• Caro Visitante, por que não gastar alguns segundos e criar uma Conta no Fórum Valinor? Desta forma, além de não ver este aviso novamente, poderá participar de nossa comunidade, inserir suas opiniões e sugestões, fazendo parte deste que é um maiores Fóruns de Discussão do Brasil! Aproveite e cadastre-se já!

Cinco Livros Favoritos com Mercúcio

Bel

Moderador
Usuário Premium
Melian pediu para eu postar pra ela =)

Mercúcio disse:
Oi Melian.

Estou enviando minha lista de livros. Eu só não sabia se era pra enviar as capas de livros ou se isso você arruma quando você edita. :think:
Mas qualquer coisa só falar, que eu consigo as imagens pra te mandar. :yep:

Minha lista de livros:

1) O Silmarillion:

attachment.php


Bom, hesitei em colocar um livro do Tolkien, uma vez que, por participar do fórum, fica um tanto evidente que eu nutra algum interesse pelo autor. Mas não consegui fugir dele, por tudo que representa em meu contato com o mundo das letras. Embora não tenha sido O Silmarillion o livro que me introduziu na Terra Média e no mundo da leitura, é um livro de ficção que muito me marcou, pelo misto de emoções que me despertou. Tristeza, raiva, empolgação, alegria, inquietação, simpatias e antipatias. Lembro que na oitava série, após ter lido pela primeira vez o Silma, com meus 14 anos aproximados, fiz um daqueles trabalhos de escola... uma espécie de ficha do livro. Há alguns meses reencontrei esse trabalho e tive vergonha. Não havia entendido nada: misturei nomes, eventos e fiz um texto absurdamente confuso. As coisas ficaram mais claras após a segunda e a terceira leitura. E este livro me levou a incursões pelos fóruns na internet: Valinor, Ordem de Ëa (de Alcarost), Fórum Dúvendor, Fórum Andúnië (onde permaneci por mais tempo) foram alguns desses espaços de discussão. Amadureci minha escrita lendo Tolkien e para falar de Tolkien. Personagem preferido: Fingon. :mrgreen:

2) Os Três Mosqueteiros (Alexandre Dumas):

attachment.php


Li esse livro mais recentemente. Já cursava a graduação em História. Lembro-me de uma aula de História Moderna, em que discutíamos o livro A Sociedade de Corte, de Norbert Elias. O professor perguntou se havíamos lido este clássico do século XIX e começou a traçar paralelos entre as elaborações de Elias e a representação da França de Luís XIII apresentada por Dumas em seu romance. Saí da sala para a livraria (metaforicamente falando) e li o livro e, como comentei na lista da Ainurian, é realmente uma aula de sociologia histórica, com o devido olhar. Dumas foi muito sensível na reconstituição do contexto, de valores como o senso de honra, glória e fama e das relações de poder existentes. Fiquei extremamente preso na leitura, fascinado com a riqueza de personalidade que o autor emprestou aos principais personagens: D’Artagnan, os mosqueteiros Athos, Porthos e Aramis (o que mais me divertiu), seus lacaios e Milady (que vilã fantástica!).

3) Cartas Persas (Barão de Montesquieu):

attachment.php


Bom, foi durante a faculdade também que me apaixonei pela leitura de filósofos iluministas. E o responsável mais uma vez havia sido o professor de História Moderna a que me reportei, tendo ele mesmo tido Voltaire como objeto de seu mestrado e doutorado. Como diz Jorge Grespan em seu livrinho “Revolução Francesa e Iluminismo”, a filosofia das Luzes é marcada pela crítica aos dogmas (que divide de maneira um tanto esquemática em: dogma político, dogma religioso e dogma da razão). A crítica e a ironia são elementos muito presentes. É no século XVIII que se populariza um tipo de literatura: os relatos de viagem, fictícios ou não (datam desse contexto As Viagens de Gulliver e Robinson Crusoé). A Europa mais e mais tinha consciência da multiplicidade da experiência humana... e alguns espíritos sensíveis como Montesquieu fariam uso disso para demonstrar também a sua relatividade. É deste modo que o filósofo francês escreveu um romance epistolar em que dois persas percorrem a Europa relatando suas experiências, transformando assim o europeu no “outro a ser conhecido” e, por meio de ironias muito bem elaboradas, demonstrando o que toma por inconsistência nas práticas políticas, religiosas e culturais que o grosso da população tinha por naturalizadas. Eu dei boas risadas com esse livro.

4) Um Estudo em Vermelho (Arthur Conan Doyle):

attachment.php


Bom, ainda nos tempos de ensino médio, fui apresentado ao detetive mais famoso do mundo: Sherlock Holmes. O livro que me apresentou Holmes e seu amigo Watson foi, na verdade, O cão dos Baskerville. “Um Estudo em Vermelho” foi o segundo caso de Holmes que me chegou às mãos. Fiquei boquiaberto! História inteligentíssima e envolvente. E eu ficava naquela: “Como esse cara pensou isso¿”
É simplesmente muito genial. Li todos os livros sobre ele que havia na biblioteca do colégio. Li outros nos tempos de graduação. E me lembro, já na faculdade, de um texto que li, do historiador italiano Carlo Ginzburg, em que ele comparava o ofício do historiador ao trabalho de Holmes, posto que a partir de vestígios tentamos reconstituir um cenário, um contexto passado. E eu que já gostava de Sherlock Holmes, passei a gostar mais ainda. :lol:

5) Libertação (pelo espírito André Luiz através da psicografia de Chico Xavier):

attachment.php


Bom, minha religiosidade tem um peso muito grande na minha vida, de modo que eu não poderia deixar de incluir uma obra espírita. E este livro em especial foi uma leitura que me marcou muito, pelas emoções experimentadas e pelo ensejo transformador. Trata primeiramente da força do amor de uma mãe por um filho, que transcende a vida do corpo, ultrapassando os séculos. Trata também do empenho de muitos em estender a mão aos transviados que se obstinaram no mal, demonstrando que a misericórdia divina é sempre maior do que tudo e que sempre é tempo de recomeçar. Exemplos de bondade genuína e caridade desinteressada que me tiraram da zona de conforto e me instigaram o sentimento de que é preciso me movimentar. Uma obra que ainda hoje me inspira nos trabalhos voluntários semanais que assumi.

Inté! :joinha:

Um dia a Melian passa aqui pra fazer o comentário dela sobre a lista :g:
 

Anexos

  • O_Silmarillion.jpg
    O_Silmarillion.jpg
    27,8 KB · Visualizações: 113
  • Mosqueteiros.jpg
    Mosqueteiros.jpg
    19,6 KB · Visualizações: 111
  • Cartas_Persas.jpg
    Cartas_Persas.jpg
    19,3 KB · Visualizações: 111
  • Vermelho.jpg
    Vermelho.jpg
    62,1 KB · Visualizações: 103
  • Libertação.jpg
    Libertação.jpg
    23,2 KB · Visualizações: 110

Éomer

Usuário
Excelentes escolhas. Desses aí não li os dois últimos, mas tenho ótimas referências das Cartas Persas. Nunca li um livro psicografado, mas me deu uma ideia para fazer um tópico sobre lo assunto. Nessa lista o Silmarillion é o meu preferido.
 
A

Ainurian

Visitante
Gostei muito da sua lista, Mercúcio..
Dos 5 só não li o terceiro e o quinto.

Eu também comecei minha leitura de Sherlock com o Cão dos Baskerville :P

Fiquei extremamente preso na leitura, fascinado com a riqueza de personalidade que o autor emprestou aos principais personagens: D’Artagnan, os mosqueteiros Athos, Porthos e Aramis (o que mais me divertiu), seus lacaios e Milady (que vilã fantástica!).

Concordo plenamente. Dumas conseguiu dar tanta personalidade aos personagens que durante a leitura essa diferença entre eles é tão berrante e mesmo assim tão complexas que chegam a ser quase caricatas...

E quanto ao Silmarillion, nothing words
 

Mercúcio

Usuário
Que bom que gostaram, pessoal! :)
Eu estava pra fazer essa lista há muito tempo e, finalmente, consegui dar conta disso... :mrgreen: (e como foi difícil escolher... rs)


Nunca li um livro psicografado, mas me deu uma ideia para fazer um tópico sobre lo assunto.

Acho que pode ser interessante, sim! :yep:
 

Lew Morias

Luck is highly overrated
Os únicos que li foram O Silma e Um Estudo em Vermelho. O primeiro dispensa comentários e o segundo me marcou muito. Li lá pela 7, 8 série, foi o terceiro livro do Sherlock que tive oportunidade de ler. Gosto muito do Holmes, apesar de que, depois de velho, comecei a discordar muito da atitude extremamente utilitarista dele nos livros. Quase coloquei O Vale do Medo na minha lista, mas acabei trocando-o por Os Filhos de Húrin, d'O Professor.

Os Três Mosqueteiros eu pretendo ler assim que a oportunidade surgir. O livro do Montesquieu despertou bastante minha curiosidade também. Uma ótima sugestão para acrescentar em listas futuras.
 

Valinor 2021

Total arrecadado
R$125,00
Meta
R$4.800,00
Termina em:
Topo