1. Caro Visitante, por que não gastar alguns segundos e criar uma Conta no Fórum Valinor? Desta forma, além de não ver este aviso novamente, poderá participar de nossa comunidade, inserir suas opiniões e sugestões, fazendo parte deste que é um maiores Fóruns de Discussão do Brasil! Aproveite e cadastre-se já!

Dismiss Notice
Visitante, junte-se ao Grupo de Discussão da Valinor no Telegram! Basta clicar AQUI. No WhatsApp é AQUI. Estes grupos tem como objetivo principal discutir, conversar e tirar dúvidas sobre as obras de J. R. R. Tolkien (sejam os livros ou obras derivadas como os filmes)

A vida imortal de Henrietta Lacks (Rebecca Skloot)

Tópico em 'Literatura Estrangeira' iniciado por Pips, 6 Abr 2011.

  1. Pips

    Pips Old School.

    Henrietta Lacks foi uma mulher de grande força de vontade, negra, que morreu assustadoramente nova, devido a um câncer agressivo no cólon do útero. Ela morreu em 1951, aos 31 anos.

    Durante os procedimentos para seu tratamento de câncer, os médico do hospital Johns Hopkins retiraram uma amostra de seu tumor e encaminharam ao laboratório de George Gey, que então pesquisava sobre a cultura celular, numa tentativa de manter células vivas em laboratório. Foi o nascimento das células hoje conhecidas como HeLa.

    As células HeLa foram usadas em várias pesquisas em todo o mundo, ajudando a desenvolver a vacina anti-pólio, técnicas de contagem de cromossomos, pesquisas sobre câncer, comportamento de células humanas no espaço, danos de radiação, genética, técnicas de coloração de células entre várias outras. São mais de 60 mil artigos científicos que incluem pesquisas com estas células.

    Este conteúdo é limitado a Usuários. Por favor, cadastre-se para poder ver o conteúdo e participar (não demora e não possui custos)

     
  2. kika_FIL

    kika_FIL Usuário

    Sério pessoas...entrem no site depois de ler o livro... fiquei HORAS fuçando os extras
     

Compartilhar