1. Caro Visitante, por que não gastar alguns segundos e criar uma Conta no Fórum Valinor? Desta forma, além de não ver este aviso novamente, poderá participar de nossa comunidade, inserir suas opiniões e sugestões, fazendo parte deste que é um maiores Fóruns de Discussão do Brasil! Aproveite e cadastre-se já!

Dismiss Notice
Visitante, junte-se ao Grupo de Discussão da Valinor no Telegram! Basta clicar AQUI. No WhatsApp é AQUI. Estes grupos tem como objetivo principal discutir, conversar e tirar dúvidas sobre as obras de J. R. R. Tolkien (sejam os livros ou obras derivadas como os filmes)

Comentário sobre o Athrabeth Finrod ah Andreth

Tópico em 'Comunicados, Tutoriais e Demais Valinorices' iniciado por Tilion, 1 Nov 2007.

  1. Tilion

    Tilion Administrador

    [Em um destes papéis meu pai adicionou: "Deveria ser o último item em um apêndice" (isto é, para O Silmarillion).

    Este comentário ele mesmo datilografou, no alto de uma cópia e de um carbono, com algumas correções subseqüentes quase idênticas em ambos. Após o comentário estão notas numeradas que acabam tendo mais importância do que o próprio comentário, uma vez que algumas delas constituem curtos ensaios. Distingo estas das minhas próprias notas numeradas do texto pelas palavras "Nota do Autor". – Christopher Tolkien]


    Este texto não é apresentado como um argumento de qualquer irrefutabilidade para os homens na presente situação destes (ou na que eles acreditam estar), embora possa ter algum interesse para os homens que partem de crenças ou suposições similares àquelas sustentadas pelo rei élfico Finrod.

    Ele é, na realidade, simplesmente parte do retrato do mundo imaginário do Silmarillion, e um exemplo da espécie de assunto que, ao indagar as mentes em ambos os lados, o élfico ou o humano, deve ser dito um para outro após tornarem-se familiarizados. Vemos aqui a tentativa de uma mente élfica generosa de aprofundar as relações entre elfos e homens e o papel que lhes fora designado representar no que ele teria chamado de Oienkarmë Eruo (A produção perpétua do Um), que pode ser traduzido como "A administração de Deus do Drama".

    Este conteúdo é limitado a Usuários. Por favor, cadastre-se para poder ver o conteúdo e participar (não demora e não possui custos)

     
    Última edição: 30 Set 2009
  2. Vilya

    Vilya Pai curuja, marido apaixonado

    Mais um pra aquela lista de textos excelentes aqui da Valinor que eu ainda não tinha lido. :D
     
  3. Neoghoster Akira

    Neoghoster Akira Brandebuque

    Esse diálogo citado e complementado, muito interessante por sinal, nos lembra também de como ocorriam as interferências nas opiniões dos homens.

    Fica claro que essa não era uma mulher comum, que possúia a tradição de 2 famílias antiquíssimas ao mesmo tempo e as dominava com grande destreza. E que Finrod sabia da dor da perda dela e de seu amado e por isso relevava muito do que ela dizia, como palavras tomadas ainda pela paixão.

    Na falta de personagens femininos realmente sinto que ela poderia ter recebido ao menos um filho do elfo, e a criança poderia ser uma mortal criada pela mãe e que ficaria à margem da história deixando apenas seu sangue como ocorre na suspeita de alguns descendentes dos homens de Gondor em ter no passado uma elfa em união não reconhecida. E essa criança poderia passar toda a tradição que essa mulher tinha para adiante.
     

Compartilhar