1. Caro Visitante, por que não gastar alguns segundos e criar uma Conta no Fórum Valinor? Desta forma, além de não ver este aviso novamente, poderá participar de nossa comunidade, inserir suas opiniões e sugestões, fazendo parte deste que é um maiores Fóruns de Discussão do Brasil! Aproveite e cadastre-se já!

Dismiss Notice
Visitante, junte-se ao Grupo de Discussão da Valinor no Telegram! Basta clicar AQUI. No WhatsApp é AQUI. Estes grupos tem como objetivo principal discutir, conversar e tirar dúvidas sobre as obras de J. R. R. Tolkien (sejam os livros ou obras derivadas como os filmes)

A Sombra da Guilhotina (Hilary Mantel)

Tópico em 'Literatura Estrangeira' iniciado por Meia Palavra, 14 Mar 2010.

  1. Meia Palavra

    Meia Palavra Usuário

    Antes de começar, uma confissão: A Revolução Francesa é um assunto que me fascina desde as primeiras páginas das “Memórias de um médico”, de Alexandre Dumas. Uma febre revolucionária se seguiu, e li Michelet, Rousseau, Voltaire, reportagens, fiz minha pequena coleção de obras sobre o tema, que inclui um belo dicionário de mais de mil páginas, e a edição comemorativa de 200 anos bilíngue, editada pela CAIXA, que possui entre outras imagens, a da partitura original da Marselhesa. É vício.

    “A sombra da guilhotina” foi um livro que me seduziu pela capa – o belissimo quadro (a Tomada da Bastilha de Jean Pierre Houël)1, somado ao epíteto provocativo de “O mais perfeito romance já escrito sobre a Revolução Francesa”, e o calhamaço de 784 páginas fizeram meus olhinhos brilharem quando vi na livraria. Não resisti à vontade de conferir se a obra de Hilary Mantel suplantaria mesmo qualquer outra que eu tivesse lido. Eis o que se seguiu.

    Este conteúdo é limitado a Usuários. Por favor, cadastre-se para poder ver o conteúdo e participar (não demora e não possui custos)

     
  2. Lana Lane

    Lana Lane Usuário

    Então, eu já gosto demais da história da França. E essa resenha da Kika com a adição das imagens desses persongens, todos reais, dá uma enorme vontade de ter esse "pequeno" livro. Ai, o meu bolso! XD
     
  3. Anica

    Anica Usuário

    Há poucos momentos na História que chegam a ser tão obviamente importantes para a sociedade moderna do que a Revolução Francesa, tanto que marca o início da Idade Comtemporânea na divisão de anos nos estudos históricos. Mas a importância vai além disso. Como lembra Robert Darnton em O beijo de Lamourette: Mídia, Cultura e Revolução, ideias como “liberdade, igualdade e fraternidade” sequer eram compreendidos por um povo que durante toda a vida só conhecia um sistema, no qual eram sempre “menores” em relação à nobreza.

    E é pela importância desse momento histórico que não surpreende em nada o tamanho (784 páginas) de A Sombra da Guilhotina, de Hilary Mantel1. No prefácio a autora chega inclusive a se desculpar por ter que deixar muita coisa de fora, o que mostra o quão complexo pode ser um romance sobre a revolução francesa. E de fato o é, mas Mantel consegue conduzir a história de modo interessante e mais ainda, cativante.2

    Este conteúdo é limitado a Usuários. Por favor, cadastre-se para poder ver o conteúdo e participar (não demora e não possui custos)
     
  4. kika_FIL

    kika_FIL Usuário

    Bom saber que não fui a única a encarar esse calhamaço e sair dele encantada...heheheh
     
  5. Anica

    Anica Usuário

    vale a pena, é muito legal mesmo. e olha que eu nem sou tão apaixonada por revolução francesa qto vc. comecei a me interessar pelo assunto depois de ler o livro do darnton :sim:
     
  6. kika_FIL

    kika_FIL Usuário

    É culpa de Alexandre Dumas na saída da adolescência... suas obras sobre a revolução são muito boas tb...
     
  7. Palazo

    Palazo Mafioso Literário

    Anica, deu vontade de ler... mas 700 páginas? Preciso pegar fôlego antes...
     
  8. kika_FIL

    kika_FIL Usuário

    Vale cada palavra
     

Compartilhar