1. Caro Visitante, por que não gastar alguns segundos e criar uma Conta no Fórum Valinor? Desta forma, além de não ver este aviso novamente, poderá participar de nossa comunidade, inserir suas opiniões e sugestões, fazendo parte deste que é um maiores Fóruns de Discussão do Brasil! Aproveite e cadastre-se já!

Dismiss Notice
Visitante, junte-se ao Grupo de Discussão da Valinor no Telegram! Basta clicar AQUI. No WhatsApp é AQUI. Estes grupos tem como objetivo principal discutir, conversar e tirar dúvidas sobre as obras de J. R. R. Tolkien (sejam os livros ou obras derivadas como os filmes)

CCJ aprova admissibilidade de PEC que autoriza entidade religiosa a questionar lei no STF

Tópico em 'Atualidades e Generalidades' iniciado por Tilion, 27 Mar 2013.

  1. Tilion

    Tilion Administrador

    Este conteúdo é limitado a Usuários. Por favor, cadastre-se para poder ver o conteúdo e participar (não demora e não possui custos)


    Estado laico mandou lembranças da Terra do Nunca.
     
    • Gostei! Gostei! x 1
    • LOL LOL x 1
  2. Mercúcio

    Mercúcio Well-Known Member

    Que medida estúpida! Puta que pariu! Eu tô de cara...
    Isso é inaceitável!
     
  3. Grimnir

    Grimnir Usuário

    Não sei se entendo muito bem a motivação para aprovarem essa PEC. Se o espírito da coisa é proteger a liberdade religiosa, então não existia problema desde o início por um motivo muito simples - Há a liberdade política para elegermos políticos religiosos. Como a própria matéria diz, os partidos políticos tem o direito de propor ação direta de inconstitucionalidade e ação declaratória de constitucionalidade ao STF, ou seja, não precisava liberar esses direitos para as entidades religiosas. Sei lá, achei um pouco confusa essa história. Vou ler melhor sobre isso.
     
  4. adrieldantas

    adrieldantas Relax and have some winey

    • Gostei! Gostei! x 2
    • LOL LOL x 1
  5. Lindoriel

    Lindoriel Saurita Catita

    Y___________Y

    Pior que o negócio é tão tendencioso... penso que se fosse alguém de religiões "não tão mainstream assim" (umbanda, candomblé, paganismo, etc) esses troços jamais seriam aprovados...

    Super tendencioso msm...
     
  6. Morfindel Werwulf Rúnarmo

    Morfindel Werwulf Rúnarmo Geofísico entende de terremoto

    Mano, pqp! E ainda aparece retardado pra falar em cristofobia, evangelicofobia, imbecilfobia etc. Porque político religioso é tão retardado?! Mais imbecil é quem vota nesses dito cujos! Depois não reclamem se sofrer alguma violência, inclusive permitida pelo estado. Bando de imbecil!
     
  7. Tar-Mairon

    Tar-Mairon DARK LORD AND LOVING DAD

    .

    E isto tende a piorar com o avanço do (neo) pentecostalismo à moda yankee. A laicidade é muito contestada lá, também :osigh: .

    .
     
  8. Elring

    Elring Depending on what you said, I might kick your ass!

    Como assim? Que lacuna é essa que o deputado fala? Aquela que separou Estado e Igreja? Não acredito que serei testemunha do surgimento de uma nação religiosa.

    De tanto falarem que Deus é brasileiro... olha a merda aí.
     
    • Gostei! Gostei! x 2
  9. Pearl

    Pearl Usuário

    Já fazia um tempo que essa matéria estava na CCJ e eu estava com esperança que não fosse aprovada. Enfim, eu ainda acho que a bancada evangélica não tem força política para conseguir mais de 3/5 do congresso para aprovar um absurdo desse.

    Se for para frente o negocio vai se tornar o samba do criolo doido. A coisa vai além do estado laico. Por exemplo, o que você entende por entidade religiosa representativa? Em um estado plurirreligioso uma medida dessas ou não atende esse tipo de coisa para nenhuma religião ou atende a todas por ferir o princípio da isonomia. Ou seja, vai virar uma festa de ADIN.
     
  10. Calib

    Calib Visitante

    Acho que eu fui o único ateu que não vi nenhum absurdo nisso.
    Não é como se a simples proposição de uma ADIN já surtisse efeito.
    E se a ADIN for julgada procedente, é porque alguma coisa errada havia.
     
    • Ótimo Ótimo x 1
  11. Elring

    Elring Depending on what you said, I might kick your ass!

    Alguém explica essa justificativa:

    Se autorregular sem a intromissão do Poder Público? Em que sentido?
     
  12. Pearl

    Pearl Usuário

    Pois é. A liberdade religiosa que é garantida já serve para isso. :eh:
     
  13. Grimnir

    Grimnir Usuário

    Elring, eu não sei se isso se aplica aqui, mas em outro tópico eu comentei sobre
    Este conteúdo é limitado a Usuários. Por favor, cadastre-se para poder ver o conteúdo e participar (não demora e não possui custos)
    . Não estou dizendo que concordo com a justificativa da PEC, na verdade acho que ficou mais abstrato do que uma criança replicando um quadro de Kandinsky. As vezes eu tenho a impressão que os nossos legisladores podem até ter alguma gota de boa intenção, mas não muita capacidade de criarem leis que expressem claramente seus pensamentos. O que eu acho que não faz sentido nessa história é esse fortalecimento político das entidades religiosas, uma vez que já existem políticos democraticamente eleitos e que defendem causas religiosas no Congresso e Senado.
     
  14. Pearl

    Pearl Usuário

    Grimnir a Adim a essas leis já poderiam ser feita pelos partidos da bancada evangélica com a legislação atual.
     
  15. Grimnir

    Grimnir Usuário

    Então, foi o que eu falei:

     
    • Gostei! Gostei! x 1
  16. Pearl

    Pearl Usuário

    Mas é aí o ponto que o Elring está questionando. Onde que as entidades religiosas poderiam interferir no poder público em favor da liberdade religiosa em que elas já não podem fazer?
     
  17. Elring

    Elring Depending on what you said, I might kick your ass!

    É uma proposta totalmente absurda que se escuda em argumentos simplistas como neste trecho:

    Mas que nas entrelinhas é o desejo de algumas (ou todas) as Assembléias de terem livre-arbítrio para continuar aplicando curandeirismo, reacionarismo no melhor estilo TFP de ser e coação descarada sobre os fiéis para que doem seus salarios para o engrandecimento de Deus e de Jesus. E sem a interferência do Estado.

    E se vocês acham que é perseguição ou coisa parecida, olhem essa notícia aqui:

    Este conteúdo é limitado a Usuários. Por favor, cadastre-se para poder ver o conteúdo e participar (não demora e não possui custos)
     
    • Gostei! Gostei! x 1
  18. Grimnir

    Grimnir Usuário

    E que tipo de interferência o Estado poderia fazer nesse caso sem ferir a liberdade religiosa? Se um indivíduo escolhe frequentar uma Igreja e ser pressionado a pagar o dízimo, deve então o Estado se meter nessa história de alguma forma? Eu acho que tem duas questões muito distintas aqui, Elring.

    Em primeiro lugar, não é desejável que os políticos religiosos impregnem seus próprios valores nas leis e nas políticas públicas do país. Isso não significa que seja indesejável, na minha opinião, a eleição de políticos religiosos, pois eles serão justamente os mais interessados em defender a liberdade religiosa no país. Por outro lado, discutir sobre os limites das religiões parece ser algo bem complicado, pq esse assunto faz fronteira com a liberdade religiosa. Se os líderes espirituais oferecem curas igualmente espirituais, isso não necessariamente é um problema. Por outro, se estão oferecendo remédios ou procedimentos médicos, isso é prática ilegal da medicina. O que pode ou deve fazer o Estado se os indivíduos querem doar seus salários para o "engrandecimento de Deus e Jesus"? O equilíbrio entre as diversas faces das liberdades não é nada fácil mesmo.
     
    • Gostei! Gostei! x 1

Compartilhar