1. Caro Visitante, por que não gastar alguns segundos e criar uma Conta no Fórum Valinor? Desta forma, além de não ver este aviso novamente, poderá participar de nossa comunidade, inserir suas opiniões e sugestões, fazendo parte deste que é um maiores Fóruns de Discussão do Brasil! Aproveite e cadastre-se já!

Dismiss Notice
Visitante, junte-se ao Grupo de Discussão da Valinor no Telegram! Basta clicar AQUI. No WhatsApp é AQUI. Estes grupos tem como objetivo principal discutir, conversar e tirar dúvidas sobre as obras de J. R. R. Tolkien (sejam os livros ou obras derivadas como os filmes)

Adormece no Senhor o Patriarca de Antioquia e Todo o Oriente, S. B. Inácio IV

Tópico em 'Atualidades e Generalidades' iniciado por Excluído045, 6 Dez 2012.

  1. Excluído045

    Excluído045 Banned

    Este conteúdo é limitado a Usuários. Por favor, cadastre-se para poder ver o conteúdo e participar (não demora e não possui custos)

    Ignacio IV Hazim morreu nesta quarta-feira aos 91 anos
    Foto: Kelson Spalato Marques/vc repórter

    O patriarca grego ortodoxo de Antioquia e Oriente, o monsenhor Ignacio IV Hazim, morreu nesta quarta-feira aos 91 anos no hospital de sua comunidade em Beirute, no qual foi internado ontem após sofrer um infarto cerebral, informou a imprensa local.
    O religioso, cujo nome de registro era Habib Hazim, nasceu em 1921 no povoado sírio de Mhardey, próximo a Hama, no seio de uma família ortodoxa árabe.
    Após estudar em Hama, se transferiu a Beirute, onde estudou Literatura, antes de se incorporar à Igreja ortodoxa do Líbano.
    Ignacio IV foi um dos fundadores da Organização da Juventude Ortodoxa e se transformou em um membro da convenção sagrada dos patriarcas ortodoxos em 1961.
    Dez anos mais tarde, Ignacio IV foi nomeado bispo metropolitano ortodoxo na cidade síria de Latakia e, em 1979, se tornou patriarca de Antioquia sob o nome de Ignacio IV.
    A Igreja grega ortodoxa de Antioquia e Oriente foi fundada pela comunidade cristã estabelecida em Antioquia, situada na atual Turquia, pelos apóstolos Pedro e Pablo, segundo a tradição cristã.
    EFE

    Este conteúdo é limitado a Usuários. Por favor, cadastre-se para poder ver o conteúdo e participar (não demora e não possui custos)



    Faleceu nosso Patriarca ontem. Digo nosso porque minha paróquia é antioquina, dos ortodoxos árabes. Fiquei sentido com a notícia, tinha um grande respeito por ele e pelas atitudes de evangelização aqui nas Américas.


     
    • Gostei! Gostei! x 1
  2. Felagund

    Felagund Well-Known Member

    Existe mais do que um Patriarca na igreja ortodoxa Pagz? Achei que o principal era de Moscou e que vc era da linha Russa da ortodoxia! Porvavelmente to falando besteira, mas não custa nada perguntar e ficar menos ignorante haha
     
  3. Rufgand

    Rufgand Venus, Vina, Musica

    Sempre imaginei que a Igreja Ortodoxa tivesse divisões, sendo que as que eu conhecia eram a da Antioquia, Russa e Grega. Não sei se por notícias, mas pensava que o Patriarca grego fosse o "papa" (termo mais apropriado que achei no momento) ortodoxo. :think:

    Acho que te acompanho na besteira, e tb quero ficar menos ignorante!! :mrgreen:
     
  4. Excluído045

    Excluído045 Banned

    Todas as Igrejas Ortodoxas (que são chamadas de gregas no Oriente Médio para as diferenciar das não-calcedonianas como a Copta, Siríaca, Nestoriana que se separaram de nós no século V) são a mesma Igreja Una, Santa, Católica e Apostólica. Logo não são divisões mas Igrejas autocéfalas, autogovernadas, Igrejas livres de jurisdição alheia. O que as torna ortodoxas é a fé comum, a fé dos Concílios Ecumênicos Imperiais, a herança bizantina (sendo as Igrejas eslavas 'filhas' de Bizâncio), e as tradições litúrgicas, espirituais, monásticas e clericais comuns a toda a Ortodoxia.

    Em resumo cada Igreja local temo seu Bispo que tem igual autoridade como sucessor de São Pedro, porém, cada Bispo de uma Igreja regional (como a Igreja Russa, por exemplo) é parte de um Sínodo, um colégio episcopal, uma assembleia e desta assembleia é escolhido um Bispo-cabeça, que pode ser um Arcebispo, Metropolita ou Patriarca (no caso de algumas Igrejas eslavas mais importantes como a Russa, e das antigas Igrejas Apostólicas, como Constantinopla, Alexandria, Antioquia e Jerusalém e a Velha Roma, caída em 1054). Esse Bispo-cabeça, ou hierarca, não é um Papa romano, ele tem certa autoridade sobre a Igreja regional, uma posição de honra mas em geral seus atos se regem pela fidelidade à Tradição e aos cânones da Igreja, no que é constantemente avaliado e julgado pelo seu Santo Sínodo de sua região.

    Coisa diversa é quando a Igreja precisa se reunir universalmente para julgar algum suposto heresiarca, definir certas medidas disciplinares universais etc, nesse caso, na época do Império, o Imperador convocava um Concílio Universal, Ecumênico, Imperial, onde Toda a Igreja se reúne e discute, no Espírito Santo, sobre os assuntos e definem os cânones, aplicações e punições de infrações. Também definem dogmas de verdades já cridas 'sempre, por todos, em todo lugar', conforme a definição de São Vicente de Lérins. Nesse caso existe um hierarca que é eleito dentre os Patriarcas o 'cabeça' da Igreja Universal. Trata-se de uma posição de limitadíssimo poder fora de sua Igreja regional, algumas prerrogativas de juízo, uma posição honorífica e simbólica da unidade da Cristandade. Durante séculos a Velha Roma deteve essa posição até deturpá-la, no seu entendimento, em uma supremacia política, dominação eclesiástica, soberania papal, monarquia. Some-se a isso a heresia do filioque e outras questões culturais e políticas, e você tem a quebra da comunhão entre Roma e a Ortodoxia em 1054 como resultado de um já longo afastamento e culminando na Cruzada Bandida de 1204.

    Atualmente, quem ocupa a posição de 'primus inter pares' (primeiro entre iguais) na Igreja é o Patriarca Ecumênico de Constantinopla, Sua Toda Santidade, Bartolomeu I, isso desde 1054 quando dividia com Roma essa posição. O Patriarca de Moscou e Toda a Rússia, Sua Santidade, Kirill I é o hierarca da Rússia, a maior Igreja ortodoxa em extensão e população e presença no exterior por conta da diáspora devida à perseguição e infiltração comunista, mas não é o hierarca mais importante em honra.Estes são os Patriarcas de Constantinopla, Alexandria, Antioquia e Jerusalém.

    Com o fim do Império já não há mais Concílios Ecumênicos (Imperiais) porque já não há Imperador nem ecumene (Império), hoje existe a instituição dos Concílios Pan-ortodoxos.
     
    • Ótimo Ótimo x 4
    • Gostei! Gostei! x 2
  5. Rufgand

    Rufgand Venus, Vina, Musica

    Menos ignorante agora!! Valeu Paganus!! :cerva:
     
    • Gostei! Gostei! x 1
  6. Corsário de Umbar

    Corsário de Umbar Corsário de Umbar

    :ahn?:
     
    • LOL LOL x 1
  7. Excluído045

    Excluído045 Banned

    auto-governadas

    Cada Igreja Ortodoxa é a mesma Igreja Católica e Apostólica, mas são auto-céfalas porque cada uma delas é governada pelo seu próprio Sínodo que elege um Patriarca ou Metropolita que as dirige. Não são submetidas a nenhum controle de nenhuma Igreja-mãe, como no catolicismo romano.

    A autoridade do Patriarca Ecumênico é relativa, honorífica, e sujeita a críticas, sanções, censuras, abstenções etc. Totalmente diferente do Papa romano, cuja autoridade é suprema, infalível, universal, incontestável, e até mesmo teológica (é um dogma, artigo de fé, não uma questão eclesiástica apenas). Os Patriarcas e Metropolitas tem o mesmo tipo de autoridade relativa (sujeita ao julgamento do Sínodo local) sobre suas Igrejas regionais.

    A esse tipo de governo eclesiástico, chamamos 'conciliarismo'.
     
    Última edição: 14 Dez 2012
    • Gostei! Gostei! x 2
    • Ótimo Ótimo x 1
  8. Excluído045

    Excluído045 Banned

    Última edição por um moderador: 5 Out 2013
  9. Mercúcio

    Mercúcio Well-Known Member

    Caramba, é muita informação! :ahhh:
    Mas acho que deu pra absorver alguma coisa...
    Essa organização da Igreja ortodoxa me parece bem complexa e, no que entendi, me parece um tanto incrível que na prática funcione. :think:
     
  10. Excluído045

    Excluído045 Banned

    E depois da queda do Império e durante perseguições turcas e comunistas, por séculos, ainda que aos trancos e barracos. É praticamente um milagre que ainda sobreviva.

    Eu, como creio em milagres... =)

    Mas claro que na prática as coisas são muito complicadas, principalmente com as Igrejas da diáspora (no Ocidente). Esperamos que um futuro Concílio Pan-ortodoxo (sim, já que Ecumênico só com a restauração do Império cristão) resolva essa situação.
     
    Última edição: 19 Dez 2012
    • Gostei! Gostei! x 1
  11. Paganus

    Paganus Visitante

    Dois bispos foram sequestrados em Aleppo. Diácono que os acompanhava teria sido executado.

    Este conteúdo é limitado a Usuários. Por favor, cadastre-se para poder ver o conteúdo e participar (não demora e não possui custos)


    Dois bispos das Igrejas ortodoxas síria e grega foram sequestrados segunda-feira, 22 de abril, em um povoado da província de Aleppo, no norte da Síria, anunciou a agência oficial de notícias síria Sana. De acordo com a agência oficial libanesa, ANN, o diácono que os acompanhava teria sido assassinado.

    “Um grupo terrorista armado sequestrou hoje o Bispo Yohanna Ibrahim, responsável pela Igreja síria ortodoxa (em Aleppo), e o Bispo Boulos Yazikhi, responsável pela Igreja grega ortodoxa (em Aleppo), quando realizavam trabalhos humanitários no povoado de Kafr Dael, na província de Aleppo”, informou a Sana.

    “Os terroristas interceptaram o carro dos bispos no povoado de Kafr Dael, fizeram o motorista descer, o mataram e sequestraram os bispos”, informa a agência.

    Fontes da diocese greco-ortodoxa de Aleppo contatadas pela France Press, não deram declarações, mas cristãos residentes na cidade, que pediram para não ter sua identidade revelada, confirmaram o sequestro e disseram que o motorista do veículo foi executado.

    Os cristãos, que constituem cerca de 5% da população síria, são especialmente vulneráveis ao contexto de anarquia que impera no país desde o início da revolta contra o regime do Presidente Bashar al Assad, em março de 2011.

    No início de fevereiro, dois padres foram sequestrados por homens armados no sul de Aleppo. Dos padres Michel Kayyal, armênio católico, e Maher Mahfuz, greco-ortodoxo, não se têm notícias desde então, quando o veículo em que viajavam rumo a Damasco foi interceptado por milicianos.

    A Sala de Imprensa da Santa Sé divulgou uma nota em que afirma que o Papa Francisco foi informado deste novo episódio, que se soma à violência crescente dos últimos dias e à vasta emergência humanitária que atinge o país. Francisco acompanha os eventos com muita participação e preces intensas pela saúde e a libertação dos dois bispos sequestrados e para que, com o esforço de todos, o povo sírio possa finalmente ver respostas eficazes ao drama humanitário e o surgimento no horizonte de esperanças reais de paz e reconciliação.

    Fonte

    Ouvi falar que os dois bispos haviam sido executados por jihadistas ligados aos 'rebeldes sírios', essa corja infiel alimentada por sionistas e globalistas norte-americanos, mas não tenho certeza.

    E o bispo ortodoxo era irmão do atual Patriarca de Antioquia, João X Yazigi, que chegou a sofrer um atentado, embora tenha conseguido escapar.

    :(

    Que o Senhor Deus acolha suas almas e lhes conceda o descanso eterno.

    Kyrie Eleison
     

Compartilhar