1. Caro Visitante, por que não gastar alguns segundos e criar uma Conta no Fórum Valinor? Desta forma, além de não ver este aviso novamente, poderá participar de nossa comunidade, inserir suas opiniões e sugestões, fazendo parte deste que é um maiores Fóruns de Discussão do Brasil! Aproveite e cadastre-se já!

Dismiss Notice
Visitante, junte-se ao Grupo de Discussão da Valinor no Telegram! Basta clicar AQUI. No WhatsApp é AQUI. Estes grupos tem como objetivo principal discutir, conversar e tirar dúvidas sobre as obras de J. R. R. Tolkien (sejam os livros ou obras derivadas como os filmes)
  1. Já que esta área do fórum foi criada para perguntas e respostas de todo o tipo de perguntas, vou fazer uma pergunta idiota da qual eu quase já sei a resposta. Como não li o Silmarillion e não sei se lá vai explicar, o que é ainur? :ahn?:
     
  2. Fingolfin

    Fingolfin Feitiço de Áquila

    É a raça dos "seres celestiais" explicando mal e porcamente. São os seres criados pelo Eru Iluvatar, que vieram para Eä na sua criação. Os maiores são chamados de Vala e os menores de Maia.

    Sauron, Gandalf, Saruman eram Maiar.
     
  3. Marco

    Marco may the force be with... wait

    Bom, não sou um especialista mas vou citar o que me lembro de quando li o Silmarillion.

    No início só existia Illuvatar, ele criou os Ainur, estes viviam no vazio com Illuvatar.
    Em determinado momento os Ainur começaram a entoar uma melodia para Illuvatar e, sob a orientação dele, essa melodia foi se desenvolvendo e gerando imagens do que viria a ser Arda, o mundo. Os Ainur encantados pelas visões de Arda queriam conhecer aquele mundo tão belo que haviam compartilhado na canção celestial. Com a ajuda de Illuvatar criaram o mundo e entraram no mesmo onde foram chamados de Valar, uma espécie de panteão dos deuses em Arda.

    Entre os Ainur, ou Valar estão Manwë, Varda, Yavanna, Aulë, Ulmo, Irmo, Estë, Mandos entre outros... Cada um responsável por uma parte da criação do mundo na canção celestial...

    Não sei se ficou muito confuso, mas é que tá beeem resumidão...
     
    Última edição: 26 Jan 2006
  4. Fingolfin

    Fingolfin Feitiço de Áquila

    Tem um errinho aí... vc disse Ainur ou Valar como se fossem a mesma coisa mas não é

    Todos os Valar são Ainur mas nem todo Ainu é um Vala. Ainu é a raça deles, enquanto Vala e Maia são títulos que eles recebem. Vala foi o apelido ou o título dado aos Ainur mais poderosos mas os Maiar tb eram Ainur.
     
  5. Primula

    Primula Moda, mediana, média...

    mas nem todos os ainur vieram para Eä, né Golfinho?
     
  6. Aracáno Elessar

    Aracáno Elessar Nietzsche

    Ainur são os Sagrados, são seres da Primeira Criação, provenientes da Mente de Eru Ilúvatar. A denominação Ainu é um termo quenya, significando "Sagrado". Como já vieram a dizer neste mesmo tópico, este "grupo" abrange tanto os Maiar (Os Belos) quanto os Valar (Os Poderes). A criação física de Arda (Reino da Terra) veio do pressuposto de suas mentes durante Ainulindalë (A canção do Ainur), sendo eles também responsáveis pela regência de Arda.
    Dentre as separações os Poderes são os regentes-mor, enquanto os Belos são seus assistentes.
    Espero ter esclarecido um pouco mais sobre assunto a vocês meus amigos.

    Abraços.
     
  7. Marco

    Marco may the force be with... wait

    Na verdade eu coloquei "Ainur ou Valar", porque tinha acabado de citar que os Ainur, ao entrarem em Arda, passaram a ser demoniados de Valar. Apenas para deixar claro que os Valar eram Ainur. Mas realmente ficou confuso, sorry! 8-O
     
  8. Aracáno Elessar

    Aracáno Elessar Nietzsche

    Na verdade o nome Vala advém do quenya, sendo assim é a denominação que os quendi deram a essa classe de Ainur.
    Ao entrarem em Arda não haveria denominação nem discriminação de grau.

    Abraços.
     
  9. Antigo Istari

    Antigo Istari Usuário

    Uma dúviva... todos entre os Ainur participaram da Grande Música (e consequentemente no "planejamento" de Arda) ou apenas os Valar ou outro grupo restrito?
     
  10. Mith

    Mith This server is too busy!

    Se eu não me engano, alguns Ainur decidiram ficar com Eru enquanto os Valar arrumavam Ëa. :think:
     
  11. Antigo Istari

    Antigo Istari Usuário

    Desculpe Mith, não me expressei bem,:oops: eu quis dizer se todos os Ainur tiveram parte na canção celestial, ainda quando Eä era apenas uma "visão"
     
  12. Mith

    Mith This server is too busy!

    Ahh, sim. Tiveram participação sim. Aí houve a Dissonância e tal =) Certo?

    E não precisa de desculpar ^^
     
  13. _Eldariel_

    _Eldariel_ Usuário

    Todos os Ainur participaram da Grande Música sim, cada um cantava na música a parte do pensamento de Eru da qual proviam; no início da canção, os Ainur cantavam sozinhos, ou apenas alguns agrupados, depois, com o tempo cada um foi entendendo o outro e passaram a cantar em conjunto.
    Após a dissonância causada por Melkor, Eru fala duas vezes, e depois disso apresenta a eles a Chama Impercível, muitos se encantaram por ela, e estes foram os chamados Valar (Poderes) que vêem para Arda; e Eru liga os poderes de Arda a esta, a vida dos Valar dependeria de Arda e a vida de Arda deles. Os Maiar eram também Ainur porém que possuiam um poder menor.

    Os Ainur em geral porém ainda são uma incógnita, pelo seguinte: há quem veja os Ainur como deuses menores e maiores entre si, todos inferiores a Eru. Mas há quem trate os Ainur como anjos, já que Tolkien se refere a eles apenas como "seres angelicais".

    Aqui colocarei uma parte da carta 131, traduzida, na qual Tolkien tenta fazer uma explicação sobre os Valar:

    "Estes últimos são, como diríamos nós, poderes angélicos, cuja função é exercer a autoridade delegada em suas esferas (de domínio e governo, não criação, fazer ou refazer). São "divinos", isto é, originalmente estavam "fora" e existiam "antes" de ser feito o mundo. Seu poder e sua sabedoria derivam-se do seu Conhecimento do drama cosmogônico, que perceberam primeiro como drama (ou seja, de certo modo como nós percebemos uma história composta por outrem), e mais tarde como "realidade". Pelo aspecto da mera estratégia narrativa, é claro que isto foi feito para proporcionar seres da mesma ordem de beleza, poder e majestade que os "deuses" da alta mitologia, que ainda assim podem ser aceitos – bem, digamos apenas aceitos, por uma mente que creia na Sagrada Trindade."


    E aqui uma nota, do original Apendix dos HoME onde Christopher fala sobre os Valar:

    "(...) Ainur Among the original entries in QL am ainu 'a pagan
    god' and aini 'a pagan goddess'
    , together with dye 'hail! '
    and Ainatar 'Iluvatar, God'. (Of course no one within
    the context of the mythology can call the Ainur 'pagan'.)
    * Later Quenya and Sindarin forms am only exceptionally mentioned.
    For such words see the vocabularies given in An Introduction to Elvish,
    ed. J. Allan, Bran's Head Books, 1978; also the Appendix to The Sil-
    marillion."(...)

    Onde Christopher fala que a melhor alternativa que poderia retirar das notas do pai seria de "um deus pagão", embora não fosse isso que Tolkien quisesse representar, e o que foi posteriormente mudado.
    Portanto defino que Valar sejam simplismente poderes, em sua nova mitologia Anglicana.
    Namárië.

    Nai Valar laituvar lë.
     
  14. Antigo Istari

    Antigo Istari Usuário

    Obrigado Fairy, Mith e todos os outros!:abraco: Realmente estou adorando o fórum! Dá sempre para aprender um pouco mais sobre Tolkien e as obras!

    (Como acho que já não é tão relativo aos Ainur criarei um outro tópico com uma nova dúvida que me surgiu - estou lendo o Silmarillon há 2 dias :mrgreen: -, mais especificamente sobre Eru)

    Obs.: Eu vejo os Ainur como "deuses inferiores", pois levando em consideração a concepção judaico-cristã de anjos, eles seriam seres que apenas executariam trabalhos em nome do deus e não poderiam criar por suas próprias vontades, não sei se está certo é uma opinião pessoal.
     
  15. _Eldariel_

    _Eldariel_ Usuário

    Estamos aqui para sermos amigos e ajudar nas dúvidas!:abraco:

    POXA! Antigo Istari, não poderia estar em uma opinião melhor, pois a exata contradição que existe é essa, os anjos da crença cristã são submetidos diretamente a vontade de seu Deus, não podendo agir sem a aprovação dele. Embora os Valar também agissem por vontade de Eru, não tinham uma ligação direta com este.
    E os deuses menores (pagãos) também seguiam uma divindade maior, mas com uma liberdade maior.
    Mas como disse, este assunto dá uma margem de interpretação grande, cada um achará o fator que relacionará mais aos Valar, ou anjos ou deuses.

    Namárië.
     
  16. Finarfin

    Finarfin Usuário

    Nem todos os anjos eram submissos. Veja o caso de Lúcifer.


    EDIT: Aliás, uma comparação dele com Melkor é inevitável.
     
  17. _Eldariel_

    _Eldariel_ Usuário

    Sim com certeza, e foi isso que eu disse, o fato de eles não terem uma ligação tão direta dava liberdade a eles fazerem coisas ousadas (nos limites que não ultrapassassem os desígnios de Eru); ou até mesmo se rebelar, como no caso de Melkor. Tanto é que na primeira vez que Eru se dirige aos Ainur, que ele interrompe a melodia, por causa da dissonância, ele sorri, e não repreende.
    Já os anjos de concepção cristã agiam apenas sob o mandato de Deus; ou como na mitologia grega, de onde proveio a cristã, que os anjos, ou querubins só agiam sob mandato de seu deus.
     
  18. Aracáno Elessar

    Aracáno Elessar Nietzsche

    Lembrando que Lúcifer não é compreendido por Jeová ao rebelar-se, diferente de Melkor, que ouve de Eru palavras que dizem ser ele nada mais que parte dos planos do mesmo para . Sendo assim, mesmo havendo essa infeliz comparação, assim como trechos citados por Fairy da Carta 131, Tolkien não desejava colocar religião ou principios morais pré-existentes em sua mitologia.
    Desta forma vemos, e podemos interpretar de forma mais profunda os seres de sua obra.

    Abraços.
     
  19. Agradeço a todos pela ajuda :abraco: . Realmente quase todas as minhas dúvidas foram respondidas (e só não foram respondidas todas porque isso custaria muitos posts e discussões :joy: ).

    Bom... ao meu ver os ainur são como anjos, mas ao mesmo tempo como deuses menores. No início eu estranhei a semelhança da criação do mundo bíblica com a criação do mundo de Tolkien, como por exemplo, a forma de Eru ter sido considerado O Criador assim como o Deus judaico e cristão, Melkor se rebelar semelhante à forma que Lúcifer se rebelou, a criação das duas árvores de Valinor, no Jardim do Eden haviam duas árvores (embora totalmente diferentes), a Grande Armada de Númenor para entrar em Valinor, assim como os homens criaram a Torre de Babel para chegar ao céu biblicamente.

    O fato é que se a religião cristã e judaica não existisse e todos adorassem a Eru, a história ainda se lembraria desses fatos relatados no livro *Oh! Silmarillion, Contos Inacabados, o Hobbit e SdA seriam nossas bíblias :mrgreen: * da forma semelhante que os crentes acreditam atualmente. Isso tudo acaba sendo muito estranho :blah: . Só lendo a mente do Tolkien pra entender tudo o que se passa naquela cabeça genial.

    Última dúvida que postarei aqui: de onde veio Manwë e qual é a dele? "MANWË: Eu mando aqui!" do Silmarillion em 1000 Palavras.
     
  20. _Eldariel_

    _Eldariel_ Usuário

    Assim como os Valar em geral, Manwë é senão um dos poderes criados por Tolkien, os Valar são uma nova criação em sua mitologia; não necessariamente já existentes.
    Como no Silmarillion é descrito:


    Manwë e Melkor eram irmãos no pensamento de Ilúvatar. O mais poderoso dos Ainur que desceram a terra, era a princípio, Melkor. Mas Manwë é mais querido a Ilúvatar e compreende mais claramente seus propósitos. Foi destinado a ser, na plenitude dos tempos, o primeiro de todos os reis. O Senhor dos reinos de Arda e soberano de todos que nele vivessem. Em Arda o seu deleite está nos ventos e nas nuvens, e em todas as regiões do ar, das alturas aos abismos, das mais extremas fronteiras do véu de Varda às brisas que sopram na erva. Súlimo é o seu cognome (Senhor do Hálito de Arda). Ama todas as coisas velozes, fortes de asa, e elas vão e vem a seu comando.

    Namárië.
     

Compartilhar