1. Caro Visitante, por que não gastar alguns segundos e criar uma Conta no Fórum Valinor? Desta forma, além de não ver este aviso novamente, poderá participar de nossa comunidade, inserir suas opiniões e sugestões, fazendo parte deste que é um maiores Fóruns de Discussão do Brasil! Aproveite e cadastre-se já!

Dismiss Notice
Visitante, junte-se ao Grupo de Discussão da Valinor no Telegram! Basta clicar AQUI. No WhatsApp é AQUI. Estes grupos tem como objetivo principal discutir, conversar e tirar dúvidas sobre as obras de J. R. R. Tolkien (sejam os livros ou obras derivadas como os filmes)

Casa Grande (idem; 2014)

Tópico em 'Cinema' iniciado por [F*U*S*A*|KåMµ§], 28 Abr 2015.

?

Qual a sua nota para o filme?

  1. 10

  2. 9

  3. 8

  4. 7

  5. 6

  6. 5

  7. 4

  8. 3

  9. 2

  10. 1

O resultado é visível apenas após você votar.
  1. [F*U*S*A*|KåMµ§]

    [F*U*S*A*|KåMµ§] Who will define me?

    Mais uma vez criando tópico pra divulgar filmes brasileiros que valem a pena e apagar a bobagem de quem pensa que nosso cinema se resume a Xuxas, Globochanchadas, Hassuns, Didis, etc.
    Temos um polo muito forte sendo criado desde a retomada principalmente no nordeste, mas que também tem reflexões nos demais centros.
    Este filme, por exemplo, é baseado todo no Rio de Janeiro.
    Não considerei um excelente filme, mas certamente vale mais a pena como Cinema com C maiúsculo do que os demais filmes em cartaz (sim, Avengers, Velozes Furiosos 13223, Cinderela, etc).





    Este conteúdo é limitado a Usuários. Por favor, cadastre-se para poder ver o conteúdo e participar (não demora e não possui custos)

    Este conteúdo é limitado a Usuários. Por favor, cadastre-se para poder ver o conteúdo e participar (não demora e não possui custos)


    Título: Casa Grande

    Ano de Lançamento: 2014 (International Film Festival Rotterdam) / 2015 (circuito brasileiro comercial)

    Diretor: Fellipe Barbosa

    Elenco:
    Thales Cavalcanti - Jean (protagonista)
    Marcello Novaes - Hugo (Pai)
    Suzana Pires - Sônia (Mãe)
    Alice Melo - Nathalie (Irmã)
    Bruna Amaya - Luiza (Namorada)
    Clarissa Pinheiro - Rita (Empregada)
    Gentil Cordeiro - Severino (Motorista)

    Prêmios:
    > CPH: PIX 2014 - Honorable Mention
    > Festival de Cinema Luso-Brasileiro de Santa Maria da Feira 2014 - Best Newcomer - Feature Film (Melhor Revelação - Longa Metragem)
    > Festival de Paulínia 2014 - Melhor Ator Coadjuvante (Marcello Novaes), Melhor Atriz Coadjuvante (Clarissa Pinheiro), Melhor Roteiro (Fellipe Barbosa, Karen Sztajnberg), Special Jury Award
    > Festival do Rio 2014 - Melhor Filme pelos espectadores
    > Mostra Internacional de Cinema de São Paulo 2014 - Abbracine Prize
    > Toulouse Latin America Film Festival - Audience Award, FIPRESCI Prize (First Feature Film), French Critics' Discovery Award (Best Film)

    Vídeos:
    Este conteúdo é limitado a Usuários. Por favor, cadastre-se para poder ver o conteúdo e participar (não demora e não possui custos)
    Este conteúdo é limitado a Usuários. Por favor, cadastre-se para poder ver o conteúdo e participar (não demora e não possui custos)
    Este conteúdo é limitado a Usuários. Por favor, cadastre-se para poder ver o conteúdo e participar (não demora e não possui custos)

    Curiosidades:
    - Boa parte do elenco foi montado com não-atores como o caso da personagem Luiza e Severino, alunos do São Bento, UERJ, etc.
    - Filme autobiográfico escrito e dirigido por Fellipe Barbosa, mas também tematicamente baseado no livro de Gilberto Freyre (Casa-Grande & Senzala)
    - "Adoro quando beijam a minha bunda!"

    Opinião:
    Retomando a assistir filmes brasileiros depois de um ano sabático, começo por este que foi bem premiado nos festivais do ano passado aqui no Brasil e agora sai em circuito comercial.
    O filme ressoa bastante comigo então é dificil fazer uma análise mais objetiva, mas dá para tentar.
    O filme começa em um longuíssimo plano exterior com uma mansão com todos os cômodos com luzes acesas e gradualmente sendo apagadas. Um plano inicial que resume exatamente o que será o filme até o fim, tanto em termos temáticos (a falta de economia doméstica no início do filme em contraponto ao final) quanto em termos de formato (o filme dessatura com o passar das cenas ao mostrar a decadência da família).
    Derruba um pouco o filme, na minha opinião, a direção de atores não ter conseguido extrair tanta veracidade de alguns atores não-atores. O Jean e seus colegas parecem mais travados do que adolescentes seriam, o Severino em certas partes parece muito robotizado, decorado. Em contrapartida a atriz que interpreta Luiza faz um excelente trabalho, assim como a principal estrela do filme que é a personagem da doméstica Rita.
    O tema do filme pode entediar alguns por se tratar de um drama social de uma família rica do Rio de Janeiro. Mas é interessante como o diretor, apesar da sua proximidade ao tema (autobiográfico), consegue dar tridimensionalidade ao assunto e criar um filme que não apenas conta uma história de riquinhos coitadinhos mas que faz uma crítica ao sistema quando insiste em inserir discussões sociais no roteiro (cotas, racismo, elitismo).
    Talvez por boa parte do público só se importar com a historinha e as atuações, acabem saindo do filme decepcionados.
    Mas pra quem gosta de cinema de verdade, que gosta de acompanhar a forma do filme, é uma bela peça. Não diria que é entre os nossos melhores filmes dos últimos anos, mas ainda assim uma bela peça.
     

    Arquivos Anexados:

    • Ótimo Ótimo x 3

Compartilhar