1. Caro Visitante, por que não gastar alguns segundos e criar uma Conta no Fórum Valinor? Desta forma, além de não ver este aviso novamente, poderá participar de nossa comunidade, inserir suas opiniões e sugestões, fazendo parte deste que é um maiores Fóruns de Discussão do Brasil! Aproveite e cadastre-se já!

Dismiss Notice
Visitante, junte-se ao Grupo de Discussão da Valinor no Telegram! Basta clicar AQUI. No WhatsApp é AQUI. Estes grupos tem como objetivo principal discutir, conversar e tirar dúvidas sobre as obras de J. R. R. Tolkien (sejam os livros ou obras derivadas como os filmes)

Cavalos Da Terra Média

Tópico em 'J.R.R. Tolkien e suas Obras (Diga Amigo e Entre!)' iniciado por Sindar Princess, 5 Mai 2008.

  1. Sindar Princess

    Sindar Princess Que deselegante...

    Faz um tempinho, achei este artigo no site "The Thain's Book - Guide to Tolkien's Middle Earth". Resolvi traduzí-lo e disponibilizar à vcs.
    Espero que gostem!
    PS: Não liguem por quaisquer termos de concordância ou frases meio esquisitas... às vezes é difícil uma tradução, por mais simples que a frase seja! Ainda mais que sou amante das Letras, não uma profissional da área. Mas vale á intenção!

    PS: o site de onde extraí o artigo está ao final do texto!

    *************************************************

    Cavalos da Terra Média

    AROD
    Cavalo de Legolas. Arod originalmente pertencia a um cavaleiro de Rohan, mas seu mestre foi morto em batalha com os orcs perto da Floresta de Fangorn na noite do dia 28 de fevereiro de 3019. No dia seguinte, Éomer emprestou Arod para Legolas e outro cavalo para Aragorn, chamado Hasufel na condição de que os mesmos fossem entregues em Meduseld mais tarde.
    Arod era um cavalo enérgico e inquieto, mas Legolas o tratou bem, sem selas nem rédeas. Gimli não sentia-se confortável montando Arod, preferindo pegar carona no mesmo com Legolas. Os três caçadores cavalgaram até as fronteiras da Floresta de Fangorn procurando por Merry e Pippin. Durante a noite, um velho estranho apareceu no acampamento e logo após desapareceu. Arod e Hasufel assustaram-se e fugiram. Eles escutaram o chamado de Shadowfax, o mestre dos cavalos, e foram ao seu encontro. No dia seguinte, quando Gandalf assobiou para chamar Shadowfax, Arod e Hasufel também retornaram.
    Legolas cavalgou com Arod até Meduseld e depois para o Abismo de Helm. Quando Aragorn decide tomar o Caminho da Senda dos Mortos, Legolas vai com ele, mas Arod relutou em continuar. Arod tremia de medo até que Legolas colocou suas mãos nos olhos do cavalo e cantou pra ele. Então Arod seguiu Legolas através da senda.
    Legolas e Gimli também cavalgaram Arod nos funerais do Rei Théoden, de Minas Thirit até Meduseld.

    ASFALOTH
    O cavalo de Glorfindel. Asfaloth era um cavalo branco cujo trote era leve e suave, porém rápido. Glorfindel cavalgou Asfaloth, que usava uma sela com estribos e um adorno na testeira enfeitado com jóias.
    Em 9 de outubro de 3018, Glorfindel partiu de Valfenda montado em Asfaloth a procura de Frodo. O elfo guiou da Grande Estrada Leste até a Última Ponte, quando encontraram três Nazgûl. Eles despistaram os Nazgûl e partiram para o Oeste e encontraram mais dois em seu caminho, quando retornavam antes de pegar a trilha seguida por Frodo. No dia 18 de outubro, encontram os hobbits e Aragorn, e Glorfindel parte com Frodo gravemente ferido, montado em Asfaloth.
    Assim que se aproximam do Vau de Bruinen em 20 de outubro, encontram novamente os Nazgûl. Asfaloth sobressaltou-se, mas Frodo puxou as rédeas e fez com que o cavalo, estranhamente, encarasse a situação e não fugisse. Então Glorfindel ordenou ao cavalo “Noro lim, noro lim, Asfaloth!” e então ele correu rapidamente pela estrada, superando as passadas dos Nazgûl, cavalgando sobre as águas do rio Bruinen, transportando Frodo através do Vau para as fronteiras de Valfenda.
    Neste momento Asfaloth relinchou, voltando-se para os Nazgûl do outro lado do rio. Frodo, compelido pelo Um Anel, encarando-os,resistiu aos seus comandos de desistência dizendo “Por Elbereth e pela Bela Lúthien, vocês não terão nem o Anel nem a mim!” (A Sociedade do Anel, pgs. 226-7 – da versão inglesa). Asfaloth assustou-se com a aproximação dos Nazgûl, mas então as águas do Bruinem avolumaram-se, criando uma correnteza, comandadas por Elrond e Gandalf, e assim os Nazgûl foram arrastados por elas.
    Nota do Filme: Na versão cinematográfica de Peter Jackson, Asfaloth é guiado por Arwen.

    BILL, O PÔNEI
    O pônei pertenceu aos hobbits da sociedade. O pônei, originalmente, era de Bill Ferny, um repugnante morador de Bree, que maltratava o animal e não o alimentava corretamente. Quando os pôneis de Merry abandonaram o estábulo na Estalagem do Pônei Saltitante, Barliman Butterbur comprou o pônei de Ferny por 12 pennies de prata, compensando desta forma as perdas de Merry. Esse valor era três vezes maior do que o preço real do pônei.
    Embora tecnicamente o pônei pertencesse à Merry, foi Samwise quem cuidou do animal e deu à ele o nome de Bill. A saúde e o ânimo de Bill melhoraram significativamente com os cuidados de Sam, e a estadia em Rivendell lhe fez muito bem. Sam dizia que Bill só faltava falar, e talvez assim o seria se ficasse em Rivendell por mais tempo.
    Bill foi usado como animal de carga. No entanto, quando Frodo ficou doente pela ferida provocada pela lâmina de Morgul, Bill o transportou por muito tempo até o Topo dos Ventos e depois até Rivendell.
    Quando a Sociedade deixou Rivendell, Sam insistia que Bill continuasse com eles ou então definharia. Quando o tempo começou a mudar, Bill mostrou-se de grande valia carregando lenha extra em seu lombo e servindo de proteção para os Hobbits contra as tempestades de neve.
    Mas quando a Sociedade decide entrar nas minas de Moria, Bill teve que ser deixado para trás. Gandalf abençoou o pônei para ajudá-lo a encontrar o caminho de volta para Rivendell.
    Sam despediu-se tristemente de Bill e a Sociedade teve que se dividir em carregar o peso que somente o pônei até então transportava. De repente, o Guardião do Lago atacou a sociedade e Bill correu em disparada, muito assustado. Sam teve que decidir-se: ou corria atrás do pônei ou seguia seu mestre (no caso, Frodo). E acabou indo ajudar Frodo, mas preocupado com o destino de Bill.
    Depois que a jornada terminou, as dúvidas de Sam terminaram. Ele ficou maravilhado ao saber que Bill sobreviveu e que encontrou o caminho de volta para Bree. Sam levou Bill com ele para o Condado. Quando os hobbits reencontraram o ex dono do pônei, Bill Ferny, Bill, o Pônei, deu-lhe um coice. Sam foi com Bill até os Portos Cinzentos para despedir-se de Frodo. Sendo assim, o pônei que serviu à Sociedade presenciou o fim da mesma na Terra Média.

    FELARÓF
    Antepassado dos Mearas – os grandes cavalos de Rohan. Felaróf era um lindo cavalo branco e era forte, ágil e orgulhoso. Dizia-se que Felaróf descendia de uma linhagem de cavalos que fora trazida das Terras Imortais para a Terra Média pelo Vala Orome.
    Felaród era um cavalo selvagem. Quando ainda era um potrinho, Felaróf foi capturado por Leod, filho de Eotheod, que vivia no Norte perto da nascente do Anduin. Assim que Felaród atingiu a maturidade, Leod tentou montá-lo, mas o cavalo não o aceitou. Na queda, Leod fraturou o crânio e morreu, e seu filho Eorl jurou vingar sua morte.
    Eorl procurou por Felaróf. O cavalo veio a seu encontro. Eorl contou que Felaróf trouxe um presente – talvez uma compensação pela morte de seu pai. Felaróf compreendia a linguagem dos Homens, mostrou-se submisso à Eorl e assim ganhou sua liberdade. Ninguém, a não ser Eorl, podia montá-lo, não necessitando de freios ou rédeas para tal.
    Em 2510, Eorl cavalgou com Felarof em auxílio ao Reino de Gondor na Batalha dos Campos de Celebrant. Logo após, o filho de Eotheod fundou o Reino de Rohan e Eorl tornou-se o primeiro rei.
    Os descendentes de Felarof eram magníficos, e possuíam uma vida longa. O mais famoso de seus descendentes foi Shadowfax.

    FIREFOOT
    O cavalo de Éomer. Firefoot foi a montaria de Éomer durante a Guerra do Anel. No caminho para o Abismo de Helm, Gimli, o anão, cavalgou em Firefoot juntamente com Éomer.

    HASUFEL
    Cavalo guiado por Aragorn. Hasufel era um grande cavalo de cor cinza escuro Originalmente pertencia a Garulf, um cavaleiro de Rohan morto em batalha contra um grupo de Uruk –Hais e orcs perto da Floresta de Fangorn na noite de 28 de fevereiro de 3019. No dia seguinte, Éomer emprestou Hasufel para Aragorn e Arod para Legolas e Gimli, com a condição de levar-los novamente para Meduseld assim que possível.
    Aragorn cavalgou Hasufel até a fronteira da Floresta de Fangorn procurando por Merry e Pippin e o desenrolar desta história já foi contado anteriormente (leia acima sobre Arod).
    Aragorn levou Hasufel até Meduseld, como prometido a Éomer. No dia 6 de março, Halbarad e os Guardiões do Norte trouxeram o próprio cavalo de Aragorn, Roheryn. Então Aragorn cavalgou com Roheryn pelas Sendas dos Mortos e além.

    ROHERYN
    Cavalo de Aragorn. Roheryn era forte, orgulhoso e tinha uma crina grossa. Foi presentado à ele por Arwen.
    Durante a Guerra do Anel, Roheryn foi trazido do Norte por Halbarad, um dos guardiões e pelos Dunedain, quando estes foram ao encontro de Aragorn em Rohan, no dia 6 de março de 3019. Antes, Aragorn cavalgou com Hasufel, o cavalo dado a ele por Éomer. Aragorn guiou Roheryn através da Senda dos Mortos e até a Batalha dos Campos de Pelennor.

    SHADOWFAX
    O maior de todos os cavalos do final da Terceira Era. Shadowfax era o senhor de todos os mearas, a raça de cavalos magníficos. Os mearas descendiam de Felarof, um cavalo selvagem domado por Eorl, o primeiro rei de Rohan. Acredita-se que os ancestrais dos mearas foram trazidos a Terra Média das Terras Imortais por Orome, um dos Valar.
    Shadowfax era um cavalo belíssimo. Na luz do dia sua pelagem parecia prateada, enquanto que durante a noite era de uma sombra acinzentada que deixava Shadowfax invisível. Tinha um trotar muito leve, porém eficaz e podia correr grandes distâncias sem cansar.
    Shadowfax era o melhor cavalo de Rohan, mas ninguém conseguia montá-lo. Em 20 de setembro de 3018, Gandalf encontra-se com o Rei Théoden de Rohan para avisá-lo dos truques de Saruman. O Rei Théoden não deu ouvidos, pedindo para que Gandalf pegasse qualquer cavalo e partisse. Gandalf viu Shadowfax correndo nos campos e num período de três dias o mago conseguiu convencê-lo a deixar que ele o montasse. Shadowfax não permitia sela nem freios e assim Gandalf teve que montar em pêlo. Foram ao Norte em grande velocidade, viajando de Rohan ao Condado em apenas seis dias.
    Na Charneca Etten, Gandalf separou-se de Shadowfax. Este retornou para casa, chegando em Rohan no dia 24 de fevereiro de 3019. Shadowfax e Gandalf tornaram-se amigos e este atenderia ao seu chamado assim que precisasse dele.
    Em 30 de fevereiro, Shadowfax estava ao sul de Rohan quando notou que Gandalf dirigia pensamentos a ele, pedindo para que viesse rapidamente a seu encontro na Floresta de Fangorn. Durante a noite encontrou Arod e Hasufel – os cavalos de Aragorn e Legolas. Os dois cavalos cumprimentaram Shadowfax com alegria. Na manhã seguinte, Gandalf chamou por Shadowfax e junto com ele vieram Arod e Hasufel.
    Gandalf cavalgou com Shadowfax até o Palácio de Meduseld, onde livrou o rei Théoden da influência de Saruman. Théoden ofereceu um presente para Gandalf por gratidão. Gandalf pediu Shadowfax e Théoden aceitou.
    Cavalgando Shadowfax, Gandalf reuniu os cavaleiros dispersados de Rohan e os levou para a Batalha do Abismo de Helm, no amanhecer do dia 4 de março. Quando o exército de Saruman viu o Cavaleiro Branco descendo a montanha em direção a eles, ficaram aterrorizados. Os Homens se entregaram e os orcs fugiram para a Floresta de Huorns e nunca mais foram vistos.
    No dia seguinte, Pippin olhou no Palantir e enxergou Sauron, e Gandalf levou o jovem hobbit no lombo de Shadowfax e cavalgaram velozmente para Minas Tirith. Quando chegaram a cidade, Shadowfax foi mantido nos estábulos do sexto piso. No dia 10 de março cavalgou com Shadowfax para fora da cidade para resgatar Faramir e seus homens dos Nazgûl. Quando os Campos de Pelennor foram invadidos pelas forças do inimigo em 13 de março, Gandalf cavalgou novamente para fora da cidade em auxílio a Faramir, auxiliando na retaguarda.
    No amanhecer do dia 15 de março, a Grande Ponte de Minas Tirith foi arrombada e o Senhor dos Nazgûl entrou na cidade. Gandalf estava lá para enfrentá-lo, montado em Shadowfax. Shadowfax era o único cavalo livre da Terra Média capaz de resistir ao terror dos Nazgûl e em sua presença permaneceu imóvel. E então os Cavaleiros de Rohan chegaram e o Senhor dos Nazgûl partiu. Gandalf e Shadowfax cavalgaram pelas ruas acima de Minas Tirith para resgatar Faramir da pira funerária arrumada por Denethor.
    Depois da Guerra do Anel, em setembro de 3021, Gandalf foi montado em Shadowfax até os Portos Cinzentos. Gandalf navegou para as Terras Imortais em 29 de setembro. Provavelmente foi permitido a Gandalf levar Shadowfax consigo e assim o cavalo acompanhou seu mestre através do Oeste.

    SNOWMANE

    Cavalo do Rei Théoden de Rohan. Snowmane era filho de Lightfoot. Era um cavalo branco muito grande.
    Durante a Batalha do Abismo de Helm, Snowmane foi mantido no interior da corte de Hornburg. Em 4 de março, Theoden bateu em retirada de Hornburg montado em Snowmane e cavalgou através das ordas dos inimigos.
    Na manhã do dia 15 de março, Theoden conduziu os Rohirrim nos Campos de Pelennor. Parecia um dos Valar montado em seu grande cavalo. Snowmane levou o rei Théoden para o meio da batalha, mas quando o Rei Bruxo desceu com a besta alada para o campo, Snowmane foi tomado pelo terror. O cavalo empinou e foi atingido por um dardo escuro e caiu no chão, esmagando Théoden. A besta alada encravou suas unhas em Snowmane mas Éowyn voltou-se para a criatura, e ela e Merry aniquilaram o Senhor dos Nazgûl.
    Após a morte de Snowmane, o cavalo foi posto ao lado de seu dono, mas o rei Théoden estava gravemente ferido e morreu no campo de batalha. Snowmane foi enterrado nos Campos de Pelennor e sua tumba foi marcada com uma pedra que continha as seguintes inscrições nas línguas de Gondor e Rohan:
    “Fiel servente que salvou o mestre da maldição
    Filho de Lightfoot, ágil Snowmane.”
    (O Retorno do Rei, “A batalha dos Campos de Pelennor”, pg. 120 da versão inglesa)
    Na tumba de Snowmane a grama cresceu e tornou-se muito verde.
    Fonte: Extraído e traduzido de The Thain’s Book - Guide to Tolkien’s Middle Earth –
    Este conteúdo é limitado a Usuários. Por favor, cadastre-se para poder ver o conteúdo e participar (não demora e não possui custos)
     
    • Ótimo Ótimo x 4
  2. Guga_theOld

    Guga_theOld Excluído a pedido

    Foi você quem traduziu, Sindar?
     
  3. Sindar Princess

    Sindar Princess Que deselegante...

    sim, guga...
    pq?
    só curiosidade... :hihihi:
     
  4. Éomer

    Éomer Well-Known Member

    Otimo Tópico. Pena que era só os da TM e não tinha o Nahar.
     
  5. Sindar Princess

    Sindar Princess Que deselegante...

    verdade... :/

    vou ver se acho algo a respeito, ok?
     
  6. Guga_theOld

    Guga_theOld Excluído a pedido

    Sindar, envie a mim, por MP, que vou ver se hoje a noite eu publico, ok?
     
  7. Calenardhon

    Calenardhon Cavalariço de Rohan

    Adorei, adoro cavalos e por isso gosto de Rohan^^só não sei porque Scadufax tem dois nomes(Scadufax-Shadowfax)
     
  8. Duilin

    Duilin Eruhín Alcarohtar

    Pq num publica isso Sindar?
     
  9. Finwë Fëfalas

    Finwë Fëfalas Nas Echoriath...

    Isso mesmo!

    Manda pro e-mail da Valinor como artigo traduzido!

    Ficou massa! o chato é que deve ter dado trabalho em traduzir...
     
  10. Sindar Princess

    Sindar Princess Que deselegante...

    luis, na verdade, o nome verdadeiro é shadowfax.

    alguns nomes das obras de tolkien, na hora de serem traduzidos, ficaram meio que "aportuguesados", como no caso de scadufax, valfenda (não me recordo de outros agora... acho que estes são os que mais ficaram em minha mente)
     
  11. Sindar Princess

    Sindar Princess Que deselegante...

    gente, é que eu já mandei esse artigo faz uns meses já pra valinor, mas ninguém colocou aki ainda... rsrsrsrs
    achei que não foi aceito, sei lá...
    aí resolvi repartir com vcs mesmo... sem esperar...
    mas o guga pediu, vou enviar pra ele...

    :yep:
     
  12. adoro cavalos e gostava muitos das descrições feitas por Tolkien nos livros , acredito que ele também gostava muitos de cavalos.

    é um assunto que me interessa muito e gostei muito do texto que faz uma bela síntese.

    abraço
     
  13. Lórien Leaf

    Lórien Leaf Usuário

    Muito bom este artigo e a história mais bonita dos cavalos, com certeza é a do rei Théoden.
    Foi um final triste para os dois mas muito bonito também. Mostra uma atitude de bravura e lealdade.
     
  14. zannah

    zannah The Red

    Muito boa a tradução, Sindar.
    Interessante, gostosa de ler... Tem que publicar isso, menina.

    Bjão
     
  15. Guilherme Thorikan

    Guilherme Thorikan Eu?? Eu não sou um

    Sindar, Meus Parabéns.
    Ótima tradução mesmo, ótimo artigo.
    Concerteza deve pública-lo aqui na Valinor.

    Parabens, Abraços!
     
  16. Sindar Princess

    Sindar Princess Que deselegante...

    valeu, pessoal!
    deu um baita de um trabalho, mas o importante é saber que vcs curtiram!
    me estimulam a traduzir mais! :mrgreen:
    obviamente no meu tempo livre farei isso...

    ps: quanto à publicação, acontecerá... o guga logo mais publicará.
     
  17. Guga_theOld

    Guga_theOld Excluído a pedido

    Ok, hoje irei publicar o texto do Bill.

    EDIT: Eu preciso de alguma imagem do Bill, alguém se habilita em procurar?

    EDIT: Já achei =]
     
    Última edição: 6 Mai 2008
  18. Guga_theOld

    Guga_theOld Excluído a pedido

    Publiquei =]
     
  19. Sindar Princess

    Sindar Princess Que deselegante...

    hahahahahaha!
    guga, vou enviar as imagens de todos os cavalos, ok?
     
  20. Cael

    Cael Usuário

    Otimo topico sindar fiko muito bem feito msm e se quandu publica ter as fotos dos cavalos vai fik melhor ainda....deve te dado trabalho mas o resultado fiko muito bom parabens...
     

Compartilhar