1. Caro Visitante, por que não gastar alguns segundos e criar uma Conta no Fórum Valinor? Desta forma, além de não ver este aviso novamente, poderá participar de nossa comunidade, inserir suas opiniões e sugestões, fazendo parte deste que é um maiores Fóruns de Discussão do Brasil! Aproveite e cadastre-se já!

Dismiss Notice
Visitante, junte-se ao Grupo de Discussão da Valinor no Telegram! Basta clicar AQUI. No WhatsApp é AQUI. Estes grupos tem como objetivo principal discutir, conversar e tirar dúvidas sobre as obras de J. R. R. Tolkien (sejam os livros ou obras derivadas como os filmes)

Cenários do AD&D

Tópico em 'RPG' iniciado por Barlach, 8 Nov 2003.

  1. Barlach

    Barlach Verde. E arqueiro

    Qm conhece os cenários antigos do AD&D?? Dark Sun, Planescape, Dragonlance, Ravenloft e mais um monte......

    Eu gostaria de conhecer mais..... Agora com o 3E, naum tão mais lançando eles....

    Qual q é o preferido de vcs??? E o pior????
     
  2. Vinci

    Vinci Usuário

    Dark Sun e Ravenloft lançaram, já.
     
  3. Illusion Hunter

    Illusion Hunter Usuário


    Esses sao sem duvida os melhores..... ( na minha concepçao)
     
  4. Skywalker

    Skywalker Great Old One

    Pra mim o melhor é o Planescape... é o mais original e fora dos padrões... Sigil rulez!
     
  5. Barlach

    Barlach Verde. E arqueiro

    Dark Sun foi lançado?????
     
  6. Undead Kurt

    Undead Kurt Usuário

    Foram lançados Dragonlance, Forgotten Realms, Ravenloft e Grayhawk (que é o cenário base para D&D)...
    Dark Sun e Spelljammer estão em estudos...
    Mystara e Birthright estão descartados...

    Esqueci de algum????
     
  7. TT1

    TT1 Dilbert

    O melhor é sem dúvida Planescape.

    O roleplay é mais valorizado e as surpresas são sempre maiores, já que as campanhas podem ser em qualquer lugar. Ideal para jogadores experientes, claro
     
  8. Undead Kurt

    Undead Kurt Usuário

    Esqueci de Planescape...
    E realmente o TT1 tem razão, esse é um cenário para jogadores experientes...
    Eu utilizava Planescape nas minhas aventuras para poder explicar certos monstros, magias, itens de um cenário ir para em outro...
    Planescape também está em estudos, e com boa possibilidade de sair em D20, o Manual of the Planes teve uma excelente aceitação (leia-se: vendeu bem!!!!!) :roll:
     
  9. Faram¡r

    Faram¡r Dr. Benway

    Eu pessoalmente acho que a terceira edição esta com complementos para cenários beeeem piores que da segunda edição.

    O Dungeons and Dragons foi evoluindo aos poucos, saindo do estilo tradicional de se jogar para um jogo mais sofisticado e interessante. Em termos de qualidade estava no auge no final dos anos 90, e a terceira edição foi um retrocesso. Não nas regras, que melhoraram, mas nos cenarios.

    Alguns exemplos:

    - A maioria dos complementos que eu vi de terceira edição para os cenarios gastam mais páginas com listas de monstros e magias do que com descrição de cultura, geografia, política e personalidades.

    - A descrição de criaturas abre mais espaço para as caracteristicas de combate do que para as caracteristicas culturais e sociais.

    - Os livros de classe pioraram consideravelmente. Os antigos kits eram excelentes e correspondiam ao papel social que cada sub classe exercia. Quer dizer, tinha razão de existir aqueles kits. Agora, as prestige class são umas bostas desinteressantes, que se explicam apenas pelas caracteristicas de combate.


    Pois bem, voltando um pouco ao tema do tópico, os cenários de AD&D eram muito bons. Eu sinto dificuldades em escolher o melhor deles, porque cada um tinham suas especialidades.
    Não apenas Planescape e Ravenloft, mas Dragonlance também privilegiava bastante o roleplaying. Forgotten Realms é o mais conhecido, mas é fabuloso. Depois que se le os complementos, incluindo sobre Kara Tur, Maztica entre outras regiões menos lembradas. Esse mundo é fascinante. E o melhor de tudo: Em uma aventura de alto nível (acima de 20), os jogadores podem jogar em mais de um mundo, usando Sigil como caminho entre os planos.

    Sobre o Manual of Planes em D20, eu li e achei o complemento bom, fez jus ao material da segunda edição.
     
  10. Vatho

    Vatho Usuário

    Olhem meu Avatar e concluam: Qual o meu cenário preferido?
     
  11. Ka Bral o Negro

    Ka Bral o Negro Tchokwe Pós-Moderno

    :roll: :roll: :roll:

    Sem dúvida, Forgotten é um grande e poderoso cenário, mas o meu favorito sempre foi e sempre será o esquecido Mystara; é simples, tradicional e direto. Eu gosto muito. Mas duvido que alguém se interesse em lançar uma versão D20... :?
     
  12. Lobo_Larsen

    Lobo_Larsen Usuário

    Vc está redondamente enganado. Dark Sun e Birthright já possuem adaptações pro sistema d20 (inclusive por 3.5 no caso de Dark Sun). Apenas não vão ser lançados COMERCIALMENTE. Uma equipe de fãs, responsável pelo site OFICIAL do cenário (a Wizards elegeu pra cada cenário antigo um site de fãs oficial) adaptou esses cenários e disponibiliza GRATUITAMENTE (eu tenho o Birtright d20 versão de teste, lançado em Fevereiro e é ótimo).
    O SpellJamer tem uma pequena (na verdade minúscula) adaptação em uma edição da Polyhedron (não me lembro qual). E o site oficial deve estar preparando algo.
    O site oficial tb deve estar adaptando Mystara.
    Aqui vai um link pro site da Wizards de onde dá pra ir pros sites oficiais de cada cenário:
    Este conteúdo é limitado a Usuários. Por favor, cadastre-se para poder ver o conteúdo e participar (não demora e não possui custos)


    Faramir: concordo contigo. O D&D3 transformou os montros em simples conjunto de estatísticas, como dizem são monstros de videogame. O Livro dos Monstros 2ªEd. é MUITO superior, quem tiver acesso recomendo pegar informações desse livro sobre as raças , e usar em conjunto com as regras da 3ª Ed. Eu já estou me cansando de ver tantas classes de prestígio serem lançadas, e grande parte delas são simples conjuntos de poderes pra ajudar os jogadores a "combar" seus pcs. Muitas não tem uma função social, ou quando tem é praticamente identica a "trocentas" outras já criadas (sem falar que são pouco explicadas). Pelo que eu tenho visto, os melhores materiais NÃO são da Wizards. Um ex. é o cenário Reinos de Ferro (Iron Kingdom), que teve uma aventura traduzida lançada pela Jambô. No site
    Este conteúdo é limitado a Usuários. Por favor, cadastre-se para poder ver o conteúdo e participar (não demora e não possui custos)
    tem 3 CPs gratuitas que são bem interessantes, e tem um papel bem definido.
     
  13. Undead Kurt

    Undead Kurt Usuário

    Desculpe se não me fiz entender, mas eu estava falando SOMENTE de material oficial...
    Eu discordo do Faramir em um sentido, no novo D&D o cenário mais bem descrito, em suplementos oficiais, é Forgotten... No livro básico mais da metade é falando de cada região, incluíndo geografia, demografia, religião, economia (por falar nisso o mapa das rotas de comércio foi 10! ), principais cidades, principais personalidades, entre outros aspectos.... Juntando aos suplementos Silver Marches, Unapproacheble East e Races of Faerûn, o cenário ficou muito mais rico para contrução de campanhas e personagens, ainda acho que deve sair um suplemento só sobre Kara-tur & Maztica, mas talvez no ano que vem, primeiro vem Underdark e Draconomicon...
    Eu não entendi essa crítica as classes de pretígio... No AD&D todo mundo gostava dos kits de personagens, que também "combavam" (EUTA que verbo feio!!!! ) os personagens... As classes de prestígio nada mais nada menos são os kits, só que com um pouco mais de dificuldade para tê-los!
    Quanto aos monstros... Em FR o Races of Faerûn tem explicação sobre a MAIORIA dos humanóides... O Savage Spices tem uma boa explicação sobre os que faltam, e o Manual of the Planes deve ter explicações sobre os Demônios e cia LTDA (como eu não comprei ainda o Manual of the Planes, eu estou especulando). Bem o que restou??? Undeads (óia eu aí gente...) e criaturas com inteligência animal... Até pode ser uma falha não ter algumas informações adicionais sobre a ecologia dos animais, mas a gente teve aulas de biologia, logo podemos supor como é a vida de um leão, por exemplo...
     
  14. Barlach

    Barlach Verde. E arqueiro

    eu concordo com o undead kurt no q ele disse q o FR era bem detalhado..... o livro básico do FR e toda a linha do cenário são uma exceção nos livros da wizards, pq priorizam o roleplay e naum a pancadaria.....

    mas os livros da linha do d&d são só sobre regras e sobre como dar poderes diferentes para os personagens..... o savage species fala praticamente só como criar personagens monstros e todas as complicadas regras pra fazer isso..... e o deities and demigods explica muito pouco sobre como criar um panteão pro mundo e muito sobre como dar poderes aos deuses (aliás, ficha de personagem pra deus é algo meio estranho....)
     
  15. Lobo_Larsen

    Lobo_Larsen Usuário

    Ok. Mais de qq forma é +ou- oficial, já que tem o apoio da Wizards. Inclusive eles tem acesso a material da Wizards que nem foram lançados.
    O problema, é que muitas são simples formas de combar. Não acrescentam NADA aos cenários. Muitas tem um explicação fajuta de seu papel no mundo, ou tem funções (não estou falando de poderes )muito semelhantes. Muitas cps são repetitivas e desnecessárias. CADA novo livro saem novas cps (como se fosse necessário!!), gastando espaço que poderia ser utilizado pro desenvolvimento do ambiente. Eu gosto de CPs que acrescentam algo, como as CPs ligadas à organizações, elas sim dão vida ao cenário, não são simples "combadores".
    Então o cara tem que comprar o Livro dos Monstros, Races of Faerun (que é específico de Forgotten), Savage Species e o Manual of the Planes?
    Destes livros o único que se salva é o Races, os outros são simples COLEÇÕES de NÚMEROS. O Manual of Planes é um ótimo livro, quando fala dos planos, mas não acrescenta muita coisa aos montros. O Savage Species é só regras, o Livro dos Montros 3ªEd. é rídiculo. Pra quê ter 300 monstros se eles são simples numeros??? Compare com o Livro dos Montros 2ª Ed. e vc vai ver o quanto ESSE livro da 2ª Ed. é superior. Ecologia, habitat, ciclo reprodutivo, alimentação, tudo isso é importante pra quem quer encarar as criaturas como algo "vivo" e não simples armazéns de XP pros pcs. Essas informações são importantes na hora de preencher uma região, ou dungeon. E existem outras situaçõe onde essas informações tb são importantes. No caso do leão não tem problema pois é bem conhecido, mais me diz sobre Leprechau e Lizard Man, por.ex. ?
     
  16. Undead Kurt

    Undead Kurt Usuário

    OK... Vamos lá...
    Concordo que um Leprechaum deve ter uma sociedade mais complicada de se imaginar, deveria ter uma explicação...
    Mas o Lizard man é molinho de saber qual a sua dieta, quais os locais preferidos para criarem suas tribos, dieta, etc etc etc...
    Felizmente eu tenho uma mega-xerox do monster manual... Que tem uns adendos de Grayhawk, Dragonlance, Forgotten fora os monstros comuns... Mas quem não tem acesso a MM da 2ª edição, usa a imaginação... Eu acho que isso até ajuda o mestre na hora de montar as aventuras... Talvez até um dos motivos de não termos esses dados seja para uma maior liberdade do mestre, sei lá... Mas pelo menos eu sempre faço um background das minhas aventuras, então eu MONTO esses aspectos, e por isso eu não sinto muita falta destas "estatísticas", se assim podemos chamar estes dados...
    As CP's realmente dão mais poderes aos jogadores, ou NPC's, mas os kits da 2ª ed. também faziam isso... As CP's são publicadas por inúmeras editoras, não só pela wizards, mas isso para mim não faz tanta diferença, eu só as utilizo em NPC's e se um jogador quiser uma delas, por mim não haverá problemas, mas uma coisa eu concordo com você, as melhores são aquelas que fazem relações com as organizações, e como eu jogo Forgotten já viu o meu problema... Se você reclama das CP's e quanto aos Feats e Skills??? Isso para mim é MUITO mais ajustável para COMBOS do que as CP's...
    Apesar da Wizards apoiar os mundos que faltam parea completar a gama de cenários que compunham a falecida TSR, ainda são netbooks. Um netbook não é, a priori, material considerado oficial, mas sim material com "permissão" da Wizards... Em outras palavras, se o cenário decolar, eles vão e remontam o livro de dark Sun, Spelljammer, etc etc etc... Foi o que aconteceu com Dragonlance. Eles monitoraram o número de Downloads e viram que seria economicamente viável fazer o livro básico para depois repassar para outra empresa ganhando por direitos autorais... Eu tb tenho aqui em casa o netbook de Al-Quadim para D&D 3ª ed., e achei muito bem feita a transposição das regras... Mas como esse não é lá um cenário muito difundido, assimn como birthright, não deve ter uma versão oficial... Só a oficiosa... :wink:
     
  17. Faram¡r

    Faram¡r Dr. Benway

    Bem ... eu ainda vou jogar antes de morrer uma aventura no estilo "descobrimentos" em Forgotten Realms. Até imagino, o Reino de Tethyr, razoavelmente restaurado depois de quase uma centena de anos de guerra civil, começando a mandar seus navios em direção a Maztica, concorrendo com Amn na conquista por terras no outro lado do mundo :obiggraz:

    Alias, fiquei interessado nesses netbooks de cenários. É muito bom saber que eles não foram esquecidos.
     
  18. Barlach

    Barlach Verde. E arqueiro

    alguém sabe q link eu posso pegar esses netbooks???????

    eu naum acho q alguns detalhes deveriam ser deixados pro mestre...... o cara já tem muito trabalho inventando a história, os NPCs, o vilões pra ter q pensar na ecologia de cada criatura q ele quer q apareça na aventura......

    essa história de liberdade pro mestre tem q ser bem pensada...... mestre nenhum, por melhor q seja, seria capaz de criar um cenário como o FR sozinho.... por isso q tem q ter um apoio pra ele, com dados.... acho q é melhor escrever em excesso e o mestre deixar de lado q naum escrever o mestre naum saber o q fazer.....
     
  19. Lobo_Larsen

    Lobo_Larsen Usuário

    Undead, sabe pq o Livro dos Montros 3E não tem essas informações? Marketing. Simplesmente pq, as maioria dos jogadores infelizmente (na minha opinião) dão MUITO mais inportância à regras (e consequentimente às estatísticas dos montros) do que aos aspectos de background. A maioria prefere um livro de 300 monstros que só tenha regras do que um livro de 100 que descreva detalhadamente as criaturas.
    O que o Livro dos Montros 3E é? Um conjunto de estatísticas recheadas com ótimas ilustrações, mas com conteúdo "vazio".
    A razão da falta de informação, não é questão de dar liberdade ao mestre. Um cenário deve ser detalhado. Se o mestre não gostar de algo, ele simplesmente muda, é bem melhor do que não ter nada e o mestre ter que se virar criando cada detalhe.
    Barlach, vai nesse link:
    Este conteúdo é limitado a Usuários. Por favor, cadastre-se para poder ver o conteúdo e participar (não demora e não possui custos)
     
  20. Undead Kurt

    Undead Kurt Usuário

    Não sei se a razão é só essa... Já ouvi falar que houve uma pesquisa em grupos de jogadores lá nos states, e foi com base nestas pesquisas que eles montaram os livros básicos.
    Com esta informação eu me pergunto: Será que todos os mestres usam aqueles dados???? Quando eu monto as minhas aventuras eu procuro saber alguns daqueles dados sobre o tal "bichinho" que eu quero usar na aventura... Mas será que todos os mestres usam??
    No momento eu estou montando um grupo novo de jogo... E neste novo grupo eu vou pô-los frente a frente com as ruínas dos Lost Empires... Durante a confecção destas aventuras eu simplesmente fui vendo no MM quais eram os adversários dos jogadores e criando todos as "estatísticas" dos que eu ia escolhendo... Mas isso porque eu queria um BOM motivo para que estes monstros estivessem no local onde eu os coloquei.... Mas não acho que todos os mestres fazem isso.... Um amigo meu normalmente ia escolhendo os monstros simplesmente pelo HD deles...
     

Compartilhar