1. Caro Visitante, por que não gastar alguns segundos e criar uma Conta no Fórum Valinor? Desta forma, além de não ver este aviso novamente, poderá participar de nossa comunidade, inserir suas opiniões e sugestões, fazendo parte deste que é um maiores Fóruns de Discussão do Brasil! Aproveite e cadastre-se já!

Dismiss Notice
Visitante, junte-se ao Grupo de Discussão da Valinor no Telegram! Basta clicar AQUI. No WhatsApp é AQUI. Estes grupos tem como objetivo principal discutir, conversar e tirar dúvidas sobre as obras de J. R. R. Tolkien (sejam os livros ou obras derivadas como os filmes)

Britânica com 'ossos de vidro' atinge objetivo de ser mãe após 200 fraturas

Tópico em 'Planeta Bizarro? Estranhices? Bizonhices?' iniciado por Fúria da cidade, 14 Fev 2014.

  1. Fúria da cidade

    Fúria da cidade ㅤㅤ ㅤㅤ ㅤㅤ

    Este conteúdo é limitado a Usuários. Por favor, cadastre-se para poder ver o conteúdo e participar (não demora e não possui custos)


    Uma mulher que sofreu mais de 200 fraturas ósseas na vida, por ter uma doença rara, conseguiu realizar o sonho de virar mãe.

    Marie-Ann Andrews, da cidade britânica de Milton Keynes, tem um mal conhecido como "doença do osso de vidro" ou osteogénese imperfeita.

    A osteogénese imperfeita impediu que ela crescesse mais que 1,2 metro, já que seus ossos estavam sempre quebrando. Seu irmão mais novo sofria da mesma doença. Ele morreu aos 9 anos de idade, após uma queda acidental.

    Ela disse que quando estava na adolescência decidiu que pararia de sentir pena de si mesma e escreveu uma lista de metas.

    Com o tempo, ela conseguiu atingir todas as metas que perseguiu - inclusive a de ser mãe.

    'Fazer o melhor que posso'

    "Eu podia desistir de tudo, ou tentar fazer o melhor que posso com o corpo que tenho. É como eu encaro as coisas", diz.

    "Quando eu era criança, eu tinha a mesma aparência das demais. Foi apenas quando comecei a crescer mais rapidamente que os ossos começaram a quebrar, e fiquei mais deformada, e com uma aparência diferente."

    Havia 50% de chances de seu filho, Mark, herdar a doença da mãe, mas a criança de dez meses de idade ainda não apresentou nenhum sintoma. Seu marido não tem a doença.

    "Com dez meses, ele já consegue erguer o corpo sozinho. Eu não consigo levantá-lo sozinha, e acho que ele sabe disso. Ele sabe que há coisas que a mãe dele não consegue fazer."

    A mãe de Marie-Ann Andrews morreu há mais de um ano, e a britânica precisou contratar uma assistente para ajudar a família com as tarefas do dia a dia.

    Este conteúdo é limitado a Usuários. Por favor, cadastre-se para poder ver o conteúdo e participar (não demora e não possui custos)


    ---------------------------------------------------------------------

    Bonita história de conquista e superação. Parabéns a ela!
     
    • Mandar Coração Mandar Coração x 3
  2. Lindoriel

    Lindoriel Saurita Catita

    Tem que ter muita força de vontade. Uma vez vi o caso de uma moça que não tinha ambos os braços, e dirigia em carro adaptado (isso me incentivou a tirar a cnh, rs), casou e teve filhos, trabalhava fora, enfim, sempre se esforçou pra alcançar seus objetivos e viver uma vida digna.

    A força de vontade dessas pessoas realmente é admirável.
     
  3. Estranho

    Estranho Dancer

    Sei lá, acho vaidade.

    ___________________________________________


    Acho maneiro que ela tenha conseguido. Espero que dê tudo certo daqui pra frente :)
     
    • Gostei! Gostei! x 2
    • LOL LOL x 2
    • Fail Fail x 1
  4. Lindoriel

    Lindoriel Saurita Catita

    Sei lá, acho que nunca falei contra mulheres que podem e querem gerar uma criança... independente de terem deficiência ou não.
     
  5. Ana Lovejoy

    Ana Lovejoy Administrador

    o problema é que no caso da doença da moça da notícia, uma gravidez é um risco enorme, para ela e para a criança. então embora ela (aparentemente) tenha todo o sistema reprodutivo ok, o corpo dela não estava ok.
    Este conteúdo é limitado a Usuários. Por favor, cadastre-se para poder ver o conteúdo e participar (não demora e não possui custos)
    , já dá para imaginar o estrago que poderia ter acontecido com essa mulher (sem contar que eu duvido bastante que ela tenha feito parto normal). então tecnicamente, dá na mesma: ela não estava apta a, mas mesmo assim lutou por um sonho. do mesmo modo que uma mulher sem um útero estaria lutando por esse sonho ao fazer um transplante ou algo que o valha. aí desculpa se não dá para entender por que você vê isso como admirável, e uma mulher fazer um transplante de útero como uma vaidade. são dois casos de mulheres vencendo os limites do próprio corpo usando a ajuda da medicina moderna para realizar o sonho de ser mãe.
     
    • Gostei! Gostei! x 7
    • Ótimo Ótimo x 1

Compartilhar