1. Caro Visitante, por que não gastar alguns segundos e criar uma Conta no Fórum Valinor? Desta forma, além de não ver este aviso novamente, poderá participar de nossa comunidade, inserir suas opiniões e sugestões, fazendo parte deste que é um maiores Fóruns de Discussão do Brasil! Aproveite e cadastre-se já!

Dismiss Notice
Visitante, junte-se ao Grupo de Discussão da Valinor no Telegram! Basta clicar AQUI. No WhatsApp é AQUI. Estes grupos tem como objetivo principal discutir, conversar e tirar dúvidas sobre as obras de J. R. R. Tolkien (sejam os livros ou obras derivadas como os filmes)

Campeonato Italiano 2011/2012

Tópico em 'Esportes' iniciado por Ecthelion, 10 Set 2011.

?

Quem será o Campeão Italiano 2011/2012?

  1. Cagliari

    0 voto(s)
    0,0%
  2. Chievo Verona

    0 voto(s)
    0,0%
  3. Fiorentina

    0 voto(s)
    0,0%
  4. Genoa

    0 voto(s)
    0,0%
  5. Internazionale

    0 voto(s)
    0,0%
  6. Juventus

    33,3%
  7. Lazio

    0 voto(s)
    0,0%
  8. Milan

    33,3%
  9. Napoli

    33,3%
  10. Palermo

    0 voto(s)
    0,0%
  11. Roma

    0 voto(s)
    0,0%
  12. Udinese

    0 voto(s)
    0,0%
  13. Outro (citar)

    0 voto(s)
    0,0%
  1. Ecthelion

    Ecthelion Mad

    Este é o local pra falar do Italianão. Já deixo um resumão com todos os times feitos pelo Bertozzi da ESPN.


    [h=2]
    Este conteúdo é limitado a Usuários. Por favor, cadastre-se para poder ver o conteúdo e participar (não demora e não possui custos)
    [/h]
    Depois de uma greve que adiou a primeira rodada, o Campeonato Italiano da temporada 2011/12 começa finalmente nesta sexta-feira, com o atual campeão Milan recebendo a Lazio. Não é segredo que a Serie A perdeu muito do fascínio que tinha nos anos 80, quando era o principal destino das estrelas internacionais. Com estruturas obsoletas e dificuldades organizativas, o calcio viu o crescimento de outras ligas e agora ocupa apenas o quarto lugar no ranking quinquenal da Uefa - o que significa a perda da quarta vaga na Champions League para a Alemanha. Pela primeira vez desde a expansão do torneio europeu, apenas os três primeiros colocados do campeonato (sendo dois diretamente na fase de grupos) terão acesso à competição.

    O blog preparou um guia com as expectativas sobre os 20 participantes. Atalanta, Siena e Novara subiram da Serie B para substituir os rebaixados Sampdoria, Brescia e Bari. A Juventus terá um novo estádio, moderno e de sua propriedade - um exemplo que precisa ser seguido pelos rivais. O Milan, atual campeão, se fortaleceu e dá pinta de ser o time a ser batido.

    Nas fichas abaixo, é apontado o saldo do mercado de cada clube em milhões de euros, entre gastos e receitas (fonte: Gazzetta dello Sport), e também a contratação e saída mais cara. Nos times-base, os jogadores contratados na última janela de transferências estão em maiúsculas.

    Quem fica com o título, as vagas europeias e as indesejáveis três posições da degola? Dê seus palpites nos comentários. E que role o "pallone".

    ATALANTA

    Em 2010/11: 1ª na Serie B
    Objetivo: permanência na Serie A
    Técnico: Stefano Colantuono (mantido)
    Saldo do mercado: -8,6 (0,55 receita, 9,15 despesas)
    Reforço mais caro: Morález (Vélez), 4,5
    Venda mais cara: Defendi (Bari), 0,5
    Provável time-base (4-4-1-1): Consigli; A.MASIELLO, Capelli, LUCCHINI, Peluso; Padoin, BRIGHI, CIGARINI, Bonaventura; Moralez; DENIS.

    A Atalanta começa a temporada com uma montanha para escalar: os seis pontos de penalização pelo escândalo de apostas, que ainda causaram a suspensão do veterano capitão Cristiano Doni por três anos e meio. A base da segunda divisão foi mantida, com destaque para a defesa, que já era o ponto forte da equipe e ainda se reforçou com dois bons nomes: o zagueiro Lucchini e o lateral Andrea Masiello. No meio, Brighi e Cigarini devem garantir alguma consistência. O principal reforço é o atacante Maxi Moralez, baixinho que se destacou pelo Vélez Sarsfield, mas o time ainda sente falta de um centroavante que possa garantir uma boa contagem de gols na temporada - a não ser que Denis se torne este jogador.

    BOLOGNA

    Em 2010/11: 16º
    Objetivo: permanência na Serie A
    Técnico: Pierpaolo Bisoli (novo)
    Saldo do mercado: +4,04 (17 receita, 12,96 despesas)
    Reforço mais caro: Pulzetti (Livorno), 1,65
    Venda mais cara: Britos (Napoli), 8
    Provável time-base (4-3-1-2): GILLET, CRESPO, Portanova, ANTONSSON, Morleo; Perez, Mudingayi, KONE; DIAMANTI; ACQUAFRESCA, Di Vaio.

    O Bologna espera um ano mais tranquilo, depois de sofrer com problemas financeiros na última temporada. A permanência na Serie A foi conquistada com surpreendente tranquilidade por Alberto Malesani, que agora dirige o Genoa. Com Bisoli, o time aposta em seu potencial ofensivo: o interminável Marco Di Vaio ganhou a companhia de Acquafresca e Diamanti, jogadores de bom nível para quem luta contra o rebaixamento, além de manter o bom uruguaio Ramírez. O principal problema está na defesa: não chegou um substituto à altura para Britos, zagueiro negociado com o Napoli. No gol, Gillet deve ocupar bem a vaga de Viviano.

    CAGLIARI

    Em 2010/11: 14º
    Objetivo: permanência na Serie A
    Técnico: Massimo Ficcadenti (novo)
    Saldo do mercado: -8 (8,2 receita, 16,2 despesas)
    Reforço mais caro: Thiago Ribeiro (Cruzeiro), 5,5
    Venda mais cara: Marchetti (Lazio), 5,2
    Provável time-base (4-3-1-2): Agazzi; Pisano, Canini, Astori, Agostini; Nainggolan, Conti, EKDAL; Cossu; THIAGO RIBEIRO, Nenê.

    O presidente Massimo Cellino tem fama de gatilho nervoso na hora de mudar seus treinadores, o que ficou comprovado com a demissão de Roberto Donadoni às vésperas da temporada. Em seu lugar, entra Ficcadenti, que vem de bom trabalho no Cesena, mas sabe que precisará de resultados rapidamente para não ter seu tapete puxado por Cellino. O Cagliari, que se mantém há sete temporadas na elite, tem uma espinha dorsal bem definida com o zagueiro Astori, o volante Conti e o meia Cossu, esse último líder em assistências (13) na temporada passada. Vale ficar de olho no crescimento do volante belga Nainggolan, destaque na última temporada. O mistério está no ataque: como vão se sair os novatos Thiago Ribeiro e El Kabir? A princípio, eles disputam a vaga ao lado de Nenê.

    CATANIA

    Em 2010/11: 13º
    Objetivo: permanência na Serie A
    Técnico: Vincenzo Montella (novo)
    Saldo do mercado: +3,8 (8,3 receita, 4,5 despesas)
    Reforço mais caro: Bergessio (St.Etienne), 2
    Venda mais cara: Silvestre (Palermo), 7,3
    Provável time-base (4-3-3): Andújar; Álvarez, Spolli, LEGROTTAGLIE, Capuano; Biagianti, ALMIRÓN, Lodi; Gómez, Maxi López, LANZAFAME.

    Na última temporada, o Catania escapou do rebaixamento pelo sexto ano consecutivo, desta vez com seu recorde de pontos: 46. O novo técnico, o ex-atacante Vincenzo Montella, tem pouca experiência: apenas alguns meses como interino na Roma. O elenco se notabiliza pelo alto número de argentinos, entre os quais se destaca Maxi López. O ex-gremista, que permaneceu no clube apesar do interesse de equipes mais importantes, continua sendo a principal referência. Os experientes Legrottaglie e Almirón devem apresentar um bom custo-benefício, a exemplo de David Suazo, que deve ter oportunidades na equipe após ficar uma temporada inteira sem jogar na Inter.

    CESENA

    Em 2010/11: 15º
    Objetivo: permanência na Serie A
    Técnico: Marco Giampaolo (novo)
    Saldo do mercado: -4,6 (3 receita, 4,6 despesas)
    Reforço mais caro: Éder (Brescia), 1,7
    Venda mais cara: Giaccherini (Juventus), 3
    Provável time-base (4-3-3): Antonioli; COMOTTO, Von Bergen, RODRÍGUEZ, Lauro; Parolo, Colucci, CANDREVA; ÉDER, MUTU, MARTÍNEZ

    Depois de permanecer na elite com um time que era cotado para o descenso, o Cesena se mostra capacitado para para repetir o feito. Saiu Jiménez, mas permaneceram outros pontos fortes, como o "vovô" goleiro Antonioli (42 anos em setembro) e o volante Parolo, um dos mais cobiçados da Serie A. Para o ataque chegou um nome de peso: Adrian Mutu, que busca em um clube pequeno a oportunidade de recolocar a carreira nos trilhos após uma série de erros extracampo. O romeno contará com o apoio do criativo Candreva e do veloz Éder, duas boas novidades do elenco, além do uruguaio Martínez, que espera recuperar o bom futebol dos tempos de Catania após fracassar na Juventus.

    CHIEVO

    Em 2010/11: 11º
    Objetivo: permanência na Serie A
    Técnico: Domenico Di Carlo (novo)
    Saldo do mercado: +5,75 (13 receita, 7,25 despesas)
    Reforço mais caro: Bradley (Borussia Mönchengladbach), 2
    Venda mais cara: Constant (Genoa), 7
    Provável time-base (4-3-1-2): Sorrentino; Sardo, ACERBI, Cesar, DRAMÉ; BRADLEY, Rigoni, VACEK; CRUZADO; Pellissier, PALOSCHI.

    De volta ao Chievo após a experiência frustrada na Sampdoria, Di Carlo reencontra algumas referências do elenco, como Sergio Pellissier, que superou a barreira dos dez gols em quatro das últimas cinco participações na Serie A. Pellissier, aliás, vai para sua décima temporada em um clube que realiza pequenos milagres ao se manter entre os grandes, representando um pequeno subúrbio de Verona. Ao seu lado deve estar Paloschi, jovem com faro de gol emprestado pelo Milan. O meio-campo perdeu Constant, revelação da última temporada, e aposta em novidades como Hetemaj, ex-Brescia, o norte-americano Bradley e Cruzado, da seleção peruana. A permanência do goleiro Sorrentino, que era cobiçado pelo Palermo, também foi fundamental.

    FIORENTINA

    Em 2010/11: 9ª
    Objetivo: vaga europeia
    Técnico: Sinisa Mihajlovic (mantido)
    Saldo do mercado: -12,95 (0,35 receita, 13,3 despesas)
    Reforço mais caro: Lazzari (Cagliari), 3
    Venda mais cara: Seferovic (Neuchatel Xamax), 0,25
    Provável time-base (4-3-3): Boruc; CASSANI, Gamberini, Natali, Pasqual; Behrami, Montolivo, Vargas; Cerci, Gilardino, Jovetic.

    Mihajlovic foi mantido no cargo após uma temporada mediana, quando pesou bastante a grave lesão que manteve Jovetic afastado. O montenegrino, recuperado, deve ser uma das referências técnicas da equipe, que viu saírem jogadores de peso como Frey e Mutu. A sensação é de que ainda falta alguma coisa para chegar à zona de copas europeias, mas este é o objetivo. A permanência de figuras como Gilardino, Montolivo e Vargas pode ajudar a acalmar a desconfiança do torcedor, mas há dúvidas sobre a motivação destes jogadores - sobretudo Montolivo, que tem contrato apenas até junho de 2012 e foi retirado do posto de capitão após manifestar publicamente o desejo de sair.

    GENOA

    Em 2010/11: 10º
    Objetivo: vaga europeia
    Técnico: Alberto Malesani (novo)
    Saldo do mercado: +14,85 (33,65 receita, 18,8 despesas)
    Reforço mais caro: Constant (Chievo), 7
    Venda mais cara: Criscito (Zenit), 11
    Provável time-base (4-3-1-2): FREY; Rossi, Dainelli, Kaladze, Antonelli; Kucka, SEYMOUR, CONSTANT; BIRSA; Palacio, CARACCIOLO.

    O Genoa tem se especializado em fazer contratações por atacado e se decepcionar no final. Mais uma vez, o presidente Enrico Preziosi foi atrás de uma enxurrada de jogadores e deu a Malesani, que vem de bom trabalho no Bologna, a missão de transformá-los em time. Da última temporada, as únicas lembranças positivas são as duas vitórias nos dérbis contra a Sampdoria, que ajudaram a rebaixar o rival. A boa surpresa pode estar no desempenho do meio-campo, com os novos Seymour e Constant se juntando ao bom Kucka, já negociado com a Inter, mas mantido por empréstimo pelo menos até janeiro. Resta saber se Caracciolo será capaz de assegurar ao menos 15 gols na temporada, após tentativas frustradas por outros goleadores.

    INTERNAZIONALE

    Em 2010/11: 2ª
    Objetivo: título
    Técnico: Gian Piero Gasperini (novo)
    Saldo do mercado: -0,2 (36,2 receita, 36 despesas)
    Reforço mais caro: Álvarez (Vélez), 11,5
    Venda mais cara: Eto'o (Anzhi), 27
    Provável time-base (3-4-3): Júlio César; Lúcio, Samuel, Chivu; Maicon, Sneijder, Cambiasso, Zanetti; FORLÁN, Milito, ZÁRATE.

    A nova Inter de Gasperini é um mistério, a começar pelo novo esquema tático, muito apreciado pelo ex-treinador do Genoa, mas estranho a vários dos elementos que formam a espinha dorsal da Inter. Sneijder ficou, é verdade. Mas como o holandês, um meia armador acostumado a jogar entre as linhas, vai se adaptar a uma posição teoricamente mais recuada? Sem Eto'o, vendido ao Anzhi, chegaram no último momento Forlán e Zárate, que formarão o trio ofensivo com Milito ou Pazzini. Outras contratações são incógnitas: o promissor argentino Ricky Álvarez vai se adaptar ao futebol italiano? Jonathan ficará livre de problemas físicos para cobrir as eventuais ausências de Maicon? Em teoria, a Inter deveria ser a principal rival do Milan pelo título. Mas se as peças não encaixarem rapidamente, podem se repetir os problemas do ano passado, quando Rafa Benítez não chegou a comer o panetone.

    JUVENTUS

    Em 2010/11: 7ª
    Objetivo: vaga na Liga dos Campeões
    Técnico: Antonio Conte (novo)
    Saldo do mercado: -40 (10,5 receita, 50,5 despesas)
    Reforço mais caro: Vucinic (Roma), 15
    Venda mais cara: Sissoko (PSG), 7
    Provável time-base (4-2-4): Buffon; LICHTSTEINER, Barzagli, Chiellini, De Ceglie; PIRLO, VIDAL; Krasic, Matri, VUCINIC, ELIA.

    Conte, jogador de uma era de glórias para a Juve, retorna como treinador com a missão de apagar a imagem de duas temporadas desastrosas para a maior campeã da Serie A. Uma certeza: é difícil piorar o sétimo lugar de 2010/11. Mesmo sem a receita de uma competição europeia, a direção investiu alto, entre reforços e contratação em definitivo de jogadores emprestados. O novo estádio, inaugurado neste fim de semana contra o Parma, simboliza a esperança de dias melhores. Taticamente, Conte é ousado com um 4-2-4 cuja eficácia é difícil julgar de antemão. Se Krasic (decepcionante na pré-temporada) e o reforço Elia forem capazes de fazer também o trabalho defensivo, pode funcionar. Pirlo, mero coadjuvante no título do Milan, recomeça uma nova história em um grande clube, e por seu talento na distribuição de jogadas passam as expectativas do torcedor bianconero. Faltou contratar um zagueiro.

    LAZIO

    Em 2010/11: 5ª
    Objetivo: vaga europeia
    Técnico: Edy Reja (mantido)
    Saldo do mercado: -4,6 (22,4 receita, 27 despesas)
    Reforço mais caro: Cana (Galatasaray), 7
    Venda mais cara: Lichtsteiner (Juventus), 10,5
    Provável time-base (4-2-3-1): MARCHETTI; KONKO, Biava, André Dias, Radu; Ledesma, Brocchi; Mauri, Hernanes, CISSÉ; KLOSE.

    Passada a frustração por perder a corrida com a Udinese pela vaga na Champions League, a Lazio vem com um elenco reforçado para dar sequência ao bom trabalho de Reja. O time, que já contava com um ótimo Hernanes, agora tem em Cissé e Klose dois atacantes de vasta experiência internacional. Se estiverem bem fisicamente, darão trabalho às defesas adversárias. A chegada de Marchetti, goleiro com experiência de Copa do Mundo, também ajuda a fortalecer o elenco, após a saída do irregular Muslera. A sensação é de que o elenco é capaz de, no mínimo, repetir a boa colocação da última temporada.

    LECCE

    Em 2010/11: 17º
    Objetivo: permanência na Serie A
    Técnico: Eusebio Di Francesco (novo)
    Saldo do mercado: -4,3 (5,13 receita, 0,825 despesas)
    Reforço mais caro: Tomovic (Genoa), 0,4 (em definitivo)
    Venda mais cara: Rosati (Napoli), 3,1
    Provável time-base (4-3-3): JÚLIO SÉRGIO; ODDO, Tomovic, ESPOSITO, Mesbah; Bertolacci, OBODO, Giacomazzi; Di Michele, Corvia, PASQUATO

    A salvação com Luigi De Canio na última temporada será difícil de repetir. O técnico deixou o clube, por causa de divergências com a direção, e foi substituído por Di Francesco, campeão italiano como jogador da Roma em 2001. O ex-treinador do Pescara terá de se virar após um mercado restrito a empréstimos e contratações a custo zero. Jogadores como Giandonato, Pasquato e Strasser, os dois primeiros emprestados pela Juventus e o último pelo Milan, chegam mais para ganhar experiência na divisão principal do que para resolver o problema da equipe salentina.

    MILAN

    Em 2010/11: campeão
    Objetivo: título
    Técnico: Massimiliano Allegri (mantido)
    Saldo do mercado: -4 (1 receita, 5 despesas)
    Reforço mais caro: El Shaarawy (Genoa), 4
    Venda mais cara: Verdi (Torino), 1
    Provável time-base (4-3-1-2): Abbiati; Abate, Nesta, Thiago Silva, TAIWO; Gattuso, Van Bommel, Seedorf; Boateng; Pato, Ibrahimovic.

    Ano passado, o Milan fez seu time campeão praticamente nos últimos dias de mercado, com as chegadas de Ibrahimovic e Robinho, e garantiu novas peças importantes, como Van Bommel e Cassano, em janeiro. Agora, o trabalho foi de manutenção do time vitorioso e contratação de peças para dar mais opções a Allegri, afirmado como técnico de ponta após chegar cercado de dúvidas. Chegaram, por exemplo, jogadores de seleção italiana como Aquilani e Nocerino, e um zagueiro reserva de bom nível como Mexès. Há dúvidas sobre as possibilidades de sucesso na Europa, mas na Itália ainda é o time a ser batido.

    NAPOLI

    Em 2010/11: 3º
    Objetivo: título
    Técnico: Walter Mazzarri (mantido)
    Saldo do mercado: -31,75 (10,4 receita, 42,15 despesas)
    Reforço mais caro: Inler (Udinese), 15
    Venda mais cara: Ruiz (Valencia), 8
    Provável time-base (3-4-2-1): De Sanctis; Campagnaro, Cannavaro, FIDELEFF; Maggio, INLER, DZEMAILI, Dossena; Hamsik, Lavezzi; Cavani.

    Depois de brigar pelo título na última temporada, o Napoli terá de conciliar o campeonato com a Champions League, sonhada por Aurelio De Laurentiis desde que comprou o clube. As estrelas, como o trio formado por Hamsik, Lavezzi e Cavani, foram mantidas. O meio ganhou um dos melhores da Serie A na posição, como Inler. E o elenco se fortaleceu com bons reservas, como Pandev. Não há razões para acreditar que o Napoli não será capaz de brigar nas cabeças de novo, contando com seus bons jogadores e o apoio da fanática torcida.

    NOVARA

    Em 2010/11: 3º na Serie B
    Objetivo: permanência na Serie A
    Técnico: Attilio Tesser (mantido)
    Saldo do mercado: -2,95 (1,85 receita, 4,8 despesas)
    Reforço mais caro: Morimoto (Catania), 2,1
    Venda mais cara: Bertani (Sampdoria), 1,1
    Provável time-base (4-3-1-2): Ujkani; Morganella, PACI, DELLAFIORE, Gemiti; GIORGI, Porcari, Rigoni; MAZZARANI; MEGGIORINI, MORIMOTO.

    O Novara alcançou dois acessos consecutivos que pareciam inimagináveis para seu torcedor. A parte dura vem agora: confirmar-se entre os grandes. O estádio, reformado para a disputa da Serie A, leva o nome de Silvio Piola, maior artilheiro da história do campeonato, com 274 gols - ele defendeu o Novara entre 1947 e 1954, após vestir as camisas de Pro Vercelli, Lazio, Torino e Juventus. A base é a mesma que surpreendeu na Serie B, mas com baixas importantes no ataque: Bertani e González, os astros do ataque, foram buscar novos desafios, deixando a responsabilidade em cima de incógnitas como Meggiorini e Morimoto. A princípio, é o principal candidato ao descenso.

    PALERMO

    Em 2010/11: 8º
    Objetivo: vaga europeia
    Técnico: Devis Mangia (interino)
    Saldo do mercado: -4,045* (32,65* receita, 36,695 despesas)
    Reforço mais caro: Silvestre (Catania), 7,3
    Venda mais cara: Pastore (PSG), 23*
    Provável time-base (4-3-1-2): TZORVAS; PISANO, SILVESTRE, CETTO, Balzaretti; Migliaccio, BARRETO, DELLA ROCCA; Ilicic; Hernández, Pinilla.

    * Pastore custou um total de 43 milhões ao PSG, dos quais 23 milhões cabiam ao Palermo. O agente do jogador detinha parte dos direitos.

    A temporada não poderia começar mais turbulenta para o time rosanero. Saíram figuras importantes (não apenas o craque Pastore, mas também Sirigu, Bovo e Cassani) e a reposição é de qualidade duvidosa. A eliminação para o fraco Thun na Liga Europa e o mau desempenho defensivo nos amistosos custou ao cargo a Stefano Pioli, ex-Chievo, antes mesmo de rolar a bola no campeonato. Cortesia do detonador de técnicos Maurizio Zamparini, um dos mais temperamentais presidentes da Serie A. Ele tentou, sem sucesso, convencer Delio Rossi a voltar. Enquanto nada se acerta com um técnico definitivo, o treinador da base Devis Mangia vai ficando, com chance até de permanecer caso os resultados sejam bons no começo do campeonato.

    PARMA

    Em 2010/11: 12º
    Objetivo: permanência na Serie A
    Técnico: Franco Colomba (mantido)
    Saldo do mercado: +16 (20,2 receita, 4,2 despesas)
    Reforço mais caro: Elia (Bologna) e Floccari (Lazio), 1,5
    Venda mais cara: Dzemaili (Napoli), 7,5
    Provável time-base (4-4-2): Mirante; Zaccardo, Paletta, A.Lucarelli, RUBIN; Valiani, Morrone, Galloppa, Modesto; FLOCCARI, Giovinco.

    Na última temporada, o Parma teve uma reação importante no segundo turno, com a boa direção de Colomba e os gols de Amauri. O clube tentou manter o centroavante ítalo-brasileiro, mas esbarrou nas demandas econômicas da Juventus e do jogador. É difícil saber se Floccari será um substituto à altura, mas há esperanças quanto à confirmação do sucesso de Giovinco, contratação certeira da última temporada. O restante do time não teve grandes alterações e deve aspirar, no máximo, ao meio da tabela.

    ROMA

    Em 2010/11: 6ª
    Objetivo: vaga europeia
    Técnico: Luis Enrique (novo)
    Saldo do mercado: -32,76 (25,67 receita, 58,43 despesa)
    Reforço mais caro: Osvaldo (Espanyol) e Lamela (River Plate), 15
    Venda mais cara: Vucinic (Juventus), 15
    Provável time-base (4-4-2): STEKELENBURG; Cassetti, Juan, KJAER, JOSÉ ÁNGEL; De Rossi, GAGO, PJANIC; OSVALDO, Totti, BOJAN.

    Novas filosofias no comando do clube, comprado pelo norte-americano Thomas DiBenedetto, e da equipe, agora dirigida pelo espanhol Luis Enrique. Um mercado que mudou praticamente todo o time titular. Tudo isso gera uma enorme incerteza sobre as possibilidades da Roma na temporada. O começo não foi empolgante, com eliminação surpreendente na Liga Europa e as primeiras rusgas entre Luis Enrique e o capitão Totti, com os dirigentes se posicionando a favor do treinador. O equilíbrio de poder no vestiário será fundamental para que os novos reforços se adaptem rapidamente ao futebol italiano. O novo técnico promete implantar um estilo semelhante ao do Barcelona, de onde veio - algo que, sabemos, é difícil para qualquer time "mortal". Será oito ou oitenta para os giallorossi.

    SIENA

    Em 2010/11: 2º na Serie B
    Objetivo: permanência na Serie A
    Técnico: Giuseppe Sannino
    Saldo do mercado: -7,1 (9,4 receita, 16,5 despesa)
    Reforço mais caro: Ângelo (Parma), D'Agostino (Udinese), Reginaldo (Parma), 2,5
    Venda mais cara: Galloppa (Parma), 5
    Provável time-base (4-4-2): BRKIC; BELMONTE, Rossettini, CONTINI, Del Grosso; MANNINI, Vergassola, D'AGOSTINO, Brianza; DESTRO, GONZÁLEZ

    O Siena fez um mercado interessante, voltado para garantir a permanência na elite. No papel, jogadores como Mannini e D'Agostino garantem um meio-campo acima da média de times da parte baixa da tabela. Resta saber como será o trabalho de Sannino, artífice do surpreendente quarto lugar do pequeno Varese na última Serie B. A principal lacuna do time está no ataque, onde falta um goleador comprovado. De qualquer maneira, uma manutenção tranquila não será surpreendente. Mais do que isso seria sonhar demais.

    UDINESE

    Em 2010/11: 4ª
    Objetivo: vaga europeia
    Técnico: Francesco Guidolin (mantido)
    Saldo do mercado: +55,9 (66 receita, 10,1 despesa)
    Reforço mais caro: Doubai (Young Boys), Torje (Dinamo Bucareste), Pereyra (River Plate), 2
    Venda mais cara: Sánchez (Barcelona), 36,5
    Provável time-base (4-4-1-1): Handanovic; Basta, Benatia, DANILO, Domizzi; Isla, Pinzi, Asamoah, Armero; TORJE; Di Natale.

    Vender Sánchez, Inler e Zapata fez da Udinese o clube com maior lucro em transferências na Serie A. Prova de que o clube se especializou em valorizar jogadores baratos e promissores e revendê-los a preços importantes. Resta saber, agora, como o time se adaptará sem estas figuras. Outras peças fundamentais permaneceram, como Di Natale, artilheiro dos dois últimos campeonatos, e o ótimo goleiro Handanovic, além dos alas Isla e Armero. A manutenção do técnico Francesco Guidolin também é razão para otimismo entre os torcedores. Repetir o quarto lugar pode ser difícil, mas há bases para pensar em outra campanha forte. O zagueiro Danilo, ex-Palmeiras, e o meia romeno Torje, considerado um dos jogadores de mais futuro em seu país, devem ter papel relevante no time.


    Este conteúdo é limitado a Usuários. Por favor, cadastre-se para poder ver o conteúdo e participar (não demora e não possui custos)
     
    • Ótimo Ótimo x 1
    • Gostei! Gostei! x 1
  2. Elessar Hyarmen

    Elessar Hyarmen Senhor de Bri

    Sempre torci para a Sampdoria que teve um timaço no início dos anos 90 e por pouco não disputou o mundial interclubes com o São Paulo em 92. Uma pena que caiu pra segundona junto com o meu segundo time predileto, o Bari.

    A minha torcida nesta temporada fica com a Lazio.
     
  3. Fúria da cidade

    Fúria da cidade ㅤㅤ ㅤㅤ ㅤㅤ

    Embora não seja meu time preferido seria bom pro calcio se a Juventus de Turim se reerguesse.

    Mas os dois grandes de Milão (Milan e Inter) novamente são os favoritos ao título.
     
  4. Ecthelion

    Ecthelion Mad

    Tb gosto da Sampdoria, mas meu palpite é Milan neste ano.
     
  5. Fingolfin

    Fingolfin Feitiço de Áquila

    Uma coisa q eu gosto do campeonato italiano é q apesar da hegemonia de Inter, Milan e Juve nos ultimos anos vc vê alguns times crescendo como Napoli, Lazio, Sampdoria e a sempre regular Udinese ali, beliscando pontinhos dos grandes, pegando uma vaguinha na CL e tal.
     
  6. Corsário de Umbar

    Corsário de Umbar Corsário de Umbar

    Também estou torcendo muito para a ressurreição da Lázio, Nápoles e Juventus. Esses times deram uma crescida considerável.
     
  7. Fingolfin

    Fingolfin Feitiço de Áquila

    A Juventus eu não torço não. Merece estar onde está pela manipulação dos resultados. Tomara q demore anos pra recuperar. Além disso, eles são tipo a Imperatriz Leopoldinense do futebol. Burocráticos, ganhavam tudo por 1 a 0 e qdo vc achava q não tinha mais chance eram campeões de novo. Maldito Capello :lol:
     
  8. [F*U*S*A*|KåMµ§]

    [F*U*S*A*|KåMµ§] Who will define me?

    Eu torcia pra Fiorentina na europa. Depois que foram a falencia eu acabei me desgarrando um pouco.

    O italianão tá ficando cada vez mais fraco. Ainda surge em alguns campeonatos europeus porque os clubes tem camisa pesadissima. Mas em termos técnicos já estão ficando bem atrás dos ingleses e de barça/real. E ficando num nivel junto com os alemães até.
    Uma pena.


    Também acredito num titulo disputado entre as equipes de milão.
    Mas particularmente não tenho preferencia.
     
  9. Neithan

    Neithan Ele não sabe brincar. Ele é Mito

    Torço pela Juventus, aposto no Milan.

    Mas o campeonato perdeu força nos últimos anos. Só a Inter fazia frente aos outros gigantes europeus, mas sem Mourinho perdeu força. E esse ano perderam jogadores até pro mercado Russo (Eto'o, uma das grandes estrelas do Calcio).

    Só que, fato: É o campeonato mais charmoso da Europa. :lol:
     
  10. Fúria da cidade

    Fúria da cidade ㅤㅤ ㅤㅤ ㅤㅤ

    Bah, Juro que pensei que ia dizer Udinese por causa do Zico :lol:
     
  11. Eu simpatizava com o Milan uma época, mas não chego a ter um time que curta na Itália hoje em dia. Talvez o Napoli, pela torcida fanática e as histórias de Careca, Alemão e Maradona. Ou talvez a Inter, já que o Mourinho saiu.

    Também acho que o scudetto continua em Milão, só não sei de que lado, do rossonero ou do... do... como eu chamo uma equipe azul e preta? XD
     
  12. Elessar Hyarmen

    Elessar Hyarmen Senhor de Bri

    Por falar nisso ontem a Inter tomou de 4 do Palermo, três gols em menos de 5 minutos kkkkkkkk
     
  13. Fingolfin

    Fingolfin Feitiço de Áquila

    Eu tinha uma simpatia pela Fiorentina pelo Edmundo e pelo Batigol rs. Mas na verdade é q eu sempre torço pros times secundários pra q o campeonato cresça em opções.
     
  14. [F*U*S*A*|KåMµ§]

    [F*U*S*A*|KåMµ§] Who will define me?

    Eu peguei simpatia daquela Fiorentina de Batistuta e Rui Costa. Dois jogadoraços. E ainda tinha o Toldo no gol. Que, pra mim, sempre foi melhor que o Buffon e Peruzzi. Abaixo apenas do Pagliuca.
     
  15. Elessar Hyarmen

    Elessar Hyarmen Senhor de Bri

    E tinha o Walter Zenga que pra mim foi o melhor goleiro italiano que vi jogar. Eu já vi cada defesa espetacular do Zenga que botava inveja em muito goleiro.

    De vez em quando ele tomava uns frangos daqueles super engraçados e inacreditáveis. Mas faz parte dos ótimos goleiros.
     
  16. [F*U*S*A*|KåMµ§]

    [F*U*S*A*|KåMµ§] Who will define me?

    O Zenga já é de outra geração.
    :g:
     
  17. Fingolfin

    Fingolfin Feitiço de Áquila

    Isso é puro saudosismo. O Zenga nem era tão bom assim. O Buffon é melhor que ele, o Pagliucca era muito melhor que ele. Putz, se bobear eu gostava mais do Toldo que do Zenga.
     
  18. Ecthelion

    Ecthelion Mad

    Não é saudosismo não. O Zenga era um goleiro fantástico!
     
  19. Fúria da cidade

    Fúria da cidade ㅤㅤ ㅤㅤ ㅤㅤ

    O Zenga é muito cultuado por causa de uma época que ele ficou vários minutos consecutivos sem tomar gol no calcio e que ele repetiu isso na seleção italiana da Copa de 90 chegando até o 2° tempo da semifinal contra a Argentina batendo o recorde das Copas até então sem levar também.

    Mas nem por isso não foi unanimidade já que o grande goleiro da Copa de 90 pra muitos foi o belga Michel Preudhomme e que pra mim também foi o melhor goleiro do mundo antes da ascenção do dinamarquês Scheismechel.
     
  20. Fingolfin

    Fingolfin Feitiço de Áquila

    Veja bem, não quero dizer q o Zenga era ruim não, longe disso, ele foi o goleiro da seleção em duas copas. E qdo eu digo q até o Toldo era melhor, é um pouco de hiperbolismo meu, mas... Acho o Buffon e o Pagliuca mais goleiro q ele sim, pois esses dois pra mim figuraram entre os grandes goleiros de suas épocas sendo, na minha opinião os melhores do mundo em seu auge.

    Como o Furia falou, em 90 Preud'Homme era o cara e pra mim ainda é o melhor q eu já vi e na copa de 90 o Goigotchea q era reserva do Pumpido na seleção argentina até ele quebrar o braço no 1o jogo tb foi melhor. Zenga pra mim tá do nível do Tafarel, idolatrado por muitos por ser um vencedor, mas q não ganhava jogo na seleção a não ser em disputa de penalties.

    Talvez no Atlético ou no Inter alguém diga, po, o Tafarel ganhou o jogo pra mim, mas em outro time não. Ele teve uma grande fase entre 88 e 91 mas depois o Tafarel foi sempre reserva no Parma.
     

Compartilhar