1. Caro Visitante, por que não gastar alguns segundos e criar uma Conta no Fórum Valinor? Desta forma, além de não ver este aviso novamente, poderá participar de nossa comunidade, inserir suas opiniões e sugestões, fazendo parte deste que é um maiores Fóruns de Discussão do Brasil! Aproveite e cadastre-se já!

Dismiss Notice
Visitante, junte-se ao Grupo de Discussão da Valinor no Telegram! Basta clicar AQUI. No WhatsApp é AQUI. Estes grupos tem como objetivo principal discutir, conversar e tirar dúvidas sobre as obras de J. R. R. Tolkien (sejam os livros ou obras derivadas como os filmes)

Bartleby e Companhia (Enrique Vila-Matas)

Tópico em 'Literatura Estrangeira' iniciado por Meia Palavra, 21 Fev 2011.

  1. Meia Palavra

    Meia Palavra Usuário

    Imagine que escritores como Rimbaud, Juan Rulfo, J.D. Salinger, entre outros ,sofrem de uma doença em comum, uma síndrome que os impede de fazer pelo que são famosos, uma enfermidade que os faça querer matar a arte de escrever, a doença que séculos ficou sem nome: Síndrome de Bartleby – nomeada em homenagem a Bartleby, personagem do romance Bartleby, o escrivão de Herman Meville, que chega num ponto da vida onde prefere não fazer suas tarefas.

    Essa síndrome é o centro da narrativa de Bartleby e Companhia do espanhol Enrique Vila-Matas, publicado no Brasil pela Cosac Naify, e traduzido por Maria Carolina de Araújo e Josely Vianna Baptista. A história gira em torno do diário – que logo é apresentado como notas de rodapé sem texto – de um corcunda que resolve diagnosticar todos os escritores que sofrem do tal Mal, da negação à arte de escrever. Muitos publicaram livros e depois tornaram-se reclusos, outros chegaram a negar tanto o ofício da escrita que não chegaram a publicar nada.

    Este conteúdo é limitado a Usuários. Por favor, cadastre-se para poder ver o conteúdo e participar (não demora e não possui custos)

     
  2. imported_Kelvin

    imported_Kelvin Usuário

    Excelente resenha, Pipps! Gostei principalmente da citação do Schpenhauer:

    Os maus livros são um veneno intellectual que destrói o espírito. Porque a maioria das pessoas, em vez de ler o melhor que se produziu em diferentes épocas, limita-se a ler as últimas novidades, os escritores limitam-se ao círculo estreito das ideias correntes, e o público afunda cada vez mais profundamente em seu próprio bairro.

    A referência é à Arte de Escrever ? Tenho postergado minha leitura mas se for acho que não vai dar para postergar mais, rsss
     

Compartilhar