1. Caro Visitante, por que não gastar alguns segundos e criar uma Conta no Fórum Valinor? Desta forma, além de não ver este aviso novamente, poderá participar de nossa comunidade, inserir suas opiniões e sugestões, fazendo parte deste que é um maiores Fóruns de Discussão do Brasil! Aproveite e cadastre-se já!

Dismiss Notice
Visitante, junte-se ao Grupo de Discussão da Valinor no Telegram! Basta clicar AQUI. No WhatsApp é AQUI. Estes grupos tem como objetivo principal discutir, conversar e tirar dúvidas sobre as obras de J. R. R. Tolkien (sejam os livros ou obras derivadas como os filmes)

Atitudes violentas contra mulheres são vistas como normais, mostra estudo

Tópico em 'Atualidades e Generalidades' iniciado por Morfindel Werwulf Rúnarmo, 6 Dez 2013.

  1. Morfindel Werwulf Rúnarmo

    Morfindel Werwulf Rúnarmo Geofísico entende de terremoto

    Pesquisa revela ainda que o homem culpa a mulher pela violência


    Pesquisa do Instituto Avon e do Datapopular divulgada nesta sexta-feira revela que muitas atitudes violentas contra as mulheres são vistas pelo homem como naturais em um relacionamento.

    De acordo com o levantamento, ao serem questionados diretamente se tiveram atitude violenta contra a parceira ou ex-parceira, apenas 16% dos homens admitiram que sim, o que equivale a 8,8 milhões de pessoas. Mas quando os entrevistadores listaram atitudes violentas contra a mulher, como xingar, empurrar, humilhar em público e ameaçar com palavras, 56% dos homens admitiram que já cometeram alguma dessas posturas.

    - Para se ter uma ideia, apenas 35% dos homens acham que a mulher deve procurar a delegacia da mulher no caso de ele a impedir de sair de casa – disse Renato Meirelles, presidente do Datapopular.

    A pesquisa revelou também que a maioria das atitudes agressivas foi cometida mais de uma vez e constatou que 41% dos brasileiros, entre homens e mulheres, conhecem ao menos um homem que foi violento com sua parceira, o que equivale a 52 milhões de pessoas.

    O estudo mostra que muitas vezes o homem responsabiliza a mulher pela violência. E revelou que 29% deles disseram que “o homem só bate porque a mulher provoca”. E 23% afirmaram que “tem mulher que só para de falar se levar um tapa”.

    De acordo com o levantamento, 12% dos homens acreditam que “se a mulher trai o marido ele tem razão de bater nela”.

    O estudo mostrou que 67% dos autores de violência viram os pais discutirem na infância, enquanto entre os não agressores o índice é de 47%. Além disso, entre os agressores, 21% presenciaram uma agressão física. Este índice entre os não agressores foi de 9%.

    Questionados sobre as razões de a violência surgir no relacionamento, os homens listaram ciúme, falta de respeito, de diálogo e de amor.

    A pesquisa mostrou que 53% dos homens atribuem à mulher a responsabilidade pelo sucesso do casamento; 69% deles não concordam que a mulher saia com amigos sem sua companhia e 46% acham que é inaceitável que ela use roupas justas e decotadas. A mulher é vista como responsável pelo trabalho doméstico: 89% dos entrevistados disseram que é inaceitável a companheira não manter a casa em ordem.

    Sobre a Lei Maria da Penha, 35% dos homens disseram que desconhecem parcial ou total a norma. E 37% afirmam que por causa da lei as mulheres os desrespeitam mais.

    - É lamentável ainda vivermos numa sociedade machista, sexista e patriarcal em pleno século 21 – disse a ministra da Secretaria de Políticas para as Mulheres da Presidência da República, Eeonora Menicucci.

    A pesquisa foi feita entre agosto e setembro de 2013, em duas etapas. Na primeira foram entrevistadas 955 homens e 505 mulheres maiores de 16 anos de idade, em 50 cidades de todo país. Numa segunda etapa, foram ouvidos 13 especialistas e seis homens autores de violência.

    Este conteúdo é limitado a Usuários. Por favor, cadastre-se para poder ver o conteúdo e participar (não demora e não possui custos)


    Isso mostra que as mulheres não devem aceitar a violência e não se separar por achar que os filhos devem ficar perto do pai ou que os filhos irão sofrer. Pelo contrário, ao fazer isso você está criando um futuro melhor e filhos (homens e mulheres) melhores. Você criará meninos que não acreditarão que é normal bater na mulher e meninas que não aceitarão violência de homem nenhum.
     
    • Gostei! Gostei! x 7
  2. Tek

    Tek Girls tend not to like me

    Algumas aceitam porque "amam" o homem (!!), mas eu teria medo de ele me procurar pra me matar depois.
     
    • Gostei! Gostei! x 2
  3. Lindoriel

    Lindoriel Saurita Catita

    Fico tão impressionada em ver que muitas pessoas acham que violência é só bater, sentar a porrada, deixar marcas. A violência verbal, a depreciação, a desconsideração da mulher enquanto ser humano tbm é uma violência.

    Qdo se fala de homens que mentem, enganam, diminuem a mulher com palavras, tem gente que vira e diz: "Ah, homem é assim mesmo". Mas a violência começa aí, no fato de não tratar a mulher como ser inteligível, como alguém com quem se pode dialogar e viver uma relação.

    Muitos homens infelizmente são "beneficiários" na relação, e enxergam a mulher como uma geradora de comodidades, não como pessoa a compartilhar as alegrias e as agruras de um relacionamento. Já tem mulher que "ajuda" nisso, fazendo-se de "mártir", vendo que o cara tem 1000 defeitos de caráter porém aceita continuar na relação e pensa: ah, eu vou ajudar ele, e ele no futuro me será grato; esquecendo ou simplesmente ignorando que esse tipo de pessoa raramente é grata a alguém por alguma coisa.
     
    • Gostei! Gostei! x 5
    • Ótimo Ótimo x 1
  4. Paganus

    Paganus Visitante

    Nossa, cara, eu queria realmente entender como algum pesquisador consegue a proeza de fabricar um 'estudo' com uma intencionalidade vitimista tão óbvia, não ser questionado e ainda aplaudido pelos ideólogos igualitaristas.

    Malz ae, mas não dá pra levar uma idiotice dessas a sério.

    Agora só falta mais um estudo com gays, negros, travecos, pra farofa ficar completa.

    É o Carnaval das minorias.
     
    Paganus
    Esta mensagem de Paganus foi ocultada devido a numerosas avaliações negativas. (Mostrar mensagem)
    • Péssimo Péssimo x 5
    • Fail Fail x 3
  5. Grimnir

    Grimnir Usuário

    Como toda pesquisa, esse monte de % não significam necessariamente que uma coisa está causando a outra. Acho que seria muita inocência não acreditar que realmente existem muitos homens que não acham que seus atos violentos se enquadrem como violência doméstica. É claro também que deve haver incentivo para as mulheres abandonarem esses maridos violentos e etc. Só que a pesquisa não é suficiente para provar que filhos de pais violentos tendem a ser violentos com suas futuras esposas, né?

    Mas explica @Paganus, quais são as idiotices em questão.
     
  6. [F*U*S*A*|KåMµ§]

    [F*U*S*A*|KåMµ§] Who will define me?

    Essas relações de causa/consequencia precisam realmente de estudos mais profundos do que apenas uma relação percentual.
    Senão cai naquela questão de relacionar estupradores pedófilos com pessoas que foram molestadas quando crianças. Não basta a pessoa ter passado por uma experiência traumática desse tipo ela ainda tem que carregar consigo que ela é uma estupradora futura em potencial?
     
    • Gostei! Gostei! x 15
  7. Paganus

    Paganus Visitante

    A idiotice não está no objeto da pesquisa em si, mas no tom e intenção muito claro de vitimismo. Isso me lembra uma charge que vi no facebook outro dia, onde se associava conservadorismo referente às questões racialistas (esse compensacionismo que inspira coisas como as cotas, por exemplo) com puro e simples fascismo.

    É o mesmo espírito aqui. Não é que sejam falsos os dados do estudo, mas as intenções são tão obviamente panfletárias, é tão ingênua a confiança em dados, tabelas, gráficos e pior, a típica cegueira que acompanha a ideologização que se usa para falsear a realidade que chega a ser gritante.

    Um exemplo são as avaliações que meu post gerou: espero que sejam pessoas que tenham perdido a paciência e não que realmente achem que eu aprovo espancamento de mulheres. Não creio que haja gente tão estúpida na Valinor.
     
    Última edição por um moderador: 12 Dez 2013
    • Gostei! Gostei! x 1
  8. Tek

    Tek Girls tend not to like me

    Eu dei fail pelo modo como você menosprezou uma questão tão séria. Eu entendo você estar de saco cheio de pesquisas que vitimizem certos grupos, mas às vezes é melhor se emputecer e ficar quieto que fazer pouco como você fez. E não falo isso em tom de briga, não, mas como dica.
     
    • Gostei! Gostei! x 4
    • Mandar Coração Mandar Coração x 2
  9. Lindoriel

    Lindoriel Saurita Catita

    "Vitimismo" ocorre quando um certo grupo recebe privilégios em demasia, ou quando relata-se que determinado grupo sofre abusos que na realidade não sofre.

    No caso das pesquisas, apenas relatou-se a violência que a mulher ainda sofre, ou seja: apenas lidou com fatos reais.

    Não sei no que isso seria "vitimismo".
     
    • Gostei! Gostei! x 7
  10. Paganus

    Paganus Visitante

    Eu tenho esse mal: não sei quando ficar quieto.


    O problema talvez seja porque eu não ache que essa seja uma questão tãooo séria assim, aliás, até acho, mas não na forma como a questão é apresentada.

    O seu fail é porque ou você não me entendeu ou porque não tolera minha forma de ver essas coisas.
     
    • Fail Fail x 4
  11. Tek

    Tek Girls tend not to like me

    Esse "tolera" foi colocado de propósito, já que é a palavra do momento favorita das vítimas?
     
    • Gostei! Gostei! x 1
  12. Paganus

    Paganus Visitante

    hehe, sim, é uma provocação.

    viu como é bom? =D
     
    • Fail Fail x 5
  13. Lindoriel

    Lindoriel Saurita Catita

    Deixa ver... porque você é homem?

    Pimenta no koo alheio é refresco...

    Eu tbm não achava que a questão feminina era tão séria... até eu começar a namorar e perceber dentro de uma relação homem/mulher abusiva o que é o abuso. E olha que o que eu passei não é nem um décimo do que muitas passam.
     
    • Gostei! Gostei! x 7
  14. Tek

    Tek Girls tend not to like me

    Que forma suja de argumentar, dizendo que eu dei fail porque eu não te entendi e ainda me provocando como se as mulheres fossem vitimizadas, e não vítimas. Toma mais dois fails pra largar de ser palhaço!

    Como eu disse, aquele fail foi pelo menosprezo. Você pode não dar a mínima pra mulheres que apanham dentro da própria casa e que correm risco de serem assassinadas se tentarem se defender, denunciar ou sair de casa, mas fazer pouco da situação é desrespeitoso para com quem sofre com ela e para com quem se importa.
     
    • Ótimo Ótimo x 8
    • Gostei! Gostei! x 1
  15. Morfindel Werwulf Rúnarmo

    Morfindel Werwulf Rúnarmo Geofísico entende de terremoto

    Tek merece um prêmio pela paciência. Não perca seu precioso tempo!
     
    • Gostei! Gostei! x 6
    • LOL LOL x 1
  16. Lindoriel

    Lindoriel Saurita Catita

    Mas é claro, a questão das mulheres é ínfima, magina!! Questão realmente relevante é a desses gays pervertidos querendo casar!! Temos de lutar contra essa pouca vergonha (casamento gay) que não faz mal a ninguém, mas a causa das mulheres que sofrem nas mãos de parceiros ruins...? Magine, irrelevante. Morrem só 10 mulheres por dia no Brasil pra violência doméstica, isso é tão irrisório...

    PS: ironia, óbvio.
     
  17. Reverendo

    Reverendo Usuário

    A violência contra as mulheres é/foi/sempre será algo abominável.
    Massssssss... já vi mulheres diminutas, com capacidade de defesa zero, provocando agressivamente e sem freios, homens que poderiam quebrar seus pescoços como se fossem gravetos.
    Algumas mulheres tem uma séria dificuldade em reconhecer o perigo. Boa parte dos homens, também.
     
    • Fail Fail x 3
  18. Clara

    Clara O^O Usuário Premium

    Duas observações:

    Bater em alguém e usar o argumento de que "foi provocado" é ridículo e absurdo de todas as maneiras, seja lá de quem for que venha a provocação: criança, mulher, homem mais fraco ou mesmo de um homem mais forte.
    Esse argumento sempre vem de alguém babaca.

    Depois, caso o homem conviva com uma mulher assim, talvez devesse ser lembrado de uma coisa chamada divórcio ou separação, também conhecidos por hipotéticas expressões como: "dar o fora" ou "dar um pé na bunda" de alguém que está lhe enchendo o saco.
     
    • Gostei! Gostei! x 7
    • Ótimo Ótimo x 4
  19. Grimnir

    Grimnir Usuário

    É @Reverendo, não faz muito sentido isso não. Assim como há mulheres com dependência emocional dos homens, o contrário também acontece. Se a mulher é uma fucking bitch, se separa dela e pronto.
     
    • Gostei! Gostei! x 6
  20. Lindoriel

    Lindoriel Saurita Catita

    Tipo... xinga ela de volta (isso se ela te ofendeu primeiro). Mande-a à pqp. Peça a separação. Mas... se vc a agride fisicamente sem ela ter encostado a mão em vc, bem... aí já são outros 500.

    Se for assim, cada vez que alguém me disser merda eu vou lá, saco um revólver e mato o cara? Claro que não. Se a reação sempre for desse jeito aí que vc disse, a gente volta pro tempo das cavernas.

    Reiterando que pra haver abuso num relacionamento não é preciso bater. A agressão física é o último estágio da agressão. Muitas vezes parceiros abusivos são tão sutis em agredir, que a pessoa fica com os "caneco" cheio, revida com palavras rudes e parece que o outro nem fez nada. É uma "arte" que pessoas manipuladoras dominam muito bem, a de fazer parecer que o outro é culpado de tudo, e uma reação pareça provocação.

    Tipo, lembro até hj que meu primeiro namorado mais sério não causava brigas. Mas fazia e dizia coisas tão absurdas, que um dia eu não aguentei, "explodi" e comecei a despejar em cima dele tudo de ruim que ele fazia e eu estava tolerando. Pra muitos, "eu" teria começado a provocação, quando na verdade ele vinha me enchendo a paciência havia meses. Hoje, eu terminaria de cara sem fazer xabu - ou teria uma conversa séria e se a coisa não mudasse num determinado período de tempo, era questão de ir embora. Mas ia eu querer terminar o relacionamento. Ele chorava e implorava pra eu não fazer isso. Mas mudar que é bom também não...!

    A gente não está dentro do relacionamento pra saber quem é o "mais culpado" ou "menos culpado" da situação.
     
    Última edição: 15 Dez 2013
    • Gostei! Gostei! x 2
    • Ótimo Ótimo x 1

Compartilhar