1. Caro Visitante, por que não gastar alguns segundos e criar uma Conta no Fórum Valinor? Desta forma, além de não ver este aviso novamente, poderá participar de nossa comunidade, inserir suas opiniões e sugestões, fazendo parte deste que é um maiores Fóruns de Discussão do Brasil! Aproveite e cadastre-se já!

Dismiss Notice
Visitante, junte-se ao Grupo de Discussão da Valinor no Telegram! Basta clicar AQUI. No WhatsApp é AQUI. Estes grupos tem como objetivo principal discutir, conversar e tirar dúvidas sobre as obras de J. R. R. Tolkien (sejam os livros ou obras derivadas como os filmes)
  1. Artigos Valinor

    Artigos Valinor Usuário

    Os Balrogs eram espíritos de fogo seduzidos por melkor no início de Arda, e que residiam em sua fortaleza no norte, Utumno. Durante a Primeira Era, os Balrogs eram as forças mais temidas de Morgoth, depois dos dragões.

    Em aparência, os balrogs era como homens, mas fogo jorrava deles, e eles eram envolvidos por sombras escuras. Carregavam chicotes de fogo e causavam grande terror em amigos e inimigos sem distinção.

    Na Guerra da Fúria, Morgoth foi atacado pelas forças dos Valar. A maioria dos Balrogs foi destruída naquela Guerra, mas alguns poucos escaparam sobre as Montanhas Azuis e ocultaram-se nas profundezas da Terra-média. A Perdição de Durin, a criatura que expulsou os Anões de Moria, foi um deles.

    Os Balrogs Antes da Primeira Era

    Os Balrogs eram originalmente Maiar, da mesma estatura de Sauron ou Gandalf. Melkor os corrompeu a seu serviço em um passado distante do Mundo, nos dias de seu esplendor. Eles foram originalmente reunidos por ele em sua fortaleza de Utumno durante o tempo das Lâmpadas dos Valar. Quando esta fortaleza foi destruída pelos Valar, pelo menos alguns fugiram e esconderam-se nas profundezas de Angband (se algum dos Balrogs originais foi morto pelo ataque dos Valar a Utumno não é sabido).

    Balrogs na Primeira Era

    Quando Melkor e Ungoliant fugiu de Valinor três eras depois com as Silmarils, os Balrogs continuavam a ser encontrados nas ruínas de Angband. Ungoliant capturou Melkor em suas teias, querendo as Silmarils para si mesma, mas os Balrogs lançaram-se de seus esconderijos e resgataram seu senhor.

    Os Balrogs foram primeiramente encontrados pelos Elfos durante a Dagor-nuin-Giliath no primeiro ano da Primeira Era. Após a grande vitória dos Noldor sobre os Orcs de Morgoth, Fëanos comprimiu-os em direção a Angband, mas os Balrogs vieram contra ele. Ele foi mortalmente ferido por Gothmog, Senhor dos Balrogs. Embora seus filhos tenham repelido os demônios de fogo, Fëanor morreu de seus ferimento logo depois, e seu espírito partiu para os Salões de Mandos.

    A Aparência e Natureza dos Balrogs

    Balrogs eram espíritos de fogo - seus corações eram de fogo, como dito, e carregavam chicotes em chamas. Eles podiam, contudo, ocultar-se em escuridão e sombras. O Balrog que Gandalf lutou em Moria, por exemplo, a princípio não lhe deu pistas da sua natureza ardente com excessão das chamas que saiam de suas narinas.



    Indivíduos



    Gothmog - Senhor dos Balrogs
    Datas: Entrou em Arda em seu início; morto em 510 (Primeira Era)
    Raça: Ainur
    Divisão: Maiar (do tipo conhecido como Balrogs)
    Títulos: Alto-capitão de Angband, Senhor dos Balrogs

    Alto-capitão de Angband e Senhor dos Balrogs, Gothmog foi o assassino de Fëanor e de Fingon. Ele foi destruído durante a Queda de Gondolin por Ecthelion.



    Ruína de Durin
    Datas: Entrou em Arda em seu início; Acordado em 1980 (Terceira Era); Destruído em 25 de Janeiro de 3019 (Terceira Era)
    Raça: Ainur
    Divisão: Maiar (do tipo conhecido como Balrogs)

    Quando os Valar vieram contra Morgoth ao final da Primeira Era, a maioria de seus servos foram destruídos, mas alguns poucos fugiram para o Mundo e esconderam-se em locais escuros. Um deles era um Balrog, provavelmente o último de sua raça na Terra-média, que escapou para o leste das ruínas de Angband e enterrou-se nas raízes das Montanhas Sombrias debaixo de Khazad-dûm.

    Por mais de cinco milênios, o Balrog dormiu em seu profundo local de esconderijo (talvez estivesse usando este tempo para crescer em poder, ou reconstruir sua forma física). Permaneceu imperdturbado durante a Segunda Era, e muito tempo da Terceira Era. Mas finalmente, os mineiros de mithril do Rei Durin VI tropeçaram nele e o acordaram de seu longo sono. Durin foi morto pela criatura e seu filho Náin I tornou-se Rei.

    Parece que, sob Náin, os Anões tentaram opor-se ao Balrog, mas seu poder era grande demais para ser controlado. Por um ano, ele tentaram prendê-lo em suas mansões, mas finalmente Náin e muitos outros foram mortos, e os sobreviventes fugiram de seus salões ancestrais. A esse tempo também, muitos Elfos das Florestas de Lórien deixaram suas terras e escaparam para o sul.

    Por quinhentos anos, Moria (como Khazad-dûm ficou conhecida) ficou deserta a não ser pelo Balrog. Por volta do ano 2480, Sauron iniciou seus planos de guerra, e como parte deles, ele enviou Orcs e Trolls para infestar as Monstanhas Sombrias e interromper a passagem de Eriador para Rhovanion. Algumas dessas criaturas foram para Moria.

    Não é dito se Sauron sabia da existência do Balrog até então - certamente os Anões exilados não sabiam que tipo de criatura a Ruína de Durin era. Fica claro, contudo, que o Balrog reconheceu a autoridade de Sauron - e apenas por isso permitiu que estas criaturas permanecessem em Moria. Em adição, o mensageiro de Sauron que veio até Dáin II Pé-de-Ferro ofereceu retorno a Moria aos Anões, o que seria impossível se o Balrog não estivesse sob o poder de Sauron.

    A despeito do malfadada tentativa de recolonizar Moria por Balin em 2989 (Terceira Era), a Ruína de Durin permaneceu como uma ameaça escura e chocante no antigo reino dos Anões. cuja natureza estava escondida do mundo exterior.

    Em Janeiro de 3019 (Terceira Era), a Sociedade do Anel viajou através de Moria na Expedição da Montanha da Perdição. Em Gandalf o Balrog finalmente encontrou um ser da mesma ordem e poder que si mesmo. Como os dois Maiar se encontraram sobre a Ponte de Khazad-dûm, Gandalf quebrou a Ponte e o Balrog caiu nas profundezas, mas Gandalf também foi lançado no abismo.

    Ambos sobreviveram à queda, e Gandalf perseguiu o Balrog por oito dias através das mais profundas cavernas de Moria. Ao final eles foram para a Escada Sem Fim, e escalaram os degraus que levam ao pico do Zirakzigil. Ali a Ruína de Durin lutou sua última batalha - por dois dias e duas noites o Balrog lutou contra Gandalf, mas finalmente ele foi jogado do pico, e quebrou um lado da montanha enquanto mergulhava para sua destruição.



    Textos de Interesse:
    Este conteúdo é limitado a Usuários. Por favor, cadastre-se para poder ver o conteúdo e participar (não demora e não possui custos)

    Este conteúdo é limitado a Usuários. Por favor, cadastre-se para poder ver o conteúdo e participar (não demora e não possui custos)

    Este conteúdo é limitado a Usuários. Por favor, cadastre-se para poder ver o conteúdo e participar (não demora e não possui custos)
     

Compartilhar