldo Penso, logo hesito.

    Calib falou tudo. Universidade depende mais do quanto você se esforça do que o curso ser ou não ser foda.
     
  5. Lu Eire

    Lu Eire Usuário

    Obrigada, pessoal. :-)

    Voces nao acham que hoje em dia as pessoas aqui no Brasil recebem um tipo de "marca" de acordo com a universidade cursada? Como se fosse um tipo de rotulo, quanto mais dificil o vestibular melhor a universidade eh, supostamente! As pessoas endeusam os "genios" que passam em primeiro lugar, deixando de dar valor para esforco!

    Nao concordo com isso, entretanto, e acho ate um pouco triste =/ Talvez essa minha duvida seja tambem um pouco por complexo causado por essa minha impressao...
     
  6. Liv

    Liv Visitante

    Status, né.:| Mas no fim das contas, o que prova alguma coisa é o seu esforço e blá, blá, blá.
     
  7. Calib

    Calib Visitante

    Eu, desde muito cedo, tive a certeza de que seguiria carreira no serviço público. E o bom do serviço público é que se entra lá por concurso. E o bom do concurso, por sua vez, é que só passam os mais bem preparados, não importanto em absolutamente nada qual a faculdade cursada nem o histórico de conceitos. Assim, nunca me estressei por ser reprovado em disciplinas, nem me incomodei por tirar poucos "A" e muitos "C": eu sabia que não representavam fielmente a minha capacidade intelectual, mas que eram apenas um reflexo do meu empenho naquele determinado momento e numa determinada matéria (e eu quase sempre me empenhei pouco na faculdade, quer por saber que passaria nos exames facilmente, quer por viver com problemas familiares constantes que me tiravam o tesão pelas coisas da faculdade e me faziam sentir culpa por estar estudando em vez de trabalhar).

    Mas não acredito que na iniciativa privada alguém realmente dê bola para a faculdade do candidato a uma vaga de emprego (a menos que seja uma faculdade assim muuuito fundo de quintal; senão, tanto faz ser USP, Unicamp, UnB, etc.)

    Entre os universitários, sim, existe uma rixa boba entre estudantes de universidades federais e estudantes de particulares. Mas é, como disse, uma bobagem. É coisa, na verdade, de estudante imaturo; daqueles crianções que recém saíram do colégio e se acham o máximo porque passaram no vestibular mais difícil da cidade e precisam se reafirmar e justificar o investimento no cursinho de cinco mil reais ou o colégio pago a vida toda. Quando se tem mais idade e se passa pela primeira faculdade, percebe-se como isso tudo é tão ridículo; e só de pensar em dar uma reprimenda nessas crianças grandes já dá um desânimo brutal... É melhor que aprendam por si mesmas, com o tempo.
     
  8. Gigio

    Gigio Usuário

    No meu caso, Lu, sua pergunta não é nem hipotética: fiz justamente isso, saí de Minas para vir estudar na Unicamp. Acho que, em geral, o renome dessas universidades mais pop não é em vão. Elas vão ter estruturas melhores, professores melhores... Se você estuda engenharia, por exemplo, terá laboratórios melhores. Se faz letras, terá mais opções de línguas estrangeiras. Mas nada disso adianta para quem não tem disposição para aproveitar, então, fazendo coro com o resto do pessoal, o esforço é mais importante.

    Para quem já está formado, podem existir algumas circunstâncias em que a universidade cursada funcione sim como um rótulo. Certos processos seletivos de empresas, por exemplo, são tão concorridos (mais que o vestibular) que eles já descartam de cara quem não venha de um certo grupos de universidades (não que seja justo, mas é verdade).

    Entre a USP, a UnB, a UFF, etc, acho que seria mais importante decidir se você está mesmo a fim de sair de casa. Pode ser uma boa oportunidade para seguir seu próprio rumo e tal, mas não é fácil deixar todo o conforto para trás...
     
  9. Cantona

    Cantona Tudo é História

    O esforço do aluno é fundamental. É mais importante que a faculdade que se cursa. Porém, não podemos negar que em uma Universidade de renome, com tradição de ensino e pesquisa, o conhecimento compartilhado é maior, bem como a exigência do corpo docente.
     
  10. Anica

    Anica Usuário

    fora o que já foi comentado aí, acho que vale a pena se informar sobre o curso em questão. digo isso pq jornalismo na ufpr sempre foi um dos mais concorridos, e teve ano aí que teve conceito E pelo mec. do tipo: a pessoa se mata de estudar, passa e acha que estará num bom curso, mas não estará. aliás, no caso de jornalismo mesmo a unicenp que obviamente não tem a fama da ufpr acaba oferecendo um curso melhor (na época que cursei jornalismo era o que tinha os melhores professores e melhor estrutura). então não adianta pensar UUUUUH NOOOSSA, A UUUUSP, se de repente o curso que vc quer fazer lá é ruim.
     
  11. imported_Shiryu

    imported_Shiryu Yippie-ki-yay...

    Sinceramente, sim esforço importa, mas se você quer algo relacionado com engenharia e negócios, uma faculdade de renome (aqui me refiro tanto a uma boa estrutura, como ser conhecida) faz uma enorme diferença. Você pode ser mais inteligente que qualquer um da universidade foda, mas se for de uma universidade desconhecida, já te eliminam no filtro de de faculdades, como em programas de trainee e estágio da vida das grandes empresas.

    Eu fiz economia na UFPR por duas coisas: comodidade (era muito folgado com 17 anos) e falta de dinheiro pra bancar a FGV, que estrupa qualquer universidade pública no meu curso. Mas o curso em si foi um lixo, professores de panelinha e aluno se fudendo. A coisa boa, que eu não aproveitei, é que tinha como fazer intercâmbio, e era muito fácil conseguir vaga.
     

Compartilhar