1. Caro Visitante, por que não gastar alguns segundos e criar uma Conta no Fórum Valinor? Desta forma, além de não ver este aviso novamente, poderá participar de nossa comunidade, inserir suas opiniões e sugestões, fazendo parte deste que é um maiores Fóruns de Discussão do Brasil! Aproveite e cadastre-se já!

Dismiss Notice
Visitante, junte-se ao Grupo de Discussão da Valinor no Telegram! Basta clicar AQUI. No WhatsApp é AQUI. Estes grupos tem como objetivo principal discutir, conversar e tirar dúvidas sobre as obras de J. R. R. Tolkien (sejam os livros ou obras derivadas como os filmes)

Caixa Postal 1989 - Angela Carneiro

Tópico em 'Literatura Brasileira' iniciado por [email protected], 24 Ago 2010.

  1. Bem o livro é uma graça, li ele recentemente e amei, por isso estou abrindo o tópico para saber opniões de quem leu ou gostaria de ler.

    História:

    Através de anúncio publicado em uma revista, dois adolescentes começam a se corresponder. Conversam abertamente sobre suas inquietações, suas angústias, seus sonhos, suas relações familiares e suas visões de mundo.

    Autora:
    Ângela Carneiro (Rio de Janeiro, 1954) é uma escritora, ilustradora e tradutora brasileira.

    É formada em Pedagogia pela PUC/RJ, mestre em Educação e autora de uma tese sobre criatividade. Estudou artes plásticas e línguas. Foi professora de expressão gráfica na Faculdade de Arquitetura e Urbanismo da UFRJ.

    Foi premiada várias vezes, com destaque para o Prêmio Jabuti e para o selo de Altamente Recomendável para o Jovem, da FNLIJ [carece de fontes?]. É autora de, entre outros, Caixa Postal 1989 e Eu Te Procuro.

    " Nasci do Rio de Janeiro, um Rio de Janeiro lindo, sem grades nos prédios, com um único mendigo amigo na rua, o Tião, que me prometia animaizinhos de presente e nunca os dava. Pela manhã, nadava no marzão limpo de Copacabana até ver o Cristo, e nas noites de lua cheia voltava à praia só para aprender a palavra beleza.
    Pois é, cresci e minhas irmãs tiveram cinco meninos. Achei a ideia tão boa que quando casei providenciei ter dois, o pedro e o Caike. Mas aí eu já tinha estudado em Michigan, passado férias em Fortaleza, sido bandeirante, aluna do Cabral, feito pedagogia, defendido tese, desistido de ser hippe, estudado artes e feito um bocado de besteira.
    Fui morar em Bolo Horizonte e morri de saudades do Pão de Açúcar. Mas conheci tantos mineiros maravilhosos que agora tenho saudades de lá.
    Como sempre gostei de livros (meu apelido era "traça") e vivia escrevendo coisas, fui burilando as palavras até que publiquei, com Malu Alexim, Qual o caminho do sol? e depois, em 1993, Meu olho é um planeta, todos dois por esta mesma editora.
    Criar é como comer pipoca: quando a gente começa não consegue parar. Então, aqui estou de novo dividindo com vocês meus sonhos. Enquanto espero ansiosa suas opniões, continuo ensinando desenho artístico na Faculdade de Arquitetura e Urbanismo, da Universidade Federal do Rio de Janeiro, comçando um doutorado e inventando histórias.
    Gosto muito de tudo. Quer dizer, gosto de vermelho, de estrelinha, de sorvete, de batata frita, de lápis de cor, de piadas, de cinema, de decalques de rosas, de gente, e viajar e de brincar num teclado, Taí, acho que dá pra dizer que sou mão, cristã, professora, amiga e feliz [..]"

    Texto retirado do próprio livro.


    Fonte: http://pt.wikipedia.org/wiki/%C3%82ngela_Carneiro
     

Compartilhar