1. Caro Visitante, por que não gastar alguns segundos e criar uma Conta no Fórum Valinor? Desta forma, além de não ver este aviso novamente, poderá participar de nossa comunidade, inserir suas opiniões e sugestões, fazendo parte deste que é um maiores Fóruns de Discussão do Brasil! Aproveite e cadastre-se já!

Dismiss Notice
Visitante, junte-se ao Grupo de Discussão da Valinor no Telegram! Basta clicar AQUI. No WhatsApp é AQUI. Estes grupos tem como objetivo principal discutir, conversar e tirar dúvidas sobre as obras de J. R. R. Tolkien (sejam os livros ou obras derivadas como os filmes)

Asteróide raspa na Terra e bate recorde de aproximação

Tópico em 'Ciência & Tecnologia' iniciado por Conan, 18 Fev 2011.

  1. Conan

    Conan Cavaleiro Pendragon

    Este conteúdo é limitado a Usuários. Por favor, cadastre-se para poder ver o conteúdo e participar (não demora e não possui custos)

    O asteroide 2011 CQ1 fez a maior aproximação já registrada até hoje.[Imagem: NASA]

    Recorde de aproximação


    Na última sexta-feira, dia 04, um pequeno asteroide até então desconhecido passou raspando pela Terra.

    Segundo a NASA, o 2011 CQ1, com cerca de um metro de diâmetro, passou a apenas 5.480 quilômetros da superfície do planeta.

    Este é um recorde histórico, constituindo a maior aproximação já registrada.

    O asteroide "tirou tinta" da Terra em uma área sobre o sul do Oceano Pacífico. Se tivesse sido detectado antes, a probabilidade de colisão teria sido calculada próxima aos 100%.

    O recorde anterior havia sido registrado em 2004 - mas o 2004 FU162 passou a mais 6.400 quilômetros da superfície do planeta.

    Saída pela esquerda

    E a aproximação inédita gerou também um outro fato inusitado: ao passar pela Terra, o asteroide fez a curva mais fechada que os astrônomos já haviam registrado para um corpo celeste.

    Como era muito pequeno e passou muito perto, a gravidade da Terra exerceu uma influência forte o suficiente para alterar completamente sua órbita, fazendo-o virar à esquerda em 60 graus.

    A curva foi tão fechada que foi suficiente para mudar a categoria do asteroide.

    "Antes da recente aproximação com a Terra, este objeto estava na chamada órbita de classe Apolo, que fica na maior parte do tempo fora da órbita da Terra," explicaram Don Yeomans e Paul Chodas, do Programa NEO (Near-Earth Object: objetos próximos à Terra).

    "Depois da aproximação, a atração gravitacional da Terra modificou a órbita do objeto para uma órbita classe Atenas, quando o objeto passa a maior parte do tempo dentro da órbita da Terra," explicaram os astrofísicos.


    Fonte:
    Este conteúdo é limitado a Usuários. Por favor, cadastre-se para poder ver o conteúdo e participar (não demora e não possui custos)
     

    Arquivos Anexados:

  2. Deriel

    Deriel Administrador

    1 m de diâmetro? Dá nada =] Acho que nem passava pela atmosfera
     
  3. Faramond

    Faramond Usuário

    Eu fico me perguntando, com todos esses milhoes de aerolitos por ai por que nenhum deles ainda ñ esmagou a Terra;e o que fariamos para impedir que caissem em cima de nossas cabeças
     
  4. Deriel

    Deriel Administrador

    Porque o espaço é um lugar muuuuuuuuuuuuuuuito grande, e os asteróides grandes são bem poucos. Daí a chance de ocorrer um impacto significativo ser pequena.

    No momento nadica de nada. Só rezar.
     
    • Gostei! Gostei! x 1
  5. Conan

    Conan Cavaleiro Pendragon

    ainda bem, pq pelo que entendi, ele só fez curva por conta do tamanho dele!8-O

    mas se muito não me engano, os maiores são detectaveis, embora se muito não me engano tambem, tem uma faixa de tamanho perigosa que não é muito detectavel não...
     
  6. Fúria da cidade

    Fúria da cidade ㅤㅤ ㅤㅤ ㅤㅤ

    Pensei que fosse algo substancialmente grande com pelo menos 100 metros de diâmetro que aí sim faria um bom estrago onde vier a cair.
     
  7. Conan

    Conan Cavaleiro Pendragon

    o titulo do topico foi só pra dar medinho :hihihi:

    :lol::lol::lol::lol::lol::lol::lol:
     
  8. nemorendil

    nemorendil Usuário

    Se não me engano, muito, com esse tamanho, acabam nem classificando como asteróide, e sim meteoroide. Com menos de 50m, em geral, são todos vaporizados pela atmosfera terrestre. Mas... o interessante disso é que houveram sim, corpos com 30, 40 metros que passaram muito próximos da Terra sem serem detectados (até estarem praticamente em cima do planeta :P)
     
  9. Fúria da cidade

    Fúria da cidade ㅤㅤ ㅤㅤ ㅤㅤ

    Por isso que adoro e sou fã da série Cosmos de Carl Sagan onde num dos episódios ele explica com precisão a definição correta por tamanho, composição e formato o que realmente é um asteróide, um meteoro, um cometa, poeira estrelar, etc.

    Embora de tempos em tempos a comunidade astrônomica se reune e resolve redefinir como fizeram com Plutão, rebaixando-o da classificação normal de planeta.
     
  10. lisseminte

    lisseminte Nox!

    Afê, também entrei aqui morrendo de medo. Me traumatiza esse assunto, sério.-_-

    Nós temos ainda muita sorte de um asteróide enorme não ter se chocado com a terra e feito com a gente a mesma coisa que fez com os dinossauros. Eu sou bem leiga (ou ignorante, como preferirem :D) no assunto, mas li que um dos principais fatores da terra não ter se chocado com tantos asteróides na sua longa existência é a "proteção" de Júpiter (que atrai muitos desses asteróides vagueando do espaço para sua superfície)... Então...
     
    Última edição: 20 Fev 2011
  11. dermeister

    dermeister Ent cara-de-pau

    Vocês notaram que a trajetória desse sujeito sugere um estilingue gravitacional? ([ame]http://en.wikipedia.org/wiki/Gravity_assist[/ame] para detalhes teóricos ou
    Este conteúdo é limitado a Usuários. Por favor, cadastre-se para poder ver o conteúdo e participar (não demora e não possui custos)
    feita com o Mathematica).
     
  12. Fúria da cidade

    Fúria da cidade ㅤㅤ ㅤㅤ ㅤㅤ

    É proteção até um certo ponto, pois sempre algum pode escapar do cinturão e com uma trajetória improvável vir a passar em direção da Terra.
     
    • Gostei! Gostei! x 1
  13. Jeff Donizetti

    Jeff Donizetti Quid est veritas?

    Um dia vai acontecer

    Espero que a raça humana nem esteja mais aqui pra ver o estrago (se for algo maior, claro), mas as probabilidades matemáticas jogam todas contra nosso planetinha...
     
  14. Morfindel Werwulf Rúnarmo

    Morfindel Werwulf Rúnarmo Geofísico entende de terremoto

    Certamente não. Quando li o título eu pensei, "como ninguém viu", não deu em lugar nenhum (que eu tenha visto), mas também com esse tamanho.

    Ele faria curva de qualquer jeito, só dependeria da velocidade, não da massa, esse teve sorte, com esse tamanho o provável é que nem fosse detectado.
     

Compartilhar