1. Caro Visitante, por que não gastar alguns segundos e criar uma Conta no Fórum Valinor? Desta forma, além de não ver este aviso novamente, poderá participar de nossa comunidade, inserir suas opiniões e sugestões, fazendo parte deste que é um maiores Fóruns de Discussão do Brasil! Aproveite e cadastre-se já!

Dismiss Notice
Visitante, junte-se ao Grupo de Discussão da Valinor no Telegram! Basta clicar AQUI. No WhatsApp é AQUI. Estes grupos tem como objetivo principal discutir, conversar e tirar dúvidas sobre as obras de J. R. R. Tolkien (sejam os livros ou obras derivadas como os filmes)

Black Mirror (4ª temporada)

Tópico em 'TV' iniciado por Haleth, 7 Abr 2018.

  1. Haleth

    Haleth Call me Bolga #CdLXI

    Como assim não tem tópico de Black Mirror? Vocês não ficaram periclitantes vendo a série?!

    Assisti às três primeiras temporadas quando foram lançadas, mas agora que finalmente consegui apertar o play na 4ª, to morrendo de vontade de ter alguém com quem falar!

    Acabei de ver o S04E01, mas topo falar de qualquer episódio que vocês queiram, com qualquer nível de detalhe. Bora? :)
     
  2. Morfindel Werwulf Rúnarmo

    Morfindel Werwulf Rúnarmo Geofísico entende de terremoto

    Eu assisti recentemente a série toda, até então não sabia de nada da série. Não lembro de cabeça dos episódios, mas posso conversar sobre. Eu gostei muito da premissa da série, mas percebi que a série foi caindo de qualidade com o tempo, não que ainda não seja boa, mas que a primeira foi a melhor temporada.
     
    • Gostei! Gostei! x 1
  3. G.

    G. Ai, que preguiça!

    Tbm prefiro a primeira.
    Deixa as coisas mais em aberto, sem emitir muito julgamento.

    Tipo nessa nova temporada, já no primeiro episódio, que é gostosinho de assistir, eles já chegam com esse discurso justiceiro e tal
    fazendo o cara lá ficar preso dentro do troço de realidade virtual...
    Fora que seria inteiramente mais interessante se mostrasse o personagem começando a refletir o comportamento dele dentro do jogo na vida real. Pq até onde o episódio mostrou ele vive a vida de verdade todo submisso mas desconta no jogo, e eles me pedirem pra ter pena de código de computador, porque aquelas personagens do jogo são isso, código muito bem imitado, já é demais. Se focasse nas ações dele na vida real seria interessante, pq é isso o que importa, sci-fi está aí para refletir a nossa realidade. E eu sei que podem levantar o argumento de que aquele jogo já era uma reflexão da realidade, mas até aí ele mostrou apenas o que todos nós somos por dentro, pessoas com nossos problemas mal resolvidos em nossas relações... O problema é quando passamos a revidar o mal comportamento que recebemos.
    Esse aspecto justiceiro serve apenas para reduzir qualquer complexidade e trazer um agrado imediato ao público, o público que prefere só assistir aos filmes de final feliz e se indignam quando acontece o contrário.
     
    • Gostei! Gostei! x 1
  4. Haleth

    Haleth Call me Bolga #CdLXI

    Hm, eu estou agora no S04E04 e também acho que a S01 foi melhor, muito pelo que o G. falou também. Parece que eles tentaram fazer a coisa ficar mais "palatável" e com isso as histórias foram perdendo um pouco do impacto que os episódios da S01 tinham. Não que eu seja a favor de "impacto" pelo "impacto", mas acho que o tal choque que BM causou na S01 tinha tudo a ver com aquilo que eles pretendiam transmitir.
    E o primeiro episódio de todos... Cara... não sei se é pelo tabu, ou se é pelo treco ter ficado quase explícito em tempo real, com silêncios e tal, mas aquilo me perturba só de lembrar. XD

    Qual foi o episódio que você mais gostou e por quê? (Pode citar mais um se quiser.)

    G., gostei do seu ponto de vista. Uma das coisas que eu mais gosto em BM, além do óbvio ceticismo em relação à tecnologia, é que a série levanta muitos questionamentos interessantes,
    por exemplo, pegando carona no que você disse no seu spoiler: como devemos ser avaliados, pelo que pensamos ou pelo que fazemos? O papel de oprimido/opressor é apenas uma questão de oportunidade? O que o comportamento virtual diz sobre a pessoa real?
    Eu também achei forçação de barra pedir pra gnt ter pena de código, mas parece que BM sugere que uma "representação digital" da nossa consciência poderia ser considerada uma parte de nós mesmos - e aquele episódio de San Junipero foi pra mim a melhor representação disso. Não tenho opinião formada sobre o assunto ainda.
    Fiquei um pouco decepcionada por parecer que eles estão começando a se repetir. Na S04, os ep. 2 e 3 são praticamente uma variação do episódio The Entire History of You (S01E03). Não que eu não tenha gostado deles, mas como parece que é a mesma tecnologia em diferentes níveis de desenvolvimento que causa os dilemas, fazia mais sentido ter essas três histórias combinadas em um episódio só, já que a estrutura da série cria expectativas de que cada epi vai ser totalmente diferente do outro (apesar das teorias de que há uma harmonização oculta).

    No fundo, acho que o que me faz gostar de BM é que tenho visto muita gente achar que a tecnologia é a salvação da humanidade, e isso me incomoda muito. BM ajuda a mostrar que, no fundo, a tecnologia é só uma forma sofisticada de continuarmos a sermos os mesmos, ou novas formas de continuarmos cometendo os mesmos erros. :P (dramática eu? nem...)

    Achei legal a pegada Star Trek do S04E01. Aquela conversa dos personagens no deserto enquanto o moço saiu pra pegar uma pizza foi divertida. :)
     
    • Gostei! Gostei! x 2
    • Ótimo Ótimo x 1
  5. Morfindel Werwulf Rúnarmo

    Morfindel Werwulf Rúnarmo Geofísico entende de terremoto

    O primeiro é mesmo impactante. Gostei do San Junipero (fofo), Shut up and dance, Black Museum, o que as pessoas bloqueiam as outras no mundo real. entre outras. Eu prefiro mais os que lidam com questões éticas.
     
  6. Eriadan

    Eriadan Usuário Usuário Premium

    Gostei muito de dois episódios nesta última temporada: o do aplicativo de namoro e o do museu. No quesito me convencer e fazer refletir, que é um aspecto importante do conceito de Black Mirror - tipo "Véééi, isso bem que pode acontecer, como é que vai ser" - já gostei mais de outros dois episódios: o da mãe e filha e o da extração de memórias; mas não me agradou tanto o desenrolar das histórias.

    No geral, por enquanto realmente a primeira temporada está um pouco acima. E, de todos, o episódio das chantagens foi o mais impactante.

    A propósito, vocês assistiram Jogador nº 1? Tem uma mensagem parecida com Black Mirror.
     
  7. Haleth

    Haleth Call me Bolga #CdLXI

    Quais foram as questões éticas que mais te chamaram a atenção nesses episódios?

    O San Junipero veio com uma agenda super positiva, né? Totalmente ao contrário do que BM era até então :)
    A história é fofa, mas o contexto me interessou muito mais do que o drama das protagonistas.
    O ponto alto do episódio pra mim foi o que fizeram com a tecnologia. Achei bem legal que a tecnologia considerasse o alívio de pessoas em sofrimento, porque até então as tecnologias estavam centradas em geral no bem-estar/controle social, apesar dos resultados nefastos (mesmo o White Bear [S01E02] tinha muito mais tendência a gerar bem-estar nas pessoas que faziam justiça com as próprias mãos do que em fazer justiça propriamente dita). Aquele sistema era um tipo de opióide digital do bem, rs. Mas quando veio a informação de que San Junipero era na verdade um Paraíso feito por mãos humanas, fiquei muito intrigada e comecei a ver o episódio de outra forma. Fazer do Paraíso um tipo de Ibiza é tão... raso. Eu sei que havia outras cidades, que a menina entrou em coma ainda sendo adolescente e tal, mas... Pra mim deu mais inquietação do que sossego. Então o paraíso é isso, hedonismo intenso até o colapso dos sentidos? Não me espantaria se em dois tempos San Junipero se tornasse uma carnificina onde você nem sequer consegue morrer pra se livrar dela. O fato desse tal paraíso ser artificial também me deixou com um amargo na boca. Desconsiderando como o paraíso poderia/deveria ser, tê-lo artificialmente me parece ser a alienação mor da realidade. Primeiro, pq o fato de digitalizem sua consciência, por assim dizer, não seria garantia de que você de fato migraria para o digital ao morrer - e se o episódio propõe o oposto, deveria ser mais eficaz em me convencer disso, pq não teve verossimilhança suficiente. Segundo, se não há garantia de q você migre para o paraíso digital, você estaria conscientemente se autoiludindo, o que é bem deprimente. Terceiro: quem garante que as gerações futuras vão se dar ao trabalho de manter os servidores ligados? Que paraíso frágil... Ok, agora eu paro pra não ser chata. Espero não ter estragado o episódio pra vc XD

    Ainda não vi Jogador nº1, nem trailer, nem nada. Só sei que existe, mas não sei nem sobre o que é a história. Vou dar uma olhada.
    O episódio das chantagens é um dos mais plausíveis (portanto, assustadores) da série. Aquele das abelhas mecânicas também, não pelas abelhas, mas pelo resto.

    Depois eu volto pra comentar mais episódios que vocês mencionaram.
     
  8. adrieldantas

    adrieldantas Relax and have some winey

    De fato a primeira temporada foi a melhor de todas. O primeira episódio pra mim é o melhor de todos, pois agrega uma tensão realista muito grande.

    A quarta foi fraca, mas não tiro o crédito da produção não. Foi interessante, só não foi tão-bom-quanto a primeira (e até a segunda).
     
    • Gostei! Gostei! x 1
  9. Morfindel Werwulf Rúnarmo

    Morfindel Werwulf Rúnarmo Geofísico entende de terremoto

    O que tem o Bronn pelo episódio em si, o fato dos criminosos obrigarem pessoas a cometerem crimes (ou ajudarem) e no fim serem entregues assim mesmo. Black museum por todo o histórico dos personagens envolvidos. Aquele do escravo virtual, que não se pode dizer que seja um escravo já que não é uma pessoa (e ao mesmo tempo é o próprio indivíduo contratante). Nossa, é tanta coisa.cE sim, o San Junipero é o oposto da proposta da série, é romântico e fofinho.
     
    • Gostei! Gostei! x 1
  10. Haleth

    Haleth Call me Bolga #CdLXI

    Acabei de assistir Hang the DJ no meu horário de almoço antecipado e recalibrei minhas definições de fofo, hehe.

    O nível de angst foi inexistente nesse episódio, mas a história estava tão fofinha que eu nem liguei.
    O final feliz dessa vez foi absolutamente natural, caiu como uma luva :grinlove: (e sem poréns nenhuns no meu ponto de vista, ao contrário do epi de San Junipero)
    Sem falar que... amor como rebelião? Adoro! :confete:
     
    • Gostei! Gostei! x 1

Compartilhar