1. Caro Visitante, por que não gastar alguns segundos e criar uma Conta no Fórum Valinor? Desta forma, além de não ver este aviso novamente, poderá participar de nossa comunidade, inserir suas opiniões e sugestões, fazendo parte deste que é um maiores Fóruns de Discussão do Brasil! Aproveite e cadastre-se já!

Dismiss Notice
Visitante, junte-se ao Grupo de Discussão da Valinor no Telegram! Basta clicar AQUI. No WhatsApp é AQUI. Estes grupos tem como objetivo principal discutir, conversar e tirar dúvidas sobre as obras de J. R. R. Tolkien (sejam os livros ou obras derivadas como os filmes)

Com ajuste da inflação, filme mais visto de todos é “E O Vento Levou”, diz site

Tópico em 'Cinema' iniciado por Ana Lovejoy, 24 Out 2008.

  1. Ana Lovejoy

    Ana Lovejoy Administrador

    Titanic foi o filme que mais arrecadou na bilheteria bruta em todo o mundo. No entanto, se for levar em consideração o valor do ingresso na época de seu lançamento, o longa cai para a 6ª posição e perde o posto de filme mais popular de toda a história para “E O Vento Levou”, segundo o site Box Office Mojo, que adapta a bilheteria de acordo com a inflação.

    “E O Vento Levou” teria arrecadado mais de US$ 1,4 bilhão nos Estados Unidos contra U$ 908 de Titanic. Para chegar a esses cifrões, o site multiplica o número de tickets vendidos pelo preço atual de uma entrada ao cinema. Segundo o Box Office Mojo, o custo de uma sessão subiu cerca de 100% em relação ao ano de 1910, quando valia média de US$ 0,07. Hoje, são US$ 7.

    Ao invés de estar dominada por blockbusters atuais como “Piratas do Caribe”, “Harry Potter” e “O Senhor dos Anéis”, a lista do Box Office Mojo reflete o sucesso de longas como “Branca de Neve e os Sete Anões”, “Os Dez Mandamentos” e “E.T. – O Extraterrestre”, além de clássicos “A Noviça Rebelde” e “E O Vento Levou”.

    Confira o ranking do Box Office Mojo:

    10º - Branca de Neve e os Sete Anões (Snow White and the Seven Dwarfs, EUA, 1937. Dirigido por David Hand)


    Baseado no conto de fadas alemão escrito pelos Irmãos Grimm, “Branca de Neve e os Sete Anões” figura na 10ª posição com um total de U$ 771 milhões. Em números oficiais, a produção alcançou nos Estados Unidos a 102º posição na bilheteria, com um total de U$ 182 milhões. Não há registros de números nas bilheterias mundiais.

    Este foi o primeiro longa-metragem produzido pelos estúdios da Walt Disney, que anteriormente havia trabalhado apenas com curtas de animação. A trama traz Branca de Neve, uma charmosa princesa que fica longe das maldades de sua madrasta com a ajuda de um grupo de adoráveis anões.

    Apesar de ser o único longa da lista que não recebeu nenhum Oscar, Walt Disney foi homenageado pela Academia com um prêmio honorário por conta da significante inovação cinematográfica, que influenciou muitas outras obras e foi pioneiro no ramo do entretenimento.

    9º - O Exorcista (The Exorcist, EUA, 1973. Dirigido por William Friedkin)

    O único filme de terror desta lista representa também um dos mais bem-sucedidos filmes do gênero de toda a história. “O Exorcista” celebra o 9º lugar no ranking com U$ 782 milhões, além de figurar também no 89º lugar de maiores bilheterias mundiais com arrecadação bruta de U$ 441 milhões.

    “O Exorcista” se passa em Georgetown, nos Estados Unidos, cidade na qual uma atriz começa a perceber o comportamento assustador de sua filha de doze anos. Ela pede a ajuda a um padre, que é também psiquiatra, e chega à conclusão de que a menina está possuída por um demônio. Com a ajuda de um sacerdote especialista em exorcismo, eles tentam livrar a menina da possessão.

    O longa ganhou tom ainda mais assustador por ser baseado no livro de 1971 escrito por William Peter Blatty, no qual ele retrata um caso real de exorcismo. Na crítica, “O Exorcista” recebeu dois Oscar por melhor roteiro adaptado e melhor edição de som.

    8º - Doutor Jivago (Doctor Zhivago, 1965, Grã-Bretanha. Dirigido por David Lean)

    O drama épico baseado no romance homônimo de Boris Pastermak alcançou a 8ª posição com um total de U$ 878 milhões. Em números oficiais, o longa arrecadou U$ 111 milhões nos Estados Unidos, o que o deixa na 321º posição de maiores arrecadações no país. Não há registro da bilheteria mundial.

    Com a Revolução Bolchevique na Rússia como pano de fundo, Doutor Jivago acompanha o órfão médico Jivago enquanto ele se casa, cria uma família, e tem sua vida totalmente destruída pela Primeira Gurra Mundial e, posteriormente, pela revolução.

    O filme foi vencedor de cinco Oscar, com prêmios para Melhor Direção de Arte Colorida, Melhor Cinematografia, Melhor Figurino, Melhor Trilha Sonora Original e Melhor Roteiro Adaptado.

    7º - Tubarão (Jaws, EUA, 1975. Dirigido por Steven Spielberg)

    O tubarão que ataca a calma praia de Amity rendeu números altos de arrecadação para o longa dirigido por Steven Spielberg. “Tubarão” permanece na 7ª posição de maior bilheteria com U$ 906 milhões, e chegou aos números oficiais de U$ 470 milhões em todo o mundo – o que representa a 72ª posição de maior bilheteria mundial.

    A pacata cidade não tem de conviver com nenhum problema significante, e passa um bom tempo sem presenciar crimes e violência. Isso até acontecer o primeiro ataque de um tubarão branco que aterroriza os moradores da praia. A casualidade começa a se repetir continuamente, e o chefe de polícia tem de capturar o predador sem fechar o local, proibição determinada pelo prefeito por se tratar de uma véspera de feriado.

    O longa venceu três Oscar por Melhor Edição, Melhor Trilha Sonora e Melhor Edição de Som.

    6º - Titanic (Titanic, EUA, 1997. Dirigido por James Cameron)

    O longa de maior arrecadação mundial, com um total R$ 1,8 bilhões, cai para a 6ª posição com o ajuste da inflação. Com a marca de U$ 908 milhões, o longa que custou impressionantes U$ 200 milhões mantém uma posição bastante significativa na história do cinema.

    Protagonizado por Kate Winslet e Leonardo DiCaprio, o casal dá vida a Jack e Rose, pessoas com vidas totalmente opostas que se conhecem durante a viagem inaugural do impressionante navio “inafundável” Titanic. Rose está destinada a se casar com milionário Cal Hockley a fim de salvar o destino de sua mãe, que está perdida em dívidas e encontra em seu nome o único bem ainda significativo.

    Perdida em meio a personalidades da alta sociedade, Rose se apaixona pelo pobre Jack Dawson, que viajava na terceira classe do navio depois de ter vencido um jogo de pôquer.

    A ficção se mistura à realidade ao passo que o romance acontece dentro das mediações do Titanic, navio que permaneceu apenas três dias sobre o mar e naufragou após bater em um iceberg.

    A produção previamente orçada em U$ 130 milhões sofreu com atrasos e imprevistos que elevaram o valor para U$ 200 milhões. No entanto, o sucesso de bilheteria e crítica compensou: Titanic foi vencedor de 11 Oscar: Melhor Direção de Arte, Melhor Cinematografia, Melhor Figurino, Melhor Diretor, Melhor Edição de Efeitos Sonoros, Melhor Efeitos Visuais, Melhor Edição, Melhor Trilha Sonora, Melhor Música, Melhor Filme e Melhor Edição de Som.

    5º - Os Dez Mandamentos (The Tem Commandments, EUA, 1956. Dirigido por Cecil B. DeMille)

    Lançado em 1956, o longa “Os Dez Mandamentos” ficou com o 5º lugar das maiores bilheterias ajustadas, com o equivalente a U$ 927 milhões. O número oficial é de apenas U$ 65 milhões arrecadados nos Estados Unidos, mas o número sobe significativamente por conta do preço médio de uma entrada na época - cerca de U$ 0,50.

    Com Charlton Heston no papel de Moisés, ele leva hebreus para uma aventura por meio do rio Nilo a fim de escapar do faraó egípcio Ramsés I. Resgatado pela filha do faraó, Bithiah, ele é adotado por ela e cresce ao lado de seu irmão, o faraó Seti. Quando sua origem hebraica é descoberta, ele é expulso do Egito e passa a viver em outra região, onde se casa e tem um filho. Quando Moisés recebe a palavra de Deus, ele é enviado de volta ao Egito para libertar os hebreus da escravidão.

    O longa recebeu sete indicações ao Oscar em 1957, porém venceu em apenas uma com o prêmio de melhores efeitos especiais.

    4º - E.T. – O Extra-terrestre (E.T. – The Extra-Terrestrial, EUA, 1982. Dirigido por Steven Spielberg)

    O cativante longa sobre um simpático extraterrestre, dirigido por Steven Spielberg em 1982, atinge a 4ª posição de maiores bilheterias ajustadas com um total de U$ 1,004 bilhão. Em números oficiais, o longa arrecadou U$ 792 milhões, e figura no 22º lugar nas maiores bilheterias de todo o mundo.

    O enredo traz E.T., um pequeno alienígena que é deixado por engano na Terra e fica perdido de seus pais e família. Elliott (Henry Thomas), um menino solitário, o encontra e o leva para casa, a fim de tentar encontrar um meio de levar a criatura de volta para seu lar. Drew Barrymore figura no elenco do longa, que foi gravado quando a atriz tinha apenas sete anos.

    O clássico familiar atemporal é um dos mais populares da carreira de Spielberg, e rendeu um total de quatro Oscar: Efeitos Sonoros, Efeitos Especiais, Melhor Trilha Sonora e Melhor Edição de Som; além dos prêmios de Melhor Trilha Sonora Original e Melhor Filme de Drama no Globo de Ouro.

    3º - A Noviça Rebelde (The Sound Of Music, EUA, 1965. Dirigido por Robert Wise)

    Um dos filmes mais populares da história, “A Noviça Rebelde” alcançou a terceira posição no ranking de maiores bilheterias com um total de pouco mais de U$ 1,008 bilhão. Em números oficiais, a história Maria von Trapp (Julie Andrews) arrecadou desde 1965 cerca de U$ 158 milhões nos Estados Unidos, o que representa o 149º lugar nas bilheterias americanas. Não há registros dos valores de arrecadação fora do seu país de origem.

    A jovem alegre e determinada Maria deixa o convento para se tornar governanta de sete filhos do Capitão von Trapp, um viúvo frio e disciplinar que não permite espaço para a música e o divertimento. Ela consegue, pouco a pouco, disseminar seu amor pela música e encantar não só as crianças, mas o próprio Capitão.

    Com quase três horas de duração, o musical foi vencedor de cinco Oscar, e rendeu prêmios a Robert Wise por Melhor Direção; William Reynolds por Melhor Edição, Irwin Kostal por Melhor Trilha Sonora; Melhor Filme e Melhor Edição de Som.

    2º - Star Wars: Episódio IV – Uma Nova Esperança (Star Wars, EUA, 1977. Dirigido por George Lucas)

    O primeiro longa, porém contabilizado como quinto episódio da saga Star Wars, figura no segundo lugar da lista, com um total de U$ 1,2 bilhões em arrecadação. Com relação aos números brutos, o filme contabiliza mais de U$ 775 milhões, e ocupa o 26º lugar das maiores bilheterias mundiais.

    Dirigido por George Lucas, o épico apresenta pela primeira vez Luke Skywalker (Mark Hammil), que sonha em ir para Academia como seus amigos, mas precisa ajudar seu tio no trabalho para a próxima colheita da fazenda onde moram. Enquanto isso, um imperador tomou conta de outra galáxia e criou a Estrela da Morte, um meio de destruir todos os outros planetas.

    Seu tio encontra uma mensagem da princesa Leia Organa (Carrie Fisher) para o jedi Obi-Wan Kenobi (Alec Guiness), a respeito do plano de construção desta gigantesca estação espacial. Com isso, Luke se junta aos cavalheiros jedi e a Hans Solo (Harrison Ford), para lutar junto aos membros da resistência contra a ameaça da Estrela da Morte.

    A obra venceu seis Oscar no ano de 1978: Melhor Direção de Arte, Melhor Figurino, Melhores Efeitos Visuais, Melhor Edição, Melhor Trilha Sonora e Melhor Edição de Som. Bem Burtt também foi homenageado com o prêmio de efeitos sonoros, por conta da criação de vozes de robôs, alienígenas e outras criaturas.

    1º - E O Vento Levou (Gone With The Wind, EUA, 1939. Dirigido por Victor Fleming)

    O maior sucesso de bilheteria em nada lembra o gigantesco Titanic em termos de produção. Lançado em 1939, “E O Vento Levou” é um clássico atemporal que narra a jovem Scarlett em meio à guerra civil americana.

    O longa rendeu um total de mais de U$ 1,4 bilhões, e figura na primeira posição no ranking. O valor oficial de bilheteria do filme de mais de 3 horas de duração é de U$ 400 milhões em todo o mundo, que o leva para a 103ª posição.

    Scarlett é uma mulher egoísta que não quer admitir os seus sentimentos em relação ao homem que ama, o que a leva a perdê-lo. Seu papel é vivido pela atriz londrina Vivien Leigh, que se transforma a partir de uma menina mimada para uma mulher forte que luta por seus ideais. A adaptação se baseou do romance homônimo de Margaret Mitchell’s, lançado em 1936.

    Pioneiro em inúmeros aspectos, o filme foi premiadíssimo no Oscar, e venceu em oito categorias, além de receber um destaque técnico e honorário. Vivien Leigh venceu na categoria de Melhor Atriz; Hattie McDaniel como Melhor Atriz Coadjuvante (ela foi a primeira atriz americana afro-descendente a ser indicada e vencer um prêmio da academia); Lyle R. Wheeler como Melhor Direção de Arte; Ernest Haller e Ray Rennahan, como Melhor Cinematografia colorida; Victor Fleming como Melhor Diretor; Hal C. Kern e James E. Newcom na categoria de Melhor Edição; e Sidney Howard, como Melhor Roteiro Adaptado.

    O longa levou ainda o prêmio técnico para R.D.Musgrave por seu pioneirismo no uso de equipamentos coordenados, e o prêmio honorário pelo uso de cor para ampliar o clima dramático para William Cameron Menzies.


    Fonte:
    Este conteúdo é limitado a Usuários. Por favor, cadastre-se para poder ver o conteúdo e participar (não demora e não possui custos)
     
  2. Fëanor

    Fëanor Fnord Usuário Premium

    Nada mais correto. Em termos de valores, não há lógica nenhuma comparar simplesmente o valor bruto arrecadado por um filme hoje com o de um filme na década de 20, por exemplo.

    Esses ajustes sempre deveriam ser levados em consideração para se elaborar uma lista oficial desse tipo.
     
  3. Tisf

    Tisf Delivery Boy

    É, mas é complicado porque temos épocas que a inflação acelera muito, em especial nos anos 70, por exemplo. Aí quando você ajusta pela inflação desde os anos 20 até agora, fica osso.

    Mas enfim, pelo menos é "menos injusto", já que tem também a questão de população: o país tem hoje mais gente indo em cinema que nos anos 20 e tal.
     
  4. Ana Lovejoy

    Ana Lovejoy Administrador

    Nunca tinha levado em conta isso da população, é verdade. :think:
    Tem também uma coisa que é mais recente (pelo menos se for comparar com a década de 20 hehehe), que é ir ao cinema várias e várias vezes para ver o mesmo filme, não? Ou já naquela época tinha menina loca pelo Leonardo DiCaprio (da época) que ia assistir Titanic (da época) trocentas mil vezes??
     
  5. Tilion

    Tilion Administrador

    Certamente muita moçoila foi várias vezes assistir o Clark Gable, hehe.
     
  6. ExtraTerrestre

    ExtraTerrestre Usuário

    O custo real ou o bruto? O bruto subiu 9900%.

    Quanto à lista, perfeitamente cabível.
     
  7. Ana Lovejoy

    Ana Lovejoy Administrador

    eu acho que até se fosse homem eu iria. rhett butler chuta bundas :metal:
     
  8. Tisf

    Tisf Delivery Boy

    100% é quando dobra! A diferença aí dá os 9.900%, sem contar com inflação nenhuma, simplesmente fazendo a diferença e tals.

    Eu acho que antigamente tinha isso, mas em menor escala. Hoje você também tem as sessões de madrugada, que antes não tinha, que permitiu o Dark Knight por exemplo estourar o recorde de fim de semana de maior bilheteria de todos os tempos do universo. Fora o marketing massivo de diferentes maneiras em cima, que acaba abocanhando grande parte do público nas primeiras semanas de exibição.
     
  9. Dirhil

    Dirhil Olha, Schroeder...

    Eu acho que isso devia ser medido por número de ingressos vendidos e não por grana.

    Um filme da Disney que venda, sei lá, 1.000 ingressos arrecada menos que um filme de ação com os mesmos 1.000 ingressos, já que no da Disney a parcela de meia-entrada é bem maior.
     
  10. Ana Lovejoy

    Ana Lovejoy Administrador

    Mas Dirhil, contando por ingresso resolveria essa questão da meia-entrada, mas aí não levaria em conta aquilo que o Tisf colocou lá emcima sobre o crescimento da população, né. :think:
     
  11. Fausto

    Fausto Lovely head

    Contar pelo número de ingressos também seria meio indiferente às variações dos preços e da disposição de as pessoas pagarem. Nunca vi estatística assim, tal filme vendeu x ingressos.
     
  12. Fëanor

    Fëanor Fnord Usuário Premium

    Por número de ingressos acabaria não tendo um sentido econômico. É como o Fausto disse acima, não indicaria a disposição das pessoas em desembolsar a grana para ver o filme.

    A melhor opção ainda é tentar estabelecer uma equiparação para os valores da moeda, como foi feito, ainda que não fique perfeito.
     
  13. Tisf

    Tisf Delivery Boy

    De qualquer forma, eu acredito que uma forma legal de saber o quanto o filme fez é comparar com o seu próprio custo. Seria uma variável interessante.
     
  14. Sentinela

    Sentinela .............

    Nesse ranking Branca de Neve ficaria na frente disparado.

    E apareceria muita porcaria também, a saber: Jogos Mortais rendeu mais de 100 vezes o valor de produção nos cinemas. Duvida?
    Este conteúdo é limitado a Usuários. Por favor, cadastre-se para poder ver o conteúdo e participar (não demora e não possui custos)
     
  15. Fausto

    Fausto Lovely head

    Não, nesse critério A Bruxa de Blair é imbatível. Tá até no Guinness.

    Pra cada U$1 investido em sua produção, A Bruxa de Blair arrecadou U$10,931.

    Este conteúdo é limitado a Usuários. Por favor, cadastre-se para poder ver o conteúdo e participar (não demora e não possui custos)
     
  16. Elring

    Elring Depending on what you said, I might kick your ass!

    E ainda tem a questão dos custos de produção, divulgação, equipes, atores, marketing etc. Tudo aquilo que encarece.

    Ah, mas um fator a favor dos filmes de antigamente era que ainda não haviam inventado a fita VHS, DVD ou download. Itens que são contabilizados na arrecadação de um block-buster atual.
     
  17. Vëon

    Vëon Do you know what time it is?

    Deep Throat
    The most successful film of all time in terms of the budget to box office returns ratio. Estimates vary but it's approximately 25,000 to 1. In comparison, Titanic (1997) has a ratio of less than 10 to 1.

    Este conteúdo é limitado a Usuários. Por favor, cadastre-se para poder ver o conteúdo e participar (não demora e não possui custos)
     
  18. Fausto

    Fausto Lovely head

    Putz, é né.

    Vai ver o recorde de Garganta Profunda foi ignorado porque crianças lêem o Guinness :mrgreen:
     
  19. Fausto

    Fausto Lovely head

    Guinness pra mim é autoridade inquestionável, e parece que esses dados sobre Garganta Profunda não são muito confiáveis não.
    Este conteúdo é limitado a Usuários. Por favor, cadastre-se para poder ver o conteúdo e participar (não demora e não possui custos)
    .

    Esse site
    Este conteúdo é limitado a Usuários. Por favor, cadastre-se para poder ver o conteúdo e participar (não demora e não possui custos)
    traz um top20 de filmes com maior retorno por investimento, com A Bruxa de Blair na frente. Dêem uma olhada, bem interessante. Tem E.T., Napoleon Dynamite, Once, Primer, etc.

    Edit: oi Fausto (teste by Fëanor)
    Edit2: oi Fëanor (agora vai dar)
     
    Última edição: 10 Nov 2008
  20. Tisf

    Tisf Delivery Boy

    Mas aí no caso levaria em conta arrecadação em cinema... ou não, já que tem filmes lançados diretos em VHS/DVD :think:
     

Compartilhar