1. Caro Visitante, por que não gastar alguns segundos e criar uma Conta no Fórum Valinor? Desta forma, além de não ver este aviso novamente, poderá participar de nossa comunidade, inserir suas opiniões e sugestões, fazendo parte deste que é um maiores Fóruns de Discussão do Brasil! Aproveite e cadastre-se já!

Dismiss Notice
Visitante, junte-se ao Grupo de Discussão da Valinor no Telegram! Basta clicar AQUI. No WhatsApp é AQUI. Estes grupos tem como objetivo principal discutir, conversar e tirar dúvidas sobre as obras de J. R. R. Tolkien (sejam os livros ou obras derivadas como os filmes)

Advogado paulista ganha processo contra CPTM por "tratamento sub-humano".

Tópico em 'Atualidades e Generalidades' iniciado por Felagund, 20 Ago 2013.

  1. Felagund

    Felagund Well-Known Member

    A Justiça paulista condenou a CPTM (Companha Paulista de Trens Metropolitanos) a indenizar por danos morais um advogado que pegou um trem lotado. A ação estabelece indenização de R$ 15 mil. A companhia pode recorrer.
    O advogado Felippe Mendonça, 35, afirma que, no dia 2 de fevereiro do ano passado, embarcou por volta das 18h na estação Pinheiros da linha 9-esmeralda (Osasco-Grajaú), com destino à estação Granja Julieta.
    O trem, diz, já estava cheio. "Eu não conseguia sentar, mas a lotação ainda estava normal. Na estação seguinte, o trem ficou lotado", conta.
    Segundo o advogado, tumultos se formavam nas portas dos vagões quando o trem parava nas estações, e os funcionários da CPTM não ajudavam a organizar o fluxo de passageiros. "Eles empurravam as pessoas, buscavam colocar mais gente [no trem]."

    Este conteúdo é limitado a Usuários. Por favor, cadastre-se para poder ver o conteúdo e participar (não demora e não possui custos)



    Uma estação antes de chegar a seu destino, ele desembarcou. "Desci na estação Morumbi. Tirei fotos e fiz vídeos. Voltei para casa a pé", conta o advogado.
    No dia seguinte, Mendonça entrou com a ação na Justiça. Nela, classificava o transporte como "sub-humano e degradante".
    Em julho de 2012, ele perdeu a causa em primeira instância e recorreu. Na terça-feira, os desembargadores da 16ª Câmara de Direito Privado decidiram, por unanimidade, que Mendonça tem direito à indenização.
    "Não tenho carro e uso o transporte público. A minha intenção é que as pessoas lutem por seus direitos", diz.
    Em nota, a CPTM afirmou que vai analisar "as medidas judiciais cabíveis, no momento processual oportuno".
    A companhia informou que agentes operacionais dão orientações aos usuários e ajudam "no fechamento das portas nos horários de pico".
    Segundo a empresa, as obras de modernização e a aquisição de novos trens vão aumentar a oferta de lugares.

    ___________________________________________________________________________________________________________________________

    Felippe Mendonça é amigão meu, companheiro de muitas cervejas aqui de Santo Amaro, venceu sua ação e quem sabe inaugurou um precedente para que mais passageiros que se sintam lesados pelo tratamento dos funcionários da CPTM possam pleitear na justiça uma indenização e principalmente um tratamento mais digno.

    A noticia repercutiu até na China, onde a prática de empurrar os passageiros para dentro dos vagões a força é cultural:
    Este conteúdo é limitado a Usuários. Por favor, cadastre-se para poder ver o conteúdo e participar (não demora e não possui custos)

     
    Última edição: 20 Ago 2013
    • Gostei! Gostei! x 4
  2. Bel

    Bel Moderador Usuário Premium

    Quero ver alguém processar empresa de ônibus aqui no Rio por direção perigosa (se é que já não processaram)...
     

Compartilhar