• Caro Visitante, por que não gastar alguns segundos e criar uma Conta no Fórum Valinor? Desta forma, além de não ver este aviso novamente, poderá participar de nossa comunidade, inserir suas opiniões e sugestões, fazendo parte deste que é um maiores Fóruns de Discussão do Brasil! Aproveite e cadastre-se já!

Cinco Livros Favoritos com Eruanno Ifindë Sardillon

Melian

Período composto por insubordinação.
Vocês não sabem a felicidade que senti no dia em que entrei no fórum Valinor e vi que tinha mensagem privada e, quando conferi, vi que era uma listinha. Nossa, foi algo bem inesperado, sabe? E o que me deixou mais feliz foi o cuidado com o qual o Eruanno criou a listinha. Dá para perceber que ele fez com a maior boa vontade. E isso foi tão legal. Os textos dele estão tão claros. Ele colocou sentimentos em suas explicações mas tentou utilizar o máximo de clareza possível, ao fazê-lo. E tenho de admitir, eu me arrepio da cabeça aos pés com o início de O Silmarillion, que eu já devo ter comentado que é o meu preferido do Professor.

Achei interessante o comentário do Eruanno sobre Orgulho e Preconceito. Confesso que ri quando ele se recusou a falar sobre o IRRESISTÍVEL Mr. Darcy. Adoro o ar de mistério que ronda esse personagem. Adoro tudo no Mr. Darcy, até mesmo o que eu deveria odiar. Mas isso é tão clichê. Todas amam o Mr.Darcy.

A surpresa maior, para mim, ficou por conta de Guerra e Paz. O porquê da surpresa já explico: só chamo o Liev Tolstói de Leo ou de Leão. Não tenho costume de chamá-lo de Léon, embora seja o mais comum. E quando vi que o Eruanno também o chama de Leo, gostei bastante. E Guerra e paz é uma das obras que eu gostaria que todo mundo lesse. Assim como eu também gostaria que todos lessem Anna Karenina. :grinlove:

As outras duas obras da listinha, não poderiam faltar em uma listinha de um filósofo, né? É uma questão identitária até. Eruanno, te agradeço, imensamente, por ter enviado a listinha. Foi muito bom que você tenha sentido o desejo de compartilhar um pouco do seu vasto conhecimento conosco. Esperamos vê-lo em outros tópicos aqui do Literatura. Tenho certeza de que você acrescentará muito às discussões. E tenho certeza, também, de que vou adorar falar sobre o meu IDOLATRADO Kierkegaard (abri um sorriso imenso, aqui, quando ele foi citado) contigo.

Eruanno Ifindë Sardillon disse:
Aiya!
Achei muito interessante este tópico (já olhei todas as listinhas e procuro por novas sempre!) e quis enviar minha contribuição.
Como escrevi no meu goodreads:
"Favorite Books
Books that help me better understand and enjoy the world, and books that help me change myself into a better person (NOT self-help, though)"




O Silmarillion - John R. R. Tolkien

attachment.php



"In the beginning Eru, the One, who in the Elvish tongue is named Ilúvatar, made the Ainur of his thought; and they made a great Music before him."
O Antigo Testamento da Terra-Média. O resumo que o Tolkien fez da mitologia do MUNDO. Com adições pessoais.
Existem religiões no mundo com menos riqueza que a Terra-Média. Riqueza de conteúdo, história, moral, arte, tudo.
A música dos Ainur, a maldição de Fëanor, a história de Beren e Lúthien, a história de Túrin Turambar, a Queda de Númenor... Tantas histórias épicas que por si só já seriam livros incríveis (e de fato algumas são), todas juntas em um só livro!
O Senhor dos Anéis pode ser a maior história que o Tolkien já contou, mas no Silmarillion está o mundo desta história.



Orgulho e Preconceito - Jane Austen

attachment.php

"It is a truth universally acknowledged, that a single man in possession of a good fortune, must be in want of a wife."
Fascinante e muito espirituoso, este é tanto o mais engraçado quanto o mais amado romance da Jane Austen. Considerado sua obra-prima, é cheio de personagens interessantes, contando com a adorável e inesquecível Elizabeth Bennet (não vou falar do Mr. Darcy já que sou homem), e de engraçadíssimas caricaturas, no estilo de "crítica de maneiras" da autora. É tão espirituoso quanto Oscar Wilde e G. K. Chesterton, mas sem ser cínico ou cansativo.
Amado pelo público, está no topo de diversas listas de melhores livros já escritos ou de livros favoritos (inclusive perto do Senhor dos Anéis em algumas delas, como na minha), além de ser muito bem considerado pela crítica literária, por causa da "crítica social" (argh, esta expressão), uso da ironia e do discurso indireto livre. Que é uma outra maneira de dizer que o que a Jane Austen escreve é educativo para a vida, cheio de valores e moral, engraçado pra caramba e ainda fácil de ler!



Guerra e Paz - Leo Tolstoy

attachment.php



Quase tão grande quando a Bíblia, esta obra de conteúdo e proporções épicas é considerada a obra-prima do Leo Tolstoy, junto de Anna Karenina, e um dos maiores livros do cânone ocidental. Uma mistura de romance, crônica histórica, discussão filosófica e muito mais, abordando guerra, história, religião, filosofia, drama familiar, romance... Temas demais para citar aqui. Mas mesmo com mais de 500 personagens, o Conde Pierre Bezukhov, Natasha Rostova, Napoleão e alguns outros ainda ficaram bem marcados na minha memória. O que mais me impressionou foi o drama pessoal do Pierre, completo: que atitude tomar em relação à guerra e à violência, crises existenciais, explorações religiosas e cristianismo, desejos, tentações, frustrações, estagnação etc... Sem contar que este livro mudou completamente a minha maneira de enxergar história.


Apologia de Sócrates - Platão

attachment.php

Como filósofo amador que sou (afinal, filósofo significa "amante da sabedoria"), não poderia deixar de citar uma obra de pura filosofia. Achei que a melhor representante seria esta, que é mesmo uma das minhas favoritas, sobre a trágica morte do maior herói da filosofia.
Numa nota a parte, Søren Kierkegaard, outro grande admirador, chega a comparar aspectos da vida e morte de Sócrates a de Jesus.
Junto de outros diálogos de Platão, foi um dos primeiros livros de filosofia que li (sorte, não é?), durante a minha adolescência, e desde então nunca deixei de estudar filosofia, organizar meus conhecimentos de uma maneira racional e eficiente, e de examinar a minha vida para vivê-la de uma maneira melhor, seguindo os conselhos de Sócrates.


Confissões - Santo Agostinho

attachment.php

Se Sócrates me converteu à filosofia, Santo Agostinho me reconverteu ao cristianismo. Enquanto eu ainda duvidava, neste mundo que antagoniza a Igreja, as confissões e os louvores de Santo Agostinho me puxaram de volta ao cristianismo. De uma maneira dolorosamente pessoal e carregada de emoção, nesta autobiografia Santo Agostinho narra a sua própria conversão, desde a infância e durante a sua vida de erro e pecados, passando pela dura batalha pessoal contra os vícios, da fé falsa para a fé corrupta até a fé verdadeira, sempre louvando a Deus, cuja glória é exaltada por estas confissões.
E como se não bastasse o testemunho pessoal e religioso, o livro ainda é carregado de filosofia e teologia, tendo sido muito importante e influente. Santo Agostinho foi importante na promoção da filosofia de Platão, na manutenção da luz que existiu durante a Idade Média, entre muitas outras coisas, com um bônus especial na antecipação do famoso "cogito, ergo sum": "Si […] fallor, sum".
 

Anexos

  • 240px-Silmarrillion,_Just_under_the_Cover.jpg
    240px-Silmarrillion,_Just_under_the_Cover.jpg
    14,8 KB · Visualizações: 213
  • Orgulho-e-Preconceito.jpg
    Orgulho-e-Preconceito.jpg
    10,1 KB · Visualizações: 159
  • 6065113G1.jpg
    6065113G1.jpg
    21,9 KB · Visualizações: 160
  • 6195_4.jpg
    6195_4.jpg
    18,3 KB · Visualizações: 159
  • Confiss%u002525C3%25B5es.jpg
    Confiss%u002525C3%25B5es.jpg
    25,8 KB · Visualizações: 164
Última edição por um moderador:

Lew Morias

Luck is highly overrated
Muito bacana a listinha! Só li o Silma daí. =/

O "Guerra e Paz" foi o que mais me interessou e pretendo adicioná-lo a listinha (cada vez maior) de livros para ler. Só que... 500 personagens? Haja memória pra isso tudo. Mas que seja. Se a história é bem contada, o número de páginas, personagens ou o que for são apenas pequenos detalhes.

"Orgulho e preconceito" eu pretendo ler também. Os outros dois de cunho mais filosófico já são mais complicados. Gosto de filosofia (ou acho que penso que gosto), mas nunca tive o costume de pegar livros assim pra ler. Antes por preconceito, atualmente, por falta de costume. Mas farei uma nota mental sobre as sugestões. Podem ser um bom começo.
 

Arringa Hrívë

Hobbit entusiasta da vida...
Usuário Premium
Da listinha li apenas O Silmarillion e A Apologia.
Muito legal a lista e principalmente a descrição para cada!

Sobre O Silmarillion, não há o que falar, em disparada ele é um dos meus livros preferidos, releio sempre, nem ao menos coloquei em minha lista dos 5 favoritos porque quis fazer ela totalmente Off-Tolkien, sabendo do conflito que eu teria.

A Apologia li por ser cabeça dura, aulas de filosofia eram as melhores, no início foi mais por parte Nerd, saber para poder discutir, era um vício mas acabei amando e li muitos de Sócrates, Platão...Segui numa linha tênue, como costumava falar minha profa, simples, se tu costumas ler demais filosofia acaba aprendendo a questionar-se e inevitavelmente uma parte um tanto quanto inconformada nasce, mesmo que não se queira, minha mãe que o diga, disse que foi minha crise pós aborrescência mais preocupante... :lol:
Tadinha, mãe é mãe né!?
Prossegui e encontrei Orwell, Maquiavel e etc...
Eita vício que só multiplica...
 
Última edição:

Melian

Período composto por insubordinação.
Essa listinha me deixou com vontade de reler o Silma. Sou muito viciada n' O Silmarillion, meu Deus!
 

Anna Cwen

Ourificada
Orgulho e Preconceito :grinlove:

Guerra e Paz eu li até a metade, me dei conta de que estava me arrastando e deixei para outra vez. tá no kindle ainda mas não sei quando pegarei para ler. e o Silme eu adoro, mas acho q sou a unica pessoa que gosta o ainuindale.
 

Melian

Período composto por insubordinação.
Você falando de Guerra e Paz, Anna, me lembrou do Indu, ontem, no twitter, falando que está muito confuso lendo Crime e Castigo. Eu disse para ele "continuar", porque a confusão faz parte do processo. XD
 

Anna Cwen

Ourificada
Eu ainda não li crime e castigo mas o Edu leu há pouco tempo e, pelo que conversamos, a dificuldade dele está mais no clima.

acho que a dificuldade de guerra e paz está no ritmo mesmo; os tempos de guerra até tem um bom ritmo mas os tempos de paz são leeeeeeeeeeeeeeeentos... dá vontade de bater no Pierre, por exemplo, pelo ritmo da vida dele.

Sobre os nomes, apesar de eu entender pq as pessoas se confundem, nunca foi uma dificuldade para mim, naveguei bem pelos 3 ou 4 nomes de cada personagem.
 

Eruanno Ifindë Sardillon

Aspirante a Istar
Anna Cwen: Ainulindalë é uma das partes que eu mais gosto no Silmarillion, e isto vale pra muito mais gente também, você não está sozinha neste gosto ;)

Melian e Anna Cwen: sobre Crime e Castigo, eu comecei uma vez e não aguentei mais na parte que ele passa uns três dias meio doente da cabeça na cama olhando pros azulejos... Insuportável...
Só anos depois, e depois de ter lido Os Irmãos Karamazov, que eu tentei de novo :P
Mas valeu a pena, eu adoro o final.
Aliás, Dostoevsky é um autor que eu acho difícil de ler. Todos os livros dele me deixam deprimido, toda hora eu tenho que parar um pouco pra respirar. Só passo pela tortura de ler os livros dele porque vale muito a pena quando acaba xD.
 

Eruanno Ifindë Sardillon

Aspirante a Istar
Desculpem a demora para responder direito aqui, na minha própria lista :P

Eu estava ansioso para vê-la aqui no fórum, deixei até a tab da "lista de listas" aberta no meu navegador, mas só quando a Melian me mandou uma PM que eu tive a arguta ideia de apertar F5 e percebi que a página não estava atualizando sozinha :P

Morfindel: você leu Orgulho e Preconceito, Guerra e Paz e As Confissões e não gostou de nenhum deles? Por quê?

Lew Morias: apesar do grande número de personagens, o Tolstoy escreve muito bem, dá pra ler numa boa (principalmente se o tamanho do livro não te assustar e você tiver paciência pras horas em que ele para de contar a história e viaja um tanto sobre História etc). E se você já conhece alguma coisa de literatura russa, fica mais fácil entender e guardar os nomes dos personagens. De qualquer maneira, recomendo muito.
 
Confissões é um livro lindo e que me retirou de uma época tensa de crise existencial e me trouxe de volta à Igreja. Mesmo hoje, viajando por outras paragens religiosas, todos os meus preconceitos para como cristianismo morreram com essa obra, que foi onde, pela primeira vez, me questionei sobre um possível futuro no sacerdócio. Ele foi o começo de tudo.

Santo Agostinho é, de fato, o mais sábio dos santos e o mais santo dos sábios.

Quanto a Dostoievski, não se intimide, já li Crime e Castigo, Noites Brancas, Recordações da casa dos mortos, O Idiota, Notas do subsolo, Irmãos Karamazov e O Jogador. Algumas obras são mais difíceis que outras, mas todas são tensas, complicadas, pesadas. Você nunca mergulhará na mente humana tão profundamente como o faz lendo os livros do mestre Dostô, e você não sairá ileso. Em outras palavras, ele cumpre aquilo a que a literatura se propõe. Nada deixar intocado.
 
Última edição:

Ptah

Usuário
Lista linda. Tem Silma, Orgulho e Preconceito e Guerra e Paz!!! Perfeita.

Apologia não li, e confissões me é controverso pq tenho birra com o Santo...
 

Eruanno Ifindë Sardillon

Aspirante a Istar
Ptah: birra por quê? =P

Paganus: li os mesmos livros do Dostô que você, tirando que no lugar de "Recordações da casa dos mortos" eu li "The Christmas Tree and the Wedding" (preguiça de procurar tradução).
Curioso que os dois pais do existencialismo, ele e o Kierkegaard, são os dois autores que acho mais difícil de ler. Mas, como eu já disse antes, vale muito a pena mesmo. ^^
Recordações da casa dos mortos é muito bom?
 
Recordações é uma descrição primorosa da situação dos presidiários na Rússia czarista e uma análise muito profunda e pesada da psicologia dos presos e dos efeitos de depravação moral que o encarceramento produz. Recomendo demais.
 

Valinor 2021

Total arrecadado
R$150,00
Meta
R$4.800,00
Termina em:
Topo