1. Caro Visitante, por que não gastar alguns segundos e criar uma Conta no Fórum Valinor? Desta forma, além de não ver este aviso novamente, poderá participar de nossa comunidade, inserir suas opiniões e sugestões, fazendo parte deste que é um maiores Fóruns de Discussão do Brasil! Aproveite e cadastre-se já!

Dismiss Notice
Visitante, junte-se ao Grupo de Discussão da Valinor no Telegram! Basta clicar AQUI. No WhatsApp é AQUI. Estes grupos tem como objetivo principal discutir, conversar e tirar dúvidas sobre as obras de J. R. R. Tolkien (sejam os livros ou obras derivadas como os filmes)

Assinado: Tradutores

Tópico em 'Generalidades Literárias' iniciado por Anica, 16 Set 2008.

  1. Anica

    Anica Usuário

    Não sei se já comentei por aqui sobre esse blog, mas chegou um email falando dele e achei que seria legal compartilhar com vocês. O nome já explica o conteúdo (interessantíssimo), acredito eu. Não deixem de visitar, e caso gostem, divulguem -> http://assinado-tradutores.blogspot.com/2008/09/logotipo-assinadotradutores-para.html
     
  2. Tilion

    Tilion Administrador

    É por essas e outras que vou começar a deixar a tradução de lado (exceto para coisas muito específicas e projetos futuros, como traduções literárias do japonês) e me dedicar ao ensino de línguas em aulas particulares. Menos dor de cabeça e muito mais lucro.
     
  3. alrob

    alrob Usuário

    Esse site é muito bacana, ele foi feito por tradutores e a crítica que eles fizeram em cima das 'traduções roubadas' pela Martin Claret foi show! ^^

    Conheço há algum tempo e recomendo!

    Só não entendi seu post Tilion o_0
     
  4. Tilion

    Tilion Administrador

    Foi justamente sobre os rolos de plágio mencionados no site.

    O trabalho do tradutor não é devidamente reconhecido, é mal pago, tem-se a idéia de que basta alguém "saber" a língua (tipo, "morei 6 meses na Austrália surfando, voltei e vou traduzir!!") que já é tradutor e ainda por cima corre o risco de ter o trabalho roubado na cara dura.

    Na boa, não compensa.
     
  5. Eu não sabia desse rolo com a Martin Claret ...

    Eles não sofrem processo? Pois existem direitos autorais para tradução ... :eek:

    ferreiro
     
  6. Não é reconhecido. É sucateado. Acham que qualquer um pode fazer. Não é respeitado. Tradutor só existe quando acontece erro de tradução, quando tá bem feito "não fez mais que a obrigação". As pessoas acham que é uma máquina, que "eu mesmo fazia, mas sou muito ocupado", e por aí vai...

    Mas sabe que eu acho que isso tudo influencia pra eu não largar mesmo a tradução?

    Sei que vai ser impossível eu mudar toda a visão que as pessoas tem sobre tradução nessa vida, mas além de gostar de traduzir (mesmo com os prazos curtos e o reconhecimento financeiro as vezes insuficiente) eu gosto de tentar fazer com que as pessoas vejam que tradução é uma profissão que merece muito respeito e que tem que ser feita por pessoas qualificadas.

    E mal pago... bom, acho que no começo tudo é mal pago, né? Mas se você tiver qualidade e souber bater o pé sobre isso, tem muita profissão por aí que paga menos.


    Ps: pena que o site pé no blogspot e eu não consigo abrir daqui =P
     
  7. Tilion

    Tilion Administrador

    O fato é que ninguém vive trabalhando com tradução. A coisa é paradoxal: para poder viver disso, é preciso ter um volume de trabalho imenso (pra compensar o parco pagamento); porém, se tiver um volume de trabalho imenso, não há como dar conta de tudo a tempo e fazer algo decente. Círculo vicioso, tiro no pé, etc.

    São pouquíssimos tradutores que ganham bem, e esses são aqueles que têm literalmente anos de trabalho (a maioria de meia-idade ou já idosos), que fizeram nome depois de décadas e, mesmo assim, não trabalham só com isso: são sempre mais alguma coisa, como professores universitários, por exemplo.

    Tradutor "puro" só no cemitério, depois de morrer de fome, hehe.
     
  8. Acho que o caso de não conseguir viver só de tradução acontece principalmente com a tradução literária, não é? Essa eu acho que realmente as pessoas fazem mais por amor e depois de anos de pesquisa, até porque tem todo o processo de conhecer o autor e etc e tal. Em relação à tradução não-literária (técnica, jurídica, médica, daquelas coisas chatas que ninguém quer fazer mas alguém tem), claro que se você trabalhar só com agências que pagam três centavos por palavra vai ser um bocado difícil sobreviver, mas eu não só conheço muita gente que vive só de tradução (e tem tempo de viver) como, poxa, eu mesma tenho só 20 anos e me sustento como tradutora, morando sozinha no Rio, sem problema nenhum.

    Aí eu já vejo outro cíclo vicioso: se a pessoa considerar tradução como um "bico", ela não se profissionaliza, como não se profissionaliza, ela recebe pouco, como recebe pouco, ela acha que tradução não vale a pena, como ela acha que não vale a pena, ela considera como um "bico", e por aí vai...
     
  9. Tilion

    Tilion Administrador

    Ser profissionalizado ou não no final das contas não significa nada, já que a profissão não é reconhecida oficialmente e as editoras só querem saber mesmo se tu tem bom domínio da língua, não se tem N títulos acadêmicos. Tanto que a coisa mais comum é ver gente que não é formada em letras fazendo diversas traduções, inclusive literárias.

    A única tradução que paga realmente bem é a juramentada, mas é uma meia dúzia de gato pingado que realmente é ativa nisso, se comparado com todas as outras vertentes - sem falar na dificuldade que é conseguir trabalhar especificamente nessa área.

    Quanto a viver com tradução, depende também do que tu considera "viver", do teu padrão de vida. A maioria das pessoas que eu conheço simplesmente não conseguiria viver só de tradução e nem têm um nível "alto" de vida: simplesmente não teriam como pagar as contas só com isso, e são pessoas qualificadas, formadas em Letras em variados graus acadêmicos, várias dessas pessoas são professores, várias com anos de experiência com tradução, etc.

    Tu é basicamente a primeira que eu vejo que diz que consegue viver só disso, sem trabalhar em mais nada. Aí, como eu disse, entra a questão do que tu acha que é suficiente pra ti.

    Pra mim, e pra todo mundo que eu conheço da área, só tradução não resolve.
     

Compartilhar