1. Caro Visitante, por que não gastar alguns segundos e criar uma Conta no Fórum Valinor? Desta forma, além de não ver este aviso novamente, poderá participar de nossa comunidade, inserir suas opiniões e sugestões, fazendo parte deste que é um maiores Fóruns de Discussão do Brasil! Aproveite e cadastre-se já!

Dismiss Notice
Visitante, junte-se ao Grupo de Discussão da Valinor no Telegram! Basta clicar AQUI. No WhatsApp é AQUI. Estes grupos tem como objetivo principal discutir, conversar e tirar dúvidas sobre as obras de J. R. R. Tolkien (sejam os livros ou obras derivadas como os filmes)

Ataques na Líbia continuarão até que Kadafi obedeça a ONU, diz Hillary

Tópico em 'Atualidades e Generalidades' iniciado por Morfindel Werwulf Rúnarmo, 29 Mar 2011.

  1. Morfindel Werwulf Rúnarmo

    Morfindel Werwulf Rúnarmo Geofísico entende de terremoto

    Este conteúdo é limitado a Usuários. Por favor, cadastre-se para poder ver o conteúdo e participar (não demora e não possui custos)

    Em Londres, delegados de 40 países e organizações discutem conflito na Líbia

    Os ataques aliados continuarão na Líbia até que o coronel Muamar Kadafi cumpra com as exigências da ONU e cesse em particular com os ataques contar civis, afirmou nesta terça-feira, em Londres, a secretária de Estado americana Hillary Clinton.

    Hillary Clinton se encontra em Londres, onde quarenta países e organizações se reúnem para consolidar a coalizão internacional e traçar o futuro político da Líbia depois de Kadafi. A reunião será a primeira do chamado grupo de contato formado pelos países da coalizão para assumir "direção política" das operações militares amparadas pela resolução da ONU sobre a Líbia.

    As autoridades britânicas convidaram a Londres uma delegação do Conselho Nacional de Transição (CNT), a autoridad provisória que representa os rebeldes que lutam contra o regime líbio, mas esta não participará na conferência.

    Antes do início da reunião, Kadafi aconselhou aos participantes, entre os quais figuram delegações de sete países árabes e um embaixador da Liga Árabe, a interromper a "ofensiva bárbara" contra seu país, que comparou com as campanhas de Hitler na Europa.
    Este conteúdo é limitado a Usuários. Por favor, cadastre-se para poder ver o conteúdo e participar (não demora e não possui custos)
     

Compartilhar