1. Caro Visitante, por que não gastar alguns segundos e criar uma Conta no Fórum Valinor? Desta forma, além de não ver este aviso novamente, poderá participar de nossa comunidade, inserir suas opiniões e sugestões, fazendo parte deste que é um maiores Fóruns de Discussão do Brasil! Aproveite e cadastre-se já!

Dismiss Notice
Visitante, junte-se ao Grupo de Discussão da Valinor no Telegram! Basta clicar AQUI. No WhatsApp é AQUI. Estes grupos tem como objetivo principal discutir, conversar e tirar dúvidas sobre as obras de J. R. R. Tolkien (sejam os livros ou obras derivadas como os filmes)

Astrônomos descobrem fenômeno desconhecido na superfície do Sol

Tópico em 'Ciência & Tecnologia' iniciado por Morfindel Werwulf Rúnarmo, 11 Abr 2012.

  1. Morfindel Werwulf Rúnarmo

    Morfindel Werwulf Rúnarmo Geofísico entende de terremoto

    [h=2]'Células da coroa solar' surgem como pontos brilhantes no Sol.
    Estudo do fenômeno pode ajudar a entender tempestades solares.[/h]

    Este conteúdo é limitado a Usuários. Por favor, cadastre-se para poder ver o conteúdo e participar (não demora e não possui custos)

    Pontos brilhantes no centro da imagem -- feita em cor falsa -- são as 'células da coroa solar' (Foto: Nasa/Stereo/NRL)​

    Um estudo publicado nesta semana pela revista científica “Astrophysical Journal” mostra um aspecto do Sol que os cientistas ainda não conheciam: as “células da coroa solar”. Elas surgem próximas aos buracos da coroa, que são regiões menos quentes e densas da superfície do Sol.

    Estas figuras foram vistas pela primeira vez no fim de 2011, por Neil Sheeley, do Laboratório de Pesquisas da Marinha dos EUA, na capital Washington. Ele identificou a formação observando um material fornecido pelo Observatório de Dinâmica Solar (SDO, na sigla em inglês) da Nasa.

    A coroa, onde o fenômeno ocorre, é a atmosfera do Sol. As “células” surgem na superfície como bolhas em uma panela com água fervente. Na imagem, elas têm o centro bem brilhante, com contorno escuro.

    disse Sheeley, em material divulgado pela Nasa.
    especificou.

    Segundo os autores, entender o fenômeno ajudaria a prever as mudanças nos campos magnéticos do Sol, que afeta nas tempestades solares. Essas tempestades chegam até a Terra e podem influir sobre aparelhos de comunicação por rádio ou satélite.

    Este conteúdo é limitado a Usuários. Por favor, cadastre-se para poder ver o conteúdo e participar (não demora e não possui custos)

     
  2. Neoghoster Akira

    Neoghoster Akira Brandebuque

    Quanto maior a escala da explosão, maior é a tendência de ocorrências estranhas e originais emergirem.

    De maneira que se toda energia e matéria conhecida do universo for detonada ao mesmo tempo, como combustível, o resultado total é o aparecimento de eventos estranhos o bastante para gerar tudo o que um universo possa conter (e isso é muita coisa uma vez que as possibilidades de combinação são infinitas). Tal é a diferença entre uma explosão convencional (uma granada por exemplo) daquela existente em relação a explosão geradora de galáxias (uma explosão não convencional).

    O conhecimento do homem em relação a explosões não convencionais ainda é primário e essas descobertas podem ajudar a melhorar até os aceleradores de partículas.

    No caso do sol as tensões geradas entre locais de fácil acúmulo de energia e locais de alta fuga de energia cria padrões no espaço parecidos ao de bolhas fervendo na água. Em locais assim a força dos campos em ação podem chegar a agir como um diluente semelhante a água (mais uma vez) e até a passagem do tempo pode ficar alterada. Da mesma forma que as algas marinhas se movem lentamente dentro da água, um campo pode desacelerar ou acelerar o que ocorre no sistema.
     
    Última edição: 12 Abr 2012
    • Gostei! Gostei! x 1

Compartilhar