1. Caro Visitante, por que não gastar alguns segundos e criar uma Conta no Fórum Valinor? Desta forma, além de não ver este aviso novamente, poderá participar de nossa comunidade, inserir suas opiniões e sugestões, fazendo parte deste que é um maiores Fóruns de Discussão do Brasil! Aproveite e cadastre-se já!

Dismiss Notice
Visitante, junte-se ao Grupo de Discussão da Valinor no Telegram! Basta clicar AQUI. No WhatsApp é AQUI. Estes grupos tem como objetivo principal discutir, conversar e tirar dúvidas sobre as obras de J. R. R. Tolkien (sejam os livros ou obras derivadas como os filmes)

"A Revolução dos Bichos" (George Orwell)

Tópico em 'Literatura Estrangeira' iniciado por Anigel, 6 Dez 2002.

  1. Anigel

    Anigel Eu atropelo duendes!

    Antes de entrar na discussão do livro "A Revolução dos Bichos" gostaria de comentar algumas coisas.

    Tenho certeza que a maioria já viu o tópico "O Tamanho do Livro Influencia". Bom, nesse tópico eu comentei que para mim influenciava positivamente, isto é quanto maior o livro melhor. Nosso caro moderador V sugeriu que então que eu lesse "A Revolução dos Bichos". Hoje lembrei de passar na biblioteca e pegar esse livro emprestado. Meu intuito era postar a resposta no tópico supracitado, mas cheguei a conclusão que o livro merecia um tópico próprio para discussão. É o V estava correto, o livro apesar de fino é bem desenvolvido e levanta questões cruciais.

    Confesso que tinha um certo receio de ler George Orwell, receio causado pelo fato de ter lido 1984 muito nova (aos 11 anos) e de me lembrar que o livro me causou uma certa sensação clautrofóbica. George Orwell deve ter dado cambalhotas no túmulo ao ouvir que esse seu livro (1984) "serviu de inspiração" para a criação do reality show Big Brother.

    -------------------------------------------------------------------------------------

    :confuso: No iníco do livro tive uma certa dificuldade com a palavra cachaço, que nunca tinha visto e que para mim era o marido da cachaça (brincadeirinha). Depois de pegar o dicionário descobri que cachaço era na verdade um macho reprodutor da espécie suína. Superadas as dificuldades iniciais, vamos ao livro.

    -------------------------------------------------------------------------------------

    Atenção:Não leia o resto do meu post se você não leu o livro.

    -------------------------------------------------------------------------------------

    :arrow: O livro trata de uma revolução ocorrida na fictícia "Granja do Solar" onde os animais tomam o poder, expulsando os até então proprietários da granja, os humanos. A granja é então rebatizada com o nome de "Granja dos Bichos", e passa a ser administrada pelos animais. São estabelecidas normas de conduta e a princípio tudo parece seguir as mil maravilhas.

    Me pareceu que o autor traçou um paralelo com a Revolução Russa, onde com o tempo o povo ficou mais oprimido que no início e onde ocorreu também um golpe dentro da revolução.

    Os ideais do velho Moisés foram deturpados para beneficiar uns poucos. E esses poucos, foram mais duros com seus antigos companheiros do que os humanos.

    Napoleão é apresentado no início do livro como um cachaço de grande força de vontade e solidez de caráter, e algumas páginas depois logo após a revolução esse cachaço de caráter tão sólido desvia o leite que deveria ser dividido entre todos os animais para consumo exclusivo dos porcos. ora, ou o caráter de Napoleão não era tão firme como se supunha visto que foi corrompido pelo poder ou o poder absoluto corrompe até os carateres mais sólidos. O que nos leva talvez a uma das questões cruciais do livro: o poder absoluto corrompe absolutamente?

    Se a resposta para a minha indagação anterior for sim, então Napoleão não tem culpa por ter subjugado os outros animais, ele foi apenas mais uma "vítima" da revolução. E então quem está no poder é em conseqüência sempre mau, pois foi corrompido pelo poder.

    O trabalhador comum, representado principalmente por Sansão só tem utilidade enquanto pode produzir e não tem inteligência suficiente para perceber que esta sendo usado pelos poderosos.

    Isso não seria colocar as coisas de uma forma um tanto quanto maniqueísta?

    Esse livro me deixou de certa forma confusa. Será que também não poderíamos traçar um paralelo com a recente eleição de Lula companheiros?

    Por favor, comentem. :wink:
     
  2. Dharma K

    Dharma K Usuário

    Já faz um bom tempo q li esse livro, não lembro o nome dos personagens apesar de lembrar muito bem deles e da estória.
    Vamos ver se vc concorda c/ o q eu vi nela...
    Te pareceu certo porque ele fez isso mesmo, o Orwel era comunista e se decepcionou principalmente com o Stalin q de "lider do povo" se tornou um ditador sanguinário mandando matar pessoas, inclusive o Lennin, principal mentor da revolução russa (tal como o porco faz no livro).

    O Sansão, q eu me lembre, não era tão tonto, no final do livro (me corrija se estiver errada) ele é quem percebe q não existia mais diferença entre porcos e humanos (comunistas e capitalistas).
    Se o Napoleão não tem culpa? Lógico q tem, se deixou levar pelo poder e se corromper por ele.. e não tem culpa? Era um grande porcão FDP isso sim. Assim como o Stalin também era e o Fidel Castro também é. Oras! :disgusti:
    Qto ao povo só ter utilidade qdo produz, bom isso eu acho q é verdade sim, em qualquer sistema de poder, a massa é o q move a máquina e ela tem pouco poder sim, como o Sansão.

    O Lula? Acho q é meio cedo pra falarmos não é? Depois, eu não acho q ele vá fazer algo de muito "revolucionário" não.
    Tem um livro chamado "O Principe" (de Maquiavel) já ouviu falar? É um livro que fala sobre o poder, a maneira como é exercido, conquistado e mantido. Procure ler, se já não o fez, aí vc vai entender porque eu acho isso do Lula.

    Olha só Anigel, isso tudo é a minha visão do livro e das coisas, tá bom?
    Claro q existem outras opiniões diferentes e outras contrárias a minha e eu também quero ouvi-las (lê-las), legal? :wink:
     
  3. Anigel

    Anigel Eu atropelo duendes!

    :arrow: O Sansão é aquele velho cavalo de tração cujo lema era "Trabalharei mais" e que acaba sendo vendido parao abatedouro.

    :idea: Concordo com essa sua opinião a respeito do Napoleão, ele se deixou levar pelo podere foi corrompido. Era essa a minha perguntak, será que o poder corrompe a todos? :?:

    :idea: Era essa a minha idéia ao abrir esse tópico Dharma, ouvir (ler) outras opiniões, achei esse livro bastante polêmico. Obrigada por me responder. :D
     
  4. Dharma K

    Dharma K Usuário

    e qual personagem já velho e com a vista ruim não consegue mais ver a diferença entre porcos e homens? Eu achava q era o cavalo.

    Eu não acho q o poder corrompe a todos, mas é mais fácil corromper-se qdo se tem poder até porque muitas vezes o poder é conseguido à custa da corrupção, isso é verdade.
    Nelson Mandela teve uma grande chance de ser um corrupto ou ao menos um demagogo bastante famoso; não foi nenhum dos dois. Foi eleito presidente, deixou o cargo e sempre mantendo a dignidade. Agora, a ex-mulher dele, a Winnie, essa me parece q se deixou levar pela corrupção do poder sim.
    É por isso q eu acho q é meio cedo pra se traçar um paralelo entre a estória do livro e a eleição do Lula. Se vai seguir a linha Stálin ou Mandela, tudo vai depender do ser humano q ele é. :wink:
     
  5. Anigel

    Anigel Eu atropelo duendes!

    :arrow: Tinha dois, a velha égua Quitéria e o burro Benjamin.

    8-) Boa lembrança!!! Uma figura pública que eu admiro é o Nelson Mandela, e realmente, ele não deixou se levar pelo poder e pela fama.
     
  6. Faram¡r

    Faram¡r Dr. Benway

    Esse livro é uma verdadeira aula sobre alegoria. A obra é inteira é um deslocamento de seu sentido literal, e é facil perceber para onde o autor quer nos levar. Sim, trata-se da revolução russa e seu desdobramento, na visão de George Orwell.

    Na verdade, cada personagem corresponde a um tipo de pessoa na sociedade da época. A égua Mimosa, provavelmente presa a valores aristocráticos fugiu enquanto pode da granja. Ratos por exemplo, estavam entre os não domesticados, uma alusão clara aos criminosos e a dificuldade em se lidar com eles. Quando é retirado de cena o idealismo do Bola de Neve, não se fala mais na domesticação desses animais. O corvo (se não me engano) é uma metáfora óbvia do papel da religião, e como ela subsistiu na mentalidade da população mesmo após a revolução. E por ai vai, não é dificil identificar no texto essas ligações.

    Sobre a questão de discutir Lula usando aspectos do livro, creio que pode ser feito apenas como ilustração, afinal, por razões óbvias essa questão não é abordada na obra. Mas essa é uma caracteristica de bons livros, suscitar discussões e perguntas para além de seu tempo.
     
  7. Lukaz Drakon

    Lukaz Drakon Souls. I Eets Them.

    Eu li o livro e achei bem interesante

    realmente a questão de Poder absoluto corrompe absolutamente e relativa pra mim. Pode corromper sim, mais não a todos. :wink:

    Sobre o Lula eu so espero q ele faça um bom trabalho :wink:
     
  8. *Dimnarien*

    *Dimnarien* Usuário

    Bom...eu li esse livro, ele foi trabalhado com a minha turma por uma professora de política. Como o Faramir disse, cada personagem corresponde a um tipo de pessoa dá época, ele trata da sociedade metaforicamente nesse livro...
    Infelizmente esse livro é menosprezado por algumas pessoas, como qualquer outro livro, pelo fato da historia parecer infantil, pelo nome e descrição, tem uma cara d fabula...mas retrata a sociedade de maneira melhor do q em muitos outros livros...é muito gostoso de se ler...

    E tb acho que o poder absoluto corrompe, mas não a todos....
     
  9. Hildëron

    Hildëron Usuário

    Aiya
    O fato do autor traçar um paralelo com a Revolução Russa não só é oriundo de sua decepção com o socialismo, mas tb de um contrato...
    O governo inglês encomendou a ele um folheto, exatamente como um jornalzinho, que denegrisse a imagem da Revolução e do governo socialista.... é triste, mas eh a verdade, talvez...
    realmente, eh um ótimo livro, e como alguem lah em cima citou, o poder corrompe a quem não tem poder interior para resistir...
    Traçando um paralelo com Tolkien... imaginem o Tom Bombadil com o Um Anel se ele nao tivesse aquele "caráter"... ou a Galadriel, qndo demonstra total auto -controle e integridade ao recusar o Anel que lhe é oferecido....
    tdo depende das pessoas... essa eh a verdade
     
  10. Barbárvore.

    Barbárvore. Beatlemaniac

    putz... nem li o livro mas vi o filme 2 x, me deu medo ehehehhe
     
  11. Peregrin

    Peregrin Technologic

    Li este livro logo depois de 1984, e confesso que talvez por isso não tenha achado tão genial assim, pois 1984 é muuuuuuuuuuito melhor.

    E, no final das contas, ambos os livros tratam de temas parecidos. Governos autoritários, repressão do pensamento, da liberdade de escolha. Só muda o cenário.

    Recomendo muito "Revolução dos Bichos", acho que é leitura obrigatória. Mas, assim que acabar, dê uma lida em "1984" :)
     
  12. V

    V Saloon Keeper

    Eu li os dois e prefiro a Revolução dos Bichos. :D

    Vai mais ao ponto, é mais... concreto. 1984 tem umas quebras de ritmo que me incomodam. E eu adivinhei o final vários capítulos antes do livro terminar.

    O final de Revolução dos Bichos só passou pela minha cabeça no momento em que eu estava lendo a última frase.
     
  13. Golgo13

    Golgo13 Usuário

    Li '1984' e 'A Revolução dos Bichos' a um certo tempo já e posso dizer q, juntamente com 'O Admirável Mundo Novo', estes livros mudaram minha maneira de pensar.

    A Revolução dos Bichos é fantástico e traça paralelos com nossa realidade o tempo todo de maneira genial. Não sei o q vcs acham mas eu definiria este livro como 'O Fracasso da Anarquia'.

    George Orwell é um escritor fantástico, após Tolkien ele é 'O cara' !
     
  14. V

    V Saloon Keeper

    Na minha opinião ele tá anos-luz à frente de Tolkien.
     
  15. Peregrin

    Peregrin Technologic

    É...pois é... :roll:

    Eu parei pra pensar aqui numa comparação entre Tolkien e George Orwell... é complicado... os dois seguem estilos completamente diferentes, tentam alcançar o leitor com linguagens diferentes, não tem como comparar...

    Mas realmente, a profundidade de Orwell está bem à frente da de Tolkien...
     
  16. V

    V Saloon Keeper

    Isso porque as obras de Tolkien não são alegóricas, como ele mesmo fazia questão de frisar.

    As obras do Orwell são completamente alegóricas. É nesse ponto que o Orwell tem mais importância, IMO.

    Eu encaro Tolkien como literatura de entretenimento apenas. As obras dele não me dizem nada, só divertem.
     
  17. A revolução dos bichos é um livro muito bom, e ganhou até uma adaptação cinematográfica. Eu li o livro e assisti o filme na época em que estudava Revolução Russa, porque estava curiosa e pedi ao professor que me indicasse um livro para ler. Confesso que quando vi o tamanho minusculo, tive duvidas que foram completamente esquecidas ao decorrer da história.
     
  18. Bombadille

    Bombadille Usuário

    Li o livro em inglês (UGH!!!!) como parte do meu curso, e podem acreditar, assim é um pouquinho mais difícil de entender, hehehe...
    Mas o livro é muito bom, faz a gente pensar muito e lembrar de muitos casos semelhantes, não só a revolução russa, na verdade... É muito interessante como ele mostra o abuso do poder e condução dos ideais de um povo, realmente muito criativo! :D
     
  19. Eu li 'Revolução dos Bichos' ('Animals Farm' é o título original se não me engano, e é bem melhor na minha opinião) há pouco tempo e achei surpreendente como Orwell encontra o animal certo para cada personagem ou grupo social dentro da Revolução Russa, e até mesmo de outros movimentos se pensarmos mais adiante.

    Eu já tinha ouvido no Cursinho algumas comparações que ele fez, isso antes de ler o livro, e realmente elas se encaixam.

    O velho porco Moisés como Lenin, os sucessores Bola-de-Neve e Napoleão como Trotsky e Stalin, respectivamente. O Cavalo Sansão como o povo. A égua Mimosa como a Nobreza e a Aristocracia, pesarosa da mudança. O livro é tão recheado de alegorias que é difícil lembrar tudo agora... :mrgreen:

    O livro é realmente bom e o final completamente inesperado (ou esperado, não sei ?)
     
  20. Vilya

    Vilya Pai curuja, marido apaixonado

    Revolução dos bixos foi o livro que mais marcou a minha adolescência. E um dos que mais me marcaram na vida. 8O
     

Compartilhar