1. Caro Visitante, por que não gastar alguns segundos e criar uma Conta no Fórum Valinor? Desta forma, além de não ver este aviso novamente, poderá participar de nossa comunidade, inserir suas opiniões e sugestões, fazendo parte deste que é um maiores Fóruns de Discussão do Brasil! Aproveite e cadastre-se já!

Dismiss Notice
Visitante, junte-se ao Grupo de Discussão da Valinor no Telegram! Basta clicar AQUI. No WhatsApp é AQUI. Estes grupos tem como objetivo principal discutir, conversar e tirar dúvidas sobre as obras de J. R. R. Tolkien (sejam os livros ou obras derivadas como os filmes)

Alemanha deve quitar última dívida da Primeira Guerra Mundial no domingo

Tópico em 'Atualidades e Generalidades' iniciado por Morfindel Werwulf Rúnarmo, 29 Set 2010.

  1. Morfindel Werwulf Rúnarmo

    Morfindel Werwulf Rúnarmo Geofísico entende de terremoto

    A Alemanha vai finalmente pagar sua última dívida da Primeira Guerra Mundial (1914-18) neste domingo, no 20º aniversário da reunificação alemã.

    O escritório federal alemão para serviços centrais e assuntos não resolvidos de propriedade (BADV, na sigla em alemão) disse nesta terça-feira que um título emitido para pagar as dívidas restantes do conflito dever ser pago em 3 de outubro, duas décadas após as Alemanhas Oriental e Ocidental se unificarem.

    A última parcela de 70 milhões de euros (R$ 162,6 milhões) vão encerrar uma novela de 92 anos, na qual a Alemanha mergulhou em uma ditadura totalitária e provocou a Segunda Guerra Mundial (1939-45), que terminou com a divisão do país durante quatro décadas de Guerra Fria.

    O Tratado de Versalhes, acordo de paz assinado pela Alemanha e os Aliados em 1919, tornou a Alemanha sozinha responsável pela Primeira Guerra, exigindo que pagasse reparações pelos danos causados aos países aliados e seus povos entre 1914 e 1918.

    A soma foi fixada em 1921 em cerca de 6,6 milhões de libras (R$ 17,85 milhões), uma alta quantia para a época, que muitos historiadores argumentaram estar além das possibilidades da Alemanha.

    Houve esforços para reduzir a quantia, principalmente com o Plano Dawes, em 1924, e o Plano Young, em 1929, durante os quais Berlim recebeu empréstimos para cumprir os pagamentos de indenização.

    Mas o fardo pesado demais desencadeou um ressentimento massivo na Alemanha e ajudou a alimentar o crescimento de Adolf Hitler e de seu Partido Nazista.

    A Alemanha parou de pagar a indenização sob o comando dos nazistas, e os aliados ocidentais --EUA, França e Reino Unido-- chegaram a um novo acordo sobre as dívidas externas alemãs em 1953.

    O acordo de Londres estipulou que algumas dívidas não deveriam ser pagas até que a Alemanha se reunificasse, disse o BADV.

    Este conteúdo é limitado a Usuários. Por favor, cadastre-se para poder ver o conteúdo e participar (não demora e não possui custos)
     
  2. Menegroth

    Menegroth Bocó-de-Mola

    Olha só, eu havia me esquecido disso. Sozinha né?
    Quer dizer, duas guerras culpa da Alemanha? não concordo.
     
  3. Morfindel Werwulf Rúnarmo

    Morfindel Werwulf Rúnarmo Geofísico entende de terremoto

    Foi só por ter perdido.
     
  4. Tonho Hammond

    Tonho Hammond Molusco

    o Paraguai ainda não pagou a dívida com o Brasil, rs.

    o mais engraçado com essas dívidas históricas são as dívidas do brasil colônia com a inglaterra que são anuais sem data estipulada para o término, rsrsrs
     
    Última edição: 29 Set 2010
  5. Fúria da cidade

    Fúria da cidade ㅤㅤ ㅤㅤ ㅤㅤ

    Eu queria saber é a divida que os EUA tem com boa parte do mundo roubando praticamente metade do antigo do território mexicano incluindo o rico estado da California, ter feito um baita estrago no Iraque só por causa do Saddam Hussein, as bombas atômicas em Hiroshima e Nagasaki entre tantas coisas.

    Isso tudo passou batido.
     
  6. Neoghoster Akira

    Neoghoster Akira Brandebuque

    Nos anos 20, um milhão de dólares era coisa para bilionário. Imagina 6 milhões de libras...

    Voltando ao assunto... Vale analisar o que mudou com isso e o que vai mudar dentro da europa.
     

Compartilhar