• Caro Visitante, por que não gastar alguns segundos e criar uma Conta no Fórum Valinor? Desta forma, além de não ver este aviso novamente, poderá participar de nossa comunidade, inserir suas opiniões e sugestões, fazendo parte deste que é um maiores Fóruns de Discussão do Brasil! Aproveite e cadastre-se já!

Cinco Filmes Favoritos Com Kainof

Vëon

Do you know what time it is?
Cinco Filmes Favoritos Com Kainof

Na Natureza Selvagem (Into the Wild – 2007)



O filme é uma adaptação do livro homônimo de John Krakauer, que por sua vez é inspirado pelo personagem real, e narra o caminho de Christopher McCandless da formatura na universidade ao seu destino final no Alasca. Como ele largou família, futuro, dinheiro, conforto, etc., para se aventurar pelas estradas com o desejo de viver isolado em meio a natureza, impulsionado pela insatisfação com a sociedade consumista e coisificadora.

As paisagens são exuberantes. As personagens que ele encontra são divertidas. As citações diretamente escritas pelo “Supertramp” incitam à reflexão. A trilha sonora de Eddie Vedder é inacreditável: nem uma única música pode ser considerada média, só de alto nível pra cima. E o modo de vida escolhido pelo protagonista inspira. Pra mim é uma história de heroísmo. Do único heroísmo possível na contemporaneidade. A busca por uma verdade interior, correndo os riscos que o meio físico interpõe.​

O Incrível Exército de Brancaleone (L'Armata Brancaleone – 1966)



Brancaleone é uma paródia dos filmes épicos de temática medieval nos quais grandes e valorosos heróis salvam donzelas indefesas. Nesse filme, todas as personagens são risíveis e sem caráter, o herói não é tão heróico assim e a ridicularização é constante. Por esse aspecto Brancaleone se aproxima de Dom Quixote, em que um quase-nobre esquisito almeja a riqueza e o heroísmo num cenário social decadente. Até mesmo o meio-cavalo-meio-burro amarelo (!) de Brancaleone chama-se Aquilante (mala bestia di la mala sorte!), numa clara referência ao Rocinante quixotesco. Pelo roteiro já seria suficientemente engraçado, mas ainda conta com o talento tipicamente italiano para as comédias de farsa. E uma trilha sonora absolutamente cativante (viciante pra mim).

O motivo principal para este filme estar no meu top 5? Eu adoro paródias! E essa é muito bem feita e engraçada sem forçar a barra.

Spartacus (Spartacus – 1960)



Desde muito guri meu gênero de filmes preferido sempre foi o épico. De todos os que assisti, nenhum tem uma marca tão profunda na minha vida quanto Spartacus, o escravo gladiador da Roma Antiga que se rebelou e marchou contra a capital, libertando mais escravos no trajeto e regimentando um exército pela liberdade. Uma história de fato muito bonita e fácil de ser romantizada, e qualidade de encher os olhos. À parte o preponderante maniqueísmo hollywoodiano, que heroiciza sobremaneira Espártaco e seus companheiros, ao passo que demoniza os patrícios romanos, é um filme grandioso e espetacular, de um safra de épicos que somente os meados da década de 60 produziu.

Assisti ele na escola, aos 13 anos, e não sei como aquele filme legendado e antiquíssimo (para uma criança) me chocou e encantou de uma forma tão espetacular que influenciou muito minha paixão por História Antiga. Além de cinematograficamente excelente, Espártaco tem um espaço especial na minha vida.

Hair (Hair – 1979)



O conturbado fim dos anos 60 e seus movimentos socio-culturais estão entre os meus períodos preferidos na história. Movimentos juvenis de rebeldia, de pacificismo, de marginalização dos dogmas morais vigentes, etc, expostos principalmente na música e no comportamento. Entre esses movimentos, a cultura hippie adquire um certo destaque, por reunir todos esses parâmetros. Hair é um filme, inspirado no musical da Broadway do efervescente ano de 68, sobre um jovem do interior dos EUA recém chegado a NY para se alistar no exército e combater no Vietnã. Mas na metrópole ele faz amizade com um bando de hippies e se apaixona à primeira vista por uma moça rica.

Com canções de letras simples e psicodélicas, das quais “Age of Aquarius” é apenas a mais conhecida, Hair enfileira músicas e performances com temas como drogas, sexo, guerra, estilos de vida, amor, morte, exclusão, marginalização, impulsionados pelo hippie Berger, da melhor escola dos vagabundos cativantes, numa atuação excelente de Treat Williams. Hair encanta pela, concomitante, simplicidade do enredo e dos temas musicais e a apurada observação social, descomplicando o complexo.

O Senhor dos Anéis: A Sociedade do Anel (The Lord of the Rings: The Fellowship of the Ring – 2001)



Já gostava de mitologia, fantasia, épico, relatos de viagens, combates com armas brancas, monstros. A Sociedade do Anel tem tudo isso! Quando vi o trailler na TV pirei, sabia que seria um dos filmes mais espetaculares que já tinha assistido. E foi. O filme que mais vezes assisti na vida: mais de 30, creio. A Sociedade é o meu preferido por ser o primeiro, por ser o mais verossímil em termos de feitos heróicos (ainda que grandiosos), por falar mais sobre os hobbits, por ser um enredo de descobertas para as personagens e para o espectador.

Através desse filme conheci Tolkien, e me viciei em RPG, e gastei dias lendo e conversando com amigos sobre o assunto, e cheguei no Fórum Valinor, e marcou minha trajetória de existência. Filme intimamente preferido.
 

Anexos

  • MV5BMTAwNDEyODU1MjheQTJeQWpwZ15BbWU2MDc3NDQwNw@@._V1._SY317_CR0,0,214,317_.jpg
    [email protected]@._V1._SY317_CR0,0,214,317_.jpg
    14,9 KB · Visualizações: 816
  • armata-brancaleone-ok.jpg
    armata-brancaleone-ok.jpg
    22,5 KB · Visualizações: 804
  • MV5BMTI5Nzk4NDAxMF5BMl5BanBnXkFtZTcwNjU5NTMyMQ@@._V1._SY317_.jpg
    [email protected]@._V1._SY317_.jpg
    20,8 KB · Visualizações: 259
  • MV5BODUzNjUzNzIzM15BMl5BanBnXkFtZTcwMjc4MjkzNA@@._V1._SY317_.jpg
    [email protected]@._V1._SY317_.jpg
    19,7 KB · Visualizações: 260
  • MV5BMTk3NzcwNzgxOF5BMl5BanBnXkFtZTYwMjEzNjY2._V1._SY317_CR1,0,214,317_.jpg
    MV5BMTk3NzcwNzgxOF5BMl5BanBnXkFtZTYwMjEzNjY2._V1._SY317_CR1,0,214,317_.jpg
    18,4 KB · Visualizações: 788

[F*U*S*A*|KåMµ§]

Who will define me?
Eu to pra assistir Hair há algum tempo.

Na Natureza Selvagem é um dos filmes em que a menina Kirsten aparece muito bem, como em alguns outros filmes, e me entristece por ela ter ido fazer a série dos vampiros adiamantados. Apesar que ela fez a vida nesses filmes.


É a primeira vez que aparece SdA?
 

Lissa

Chocolatier Honoris Causa
Into the Wild é um dos meus top5...
Sociedade do Anel também...
Spartacus é demais...
Hair também está no meu top5 de musicais...
O incrível exército de Brancaleone, nunca vi, mas pela sua sinopse parece ser de rolar de rir.

Bela lista :clap:
 

Beren

Wannabe Rider
Várias dicas de filme interessantes, esse último então, vou anotar pra ver.. =P
Sério, achei bem legal mesmo a lista, e os outros 4 vou assistir.

Temos aqui em casa o Hairspray do Travolta só, mas não é um remake, é? eu não assisti, de qualquer forma.
 
Eu achei os três primeiros ótimas escolhas, embora eu só tenha assistido de fato o L'armata Brancaleone, que é um dos filmes mais fodásticos que eu já assisti.

O Into The Wild eu conheço a história, tenho o livro em .pdf, mas ainda não li, por falta de tempo. Mas acho inspiradora a história e a coragem do rapaz. Aí se eu pudesse fazer o mesmo(*)!... Rsrsrs.

Spartacus eu conheço por cima a estória, mas ainda está na minha lista de "para assistir".

Já os outros dois não irei comentar, pois o primeiro eu não conheço nem de nome e o segundo eu não gosto.


[]'s!

(*) -
Sem morrer no final das contas, rs.
 

Fúria da cidade

ㅤㅤ ㅤㅤ ㅤㅤ
Usuário Premium
Hair é um musical que embora não seja o meu gênero preferido, mas pelo menos em filme já assisti.

Spartacus embora não goza da mesma badalação que Ben Hur teve considero um filme tão épico quanto. Pra quem gosta de filmes de grandes batalhas e gladiadores é um clássico imperdível.
 

Pim

God, I love how sexy I am!
Nunca vi Hair, tenho preconceito com musicais.

Nossa, Veão, VEJA HAIR. A históra é tão bacana, tão bem feitinha, o enredo é tão provocador e contínuo que parece que as músicas fazem parte dos diálogos, e nem percebe-se que este filme é um musical.

Eu também morro de preconceito de musicais (vide meu ódio gratuito por Glee, ou a indiferença por Grease) e AMEI Hair. Me deu muita, muita vontade de viver naquele tempo... Quem sabe eu tenha vivido e só sei disso através da saudade pelo daquilo que não vivenciei...
 

[F*U*S*A*|KåMµ§]

Who will define me?
Kubrick é tão fodão que mesmo eu gostando bastante de Spartacus, ele provavelmente estaria entre os ultimos filmes do diretor se eu fizesse uma lista.
 

Kainof

Sr. Raposo
Usuário Premium
Como eu disse no início, fiz uma lista bem subjetiva. Gosto pessoal mesmo. Até porque seria tolo da minha parte escolher pela qualidade artística, afinal eu conheço tão pouco de cinema que não tenho capacidade de apreciar um filme apenas pelas suas qualidades teóricas. E apreciação da arte é subjetiva, entonces...

É a primeira vez que aparece SdA?

Parece que sim. Acho que o pessoal não lista SdA por ser algo meio que intrínseco a estar aqui: é óbvio que todos aqui têm SdA como filmes de alguma forma preferidos e não precisaria haver recomendação deles. Mas eu quis sublinhar o quão SdA é fodão.

O incrível exército de Brancaleone, nunca vi, mas pela sua sinopse parece ser de rolar de rir.

Assim, rolar de rir, não. É uma paródia. É um filme sutil. É uma comédia de ridículo, um estilo que curto desde a literatura dramática.

Nunca vi Hair, tenho preconceito com musicais.

Também tenho, é bem difícil eu gostar de um musical. Principalmente os mais badalados: não gosto de "Cantando na Chuva", "Mamma Mia", "Moulin Rouge"...
 

[F*U*S*A*|KåMµ§]

Who will define me?
Também tenho, é bem difícil eu gostar de um musical. Principalmente os mais badalados: não gosto de "Cantando na Chuva", "Mamma Mia", "Moulin Rouge"...
Mas Mamma Mia e Moulin Rouge não tem muito do que gostar mesmo.
:g:

Lembro que me foi uma decepção quando vi a Kidman fazendo o musical. Achava que ela se daria bem no genero. Mas ficou artificialzaço.
Meryl Streep então, foi pior ainda.
 

Fingolfin

Feitiço de Áquila
Cara, Brancaleone entrou na lista do Kainof... e eu pensei q ia entrar só na minha. Sensacional!
 

Maria Pretinha

Usuário
Adoro musicais, e adoro hair, e, da sua lista, parece ser o único que gosto realmente.

Spartacus não me apetece muito e achei Brancaleone muito sem graça. Ao contrário do Kainof, nem gosto muito de paródias.

SdA nem falo.

Agora, Into the Wild é um dos filmes que ue mais ODEIO. Sério, fiquei brava quando assisti. Saí do cinema de MUITO mau humor. As imagens são lindas, mas achei as atuações muito sem-graça e ODEIO o personagem principal, tanto no filme, quanto na "vida real". É um tipo de pessoa que me dá muita preguiça e me irrita.

Extremamente egoístas e arrogantes, acham que são melhores que todas as outras pessoas do mundo por não se "conformarem ao sistema". Meu, que historinha mais velha. Não é preciso ignorar os outros, ser mega egoísta e fazer esse estardalhaço todo pra ser livre e conhecer o mundo. Sério, acho esse filme muito idiota.
 

[F*U*S*A*|KåMµ§]

Who will define me?
Adoro musicais, e adoro hair, e, da sua lista, parece ser o único que gosto realmente.

Spartacus não me apetece muito e achei Brancaleone muito sem graça. Ao contrário do Kainof, nem gosto muito de paródias.

SdA nem falo.

Agora, Into the Wild é um dos filmes que ue mais ODEIO. Sério, fiquei brava quando assisti. Saí do cinema de MUITO mau humor. As imagens são lindas, mas achei as atuações muito sem-graça e ODEIO o personagem principal, tanto no filme, quanto na "vida real". É um tipo de pessoa que me dá muita preguiça e me irrita.

Extremamente egoístas e arrogantes, acham que são melhores que todas as outras pessoas do mundo por não se "conformarem ao sistema". Meu, que historinha mais velha. Não é preciso ignorar os outros, ser mega egoísta e fazer esse estardalhaço todo pra ser livre e conhecer o mundo. Sério, acho esse filme muito idiota.
Mas ele morre no final!
Foi a minha redenção. :g:

Principalmente depois de ler que não foi tão "poético" como no filme. Encontraram com uma placa escrita no onibus com ele desesperado pedindo ajuda.
 

Maria Pretinha

Usuário
Mas ele morre no final!
Foi a minha redenção. :g:

Principalmente depois de ler que não foi tão "poético" como no filme. Encontraram com uma placa escrita no onibus com ele desesperado pedindo ajuda.

Extamente por isso não funcionou comigo.

Eu já sabia da história "de verdade" e já sabia que o personagem real não tinha se "redimido" (galera, isso tudo na minha opnião pessoal e na minha visão de mundo. Estou julgando o cara sim, de acordo com meus valores pessoais, mas não o estou condenando porque sei que não tenho esse direito, antes que venham me bater). Aí durante o filme, fiquei vendo o idiotinha fazendo o mundo de seu quintal até sua arrogância levá-lo para onde não havia saída e, aí, ao invés de trabalhar aquilo, tipo, a arrogância mesmo, que fez com que ele não pesquisasse mais, não se preparasse mais e achasse que conseguiria vencer o Alasca só sendo ele, não trabalhar, mas deixar com que o final fosse coerente com a história real e com a personalidade dele mesmo, redimem o infeliz com um flash if e uma cartinha emocionante que, sim, me fez chorar, mas só aumentou minha raiva tmb.
 

Kainof

Sr. Raposo
Usuário Premium
Extremamente egoístas e arrogantes, acham que são melhores que todas as outras pessoas do mundo por não se "conformarem ao sistema". Meu, que historinha mais velha. Não é preciso ignorar os outros, ser mega egoísta e fazer esse estardalhaço todo pra ser livre e conhecer o mundo.

Não consigo entender a relação que tu faz entre isolamente e arrogância sem ser numa análise um tanto rasa. Mas ok, é uma opinião. De certa forma entendo a lógica do pensamento. Discordo e poderia rebater. [+preguiça] (:sacou:) [+tópico inadequado]

Sim, eu me identifico muito em pensamento com o personagem. =]
 

Décimo

The Swanson Code
Assim, rolar de rir, não. É uma paródia. É um filme sutil. É uma comédia de ridículo, um estilo que curto desde a literatura dramática.

Sim, o filme é uma paródia perfeita. Quando o vejo fico com vontade de aprender italiano só para entender todas as piadas metalinguísticas.
 
Última edição:

Valinor 2020

Total arrecadado
R$1.595,99
Meta
R$4.800,00
Termina em:
Topo