• Caro Visitante, por que não gastar alguns segundos e criar uma Conta no Fórum Valinor? Desta forma, além de não ver este aviso novamente, poderá participar de nossa comunidade, inserir suas opiniões e sugestões, fazendo parte deste que é um maiores Fóruns de Discussão do Brasil! Aproveite e cadastre-se já!

Blind Guardian

Mas ninguém vai ler os posts de 2001-2010. Ninguém liga se embaralhar XD

Não foi a primeira porque BG é uma daquelas bandas que saíram do meu radar há muitos, muitos anos. Vou escutar pela nostalgia dos álbuns antigos (Imaginations e Nightfall...) e dar uma chance aos mais recentes, pra não dizer que fui injusto. Kk
 
Baixei a discografia completa e fui ouvindo em ordem cronológica:

Os três primeiros discos (Battalions of Fear, 1988; Follow the Blind, 1989; Tales from the Twilight World, 1990) são em geral tosquinhos, a bateria de speed metal é uma chatice repetitiva e as faixas todas se parecem muito umas com as outras. Há pouca coisa digna de nota, mas a banda ao menos parece ter usado a experiência pra fazer os três discos subsequentes. Ainda assim, é um tipo ruim melhor do que o ruim que a banda alcançaria vinte anos depois...

A coisa começa a ficar boa mesmo no quarto disco (Somewhere Far Beyond, 1992), que já traz duas faixas acústicas, as "Bard's Songs", impensáveis naquela pegada anterior. Mas Blind Guardian melhora definitivamente no seu quinto álbum (Imaginations from the Other Side, 1995) e atinge o ápice no sexto (Nightfall in Middle-Earth, 1998), já com muito mais riqueza no som e nas vozes, com um projeto conceitual que dá coesão às faixas.

Daí em diante é ladeira abaixo. A banda parece que desaprendeu a fazer música, a polifonia e os coros dão lugar a um gritedo insuportável e a bateria volta a ser ruim e sem grandes variações. A faixa de abertura do sétimo disco (A Night at the Opera, 2002) é um verdadeiro teste de fé para os antigos fãs da banda: insuportável. Só quem abdicou ao bom gosto pela devoção irracional continua batendo cabeça ao som desse álbum.

Os dois álbuns seguintes vão na mesma toada; não aguentei ouvi-los inteiros e desisti de tentar seguir adiante na minha maratona, mesmo sabendo que havia ainda mais coisa para ouvir. Três discos ruins nesse nível, em sequência (ainda por cima longos), acabam com qualquer boa vontade.

Veredicto: Blind Guardian só tem três álbuns que valem a pena ouvir. Ao contrário de outras bandas, que inauguram com o seu melhor e vão decaindo aos poucos, Blind Guardian levou três discos pra mostrar todo seu talento e potencial, e só depois de mais três é que degringolou de vez. O melhor da banda foi gravado entre 1992 e 1998. Mas tem muita gente que não está preparada para essa conversa. :hxhx:
 
Eu não sou muito fã da fase inicial da banda, mas não acho ela propriamente ruim, é bem mais speed metal mesmo. Mesmo o Somewhere far Beyond eu não costumo ouvir muito. A banda realmente esteve numa fase incrível durante os anos do Imagination e Nightfall, que são meus favoritos.

O A Night at the Opera tem um estilo bem diferente, não é um dos meus álbuns favoritos mas tem algumas coisas legais (Precious Jerusalem e And Then There Was Silence são muito boas). Twist in the Myth já começa a ficar mais cansativo mesmo. O At the Edge of Time eu já gosto um pouco mais que o anterior, mas também não é um que ouço com frequência.

O último álbum deles, o Beyond the Red Mirror, eu não tinha gostado muito a princípio, mas ouvindo ele novamente mais recentemente eu passei a gostar mais.

O álbum orquestrado, Legacy of the Dark Land, é legal mas é uma pegada completamente diferente de tudo que a banda já fez. Eu gostei.

Na expectativa pro próximo álbum que deve sair ainda esse ano ou começo do ano que vem. Já tem uma música divulgada no Spotify, Violent Shadows.
 
Gostei da música! O ritmo está muito bom. Belo trabalho no som novo!

Para quem tiver interesse na letra.

Come and find me
Enter the dark
Now it is time to pray

I told you, she is a witch, obey
And bring her in iron
I told you now it's time to pray
And bring out your weeping wife

Abigail is rising
Let her speak out
Praise the Lord it's broken
They are free
I saw Sarah with the Devil
I saw Brigitte with him too
Have mercy on my tender soul

Four
There were four and more
Yes, I heard Alice howling too
Goody was dancing
Look, the master appeared
Cried Martha in delight
Yes, the master is here

Father, deliver us from evil
Show no fear, be God's tool
Father, save Salem, save the damned
Crucible of man
Watch out, the Devil's out and preying
Show no fear, be God's tool
Father, what's now concealed, we must reveal
Ignite, let it shine

Enter the dark
Now it is time to pray

There's freedom at the gallows
There is luck beyond the stake
This test will clarify it all
Surely evil won't surrender
Surely evil never sleeps
We cleanse this place, let's hang them all

Oh, precious day of salvation
Fair maiden's glowing so bright
(Shine in purest devotion)
True words bring sanctification
The demon is gone, my girl is gone

Forty days and forty nights
I ignored my clouded mind
God must be dead, I realized

Oh Father, deliver us from evil
Show no fear, be God's tool
Father, save Salem, save the damned
Crucible of man
Watch out, the Devil's out and preying
Show no fear, be God's tool
Father, what's now concealed, we must reveal
Ignite, let it shine

Come in
Conceive
There's no road between
Either be with the court
Or you don't
Give up and surrender
It is witnessed
Now confess
Repent your sins
Your vicious deeds

Father, deliver us from evil
Show no fear, be God's tool
Father, save Salem, save the damned
Crucible of man
Watch out, the Devil's out and preying
Show no fear, be God's tool
Father, determined I shall execute
Your light, I put it right

Oh, deliver us from evil
Show no fear, be God's tool
Father, save Salem, save the damned
Crucible of man
Watch out, the Devil's out and preying
Show no fear, be God's tool
Father, what's now concealed, we must reveal
Ignite, let it shine

Crucible of man
Crucible of man
Crucible of man
Crucible of man
 

Valinor 2023

Total arrecadado
R$2.404,79
Termina em:
Back
Topo