1. Caro Visitante, por que não gastar alguns segundos e criar uma Conta no Fórum Valinor? Desta forma, além de não ver este aviso novamente, poderá participar de nossa comunidade, inserir suas opiniões e sugestões, fazendo parte deste que é um maiores Fóruns de Discussão do Brasil! Aproveite e cadastre-se já!

Dismiss Notice
Visitante, junte-se ao Grupo de Discussão da Valinor no Telegram! Basta clicar AQUI. No WhatsApp é AQUI. Estes grupos tem como objetivo principal discutir, conversar e tirar dúvidas sobre as obras de J. R. R. Tolkien (sejam os livros ou obras derivadas como os filmes)

Alguns contos

Tópico em 'Clube dos Bardos' iniciado por Sammael, 4 Mai 2010.

  1. Sammael

    Sammael Usuário

    Olá.
    Achei o forum de vocês através do google e gostaria de dividir alguns contos que escrevi com vocês.

    http://www.routezzero.com

    Obrigado e espero que aproveitem os textos ^^
     
  2. Lana Lane

    Lana Lane Usuário

    Oi. Li teus contos.
    Acho que o que li foram duas histórias. Uma é a Terra dos Esquecidos e The Land of the Dreamers e a outra é Jin Raven Strings, é isso?
    Gostei muito de Terra dos Esquecidos e estou querendo saber quando é que vai continuar! :pipoca:

    Imagino que Jin Raven Strings não tem nada a ver com a outra história, mas achei bem interessante. Tu vai continuar escrevendo esse também?
    Porque as postagens são do ano passado e de janeiro desse ano. Já faz tempo que tu não escreve lá, hein?!

    Então, agora a parte chata, mas eu vou falar porque eu gostei das histórias que tu criou. Teu texto precisa urgente de revisão. Tem muita repetição de palavras, algumas frases precisam ser reformuladas, e coisas do gênero. Probleminhas de Português e um cuidado maior para o texto não ficar cansativo.
    Desculpa ser tão direta na crítica, mas só estou dizendo isso porque eu realmente gostei das tuas histórias e se tu pretende continuar, o que eu, definitivamente, espero que sim, um cuidado maior vai dar mais brilho ao texto e prender a atenção do leitor.
     
  3. Sammael

    Sammael Usuário

    Assim. a História do Jin foi uma coisa separada, é o background de uma personagem que criei.
    agora que você falou isso, eu percebi que coloquei o sub-título do "Land of the Dreamers" errado, já que tinha escolhido deixar todos eles em português... Vou corrigir já x)
    A continuação da Terra dos Esquecidos é o "Land of the Dreamers" que por sinal eu tenho que continuar. Tenho um sério problema como escrevo. Sempre me enrolo no meio.
    Vou prestar atenção nesses textos e revisar todos que já estão no blog, e possivelmente continuar a série x)
    Obrigado pelos conselhos Lana!

    PS: tenho um outro conto que foi publicado numa Antologia.
     
  4. Tayana

    Tayana Usuário

    Sammael, tem um tópico para divulgação de blogs e tals...^^

    POsta alguns de seus textos aqui por escrito fica mais legal...^^

    :rofl:
     
  5. Lana Lane

    Lana Lane Usuário

    Boa a idéia da Tay. :)

    Sammael, dá uma revisada neles e vai postando aqui. Pode ser como tu fez no blog. Vai por capítulos. Aí, se tu quiser uma ajudinha e uns pitacos, tamos aí! :sim:
     
  6. Sammael

    Sammael Usuário

    farei isso então! conforme eu revisar, eu vou postando aqui
    vlw gente!
    aonde é o tópico de blogs? oO

    EDIT: Nossa, mas como eu ponho "-me" nos textos... mas não consigo ver uma forma de tira-los. Daqui a pouco coloco a revisão do prológo aqui. Tu me da sua opnião, Lana?
     
  7. Sammael

    Sammael Usuário

    Prologo [Revisado]

    Estava tão animado... Era uma tarde normal de outono e estavamos juntos... Ela estava sentada no metrô, esperando que chegassemos logo a Estação Baker Street. Sempre quieta e eu gostava de observá-la... Crescemos juntos e comecei a sentir algo por ela. Era tão bela... Ela tinha um olhar sereno em um tom azul-claro muito raro, os cabelos quase prateados, tinha uma voz doce. Eu podia passar o dia todo olhando-a, por todo o tempo. Eu não queria perdê-la jamais... Ela ergueu um tanto a cabeça, olhou-me, ficando com a face rubra, por eu estar observando-a tanto... Deu um sorriso curto e me abraçou.

    Finalmente havíamos chegado.... Animado, saí do metrô puxando-a pela mão. Aquela estação era tão diferente! Os ladrilhos com a face de Sherlock Homes estilizada. Valia a pena toda a viagem. Saimos da estação, olhando a imponente estatua de, claro, Sherlock. Olhei a novamente, e percebi que tinha uma sacola em mãos. Éramos jovens... tinhamos 15 anos. Caminhamos juntos, tranquilos, em direção à Regent’s Park.

    Tudo estava calmo... uma brisa suave soprava pelo parque, e podíamos ver as folhas cair... Sentamos embaixo de uma árvore, e eu acariciava seus cabelos... Ela ergueu o olhar direcionando-o à minha face, sentando-se de frente a mim tirando uma caixa da sacola entregando-a e me dando um rápido e tímido beijo. Fiquei sem graça por não ter trazido nada a ela. E ao abrir a caixa, deparei-me com uma adaga, com o cabo prateado, com uma cruz templária adornando-a.

    Sorri em agradescimento e houve uma explosão... gritos... o céu tornara-se negro... Raios cortavam os céus, num tom rubro. Levantei-me, segurando-a proximo a mim, guardando o presente em um dos bolsos de minha calça. De dentro do lago, um imenso anel de pedra surgia. Comecei a afastar-me, puxando-a comigo para longe daquilo. Instinto de sobrevivência. Alguns ficavam próximos, curiosos quando olho para trás, chamas tomaram conta do interior daquele anel de pedra e dele sairam, queimando aqueles que estavam próximos. Segurei mais forte a sua mão e saí correndo dali. Não olhei mais para trás, apenas queria voltar pra casa. Seguro, com ela. Mas não aconteceu...

    (...)

    Acordei assustado e suando frio, num sobre-salto, acertando minha cabeça na cama acima no alojamento... Tentava controlar a respiração. Novamente sonhei com aquele dia. Eu ainda não consegui esquecê-la e nem entendo como a perdi. Estávamos juntos, próximos à estação e fomos separados. Ela nunca voltou para sua casa. Peguei a adaga que ela me dera, sempre comigo, embaixo de meu travesseiro. Foi muito util nesses anos de batalha. Passaram-se 10 anos desde aquele dia. O dia que os Portões do Inferno abriram. O dia que a Humanidade tornou-se escrava dos caprichos demoníacos. O dia que percebemos que anjos não existem....

    Levantei e caminhei pelo apertado quarto. Uma dúzia de rapazes dormia ali. Anos atrás, eramos apenas jovens comuns. Do tipo que não chamaria atenção na multidão, e teria uma carreira comum, uma família comum, uma vida comum. Hoje somos soldados. Lutávamos por uma causa única. Libertação. Éramos cerca de 150 pessoas e estavamos em um dos poucos lugares “seguros” para humanos. A Abadia de Westminster. Não sabíamos por quê, mas eles não conseguiam se aproximar deste lugar e demarcamos esse perímetro, mas sabíamos que um dia eles iriam conseguir entrar aqui. Seja eles mesmos ou seus servos humanos, que preferiram se ajoelhar.

    Tomei uma rápida ducha e me juntei aos outros no refeitório. Sentei ao lado de Victor, amigo e confidente ali dentro, além de ser um dos cientistas de nossa cidadela. Ele era um gênio e junto com o resto do pessoal de pesquisa, inventou armas, armadilhas, ferramentas, tudo para ajudar em nossa luta. Desenvolvemos tecnologias incríveis nos ultimos 5 anos. Coisas que nunca imaginaríamos, se não fosse uma necessidade, alguém disse que o homem evolui muito mais em tempos de Guerra no que nos tempos de Paz e concordo plenamente. Victor observou-me, e falou baixo “Novamente aquele sonho meu amigo?”. Olhei-o e menei a cabeça, concordando. Ele suspirou pesadamente e calou-se, terminando sua refeição e saindo, dando dois tapinhas em minhas costas tentando me animar. Quando ia levantar, senti meus olhos serem cobertos por mãos, macias, suaves, um riso feminino atrás de mim. Soltei as mãos dela e virei-me “Charlotte...”. Perdi em meus pensamentos ao ver aquela bela mulher. Cabelos ruivos longos, em uma trança e os olhos verdes, um corpo que facilmente, fora desse inferno, teria uma vida de luxo como modelo, ou arrasaria corações. Aqui ela era como eu, um soldado. Mas o jeito que ela agia comigo, eu percebia que ela se interessava por mim. Sai de minha confusão de pensamentos ao ouvi-la: “Shay, Shay... por que ta com essa carinha denovo hein? Já sei o que você precisa... vem comigo!” E riu, me puxando pela mão pra fora do refeitório. Ela me puxava pra sala de briefing, onde algumas pessoas nos aguardavam. Anos atrás, eu era apenas um jovem comum, com cabelos castanhos e sonhos. Hoje era um soldado, que lutava pela única causa justa que a Terra já havia presenciado em uma guerra. E nós, nessa pequena sala, tinhamos um mais trabalho a fazer.
     
  8. Lana Lane

    Lana Lane Usuário

    Hmmm, seguinte, vamos por partes. Tu começou a história narrando tudo em primeira pessoa, mas quando foi para o Livro II, tu passou a narrar na terceira pessoa. Isso foi proposital? Na minha opinião, ficaria melhor escolher um ou outro.

    Desculpa se estou sendo metida, mas tu já terminou o ensino médio? É que tem alguns errinhos de português no texto. Um monte de acentos faltando. Agradecimento não tem o "s" antes do "c".
    Vou fazer o seguinte, mas vai ter que ser mais tarde, quando estiver em casa. Assim, não sou professora de português, então não sei explicar direito e com regras, os porquês de algumas frases estarem mal formuladas. Mas estou muito acostumada a revisar textos. Então, vou pegar teu texto, colocar as mudanças que acredito devem ser feitas em destaque, e te mando por mp, pode ser? Aí acho que tu vai conseguir perceber o que eu estou dizendo sobre a repetição e a formulação das frases. Que tal?
     
  9. Sammael

    Sammael Usuário

    muito obrigado Lana. Sim terminei o ensino médio, mas sabe como tem erros que passam e não dá pra perceber (inclusive esse agradeScimento meu, que tenho que arrumar.)
    Sim, eu comecei o texto em terceira e fui pra primeira. Eu tenho esse vício em escrever em terceira pessoa, pensei que estava cansativo e então mudei pra primeira pessoa no Livro II.
    Estou até pensando em reformular o texto todo, já que tive algumas idéias novas para o Livro I.
    Claro, sua revisão será muito bem vinda, afinal por que eu reclamaria de alguem que tem um domínio melhor da língua me ajudar? x)
     
  10. Lana Lane

    Lana Lane Usuário

    Então, te mandei uma mp. :)
     
  11. JLM

    JLM mata o branquelo detta walker

    apóio a sugestão postar um conto por tópico, geralmente no começo, pois daí vc terá mais feedback dos leitores do fórum, afinal, nem todos aqui visitam blogs alheios (eu sou 1 desses), mas mtos lêem oq se posta aqui. think about.
     

Compartilhar