1. Caro Visitante, por que não gastar alguns segundos e criar uma Conta no Fórum Valinor? Desta forma, além de não ver este aviso novamente, poderá participar de nossa comunidade, inserir suas opiniões e sugestões, fazendo parte deste que é um maiores Fóruns de Discussão do Brasil! Aproveite e cadastre-se já!

Dismiss Notice
Visitante, junte-se ao Grupo de Discussão da Valinor no Telegram! Basta clicar AQUI. No WhatsApp é AQUI. Estes grupos tem como objetivo principal discutir, conversar e tirar dúvidas sobre as obras de J. R. R. Tolkien (sejam os livros ou obras derivadas como os filmes)

Autor da Semana Charles Bukowski

Tópico em 'Generalidades Literárias' iniciado por Éomer, 21 Ago 2012.

  1. Éomer

    Éomer Well-Known Member

    Este conteúdo é limitado a Usuários. Por favor, cadastre-se para poder ver o conteúdo e participar (não demora e não possui custos)


    Charles Bukowski


    16/08/1920 – 09/03/1994


    "É este o problema com a bebida, pensei, enquanto me servia dum copo. Se acontece algo de mau, bebe-se para esquecer; se acontece algo de bom, bebe-se para celebrar e, se nada acontece, bebe-se para que aconteça qualquer coisa."


    BIOGRAFIA


    Henry Charles Bukowski (nascido Heinrich Karl Bukowski) nasceu em 16 de Agosto de 1920, em Andernach, Alemanha. Era filho de pai americano e mãe alemã. A família se mudou para Los Angeles/EUA, quando ele tinha três anos de idade. Viveu em Los Angeles durante cinquenta anos. Teve uma infância difícil, sendo espancado com frequência pelo pai, pelos motivos mais fúteis. Também enfrentou problemas relacionados à aparência, por ter problemas com inflamações cutâneas. Tudo isso fez com que se tornasse um menino arredio e com poucos amigos.

    A falta de carinho familiar e a humilhação de ter um rosto deformado obrigam-no a fugir e iniciar seu vício em bebidas alcoólicas e ao mesmo tempo começar a escrever seus poemas. Escreveu os primeiros com 15 anos, porém seu primeiro livro só foi publicado 20 anos depois, em 1955. Publicou seu primeiro conto em 1944, aos 24 anos de idade. Neste meio tempo descobriu duas coisas que o ajudaram a tornar a sua vida suportável: o álcool e os livros.
    A respeito do alcoolismo do autor, o próprio dizia que depois que ele descobriu o álcool e os livros, tudo ficou um pouco mais tolerável, tendo escrito em um de seus livros:
    É este o problema com a bebida, pensei, enquanto me servia dum copo. Se acontece algo de mau, bebe-se para esquecer; se acontece algo de bom, bebe-se para celebrar e, se nada acontece, bebe-se para que aconteça qualquer coisa.
    Trabalhou em empregos temporários em várias cidades americanas, como carteiro, frentista e motorista de caminhão apesar de ter estudado jornalismo, sem nunca se formar. Em 1962 estreou na prosa caracterizada pela descrição de sua vida pessoal.

    Iniciou assim uma vida errante, bebendo em excesso e escrevendo alucinadamente. Os produtos destas noites e mais noites de trabalho eram enviados para as mais diversas publicações literárias independentes dos Estados Unidos, mas quase sempre recusados. A editora da revista Harlequin, Barbara Frye, no entanto, estava convencida de que Bukowski era um gênio. Bukowski se casou com Frye logo que se conheceram, mas se separaram mais rápido ainda.

    Até este momento, Charles Bukowski era apenas um poeta iniciante - apesar de ter quase quarenta anos. Mas foi a partir de sua separação que começou a surgir a imagem de Bukowski que o tornaria famoso, seu alterego Henry Chinaski. Jim Christy, autor do livro The Buk Book, disse em uma vez que "ele havia sido um vagabundo, um imprestável, um proletário, um bêbado; bem, que fosse. Claro, outros trabalharam o mesmo território, mas o que diferenciava Bukowski do resto deles - os Knut Hamsun, Jack London, Maxim Gorky e Jim Tully - era que Bukowski era engraçado." Trabalhando esta imagem, Bukowski conseguiu criar um mito ao seu redor.

    Bukowski vivia em um mundo atormentado e distorcido, totalmente fora dos padrões impostos pela sociedade de sua época. O escritor nunca fez questão de esconder que seus trabalhos eram, quase sempre, autobiográficos. E sua falta de discrição era tão grande, que durante toda vida teve de lidar com a quebra de laços de amizade. Ele citava, sem qualquer preocupação, nomes e, quando muito inspirado, fazia duras críticas às pessoas que o cercavam. Algumas vezes os personagens "nada fictícios" ficavam sabendo das peripécias do poeta bêbado após a publicação dos textos.

    Bukowski tem sido erroneamente identificado com a Geração Beat, por certos temas e estilo correlatos, mas sua vida e obra nunca mostraram essa inclinação, coisa que o próprio autor renegava por não achar que houvesse afinidades com tal grupo. A cidade de Los Angeles, suas ruas e atmosfera, foram sua principal influência, tratando de histórias com temas simples, misturando, por exemplo, corridas de cavalo, prostitutas e música clássica. Ele escreveu mais de 50 livros, sem contar milhares de publicações baratas.

    Uma de suas principais atividades durante anos foi a leitura de suas poesias em universidades e eventos culturais. Sua leitura debochada às vezes provocava escândalos e brigas com a plateia, algumas delas registradas em áudio. Já nos anos 1980, Bukowski desfrutou de certa fama, convivendo com artistas e tornando-se uma celebridade. Teve alguns contos e romances adaptados para o cinema por alguns diretores. Inclusive, o próprio Bukowski recebeu diversos convites para escrever argumentos, apesar de assumir que nunca gostou muito de filmes.

    Uma de suas principais atividades durante anos foi a leitura de suas poesias em universidades e eventos culturais. Sua leitura debochada às vezes provocava escândalos e brigas com a plateia, algumas delas registradas em áudio. Já nos anos 1980, Bukowski desfrutou de certa fama, convivendo com artistas e tornando-se uma celebridade.

    Bukowski morreu de leucemia aos 73 anos, em 09 de Março de 1994, e em seu túmulo se lê "Don't Try", "Não Tente" em português.


    Características da obra de Bukowski


    A principal influência de Bukowski vem de sua própria vida. O autor realmente viveu meio marginalizado, cresceu nas ruas dos Estados Unidos, viveu com um pai extremamente autoritário e bêbado, saiu de casa muito jovem, estudou jornalismo, sem se formar e viveu trabalhando em empregos temporários até conseguir ser reconhecido na Literatura. Lembrando-se também que Bukowski era um sujeito feio, que durante sua juventude sofreu com sérios problemas de pele, o que o fez se tornar antissocial e alcoólatra: diz-se que é daí que vem toda a inspiração de suas histórias. Conheceu a fundo o submundo de LA, com seus tipos característicos, prostitutas, vagabundos e bêbados. Retratou os parias em uma literatura considerada “maldita”. Bukowski nasceu e viveu com naturalidade na sarjeta, usando-a como principal fonte de inspiração em sua obra.

    Uma de suas principais personagens, e uma espécie de “alter ego”, é Henry Chinaski. Henry Chinaski é o protagonista de cinco livros de Charles Bukowski, assim como histórias curtas e poemas. Henry Chinaski é também mencionado brevemente no início do último livro de Bukowski, Pulp.

    Chinaski é um anti-herói completo: um alcoólatra misantrópico que vive de emprego em emprego e de mulher em mulher. Também é um personagem autobiográfico; como Bukowski, Chinaski cresce pobre; possuí mais casos com mulheres jovens e passa muitos anos no correio, trabalho que ele odeia. Ele foi retratado por Mickey Rourke no filme Barfly, que o próprio Bukowski roteirizou. Também foi retratado por Matt Dillon no filme Factotum, produzido em 2005.

    Teve Ernest Hemingway e Fiódor Dostoiévski como principais influências. Com o escritor russo, aprendeu: "Quem não quer matar seu pai"?. "Ele" é o cara sacana, "Ele" é o responsável por seu sofrimento, "Ele" merece morrer. Esse ódio por seu pai (ele mesmo um alcoólatra violento) permeia toda a obra do velho "Buk".

    As histórias de Bukowski são contadas geralmente com o autor envolvido em bebedeiras, farras, todas sempre terminadas de formas violentas e depravadas. Essas características na escrita de Bukowski fizeram-no ficar conhecido como um escritor maldito, por vezes considerado um escritor beatnik honorário, coisa que o próprio autor renegava por não achar que houvesse afinidades com tal grupo.

    Segundo
    Este conteúdo é limitado a Usuários. Por favor, cadastre-se para poder ver o conteúdo e participar (não demora e não possui custos)
    , o exemplo maior da filosofia pessoal de Bukowski vai se dar com sua morte e a inscrição feita na lápide: “Don’t Try” – Nem tente. É a impossibilidade de fugir das amarras da sociedade capitalista que dita a lógica escapista do autor. Se não há o caminho para a mudança, o preferível é aproveitar os prazeres levianos do sexo, da bebida, das drogas, da irresponsabilidade, sem comprometimento algum.


    Bibliografia


    Livros Publicados no Brasil:


    Ao Sul de Lugar nenhum. Porto Alegre: L&PM, 2008.

    O amor é um cão dos diabos. Porto Alegre: L&PM, 2007.

    À toa em San Pedro. Florianópolis: Spectro, 2007

    Vida desalmada. Florianópolis: Spectro, 2006

    Essa loucura roubada que não desejo a ninguém a não ser a mim mesmo amém. Curitiba: 7 Letras, 2005.

    Tempo de vôo para lugar algum. Florianópolis: Spectro, 2004.

    Hino da Tormenta. Florianópolis: Spectro, 2003.

    Os 25 Melhores Poemas de Charles Bukowski. Rio de Janeiro: Bertrand, 2003.

    O capitão saiu para o almoço e os marinheiros tomaram conta do navio. Porto Alegre: L&PM, 1999.

    A mulher mais linda da cidade. Porto Alegre: L&PM, 1997. (coletânea)

    Pulp. Porto Alegre: L&PM, 1995.

    Numa Fria. Porto Alegre: L&PM, 1993.

    N.York, 95 cents ao dia. Porto Alegre: L&PM, 1991 (quadrinhos)

    Delírios Cotidianos. Porto Alegre: L&PM, 1991 (quadrinhos)

    Hollywood. Porto Alegre: L&PM, 1990.

    Fabulário Geral do Delírio Cotidiano. Porto Alegre: L&PM, 1986.

    Factotum. São Paulo: Brasiliense, 1985. Porto Alegre: L&PM, 2007.

    Notas de um velho safado. Porto Alegre: L&PM, 1985.

    Misto quente. São Paulo: Brasiliense, 1984. Porto Alegre: L&PM, 2006.

    Crônica de um amor louco. Porto Alegre: L&PM, 1984.

    Mulheres. São Paulo: Brasiliense, 1984. Porto Alegre: L&PM, 2007.

    Cartas na Rua. São Paulo: Brasiliense, 1983.


    Livros publicados nos EUA:
    Poesia:

    The people look like flowers at last Ecco, 2007.

    The pleasures of the damned Ecco, 2007.

    Come on in! Ecco, 2006.

    Slouching Toward Nirvana. Ecco,2005.

    New poems. Book 3. Virgin Books, 2004.

    New poems. Book 2. Virgin Books, 2003.

    New poems. Book 1. Virgin Books, 2003.

    The flash of lightning behind the mountain: new poems. Ecco, 2003.

    Sifting Through the Madness for the Word, the Line, the Way: New Poems. New York: Harper Collins, 2003.

    Beer night and cursing Ecco, 2002.

    The night torn mad with footsteps. CA: Black Sparrow, 2001.

    Open All Night: New Poems. CA: Black Sparrow, October 2000.

    What Matters Most Is How Well You Walk Through the Fire. CA: Black Sparrow, September 1999.

    Bone Palace Ballet: New Poems. Santa Rosa CA: Black Sparrow, 1997.

    Betting on the Muse: Poems and Stories. Santa Rosa CA: Black Sparrow, 1996.

    The Last Night of the Earth Poems. Santa Rosa CA: Black Sparrow, 1992.

    In the Shadow of the Rose. Santa Rosa CA: Black Sparrow, 1991.

    Septuagenarian Stew. Santa Rosa CA: Black Sparrow, 1990.

    The Roominghouse Madrigals: Early Selected Poems, 1946-1966. Santa Rosa CA: Black Sparrow, 1988.

    Gold In Your Eye. Santa Rosa CA: Black Sparrow, 1986.

    You Get So Alone at Times that It Just Makes Sense. Santa Rosa CA: Black Sparrow, 1986.

    War All the Time: Poems 1981-84. Santa Barbara CA: Black Sparrow, 1984.

    Dangling in the Tornefortia. Santa Barbara CA: Black Sparrow, 1981.

    Play the Piano Drunk Like a Percussion Instrument Until the Fingers Begin to Bleed a Bit. Santa Barbara CA: Black Sparrow, 1979.

    A Love Poem. Santa Rosa CA: Black Sparrow, 1979.

    Love is a Dog from Hell: Poems 1974-77. Santa Barbara CA: Black Sparrow, 1977.

    Scarlet. Santa Barbara CA: Black Sparrow, 1976.

    Burning in Water, Drowning In Flame: Selected Poems 1955-1973. Santa Barbara CA: Black Sparrow, 1974.

    Mockingbird Wish Me Luck. Los Angeles CA: Black Sparrow, 1972.

    Fire Station. Santa Rosa CA; Capricorn P, 1970.

    The Days Run Away Like Wild Horses Over the Hills. Los Angeles CA: Black Sparrow, 1969.

    At Terror Street and Agony Way. Los Angeles CA: Black Sparrow, 1968.

    Poems Written Before Jumping Out of an 8 Story Window. Glendale CA: Poetry X/Change/Litmus, 1968.

    The Genius of the Crowd. Cleveland OH: 7 Flowers Press, 1966.

    Confessions of a Man Insane Enough to Live with Beasts. Bensenville IL: Ole Press, 1965.

    Cold Dogs in the Courtyard. Chicago IL: Leterary Times-Cyfoeth, 1965.

    Crucifix in a Deathhand. New Orleans LA: Loujon Press, 1965.

    It Catches My Heart in its Hands: New and Selected Poems, 1955-1963. New Orleans LA: Loujon Press, 1963.

    Run with the Hunted. Chicago IL: Midwest Press, 1962.

    Longshot Poems for Broke Players. New York NY: 7 Poets Press, 1962.

    Flower, Fist and Bestial Wail. Eureka CA: Hearse Press, 1960.


    Prosa:

    Beerspit Night & Cursing: The correspondence of Charles Bukowski & Sheri Martinelli 1960-1967.

    Steven Moore:

    Reach for the Sun: Selected Letters, 1978-1994. Santa Rosa CA: Black Sparrow, 1999.

    The Captain is Out to Lunch and the Sailors Have Taken Over the Ship. R. Crumb, illus. Santa Rosa CA: Black Sparrow, 1998.

    Betting on the Muse: Poems and Stories. Santa Rosa CA: Black Sparrow, 1996.

    Shakespeare Never Did This. Photographs by Michael Montfort. Santa Rosa CA: Black Sparrow, 1995.

    Living on Luck: Selected Letters 1960s-1970s. Santa Rosa CA: Black Sparrow, 1995.

    Pulp. Santa Rosa CA: Black Sparrow, 1994.

    Screams from the Balcony: Selected Letters 1960-1970. Santa Rosa CA: Black Sparrow, 1993.

    Septuagenarian Stew. Santa Rosa: Black Sparrow, 1990.

    Hollywood: A Novel. Santa Rosa CA: Black Sparrow, 1989.

    The Movie "Barfly": An Original Screenplay. Santa Rosa CA: Black Sparrow, 1987.

    There's No Business. Robert Crumb, illus. Santa Rosa CA: Black Sparrow, 1984.

    Hot Water Music. Santa Barbara CA: Black Sparrow, 1983.

    The Bukowski/Purdy Letters, 1964-1974. Sutton West, Ont., Canada: Paget P, 1983.

    Bring Me Your Love. Robert Crumb, illus. Santa Rosa CA: Black Sparrow, 1983.

    Tales of Ordinary Madness. San Francisco, CA: City Lights Books, 1983.

    The Most Beautiful Woman in Town. San Francisco, CA: City Lights Books, 1983.

    Ham On Rye. Santa Barbara CA: Black Sparrow, 1982.

    Women. Santa Barbara CA: Black Sparrow, 1978.

    Factotum. Santa Barbara CA: Back Sparrow P, 1975.

    South of No North: Stories of the Buried Life. Los Angeles CA: Black Sparrow, 1973.

    Erections, Ejaculations, Exhibitions, and General Tales of Ordinary Madness. San Francisco: City Lights Books, 1972.

    Post Office. Los Angeles CA: Black Sparrow, 1970.

    Notes of a Dirty Old Man. N. Hollywood CA: Essex House, 1969.
    Fontes:
    Este conteúdo é limitado a Usuários. Por favor, cadastre-se para poder ver o conteúdo e participar (não demora e não possui custos)


    Este conteúdo é limitado a Usuários. Por favor, cadastre-se para poder ver o conteúdo e participar (não demora e não possui custos)


    Este conteúdo é limitado a Usuários. Por favor, cadastre-se para poder ver o conteúdo e participar (não demora e não possui custos)


    Este conteúdo é limitado a Usuários. Por favor, cadastre-se para poder ver o conteúdo e participar (não demora e não possui custos)


    Este conteúdo é limitado a Usuários. Por favor, cadastre-se para poder ver o conteúdo e participar (não demora e não possui custos)


    Este conteúdo é limitado a Usuários. Por favor, cadastre-se para poder ver o conteúdo e participar (não demora e não possui custos)
     
    • Ótimo Ótimo x 7
  2. Hobbit Bonzinho

    Hobbit Bonzinho Usuário

    É agradável, mas é totalmente de uma nota só.
    Creio que esse tipo de autor, junto com coisas como Henry Miller, Kerouac, etc, é bem menos profundo do que ele pretende ser (ou seus fãs pretendem que seja, que é o mais o caso do Bukowski).
     
  3. Bruce Torres

    Bruce Torres Let's be alone together.

  4. Seiko-chan

    Seiko-chan Retardada

    Simplesmente amei 'Notas de um Velho Safado'. Eu deveria ter lembrado do Bukowski pra indicar aqui antes :roll:

    Sua biografia ficou ótima, Éomer!
     
  5. Bruce Torres

    Bruce Torres Let's be alone together.

Compartilhar