1. Caro Visitante, por que não gastar alguns segundos e criar uma Conta no Fórum Valinor? Desta forma, além de não ver este aviso novamente, poderá participar de nossa comunidade, inserir suas opiniões e sugestões, fazendo parte deste que é um maiores Fóruns de Discussão do Brasil! Aproveite e cadastre-se já!

Dismiss Notice
Visitante, junte-se ao Grupo de Discussão da Valinor no Telegram! Basta clicar AQUI. No WhatsApp é AQUI. Estes grupos tem como objetivo principal discutir, conversar e tirar dúvidas sobre as obras de J. R. R. Tolkien (sejam os livros ou obras derivadas como os filmes)

Átila, o Huno (Atila, the Hun, 2001)

Tópico em 'Cinema' iniciado por Haran Alkarin, 1 Jul 2005.

  1. Haran Alkarin

    Haran Alkarin Usuário

    Átila, o Huno (Atila, the Hun, 2001)

    Sinopse
    Dois mundos se confrontam e, com eles, os dois homens que personificam os valores e a essência desses mundos. Átila, Rei dos Hunos (Gerard Butler) é um idealista que vê mais no seu povo do que nele próprio. Ao passo que a felicidade dos hunos reside na pilhagem e extorsão das nações vizinhas, Átila pretende mais, considerando a possibilidade de um império e uma nova ordem mundial. O general romano, Flavius Aetius (Powers Boothe), personifica o melhor e o pior do Império Romano nos últimos anos de sua existência. Sua motivação provém de um objetivo primordial: é imperativo que Roma continue dominando o mundo. Duas perspectivas diferentes do destino, defendidas por dois homens mais poderosos do século... conflitos principais do Átila, o Huno.

    Gênero: Épico/Religioso
    Atores: Gerard Butler, Powers Boothe, Simmone Mackinnon, Tim Curry, Reg Rogers, Alice Krige,
    Direção: Richard Lowry,
    Idiomas: Português, Inglês, Espanhol,
    Legendas: Português, Inglês, Espanhol,
    Ano de produção: 2001
    País de produção: Estados Unidos,
    Duração: 107 min.
    Distribuição: Universal Home Vídeo
    Região: 1,3,4
    Áudio: Dolby Digital (Inglês 5.1, Espanhol 2.0, Português 2.0)
    Vídeo: Widescreen Anamórfico 16x9
    Cor: Colorido

    Muito bom o filme, um dos melhores épicos que já vi. A história é muito boa, prende mesmo a atenção. As tramas que envolvem a família real de Roma e os hunos são espetaculares: os planos de Aécio, N'Kara, Galen, Bleda (e seu plano de matar Rua), os movimentos de Átila, a formação de seu império, a traição de Honória, Lydia (a filha do rei Teodorico que é criada como filha de Aécio)... Tudo culmina e se encaixa perfeitamente, criando uma ótima e complexa história, mesmo colocando alguns pontos e elementos que diferem da história real de Átila. As batalhas não deixam tanto a desejar. Em nenhum momento o filme chega a ser cansativo. Apesar de não ter feito tanto sucesso, o filme é espetacular. Melhor que Gladiador e Spartacus (1960), ao menos. Surpreendo-me de ninguém ter criado o tópico desse filme até agora. Altamente recomendado.

    Nota: 10,0
     
  2. Gondorian Blade

    Gondorian Blade Usuário

    De fato o filme é muito bom mesmo. O roteiro é ótimo e, como vc disse, liga muito em todas as narrativas. Os diálogos então são afiadíssimos. Tem um, em específico, q resume muito do filme:

    Átila: Mentiras e trapaças! Essa é a maneira dos romanos, e não dos hunos!

    Aécio (general romano): E quem governa o mundo?

    Depois dessa, claro, Átila fica calado, sem ter o q responder. E ele acaba vendo q, para vencer, seu idealismo precisa abrir certas exceções, o q fica evidente durante o filme. Aliás, o relacionamento dos dois homens, Átila e Aécio, é a verdadeira atração do filme. Mesmo sendo inimigos, eles não conseguem evitar admirar um ao outro, e acabam nutrindo um grande respeito mútuo (e a semelhança no final dos dois homens é muito interessante).

    Aliás, a performance de Gerard Butler é bastante intensa, conferindo a força necessária do personagem. Ao mesmo tempo em q não cai no maniqueísmo, uma vez q Átila se comporta como um tirano em certas ocasiões.

    O problema maior do filme é q foi feito para TV, ou seja, a parte técnica deixa um pouco a desejar, mas em nenhum momento chega a ser mal-feito. As batalhas, ainda bem, aqui são usadas como fator ilustrativo, ou seja, são bastante rápidas (com exceção da final, q se estende mais). Com um baixo orçamento, seria tolice gastar tempo com batalhas q inevitalvemente seriam mal-feitas, ainda bem q o diretor entendeu isso.

    Melhor do q Gladiador d fato é, não há dúvida. Mas superior a Spartacus???? De maneira alguma, abasolutamente não. Átila não toca nas dedos de Spartacus. Como já disse no outro tópico, vc deveria estar postando no Heresia.:roll:
     
  3. Haran Alkarin

    Haran Alkarin Usuário

    E o que faz minha opinião ser uma heresia, um absurdo? É o que eu acho, e apresento argumentos para isso, coisa que você não fez. Se minha opinião é tão oposta a sua, ótimo, dê sua opinião, diga por que discorda e apresente argumentos, mas não tache minha opinião com tais nomes e não diga que eu deveria colocar minha opinião em tal tópico, por que diretamente ou não, voluntariamente ou não, você a ofende quando diz isso. Argumentos do porquê do remake de Spartacus ser pior que o original e do porquê de Átila não "tocar os dedos" de Spartacus não vi nenhum, e isso é o que importa em uma discussão.
     
    Última edição: 1 Jul 2005
  4. V

    V Saloon Keeper

    Esses filmes (Átila, remake do Spartacus) não são feitos pra TV? :think:
     
  5. Haran Alkarin

    Haran Alkarin Usuário

    Spartacus, segundo o site Adoro Cinema, foi exibido na TV americana no formato de mini-série. Átila eu não sei, mas segundo o Gondorian também foi feito para TV.
     
  6. Gondorian Blade

    Gondorian Blade Usuário

    Quando disse que vc deveria postar no heresia, não disse q sua opinião estava errada, apenas q é uma minoria, pois a maioria incontestável considera Átila um filme inferior a Spartacus, bem como o remake d Spartacus. Por isso mencionei o Heresia, q é o tópico das opiniões contrárias à maioria (eu mesmo tenho vários posts lá :mrgreen: ). Desculpe se o ofendi, pois nunca foi essa minha atenção. Agora argumentos para Spartacus ser melhor há d sobra: melhor roteiro (com melhores diálogos e trama mais bem amarrada), elenco fenomenal (uma das poucas vezes em q a quantidade e a qualidade estão juntas), melhor desenvolvimento dos personagens e produção bem mais arrojada. Tanto Átila como o remake são inferiores a Spartacus nesses quesitos, IMO, o q não quer dizer eles seja ruins, claro. ;)
     
  7. Haran Alkarin

    Haran Alkarin Usuário

    Eu prefiro várias vezes à trama de Átila a de Spartacus (1960). A trama, como falei lá em cima, se encaixa perfeitamente, de forma que as várias narrativas e personagens culminam junto para uma ótima e complexa história. Não há encheção de lingüiça ou cenas cansativas. Já no caso de Spartacus eu poderia citar várias cenas que fogem em muito da história e que são simples e claras encheções de lingüiças, que não precisavam estar ali. Já as citei no outro tópico. E isso também envolve o "desenvolvimento das personagens", que você citou. Não sei se estou interpretando seu ponto de vista corretamente, mas nesse ponto também prefiro Átila, que consegue desenvolver as personagens de maneira espetacular, e ainda, como já disse, fazê-las interagir de forma a fazer uma única e ótima história.

    Sobre o elenco, bom, não tenho muito que falar, já que não sou expert do assunto. Porém, as interpretações de Átila me agradaram em muito, em nenhuma deixou a desejar. Já em Spartacus isso também acontece, há um clima muito artificial no ambiente, em especial o próprio Spartacus que pouco que me agradou (claro, há cenas ótimas, como as cenas finais, o discurso e a cena na cela, mas essas não são maioria).

    Sobre a produção mais arrojada, defina o que é isso para você. Ora, se refere ao número de figurantes, de envolvidos, de roupas, armas, etc, de efeitos? Na maioria isso Átila leva a melhor, e mesmo se não levasse, não acho que seja o que o filme recorre para contar sua história que conta, e sim a história em si e o resultado final.

    Sobre a maioria incontestável, bom, acho que toda maioria pode ser contestável, ainda mais em questões de gosto, que varia tanto de pessoa pra pessoa. Nem sempre a maioria tem a razão, e dificilmente há razão e verdade universal nesses quesitos.
     

Compartilhar