• Caro Visitante, por que não gastar alguns segundos e criar uma Conta no Fórum Valinor? Desta forma, além de não ver este aviso novamente, poderá participar de nossa comunidade, inserir suas opiniões e sugestões, fazendo parte deste que é um maiores Fóruns de Discussão do Brasil! Aproveite e cadastre-se já!

Especulação Aparecimento de Annatar na Série

Kimberly Raabe

Usuário
Há muito tempo foi escrito: Annatar seduziu os Elfos. Lábia? Convencimento? Inteligência? Sabedoria? Sagacidade? Pensamento rápido? Presença poderosa?

Não. Stupid Sexy. Realmente estupidez. Estupidez por toda a parte.
 

Neoghoster Akira

Brandebuque
Creio que seguindo o padrão da indústria de entretenimento japonesa (filha do entretenimento norte-americano) que nos últimos anos passou a comercializar obras sob medida para a ideologia dos países compradores enquanto o Japão mesmo não segue o que decidem exportar nesses termos (típico do meio hollywoodiano) eu diria que nessa série já começaram a colocar parte do famoso "representation" que foram (junto das idealizações compradas pelos produtores) para preencher cotas de "bandeiras" de movimentos da moda no ocidente. Exemplos:

-Rumores (sabe-se lá de onde) de sexualidade mais livre meses atrás (só pra testar a água, mesmo não aparecendo) - Bandeira 1
-Diversidade racial aumentada no show que não existia na obra original - Bandeira 2
-Imagem de apelo a capacidade de igualdade de sexos (Galadriel guerreira em desfavor de Galadriel feiticeira) em papel que deveria ser mais estratégico e cerebral - Bandeira 3
-Orcs sob alta exposição e detalhamento do crime que Tolkien procurava evitar - Bandeira a conferir... Vai depender de como vão usar o "Bingo de privilégios do SJW" podendo vir qualquer coisa dos roteiristas passando por "criminosos gloriosos/glorificados", transhumanismo, ocultismo etc... Originalmente Tolkien era branco, macho, cristão hetero cis, etc... Então vai depender da porcentagem de confrontação que vão introduzir.

As bandeiras ocupam a cadeira de patrocinadores "não declarados" da série, da mesma forma que há o público alvo não evidente (que não aparece diretamente no marketing).
 

Kimberly Raabe

Usuário
Creio que seguindo o padrão da indústria de entretenimento japonesa (filha do entretenimento norte-americano) que nos últimos anos passou a comercializar obras sob medida para a ideologia dos países compradores enquanto o Japão mesmo não segue o que decidem exportar nesses termos (típico do meio hollywoodiano)
Exato.
eu diria que nessa série já começaram a colocar parte do famoso "representation" que foram (junto das idealizações compradas pelos produtores) para preencher cotas de "bandeiras" de movimentos da moda no ocidente. Exemplos:

-Rumores (sabe-se lá de onde) de sexualidade mais livre meses atrás (só pra testar a água, mesmo não aparecendo) - Bandeira 1
-Diversidade racial aumentada no show que não existia na obra original - Bandeira 2
-Imagem de apelo a capacidade de igualdade de sexos (Galadriel guerreira em desfavor de Galadriel feiticeira) em papel que deveria ser mais estratégico e cerebral - Bandeira 3
-Orcs sob alta exposição e detalhamento do crime que Tolkien procurava evitar - Bandeira a conferir... Vai depender de como vão usar o "Bingo de privilégios do SJW" podendo vir qualquer coisa dos roteiristas passando por "criminosos gloriosos/glorificados", transhumanismo, ocultismo etc... Originalmente Tolkien era branco, macho, cristão hetero cis, etc... Então vai depender da porcentagem de confrontação que vão introduzir.
Essa lista seguirá longe até o fim desse "empreendimento".
As bandeiras ocupam a cadeira de patrocinadores "não declarados" da série, da mesma forma que há o público alvo não evidente (que não aparece diretamente no marketing).
Isso mesmo.

Todas essas questões são distrações propositais e com multiplos objetivos, como escrevi no meu último comentário no tópico sobre o Hobbit negro. As coisas importantes ainda virão nos próximos meses (e anos?), e serão bombas fatais as quais nenhum de nós espera. Muitos que estão acompanhando não recebem quase nenhuma notícia animadora, mas acredite neles quando dizem que esse será um programa como nenhum outro na história. Eles sabem do que estão falando. A coisa toda pode ser grande, mas não do jeito que esperamos.
 
Última edição:

abylos

A Peacekeeper
Usuário Premium
Onering.net está sugerindo que as pessoas comprem Alexa da Amazon para ter a voz de Sauron dentro de casa. É... não será só um herói, será o deus vivo de Bezos.
You can not hide... I see you!

Podia ter uma versão do Waze, né.
*pessoa chega no fim de rua sem saida *
sauron waze: "There is nothing in the void... Only... Death!"
 

Neoghoster Akira

Brandebuque
Exato.

Essa lista seguirá longe até o fim desse "empreendimento".

Isso mesmo.

Todas essas questões são distrações propositais e com multiplos objetivos, como escrevi no meu último comentário no tópico sobre o Hobbit negro. As coisas importantes ainda virão nos próximos meses (e anos?), e serão bombas fatais as quais nenhum de nós espera. Muitos que estão acompanhando não recebem quase nenhuma notícia animadora, mas acredite neles quando dizem que esse será um programa como nenhum outro na história. Eles sabem do que estão falando. A coisa toda pode ser grande, mas não do jeito que esperamos.

É nitidamente uma oferta para grupos. Um produto do tipo "faça o que falo, não o que eu faço" (eles mesmos não vão atrás do que o público alvo vai, eles não fazem o "walk the talk" com o fandom). Nos EUA os planos de negócios podem ser centrados demais neles mesmos, nas questões sociais e ideológicas deles. É bem zoado depender dessa única estratégia porque quando encontram outras condições é como se diz no ditado "todo mundo tem um plano até levar um soco na cara" e por isso lá tem tanta treta.
 

Kimberly Raabe

Usuário

O Estranho (Daniel Weyman) é de longe o personagem mais misterioso de "O Senhor dos Anéis: Os Anéis do Poder". O teaser da Vanity Fair confirma que ele chega à Terra-média através de uma bola de fogo, que pode ser vista cruzando o céu. A relação entre o Estranho e os curiosos Harfoots que o encontram pela primeira vez parece ser o foco da série.


O Estranho poderia ser um mago, mas ele provavelmente não é – e mesmo se for, ele quase certamente não será aquele em quem você está pensando. Gandalf, Radagast e Saruman chegam à Terra-média na Terceira Era, muito depois dos eventos da série. O Estranho pode ser um dos dois Magos Azuis, mas parece estranho apresentar um com tanta fanfarra e não o outro. Considerando tudo, não é particularmente plausível que o Estranho seja um dos Istari.

Então quem é ele? Bem, você pode querer considerar um personagem que você não encontrará em nenhum outro lugar desta lista – alguém que certamente desempenhará um papel importante na série. Um dos aspectos mais famosos da história de Sauron durante a Segunda Era é que ele chega aos Elfos disfarçado de uma forma tão justa que poucos suspeitam de sua verdadeira identidade. Que melhor maneira de entregar uma reviravolta verdadeiramente chocante do que fazer o público acreditar que está assistindo a um mago gentil fazer amizade com um humilde Harfoot... quando eles estão, de fato, testemunhando o retorno do novo Lorde das Trevas?

Read More: https://www.looper.com/905310/every...e-rings-of-power-explained/?utm_campaign=clip
 

Kimberly Raabe

Usuário

Quem você acha que é o(s) personagem(s) mais incompreendido(s) no Legendarium de Tolkien?

Sauron

Sauron não é um vilão de bigode que quer o mal pelo mal. Ele não quer matar tudo. Ele não parece se deliciar com assassinato e crueldade.

Ele é um Maia em missão.

E essa Missão?

Refaça a Terra-média à Sua imagem. Nem mesmo a imagem de Melkor - a de Sauron.

Melkor é mais o seu vilão estereotipado. Ele destrói por causa da destruição. Ele queria destruir o mundo, mas teve o gosto de governar e foi enlaçado por ele e enfraquecido por isso.

Sauron embora - Sauron quer construir .

Sauron é o herói de sua própria história.

Esse tópico tem respostas de 4 anos atrás. Foi editado há um. Quando foi que recebemos a notícia de que o vilão da série da Amazon é um herói na sua própria história?

Está aqui o roteiro de Sauron em primeira mão? Como todas essas coisas estão relacionadas eu não tenho ideia. Mas ao que parece, Sauron Reformador-Ditador 1984 não será mais tão ruim daqui em diante. É só o sinal de um mundo perfeito sem livre-arbítrio e construído abaixo de muito sangue. Se você não entende os planos do mestre, não é evoluído o bastante. Só um pobre tolo operário descartável girando as engrenagens da máquina.


Nenhuma maldição pior que um plano revolucionário para mudar o mundo.
 

Kimberly Raabe

Usuário
Última edição:

Neoghoster Akira

Brandebuque
E provavelmente trará toques da visão de vida ou o sonho do Jeff Bezos entremeados na produção em razão de estarem modificando o material para que atenda a objetivos modernos.

Se formos analisar as escolas e faculdades americanas da elite vemos que eles costumam copiar os centros educacionais britânicos, de influência iluminista e renascentista (por conta da colonização e do modelo europeu de universidade). Isso significa, e já estamos vendo isso, inserção de elementos um tanto quanto antropocêntricos nos personagens. O Vale do Silício famoso por ser marcado por práticas feudalistas e até medievais e alguns grandes nomes de lá são medievais que a mentalidade acabou de entrar na fase da renascença (pré-mercantilismo). Tolkien, na qualidade de medievalista e de ter lutado pessoalmente na grande guerra (testemunhou pessoalmente a Era Contemporânea se desenrolando na pele), tem a cabeça mais desenvolvida nesses assuntos do que as equipes contratadas, em grande medida por ter pessoalmente revisado séculos de estudos de idiomas, sociedades e culturas e toda a herança de conhecimento ocidental.

Quando vi esse vídeo me veio a mente a música que fala do Rocket Man, que aparece no filme de Sci-Fi K-Pax, gênero diferente da fantasia tolkieniana.

Eu não escolheria esse tipo de intervenção para introduzir os personagens das obras de acordo com o cânone. Para um mago indo do Oeste ou de um Maiar acho mais fácil um velhinho chegar adormecido por meio das brumas em uma canoa nas praias da terra média do que vir estourando tudo em um meteoro. Existem formas sutis de se apresentar o perigo ou alguém novo na trama e que deveriam ter sido testadas.
 

Kimberly Raabe

Usuário
E provavelmente trará toques da visão de vida ou o sonho do Jeff Bezos entremeados na produção em razão de estarem modificando o material para que atenda a objetivos modernos.

Se formos analisar as escolas e faculdades americanas da elite vemos que eles costumam copiar os centros educacionais britânicos, de influência iluminista e renascentista (por conta da colonização e do modelo europeu de universidade). Isso significa, e já estamos vendo isso, inserção de elementos um tanto quanto antropocêntricos nos personagens. O Vale do Silício famoso por ser marcado por práticas feudalistas e até medievais e alguns grandes nomes de lá são medievais que a mentalidade acabou de entrar na fase da renascença (pré-mercantilismo). Tolkien, na qualidade de medievalista e de ter lutado pessoalmente na grande guerra (testemunhou pessoalmente a Era Contemporânea se desenrolando na pele), tem a cabeça mais desenvolvida nesses assuntos do que as equipes contratadas, em grande medida por ter pessoalmente revisado séculos de estudos de idiomas, sociedades e culturas e toda a herança de conhecimento ocidental.

Quando vi esse vídeo me veio a mente a música que fala do Rocket Man, que aparece no filme de Sci-Fi K-Pax, gênero diferente da fantasia tolkieniana.

Eu não escolheria esse tipo de intervenção para introduzir os personagens das obras de acordo com o cânone. Para um mago indo do Oeste ou de um Maiar acho mais fácil um velhinho chegar adormecido por meio das brumas em uma canoa nas praias da terra média do que vir estourando tudo em um meteoro. Existem formas sutis de se apresentar o perigo ou alguém novo na trama e que deveriam ter sido testadas.
Isso que você mencionou tem tudo a ver com: https://pt.wikipedia.org/wiki/Eram_os_Deuses_Astronautas?

1657295427735.png

Como estamos discutindo no tópico dos vazamentos, tudo isso tem fundo mistico/gnóstico, não é por acaso, não são escolhas equivocadas, mas uma linha muito complexa difícil de acompanhar. Uma referência aos "deuses" civilizadores, como mostrou o Eternos da Marvel.

1657295928673.png

Também relacionado a esse filme do David Bowie.

1657296008530.png

E conectado com uma infinidade de referências. Tudo tem sentido quando estamos na linha certa de raciocínio.

Com certeza muito (ou tudo) disso tem ligação ao sonho de Bezos. É uma propaganda de coisas muito maiores que uma simples série pop, e intimamente enraizado com o antropocentrismo.
 

Neoghoster Akira

Brandebuque
Isso que você mencionou tem tudo a ver com: https://pt.wikipedia.org/wiki/Eram_os_Deuses_Astronautas?

Ver anexo 93379

Como estamos discutindo no tópico dos vazamentos, tudo isso tem fundo mistico/gnóstico, não é por acaso, não são escolhas equivocadas, mas uma linha muito complexa difícil de acompanhar. Uma referência aos "deuses" civilizadores, como mostrou o Eternos da Marvel.

Ver anexo 93382

Também relacionado a esse filme do David Bowie.

Ver anexo 93383

E conectado com uma infinidade de referências. Tudo tem sentido quando estamos na linha certa de raciocínio.

Com certeza muito (ou tudo) disso tem ligação ao sonho de Bezos. É uma propaganda de coisas muito maiores que uma simples série pop, e intimamente enraizado com o antropocentrismo.
Esse livro eu puder ler mas o filme ainda não vi. Confesso que particularmente as produções da Marvel/DC de uns anos pra cá entrei num modo "detox" e não tenho data pra voltar (em especial com esses passaportes de vacina sendo cobrados nos cinemas, então é "até nunca mais, pelo visto"). E imagine que eu era do tipo que ia no guichê comprar posteres dos filmes depois que o cinema tirava de cartaz. Mas imagino aonde os arquétipos possam levar.

Seguindo o "worldbuilding" (construção de mundo) original de Tolkien Sauron teria mais chances de ter permanecido na qualidade de "refugiado em algum plano de magia" indetectável ou entocado/disfarçado em algum buraco ao invés de pegar carona em objetos astronômicos. Elementos astronômicos são muito especiais na obra de Tolkien para serem usados dessa maneira sem que sejam celebrados e mencionados.

Originalmente após uma grande derrota o "senhor do escuro" tendia a "esconder coisas de si mesmo" por um tempo esperando que a traição do coração (próprio ou dos outros) em algum momento frutificasse rendendo a semente do mal. E é um conceito diferente de um meteoro de panspermia ligado ao gênero Sci-fi.

Eles estão indo por uma versão "Tolkien-pop" ou modificação da lenda inicial igual ao que houve no século 19 quando houve influência francesa sobre as lendas originais. E em um link que você postou que achei interessante o cara da matéria falava bem animado sobre a produção querer considerar Celebrimbor como um cara vaidoso (menciona o ateliê de ferramentas dele), que na minha concepção será meio zoado fazer isso porque o elfo tomou direção oposta a do avô (Fëanor). Ele reforçou e amizade com os anões e ficou na terra média com desejo de curar as fraturas produzidas após a Guerra da Ira e daí surgem os conceitos dos 3 anéis élficos e é por esse caminho que Sauron se infiltra aos elfos, do contrário Celebrimbor não duraria 2 segundos diante de Sauron se ele percebesse que ele era só um cara vaidoso/orgulhoso. Inicialmente Sauron oferece aquilo que o coração do elfo queria que estava ligado ao objetivo dele de permanecer nas terras mortais após a Guerra da Ira.

Novamente, a construção de mundo deveria ser uma versão em menor escala da corrupção Melkoriana em Aman, numa época em que os elfos e anões viviam um período de verdadeira amizade e sucesso em tempos felizes, que precederia a grande escuridão. Tolkien trabalha com o pareamento dos elementos, nomes iguais em épocas diferentes. Se Arwen andava na sombra de Luthien... por isso Sauron andava na sombra de Melkor.

Hackeamento da obra (imagem do sistema de realidade virtual Nine Sisters do filme Avalon):

avalon.jpg


É imperativa a visão dele com relação aos significados da obra porque sendo professor de idiomas em uma universidade de referência igual a dele sabemos que se comenta que ele ficou decepcionado quando depois da guerra o governo cortou a verba para os departamentos de línguas no país depois que os códigos inimigos não eram mais importantes. Então ele realmente se importava com coisas que eles estão alterando.

E por alterar, não critico só por criticar as escolhas dos produtores querendo ser simplesmente contra o preenchimento de lacunas em específico que obviamente demanda trabalho de fanfic, mas sim me opondo contra entremear elementos sincréticos incompatíveis e que não sejam pertencentes a mensagem original. O "neo-tolkienianismo", dentro de uma campânula, intolerante ao material original que busca corrigir os supostos excessos do movimento cultural anterior fraudando obras individuais. Dizem que em A Divina Comédia é o oitavo círculo do inferno o reservado aos fraudadores...
 
Última edição:

Kimberly Raabe

Usuário
Esse livro eu puder ler mas o filme ainda não vi. Confesso que particularmente as produções da Marvel/DC de uns anos pra cá entrei num modo "detox" e não tenho data pra voltar (em especial com esses passaportes de vacina sendo cobrados nos cinemas, então é "até nunca mais, pelo visto"). E imagine que eu era do tipo que ia no guichê comprar posteres dos filmes depois que o cinema tirava de cartaz. Mas imagino aonde os arquétipos possam levar.

Seguindo o "worldbuilding" (construção de mundo) original de Tolkien Sauron teria mais chances de ter permanecido na qualidade de "refugiado em algum plano de magia" indetectável ou entocado/disfarçado em algum buraco ao invés de pegar carona em objetos astronômicos. Elementos astronômicos são muito especiais na obra de Tolkien para serem usados dessa maneira sem que sejam celebrados e mencionados.

Originalmente após uma grande derrota o "senhor do escuro" tendia a "esconder coisas de si mesmo" por um tempo esperando que a traição do coração (próprio ou dos outros) em algum momento frutificasse rendendo a semente do mal. E é um conceito diferente de um meteoro de panspermia ligado ao gênero Sci-fi.

Eles estão indo por uma versão "Tolkien-pop" ou modificação da lenda inicial igual ao que houve no século 19 quando houve influência francesa sobre as lendas originais. E em um link que você postou que achei interessante o cara da matéria falava bem animado sobre a produção querer considerar Celebrimbor como um cara vaidoso (menciona o ateliê de ferramentas dele), que na minha concepção será meio zoado fazer isso porque o elfo tomou direção oposta a do avô (Fëanor). Ele reforçou e amizade com os anões e ficou na terra média com desejo de curar as fraturas produzidas após a Guerra da Ira e daí surgem os conceitos dos 3 anéis élficos e é por esse caminho que Sauron se infiltra aos elfos, do contrário Celebrimbor não duraria 2 segundos diante de Sauron se ele percebesse que ele era só um cara vaidoso/orgulhoso. Inicialmente Sauron oferece aquilo que o coração do elfo queria que estava ligado ao objetivo dele de permanecer nas terras mortais após a Guerra da Ira.

Novamente, a construção de mundo deveria ser uma versão em menor escala da corrupção Melkoriana em Aman, numa época em que os elfos e anões viviam um período de verdadeira amizade e sucesso em tempos felizes, que precederia a grande escuridão. Tolkien trabalha com o pareamento dos elementos, nomes iguais em épocas diferentes. Se Arwen andava na sombra de Luthien... por isso Sauron andava na sombra de Melkor.

Hackeamento da obra (imagem do sistema de realidade virtual Nine Sisters do filme Avalon):

avalon.jpg


É imperativa a visão dele com relação aos significados da obra porque sendo professor de idiomas em uma universidade de referência igual a dele sabemos que se comenta que ele ficou decepcionado quando depois da guerra o governo cortou a verba para os departamentos de línguas no país depois que os códigos inimigos não eram mais importantes. Então ele realmente se importava com coisas que eles estão alterando.
Não vou ao cinema. Aquela barulheira me incomoda. Realmente não me fará falta. Entretanto, bem-vindo à Nova China.

E por alterar, não critico só por criticar as escolhas dos produtores querendo ser simplesmente contra o preenchimento de lacunas em específico que obviamente demanda trabalho de fanfic, mas sim me opondo contra entremear elementos sincréticos incompatíveis e que não sejam pertencentes a mensagem original. O "neo-tolkienianismo", dentro de uma campânula, intolerante ao material original que busca corrigir os supostos excessos do movimento cultural anterior fraudando obras individuais. Dizem que em A Divina Comédia é o oitavo círculo do inferno o reservado aos fraudadores...
window.jpg


Disse bem. Sincrético. A obra de Tolkien tem uma escolha de caminho específico. Misturar muita coisa fará, se não outra coisa, que uma salada indigesta, até para quem quiser provar ou seja, entender. Caminhos de desastre e desgosto. Depois do que aconteceu hoje eu veementemente rejeito essa série e qualquer conceito que ela queira transmitir. Infelizmente eu sinto que no final, essa é a típica coisa que terá que ser ignorada e esquecida, porque vai crescer para os motivos errados e para o tempo certo.
 

Ilmarinen

Usuário
Seguindo o "worldbuilding" (construção de mundo) original de Tolkien Sauron teria mais chances de ter permanecido na qualidade de "refugiado em algum plano de magia" indetectável ou entocado/disfarçado em algum buraco ao invés de pegar carona em objetos astronômicos. Elementos astronômicos são muito especiais na obra de Tolkien para serem usados dessa maneira sem que sejam celebrados e mencionados.
Ao que tudo indicam os rumores, não será Sauron no meteoro apesar da paraeidolia do olho de fogo na cratera.


E eu tenho a impressão que a, la Superboy Prime no Legião de 3 Mundos, o Stranger não "pega carona" no meteoro.... ele É O próprio meteoro.

Do mesmo jeito que os anjos rebeldes do comic book da Anastacia Kim na mensagem da Kimberly aí em cima tb eram "meteoros vivos" se precipitando como estrelas cadentes na Terra.


Lembrando que uma coisa que o Tolkien estabeleceu Pós publicação do SdA foi a existência de numerosos Valar e Maiar extraterrenos bem seguindo a linha da Trilogia do Espaço Exterior do C.S. Lewis que é ficção-científica ou science-fantasy:





“EXISTIAM OUTROS, INCONTÁVEIS PARA ALÉM DO NOSSO PENSAMENTO, EMBORA CONHECIDOS E NUMERADOS NA MENTE DE ILÚVATAR, CUJO LABOR JAZ EM OUTRO LUGAR E EM OUTRAS REGIÕES E HISTÓRIAS DO GRANDE CONTO, ENTRE ESTRELAS REMOTAS E MUNDOS ALÉM DO ALCANÇE DO MAIS LONGíNQUO PENSAMENTO. MAS DESSES OUTROS, NÓS NADA SABEMOS E PODEMOS SABER, AINDA QUE OS VALAR DE ARDA, TALVEZ, SE RECORDEM DE TODOS ELES”

“OTHERS THERE WERE, COUNTLESS TO OUR THOUGHT THOUGH KNOWN EACH AND NUMBERED IN THE MIND OF ILUVATAR, WHOSE LABOUR LAY ELSEWHERE AND IN OTHER REGIONS AND HISTORIES OF THE GREAT TALE, AMID STARS REMOTE AND WORLDS BEYOND THE REACH OF THE FURTHEST THOUGHT. BUT OF THESE OTHERS WE KNOW NOTHING AND CANNOT KNOW, THOUGH THE VALAR OF ARDA, MAYBE, REMEMBER THEM ALL.”
 
Última edição:

Kimberly Raabe

Usuário
Ao que tudo indicam os rumores, não será Sauron no meteoro apesar da paraeidolia do olho de fogo na cratera.


E eu tenho a impressão que a, la Superboy Prime no Legião de 3 Mundos, o Stranger não "pega carona" no meteoro.... ele É O próprio meteoro.

Do mesmo jeito que os anjos rebeldes do comic book da Anastacia Kim na mensagem da Kimberly aí em cima tb eram "meteoros vivos" se precipitando como estrelas cadentes na Terra.


Lúcifer, a Estrela da Manhã.

Como caíste do céu, ó estrela da manhã, filho da alva! Como foste lançado por terra, tu que debilitavas as nações!
E tu dizias no teu coração: Eu subirei ao céu, e, acima das estrelas de Deus, exaltarei o meu trono, e, no monte da congregação, me assentarei, da banda dos lados do Norte.
Subirei acima das mais altas nuvens e serei semelhante ao Altíssimo.

Isaías 14:12-14
 

Valinor 2021

Total arrecadado
R$950,00
Meta
R$4.800,00
Termina em:
Topo