1. Caro Visitante, por que não gastar alguns segundos e criar uma Conta no Fórum Valinor? Desta forma, além de não ver este aviso novamente, poderá participar de nossa comunidade, inserir suas opiniões e sugestões, fazendo parte deste que é um maiores Fóruns de Discussão do Brasil! Aproveite e cadastre-se já!

Dismiss Notice
Visitante, junte-se ao Grupo de Discussão da Valinor no Telegram! Basta clicar AQUI. No WhatsApp é AQUI. Estes grupos tem como objetivo principal discutir, conversar e tirar dúvidas sobre as obras de J. R. R. Tolkien (sejam os livros ou obras derivadas como os filmes)

As crianças hoje estão ficando "frágeis"?

Tópico em 'Nostalgia' iniciado por Excluído052, 10 Set 2008.

  1. Excluído052

    Excluído052 Excluído a pedido

    Na minha época, era comum a gente ir brincar na rua e voltar todo ralado. Seja de cair na rua de bicicleta, ou subir em árvores, em muros ou ficar fazendo guerra de mamona, hehehe!

    A mãe da gente simplesmente fazia os nossos curativos (com aquela porcaria de metiolate que ARDIA!!!) e suspirava: "crianças são assim mesmo!"

    Hoje em dia, qualquer raladinho que uma criança de hoje leva, a mãe já fica desesperada, querendo levar a criança para o hospital! Eu tenho até hoje pelo menos duas cicatrizes de pancadas e cortes que eu fiz durante a infância, e as crianças de hoje não tem nem um machucadinho na pele.

    Lembra das brigas na rua e na escola? Naquela época era A GENTE que resolvia! Não a mãe ou o pai... que era chamado para conversar com os pais da outra criança.

    Sei lá... as crianças hoje tão ficando frágeis.
     
    • Gostei! Gostei! x 1
  2. Ana Lovejoy

    Ana Lovejoy Administrador

    Isso para não falar da quantidade enorme de criança alérgica a qualquer coisa que tem surgido por aí, e das diagnosticadas como "hiperativas" e afins (na minha época era algo mais como "esse moleque é um capeta mesmo" ehehe).
     
  3. Hellchan

    Hellchan Bad things with you...

    É
    eu recebi um e-mail falando sobre isso
    acho que muita gente aqui deve ter recebido
    hihihihih
    Antes a gente tomava geladinho na padaria (geladinho, laranjinha, depende do estado tem um nome diferente, aqueles trecos gelados que era tipo um suco em geral de groselha ou uva que ficava congelado num saquinho plastico fino, vc abria a pontinha e ficava sugando... )
    Anos atrás, a gente comprava em padariazinha, vendinha, e eles proprios faziam, e era ótimo
    Hoje tem os industrializados, que nem tem sabor gostoso, e é uma frescura só...
    Antes brincava na rua, skate, roller, e não pra "ser profissional", mas só por diversão, pra voltar pra casa com os joelhos e os cotovelos ralados.
    Eu ja peguei uma epoca que havia começado o video game, o atari...
    mas mesmo assim, era uma epoca que eu jogava atari umas 3 horas por semana
    e todo dia ia brincar na rua
    jogava bets, esconde esconde...
    e realmente, mertiolate doia pra dedeu XD
    Sem contar quando a mãe dos meus amigos cismava em passar aquele troço vermelho, que eu esqueci o nome, e todo mundo via aquele joelho esfolado há 3 kilometros de distância
    Hoje se machucar, é vergonha
    antes era troféu
    Subir em arvores, roubar frutinhas...

    Andava de bicicleta sem capacete, joelheira, caneleira, cotoveleira... afff, pra que tudo isso? XD

    Ia brincar na rua
    na casa de amigos
    e não tinhamos celulares pra avisar onde estávamos...
    Avisamos antes ou depois e ponto XD

    Como brincava mto mais na rua
    dava pra comer bolo, sorvete, e eram raros os obesos...

    Hoje as crianças são mimadas, e super protegidas...
    As coisas tecnologicas é bom
    poxa, apredemos muitas coisas
    conhecemos muita gente
    Mas tem que se aproveitar tudo...

    Bjus
     
  4. Tuor

    Tuor Usuário

    Muitos pais estão protegendo demais os filhos contra o mundo violento, e exageram, às vezes. A maioria sempre está relacionada ao não deixar a criança no chão, ou limpar a criança constantemente. Já vi caso de mãe limpar a bochecha do filho com álcool porque sei-lá-quem beijou. Daí ela não cria anticorpos e fica frágil a qualquer besteirinha que acontece.

    Isso sem contar aqueles pais que ficam meio abestalhados não dando limite aos filhos, e sempre vem com a resposta de que são hiperativos. Alguns podem até ser, mas muitos outros não são. Mostrar moral ou dar um tapa na bunda não faz mal a ninguém.
     
  5. Larissa

    Larissa Usuário

    É, também acho que a superproteção dos pais está atrapalhando, e não só as crianças, mas os adolescentes também (por exemplo: conheço várias pessoas da minha idade que moram em São Paulo e não sabem pegar metrô, porque os pais nunca permitiram que saíssem sozinhas).

    Quando eu era criança eu comia as coisas que caíam no chão, com a desculpa de que "se não mata, engorda" (:dente:), e hoje em dia eu já ví mãe que quase não deixa o bebê engatinhar. Aí depois a criança fica doente por qualquer besteirinha, porque não criou anticorpos nessa fase. :roll:
     
  6. Menegroth

    Menegroth Bocó-de-Mola

    As crianças não mudaram nada.
    Os pais é que ficaram frágeis.
    Meus afilhados dominam os pais assim como os amigos deles.

    Meu afilhado como lanche em todas as refeições poruqe a não não consegue fazer ele comer outra coisa.
    Dois amigos deles só comem comida se a mãe der bolacha antes.

    fim do mundo...
    O problema está nos pais e não nos filhos.
     
  7. Hellchan

    Hellchan Bad things with you...

    Uai
    acho que tem q haver uma reciproca, não?
    Os pais deixam ser dominados
    e os filhos são mimados
    Talvez se os pais não mimassem tanto os filhos, eles não seriam tão "valentes" pra ficar dando showzinho, esperniando e fazendo o diabo pra conseguirem o que quer...
    Não adianta mimar uma criança até os 12 anos e depois cortar como se não fosse nada....

    Seu afilhado não consegue comer?
    Deixa ele passando fome uns 3 dias, pra ver se ele não come arroz com feijão no quarto dia!

    O problema tá nos dois
    pais e filhos

    Bjus
     
  8. Thatá Rose

    Thatá Rose Engel

    Os pais ficaram mais cautelosos, afinal de contas, vamos admitir que as ruas já não são tão seguras como antigamente. E os alimentos são cada vez mais industriais. Mas certamente não é certo trancafiar uma criança dentro de casa ou de alguma escola período integral e alegar que elas é que são frágeis.

    Meu afilhado tem 3 anos e brinca na rua, nos parques, come algumas "porcariazinhas" de vez em qdo mas até que é fácil alimentar bem o pequenino. Minha amiga tenta fazer o possível pra que ele tenha uma infância tão "moleque" quanto a que tivemos.

    Crianças são frágeis se a tratarmos dessa forma. É preciso deixar que elas caiam, se machuquem, que são tão mortais como qualquer ser humano e podem se ferir. Óbvio que não vamos largar nossos filhos por ai, sem cuidado algum. Mas proibir de sair na rua, de comer uns lanches vez ou outra, não dá. Ou vão querer que os filhos cresçam bitolados em vídeo-game e computador, televisão, fiquem obesos por não se exercitarem, jogarem bola, correr e pular?!
     
  9. Ben Kenobi

    Ben Kenobi Aprendendo com um

    Eu tenho 2 primas gemeas de 4 anos são os xodózinhos da familia.A mãe dela não deixa elas fazerem quase nada(mas por preguiça de dar banho eu acho),elas amam ir pro sitio da minha tia,pois lá elas podem se divertir,mas mesmo assim ela fica em cima emcomodando sorte que todos os parentes adoram,aprontar com as pequenas,fazem ela se sujar,bricar ser uma criança normal...
     
  10. Tarik Khalil

    Tarik Khalil Usuário

    Eu sofri(o) com superproteção materna e tenho uma serta inveja pelo modo que alguns aqui forma criados.
     
  11. Elfo Peludo

    Elfo Peludo Gunslinger.

    Mesma coisa comigo,sei bem como é essa inveja. Minha mãe nunca deixava eu ir brincar na rua com os vizinhos. Cresci e fiquei chato.

    Acontece.
     
  12. Tarik Khalil

    Tarik Khalil Usuário


    Nossos pais perderam tanto tempo tentando nos dar o que não puderam ter em sua infância que esqueceram de nos oferecer o que tiveram.
     
  13. DW

    DW Usuário

  14. Raphael S

    Raphael S Desperto

    Meu Deus Larissa isso é nojento!!! ^_~

    Tudo emo... é a febre da nova geração onde vamos parar.

    O futuro será um monte de adultos chorando na praça com uma garrafa de vodka.

    Essa definição de gelinho e sacolé foi a melhor ^_^.

    As crianças precisam aprender o que machuca e o que não machuca, precisam ter liberdade pra correr e cair e não necessáriamente precisam colocar o dedo na tomada pra aprender que dá choque, mas o aprendizado é o mais importante.

    Hoje em dia os pais são megaprotetores mas esquecem de explicar o porque das coisas, mas na minha época também tinha disso. Era apenas não pode e pronto, sem um porque.

    By Raphael S
     
  15. Fëanor

    Fëanor Fnord Usuário Premium

    Regra: se não passou de 8 segundos, pode comer! :obiggraz:


    Quanto à questão do tópico, há pouco mais de dois anos eu escrevi a respeito no meu blog:
    Este conteúdo é limitado a Usuários. Por favor, cadastre-se para poder ver o conteúdo e participar (não demora e não possui custos)
    .
     
    Última edição: 12 Set 2008
  16. DW

    DW Usuário

    Pqp que porquisse cara! 8 segundos é muito tempo! São
    Este conteúdo é limitado a Usuários. Por favor, cadastre-se para poder ver o conteúdo e participar (não demora e não possui custos)
    segundos. Depois disso já não pode mais comer.
     
  17. Fëanor

    Fëanor Fnord Usuário Premium

    Leia o artigo antes de linkar:

    Eu uso 8 segundos :obiggraz:
     
  18. DW

    DW Usuário

    Mas foi o que eu disse. Essas variações são pra pessoas porcas.
     
  19. Fazion

    Fazion Yippee-ki-yay!

    Na verdade so depende de quao gostosa e a comida... e/ou se ta no final.
     
  20. Breno C

    Breno C Quack

    Já tinha notado isso, mas acho que é por culpa de como o mundo anda. Não dou muito velho para poder usar o começo de frase: no meu tempo... mas posso dizer que: no meu tempo dava para brincar na rua, porque não tinha metade dos perigos que existem hoje. A poluição é a maior culpada por isso, as crianças já nascem cheias de alergias e problemas com infecções.
     

Compartilhar