1. Caro Visitante, por que não gastar alguns segundos e criar uma Conta no Fórum Valinor? Desta forma, além de não ver este aviso novamente, poderá participar de nossa comunidade, inserir suas opiniões e sugestões, fazendo parte deste que é um maiores Fóruns de Discussão do Brasil! Aproveite e cadastre-se já!

Dismiss Notice
Visitante, junte-se ao Grupo de Discussão da Valinor no Telegram! Basta clicar AQUI. No WhatsApp é AQUI. Estes grupos tem como objetivo principal discutir, conversar e tirar dúvidas sobre as obras de J. R. R. Tolkien (sejam os livros ou obras derivadas como os filmes)

'Beberrões' demoram mais para se recuperar de queimaduras

Tópico em 'Ciência & Tecnologia' iniciado por Morfindel Werwulf Rúnarmo, 27 Abr 2012.

  1. Morfindel Werwulf Rúnarmo

    Morfindel Werwulf Rúnarmo Geofísico entende de terremoto

    [h=2]Intoxicação pelo álcool enfraquece imunidade e abre ‘janela’ para infecções.
    Abstinência causa agitação e atrapalha o tratamento.[/h]

    Pacientes que bebem álcool em excesso e sofrem queimaduras tendem a demorar mais para se recuperar do que os pacientes queimados que não bebem. Essa é a constatação de um estudo do Centro Médico da Universidade Loyola, nos Estados Unidos, divulgado nesta sexta-feira (27) no 44º Encontro Anual da Associação Americana de Queimados, em Seattle.

    O grupo de pesquisadores analisou 53 pacientes queimados que chegaram ao hospital da universidade com problemas respiratórios. Destes, 12 apresentavam taxa de álcool no sangue acima de 0,08%, que é o limite legal para dirigir no país. Quatro estavam com níveis baixos e 37 não tinham álcool no sangue.

    Ao compararem os pacientes queimados que estavam com álcool no sangue além do limite legal, com os que estavam "limpos", os pesquisadores notaram que, apesar de nos primeiros as queimaduras serem bem menos graves, eles apresentaram índices similares de sepse e pneumonia e gastaram tempo semelhante no hospital.

    diz Elizabeth Kovacs, autora do estudo.

    Na média, os que não haviam bebido apresentavam 24,9% de seus corpos queimados, comparado com total de 10,6% entre os que estavam com álcool no sangue.

    Christopher Davis, também autor do estudo, enumera três motivos que respondem a dificuldade de recuperação entre os que consumiram álcool, mesmo com menos lesões:

    - A intoxicação pelo álcool enfraquece o sistema imune de forma crítica, dificultando o processo de cura e fazendo os pacientes ficarem suscetíveis a infecções.

    - Enquanto estão hospitalizados, os bebedores compulsivos ficam em abstinência. E, consequentemente, ficam agitados e pouco cooperativos com o tratamento.

    - Os níveis de envenenamento por monóxido de carbono nos bebedores compulsivos estavam quatro vezes maiores do que entre os que não tinham bebido. Provavelmente porque os primeiros demoraram mais para escapar. Esse tipo de envenenamento pode causar danos no cérebro e outros efeitos que complicam a recuperação.

    Este conteúdo é limitado a Usuários. Por favor, cadastre-se para poder ver o conteúdo e participar (não demora e não possui custos)
     
  2. Neithan

    Neithan Ele não sabe brincar. Ele é Mito

    Nota mental: Ficar longe do fogo.
     
  3. Flor Delacour

    Flor Delacour Usuário

    Nota mental: Colocar quem não bebe sob o comando da churrasqueira.
     

Compartilhar