1. Caro Visitante, por que não gastar alguns segundos e criar uma Conta no Fórum Valinor? Desta forma, além de não ver este aviso novamente, poderá participar de nossa comunidade, inserir suas opiniões e sugestões, fazendo parte deste que é um maiores Fóruns de Discussão do Brasil! Aproveite e cadastre-se já!

Dismiss Notice
Visitante, junte-se ao Grupo de Discussão da Valinor no Telegram! Basta clicar AQUI. No WhatsApp é AQUI. Estes grupos tem como objetivo principal discutir, conversar e tirar dúvidas sobre as obras de J. R. R. Tolkien (sejam os livros ou obras derivadas como os filmes)

Autor da Semana Algernon Blackwood

Tópico em 'Generalidades Literárias' iniciado por Clara, 18 Jul 2013.

  1. Clara

    Clara Antifa Usuário Premium

    Algernon Blackwood é um escritor inglês mais conhecido pelas histórias sobrenaturais e de horror que escreveu.
    Sobre ele H.P.Lovecraft escreveu: “Da qualidade do gênio de Blackwood ninguém duvida, pois ninguém jamais se aproximou sequer da habilidade, seriedade e minuciosa fidelidade com que ele registra as nuances de estranheza em coisas e experiências ordinárias, ou a percepção sobrenatural com que constrói, detalhe a detalhe, as sensações e percepções completas que levam da realidade à vida ou à visão sobrenatural.”



    Este conteúdo é limitado a Usuários. Por favor, cadastre-se para poder ver o conteúdo e participar (não demora e não possui custos)



    Algernon Blackwood Henry (14 de março de 1869 - 10 de dezembro de 1951) nasceu em Shooter's Hill, um pequeno vilarejo próximo a Londres, em uma austera família calvinista, talvez seja um dos mais notáveis escritores de horror de todos os tempos. Infelizmente, hoje ele não é tão lembrado quanto outros mestres de sua época. Apenas algumas de suas mais conhecidas estórias foram traduzidas para o português. Uma pena, pois deixou mais de 100 contos e estórias curtas que são verdadeiros clássicos da literatura fantástica.

    Ao longo da vida Blackwood teve diversas ocupações: aventureiro, empreendedor, viajante, místico, apresentador de rádio e televisão para citar apenas algumas. Mas foi como ensaísta e depois autor que ele encontrou fama e reconhecimento. Ele escreveu ao longo de sua carreira mais de 10 antologias de contos sobrenaturais, muitos dos quais encenados no palco ou transmitidos por rádio e diversos romances de sucesso.
    Quem o conheceu conta que em vida era um sujeito notável: educado, culto, sempre disposto a ouvir os fãs e trocar idéias com novos escritores em busca de conselhos sobre a carreira. Os personagens em seus contos eram um reflexo de si mesmo. Blackwood era um amante da vida selvagem, apreciava fazer trilhas, acampar e esquiar.

    Um dos principais interesses de Blackwood eram os fantasmas, interesse que provavelmente se desenvolveu ainda na juventude, quando estudou filosofia hindu e ocultismo.

    Vários de seus contos se dedicam a manifestações fantasmagóricas, tema que muito o fascinava. Amigos íntimos afirmam que ele acreditava no sobrenatural e frequentava círculos de discussão sobre o assunto como ouvinte e em algumas vezes como palestrante disposto a compartilhar suas teorias sobre o "mundo espectral". Ele fez parte de sociedades de estudo do sobrenatural como o
    Este conteúdo é limitado a Usuários. Por favor, cadastre-se para poder ver o conteúdo e participar (não demora e não possui custos)
    e abordou o tema em seu romance "
    Este conteúdo é limitado a Usuários. Por favor, cadastre-se para poder ver o conteúdo e participar (não demora e não possui custos)
    ". Blackwood também fez parte da renomada
    Este conteúdo é limitado a Usuários. Por favor, cadastre-se para poder ver o conteúdo e participar (não demora e não possui custos)
    , a mais famosa Sociedade Mística do século XIX.

    O que chama a atenção na obra de Blackwood é a forma como ele trata os lugares onde se passam suas estórias. Ele privilegia as paisagens campestres e áreas rurais intocadas do mundo, lugares imersos em uma essência primordial. Florestas densas, pântanos ermos, rios estagnados, montanhas rochosas que nunca foram exploradas pelo homem e onde ele não é bem vindo. A paisagem desenhada por Blackwood é quase um personagem atuante na trama, agindo como um organismo vivo que repudia a presença dos personagens. Blackwood não apenas descreve o ambiente, mas evoca uma sensação de ameaça pois tudo é absolutamente escuro, sinistro, assombroso.

    A região pantanosa que cerca o rio Danúbio em "Os Salgueiros" "
    Este conteúdo é limitado a Usuários. Por favor, cadastre-se para poder ver o conteúdo e participar (não demora e não possui custos)
    " - seu conto mais famoso - é descrita como um verdadeiro inferno, repleto de sons e sensações perturbadoras. Não há escapatória desses bancos de areia cercados por água barrenta. Não por acaso "Os Salgueiros" é considerada por muitos uma das melhores estórias de horror sobrenatural de todos os tempos, e era o conto favorito de H.P. Lovecraft.

    Outra coisa interessante é que Blackwood lida com um tipo bem específico de horror: o pavor do desconhecido, daquilo que não pode ser compreendido, quantificado ou ponderado racionalmente. É sem dúvida um tema recorrente entre os autores do Mythos, mas Blackwood consegue se destacar ao tratar do assunto.

    Os monstros que espreitam em suas estórias aparecem como vultos fantasmagóricos e presenças intangíveis que nunca são vistos inteiramente. Eles agem deixando apenas indícios de sua passagem e rastros de seu horror nada mais. Ele se dá ao luxo de jamais explicar o que são os seus horrores, o que querem, de onde surgiram... são horrores, são abominações e isso basta.

    O leitor nunca sabe exatamente o que são as criaturas que habitam o pântano em "Os Salgueiros". O leitor jamais sabe o que deseja o Wendigo no conto de mesmo nome "
    Este conteúdo é limitado a Usuários. Por favor, cadastre-se para poder ver o conteúdo e participar (não demora e não possui custos)
    . Mesmo em narrativas com um suposto motivo ou explicação como “
    Este conteúdo é limitado a Usuários. Por favor, cadastre-se para poder ver o conteúdo e participar (não demora e não possui custos)
    ”, “
    Este conteúdo é limitado a Usuários. Por favor, cadastre-se para poder ver o conteúdo e participar (não demora e não possui custos)
    ” e “
    Este conteúdo é limitado a Usuários. Por favor, cadastre-se para poder ver o conteúdo e participar (não demora e não possui custos)
    ” simplesmente há muitas lacunas deixadas incompletas, muitos mistérios em aberto. Algo proposital como se não houvesse luz suficiente para iluminar as trevas do desconhecido.


    Obras

    Este conteúdo é limitado a Usuários. Por favor, cadastre-se para poder ver o conteúdo e participar (não demora e não possui custos)
    no site do Projeto Gutemberg (em inglês)

    No Brasil, a editora Record publicou em 2001 a coletânea A Casa do Passado, com tradução e organização de Heloísa Seixas, é uma coletânea com dez contos de Blackwood e que traz aquele que é talvez o mais famoso conto do escritor: "Os Salgueiros".

    Este conteúdo é limitado a Usuários. Por favor, cadastre-se para poder ver o conteúdo e participar (não demora e não possui custos)


    Apesar de esgotada, a edição ainda pode ser encontrada em sebos.


    Ficção e Novelas, em inglês


    Ficção



    • The Empty House and Other Ghost Stories (1906); original collection
    • The Listener and Other Stories (1907); original collection
    • John Silence (1908); original collection; reprinted with added preface, 1942
    • The Lost Valley and Other Stories (1910); original collection
    • Pan's Garden: a Volume of Nature Stories (1912); original collection
    • Ten Minute Stories (1914a); original collection
    • Incredible Adventures (1914b); original collection
    • Day and Night Stories (1917); original collection
    • Wolves of God, and Other Fey Stories (1921), honorarily coauthored with Wilfred Wilson; original collection
    • Tongues of Fire and Other Sketches (1924); original collection
    • Ancient Sorceries and Other Tales (1927a); selections from previous Blackwood collections, and pre-publication abridgment of 1932's planned The Willows and Other Queer Tales
    • The Dance of Death and Other Tales (1927b); selections from previous Blackwood collections; reprinted as 1963's The Dance of Death and Other Stories
    • Strange Stories (1929); selections from previous Blackwood collections
    • Short Stories of To-Day & Yesterday (1930); selections from previous Blackwood collections
    • The Willows and Other Queer Tales (1932); selected by G. F. Maine from previous Blackwood collections
    • Shocks (1935); original collection
    • The Tales of Algernon Blackwood (1938); selections from previous Blackwood collections, with a new preface by Blackwood
    • Selected Tales of Algernon Blackwood (1942); selections from previous Blackwood collections (not to be mistaken for the identical title to a 1964 Blackwood collection)
    • Selected Short Stories of Algernon Blackwood (1945); selections from previous Blackwood collections
    • The Doll and One Other (1946); original collection
    • Tales of the Uncanny and Supernatural (1949); selections from previous Blackwood collections
    • In the Realm of Terror (1957); selections from previous Blackwood collections
    • The Dance of Death and Other Stories (1963); reprint of 1927's The Dance of Death and Other Tales
    • Selected Tales of Algernon Blackwood (1964); selections from previous Blackwood collections (not to be mistaken for the identical title to a 1942 Blackwood collection)
    • Tales of the Mysterious and Macabre (1967); selections from previous Blackwood collections
    • Ancient Sorceries and Other Stories (1968); selections from previous Blackwood collections
    • Best Ghost Stories of Algernon Blackwood (1973), selected and introduced by Everett F. Bleiler; selections from previous Blackwood collections; includes Blackwood's own preface to 1938's The Tales of Algernon Blackwood
    • The Best Supernatural Tales of Algernon Blackwood (1973); selected and introduced by Felix Morrow; selections from 1929's Strange Stories
    • Tales of Terror and Darkness (1977); puts together Tales of the Mysterious and Macabre and Tales of the Uncanny and Supernatural.
    • Tales of the Supernatural (1983); selected and introduced by Mike Ashley; selections from previous Blackwood collections
    • The Magic Mirror (1989); selected, introduced, and notes by Mike Ashley; original collection
    • The Complete John Silence Stories (1997); selected and introduced by S. T. Joshi; reprint of 1908's John Silence (without the preface to the 1942 reprint) and the one remaining John Silence story, "A Victim of Higher Space"
    • Ancient Sorceries and Other Weird Stories (2002); selected, introduced, and notes by S. T. Joshi; selections from previous Blackwood collections
    • Algernon Blackwood's Canadian Tales of Terror (2004); selected, introduced, with notes by John Robert Colombo; eight stories of special Canadian interest plus information on the author's years in Canada


    Novelas


    • Jimbo: A Fantasy (1909a)
    • The Education of Uncle Paul (1909b)
    • The Human Chord (1910)
    • The Centaur (1911)
    • A Prisoner in Fairyland (1913); sequel to The Education of Uncle Paul
    • The Extra Day (1915)
    • Julius LeVallon (1916a)
    • The Wave (1916b)
    • The Promise of Air (1918a)
    • The Garden of Survival (1918b)
    • The Bright Messenger (1921); sequel to Julius LeVallon
    • Dudley & Gilderoy: A Nonsense (1929)

    Fonte, sites:
    Este conteúdo é limitado a Usuários. Por favor, cadastre-se para poder ver o conteúdo e participar (não demora e não possui custos)
    e
    Este conteúdo é limitado a Usuários. Por favor, cadastre-se para poder ver o conteúdo e participar (não demora e não possui custos)
     

    Arquivos Anexados:

    • 113509.jpg
      113509.jpg
      Tamanho do arquivo:
      40,8 KB
      Visualizações:
      45
    Última edição: 18 Jul 2013
    • Ótimo Ótimo x 4

Compartilhar