1. Caro Visitante, por que não gastar alguns segundos e criar uma Conta no Fórum Valinor? Desta forma, além de não ver este aviso novamente, poderá participar de nossa comunidade, inserir suas opiniões e sugestões, fazendo parte deste que é um maiores Fóruns de Discussão do Brasil! Aproveite e cadastre-se já!

Dismiss Notice
Visitante, junte-se ao Grupo de Discussão da Valinor no Telegram! Basta clicar AQUI. No WhatsApp é AQUI. Estes grupos tem como objetivo principal discutir, conversar e tirar dúvidas sobre as obras de J. R. R. Tolkien (sejam os livros ou obras derivadas como os filmes)

As obras básicas de Allan Kardec - tradução

Tópico em 'Generalidades Literárias' iniciado por Spartaco, 6 Out 2014.

  1. Spartaco

    Spartaco James West

    Como eu nunca li nenhuma obra de Allan Kardec e tendo agora vontade de conhecer um pouco da doutrina codificada por este autor, peço o esclarecimento dos amigos foristas, e que conhecem os seus escritos, para saber qual a melhor tradução das obras de Allan Kardec e, ainda, por qual de seus livros é melhor começar?
     
  2. Neoghoster Akira

    Neoghoster Akira Brandebuque

    Na época eu tive oportunidade de ler 4 deles (o quinto não lembro bem se li ou não).

    -O Livro dos Espíritos
    -O Livro dos Médiuns
    -O Evangelho Segundo o Espiritismo
    -Céu e Inferno

    Dentro do contexto do espiritualismo (brasileiro e europeu), pelo que li e dentro do ponto de vista de conteúdo a indicação dos livreiros (livrarias espíritas) era feita pensando em que a escolha seria influenciada pelo nível do leitor. Quer dizer, para pessoas menos acostumadas a debates de questões densas como vida e morte ou com material didático ou de ramos distantes desse tipo de abordagem de espiritualidade às vezes recomendavam iniciar por livros leves como romances que descrevem vidas de pessoas com linguagem simples ou lúdicos que contavam por meio de exemplos e ações de personagens. Chico Xavier seria um meio termo aproximando os conceitos da população comum (os livros psicografados do Chico tendem a não usar o sistema da dinâmica acadêmica de problematização versus solução de Kardec e conversam mais diretamente com a pessoa).

    Recordo que a escolha inicial por meio de indicação era feita para adequar o desenvolvimento individual uma vez que é falso o pensamento que pensar na espiritualidade é tarefa para preguiçoso que não quer resposta, na verdade é o oposto e o trabalho interior da busca não consegue ser verdadeiro se a pessoa não tiver enfrentado a dureza dos próprios defeitos ou a luta contra o tempo. Pelo que entendi o ato de nutrir as boas qualidades de cada pessoa não é rápido, mas gradual e progressivo (a doutrina fala de várias encarnações para melhorar a partir de um mundo de provas e expiações (planeta laboratório/escola em que se permite o "vale tudo" com objetivo bem específico) como a Terra) e aparece através do amor e caridade que também é vista como realidade no espiritismo tanto quanto os outros conceitos fundamentais. Esse processo "passo a passo" vai acostumando a pessoa a pensar amplamente.

    Para os mais avançados ou de pouca grana (minha época o dinheiro era curto e não tinha muita opção na livraria que introduzisse o espiritismo) peguei logo pra ler os doutrinários em que um era O Livro dos Espíritos que foi o que mais me interessou. A seguir li O Livro dos Médiuns e O Evangelho Segundo o Espiritismo para depois ler Céu e Inferno que é tipo um questionamento do destino do pós-vida comparando a abordagem cristã com a espírita.

    Pelo que lembro da sessão espírita que fui em Minas (perto de Uberaba) era possível entender muita coisa depois de ler esses autores e livros (além de fazer uso também de uma bíblia para consulta).

    Os 3 primeiros eram um conjunto de perguntas e respostas divididas por temas em capítulos. A coleção era uma que tinha uma tarja colorida na frente:

    Este conteúdo é limitado a Usuários. Por favor, cadastre-se para poder ver o conteúdo e participar (não demora e não possui custos)


    Pessoalmente eu gosto do que foi iniciado pelo Chico e pelo que leio de pesquisadores espiritualistas internacionais como o Brian Weiss a tendência parece ser a de suavizar a visão do século 19, mais estrita e rígida, do papel do espiritualismo em relação aos autores (que também são passíveis de falhas por estarem presos ao veículo carnal).
     
    Última edição: 6 Out 2014
    • Ótimo Ótimo x 1
  3. Spartaco

    Spartaco James West

    @Neoghoster Akira, muito obrigado pela sua informação. Será que, além do já mencionado, você saberia informar alguma coisa sobre a tradução, pois verifiquei que existem várias editoras que publicaram as obras de Allan Kardec, cada uma utilizando tradução diferente; daí a dúvida.

    Assim, se você ou outro amigo forista puder esclarecer, fico grato.
     
  4. Neoghoster Akira

    Neoghoster Akira Brandebuque

    De nada Spartacus.

    A informação que tenho (na qualidade de leitor simples) é de algumas notas que podem ser úteis na escolha do tradutor. Eu já ouvi recomendarem o Herculano e o Evandro. Já o mais criticado parece ser o Guillon.

    O Fiel Tradutor de Kardec
    Este conteúdo é limitado a Usuários. Por favor, cadastre-se para poder ver o conteúdo e participar (não demora e não possui custos)


    A Melhor Tradução das Obras de Kardec
    Este conteúdo é limitado a Usuários. Por favor, cadastre-se para poder ver o conteúdo e participar (não demora e não possui custos)


    Cada livro é um caso então para consultas interpretativas eu costumava "zapear" (só como leitor) o Fórum Espírita:

    Este conteúdo é limitado a Usuários. Por favor, cadastre-se para poder ver o conteúdo e participar (não demora e não possui custos)


    É possível encontrar por aí também as perguntas e respostas comentadas de O Livro dos Espíritos:

    Este conteúdo é limitado a Usuários. Por favor, cadastre-se para poder ver o conteúdo e participar (não demora e não possui custos)


    Com o pouco contato que tive uma sugestão é ler sabendo que existem também algumas diferenças interpretativas internas no trato com os autores, a depender do grupo espírita, então pode valer buscar o máximo de leitura sobre as obras comentadas em todas as fontes possíveis.
     
    • Ótimo Ótimo x 1
  5. Fúria da cidade

    Fúria da cidade ㅤㅤ ㅤㅤ ㅤㅤ

    A primeira obra de Kardec que li foi o Evangelho Segundo o Espiritismo e sempre bem amparado em aulas num centro espírita que eu frequentei quando ainda morava em São Caetano do Sul, onde além das leituras fazíamos as interpretações em conjunto com outros colegas.

    Confesso que isso me ajudou muito do que apenas ler a obra, já que seu conteúdo conforme o @Neoghoster Akira mencionou pode ser muito denso pra quem nunca teve contato com esse tema e comigo não foi diferente.

    Então acho recomendável além da leitura o debate interpretativo, seja ele num curso ministrado em algum centro espírita ou se preferir num fórum ou grupo de discussão kardecista na internet.
     
    • Gostei! Gostei! x 2
  6. Spartaco

    Spartaco James West

    Caros amigos, estou querendo começar a ler as obras de Allan Kardec e, após algumas pesquisas, fiquei interessado nos títulos abaixo que, por sinal, sairam em edição de bolso:

    Este conteúdo é limitado a Usuários. Por favor, cadastre-se para poder ver o conteúdo e participar (não demora e não possui custos)
    Este conteúdo é limitado a Usuários. Por favor, cadastre-se para poder ver o conteúdo e participar (não demora e não possui custos)


    Alguem conhece e pode comentar algo a respeito?
     
  7. Bruce Torres

    Bruce Torres Let's be alone together.

    Só de zoeira, eu indicaria essas capas pr'aquele post sobre capas feias. :P
     
    • LOL LOL x 1

Compartilhar