1. Caro Visitante, por que não gastar alguns segundos e criar uma Conta no Fórum Valinor? Desta forma, além de não ver este aviso novamente, poderá participar de nossa comunidade, inserir suas opiniões e sugestões, fazendo parte deste que é um maiores Fóruns de Discussão do Brasil! Aproveite e cadastre-se já!

Dismiss Notice
Visitante, junte-se ao Grupo de Discussão da Valinor no Telegram! Basta clicar AQUI. No WhatsApp é AQUI. Estes grupos tem como objetivo principal discutir, conversar e tirar dúvidas sobre as obras de J. R. R. Tolkien (sejam os livros ou obras derivadas como os filmes)

Bartleby, o escriturário - Herman Melville

Tópico em 'Literatura Estrangeira' iniciado por Chatov, 25 Abr 2010.

  1. Chatov

    Chatov Usuário

    Sinopse

    Publicado anonimamente em 1853, Bartleby, o escriturário: uma história de Wall Street revela o estilo bem-humorado e por vezes sombrio de Herman Melville (1819-1891). Trata-se de uma história surpreendente pela simplicidade e aterradora pelo realismo. O narrador, um bem-sucedido advogado, contrata Bartleby para trabalhar como auxiliar de escritório. Ele se mostra um prestativo funcionário até que um dia, sem razão alguma, responde a um pedido de seu chefe com um desconcertante "Prefiro não fazer". Esse desacato, essa insubordinação ultrapassa a compreensão humana: é como se rompesse com a organização moral do mundo, desafiando verdades até então universais.

    Minha Opinião
    Este é um conto muito interessante. Nota 10! É um daqueles textos que usa do absurdo que acontecem nas pequenas coisas do cotidiano para nos fazer pensar.
    Quem, depois de o ler, nunca teve vontade de soltar um "prefiro não fazer" pro chefe?
     
  2. Lucas_Deschain

    Lucas_Deschain Biblionauta

    [align=justify]Falando em Herman Melville, aproveitei esses dias o frete de um sebo lá de Curitiba e pedi um livro que não fazia a mínima idéia de que existisse: Mares do Sul, do nosso amigo autor de Moby Dick. Bá, estou muito curioso para começar a leitura.
    Sobre esse conto, em que livro está ele publicado?[/align]
     
  3. Anica

    Anica Usuário

    Na realidade não é conto, é novela. No caso até por causa disso você encontra em livros com esse título mesmo, "Bartleby, o escriturário". Tem até pela L&PM -> http://www.lpm-editores.com.br/site/default.asp?Template=../livros/layout_produto.asp&CategoriaID=816351&ID=509490
     
  4. Lucas_Deschain

    Lucas_Deschain Biblionauta

    [align=justify]A L&PM sobe no meu conceito a cada vez que eu vejo um título "menos conhecido" como esse publicado. Valeu pela dica Anica.[/align]
     
  5. Diego-

    Diego- Usuário

    Tem uma edição da Cosac, e tá com desconto na Saraiva por 14 reais.
    E o Bartleby não é tão desconhecido assim, depois de Moby Dick acho que é a obra mais conhecida do Melville.
     
  6. Lucas_Deschain

    Lucas_Deschain Biblionauta

    [align=justify]
    Justamente por isso que quando usei a caracterização "menos conhecido" eu usei aspas.
    [/align]
     
  7. kika_FIL

    kika_FIL Usuário

    eu ainda quero aquela edição que as páginas vem coladas....
     
  8. Anica

    Anica Usuário

    mó trampo abrir tudo aquilo ><

    chegou aqui em casa, fui toda animada abrir, vem costuradinha. ok, sem problemas, vamos lá desfiar o fio que lacra a capa. aí descubro que as páginas também precisam ser "rasgadas" para o livro ser lido. aaargh. rasguei tudo errado, ficou horrível. to pensando em usar a guilhotina da escola para deixar mais certinho ¬¬'
     
  9. kika_FIL

    kika_FIL Usuário

    pelo menos tem como arrumar.... mas eu achei tãaaaaaaaaaaaaaaao legal...ainda mais que tem um motivo por trás das páginas coladas...
     
  10. Clara

    Clara O^O Usuário Premium

    Eu li a edição da LP&M, que comprei a pouco tempo.

    A sinopse diz que o estilo é "bem humorado"? :susto:
    E eu achei tão deprimente essa história!
    E trágica. Muito trágica.
    Enquanto lia, me lembrei de "Noites Brancas" do Dostoieviski.
    Talvez porque ambos são sobre personagens que não "se encaixam" em lugar nenhum.
    Tanto não cabe em lugar algum que, no caso do Bartleby, nem casa ele tem.

    Ou pra vida?
    Acho que o Bartleby preferia "não fazer" nada.
    Mas não por ser vagabundo ou folgado, achei que ele meio que dizia "prefiro não viver" (viver essa vida de senso comum).
    Vi o "prefiro não fazer" dele como uma espécie de suicídio passivo.


    [quote='kika_FIL]
    pelo menos tem como arrumar.... mas eu achei tãaaaaaaaaaaaaaaao legal...ainda mais que tem um motivo por trás das páginas coladas...
    [/quote]

    E que motivo é esse? Fiquei curiosa.
     
  11. kika_FIL

    kika_FIL Usuário

    do site da Cosac:

    Parece também (essa foi a história que ouvi quando fui apresentada ao livro) que livros de escriturario e livros caixa daquela época eram desse jeito
     
  12. Lucas_Deschain

    Lucas_Deschain Biblionauta

    Caraca, que coisa estranha essa de descosturar as páginas e a capa...nunca tinha visto nem ouvido falar.
     
  13. Anica

    Anica Usuário

    A pessoa que chamou de bem humorado provavelmente parou de ler antes da metade. No começo a insistência de Bartleby em "não fazer" é cômica. Mas progressivamente vai mudando, até chegar no que eu (concordando com você) acho trágico.


    A explicação é boa, mas dá um trabalho do cão. E eu não tive paciência de "desemparedar" aos poucos, abri todas para poder ler sem interromper :timido:
     
  14. kika_FIL

    kika_FIL Usuário

    Eu provavelmente farei o mesmo quando puser minhas mãos numa edição dessas...falta de paciência...mas que a história é legal é legal...heheheh
     
  15. Anica

    Anica Usuário

    Ao mostrar minha edição de Bartleby, O Escrivão para minha mãe, falei toda orgulhosa que era “um Cosac Naify” e então expliquei que era o equivalente para uma pessoa que gosta muito de moda comprar um produto de grife. Ok, a compração é meio leviana, mas a verdade é que os preços da Cosac são diretamente proporcionais ao capricho das edições, e toda vez que consigo colocar um na minha estante, fico toda serelepe. Mesmo que seja fininho como esse Bartleby

    Este conteúdo é limitado a Usuários. Por favor, cadastre-se para poder ver o conteúdo e participar (não demora e não possui custos)
     
  16. imported_Shiryu

    imported_Shiryu Yippie-ki-yay...

    Pô, comprei a edição da Cosac Naify (promoção Saraiva é uma beleza...), mas estou com receio de abrir as páginas, pois acho que vou fazer merda. Alguém tem alguma dica? A propósito, livro finim, finim...
     
  17. Tataran

    Tataran Usuário

    Eu não conheço essa edição, mas se for igual alguns livros que eu já comprei em sebo, que não estavam perfilados, não existe uma maneira fácil de abrir sem danificar. Todas as vezes que tentei, me dei mal.

    Agora, quando eu compro, largo fechado até mandar para um encadernador.
     
  18. Anica

    Anica Usuário

    poisé, acho que é o que o Tatarana disse: não tem jeito de abrir sem danificar. tentei até marcar a lateral com as unhas para facilitar na hora de abrir (sabe, como faz para cortar papel qdo não tem tesoura?) mas o papel mesmo é diferente, e não rasga direitinho. eu acho que se você tiver acesso a uma guilhotina é uma boa, porque pelo menos fica tudo igual.
     
  19. imported_Shiryu

    imported_Shiryu Yippie-ki-yay...

    É complicado, porque aquela régua que veio pra rasgar é mó fulera, poderia ao menos vir com um abridor de cartas com lâmina pelo preço do livro. Anyway, o que que é essa tal guilhotina?
     
  20. Anica

    Anica Usuário

    é tipo isso aqui ó -> http://www.benetronsp.com.br/guilhotinas/index.php?origem=google&gclid=CJrL5JOI2qICFUgf7godxROx9Q

    serve para cortar papel em quantidade de modo uniforme :sim:
     

Compartilhar