1. Caro Visitante, por que não gastar alguns segundos e criar uma Conta no Fórum Valinor? Desta forma, além de não ver este aviso novamente, poderá participar de nossa comunidade, inserir suas opiniões e sugestões, fazendo parte deste que é um maiores Fóruns de Discussão do Brasil! Aproveite e cadastre-se já!

Dismiss Notice
Visitante, junte-se ao Grupo de Discussão da Valinor no Telegram! Basta clicar AQUI. No WhatsApp é AQUI. Estes grupos tem como objetivo principal discutir, conversar e tirar dúvidas sobre as obras de J. R. R. Tolkien (sejam os livros ou obras derivadas como os filmes)

Amazônia Pública: Estrada de Ferro Carajás‏

Tópico em 'Atualidades e Generalidades' iniciado por Elessar Hyarmen, 28 Nov 2012.

  1. Elessar Hyarmen

    Elessar Hyarmen Senhor de Bri

    Por racismoambiental, 27/11/2012 18:10

    O vídeo apresenta a primeira reportagem da série Amazônia Pública. Inaugurada no crepúsculo da ditadura militar, a Estrada de Ferro Carajás, com seus 892 km, liga as minas da Serra dos Carajás (PA) aos portos de Itaqui e Ponta da Madeira, no Maranhão, onde o minério extraído pela Vale S/A é embarcado para exportação. Até 2016, a empresa pretende aumentar a produção de ferro na região de 110 milhões para 230 milhões de toneladas/ano e, para isso, precisa duplicar a ferrovia. Na pressa para concluir o projeto de US$ 19,4 bilhões, esbarra na resistência de movimentos sociais da região, que alertam para os possíveis impactos sociais e ambientais da obra.

    Este conteúdo é limitado a Usuários. Por favor, cadastre-se para poder ver o conteúdo e participar (não demora e não possui custos)


    Fonte:
    Este conteúdo é limitado a Usuários. Por favor, cadastre-se para poder ver o conteúdo e participar (não demora e não possui custos)
     
    Última edição por um moderador: 5 Out 2013
    • Ótimo Ótimo x 1
  2. Pearl

    Pearl Usuário

    A Vale está investindo pesado na região. Inclusive cancelou outros projetos para se concentrar lá. E realmente, o impacto é imenso! Minas que o diga o quanto já sofreu com a exploração de mineral. BH por exemplo não tem vista para isso, mas em Nova Lima dá para ver o impacto no principal cartão postal da cidade, a Serra do Curral. Mas em relação ao transporte, preferivel o impacto da ferrovia em comparação a uma rodovia (que eu acho que é o caso mais comum).
     

Compartilhar