1. Caro Visitante, por que não gastar alguns segundos e criar uma Conta no Fórum Valinor? Desta forma, além de não ver este aviso novamente, poderá participar de nossa comunidade, inserir suas opiniões e sugestões, fazendo parte deste que é um maiores Fóruns de Discussão do Brasil! Aproveite e cadastre-se já!

Dismiss Notice
Visitante, junte-se ao Grupo de Discussão da Valinor no Telegram! Basta clicar AQUI. No WhatsApp é AQUI. Estes grupos tem como objetivo principal discutir, conversar e tirar dúvidas sobre as obras de J. R. R. Tolkien (sejam os livros ou obras derivadas como os filmes)

A Questão dos Livros (Robert Darnton)

Tópico em 'Literatura Estrangeira' iniciado por Izze., 22 Nov 2010.

  1. Izze.

    Izze. What? o.O

    No meio literário, uma das discussões em maior evidência é sobre o que acontecerá com o livro. Nunca se produziu e vendeu tanto, e ainda entram no mercado novas tecnologias de leitura que prometem mudar o cenário literário. Aqui no Brasil, o mercado editorial baseado na digitalização ainda está engatinhando, mas nos Estados Unidos esse é um tema discutido há muito tempo, e os números só apontam para o crescimento do consumo de e-books e e-readers. A Questão dos Livros (Companhia das Letras), do historiador Robert Darnton, faz justamente essas reflexões, mas por um olhar acadêmico. Nessa reunião de ensaios e artigos, o autor fala de questões relacionadas ao presente, passado e futuro do livro e, principalmente, das digitalizações de obras promovidas pelo Google.

    Darnton trabalhou como jornalista e é especializado na história do mercado editorial francês do século XVIII. Atualmente, é diretor da Biblioteca da Universidade de Harvard, que conta com um acervo com mais de 14 milhões de obras. Em A Questão dos Livros, ele divide seus textos em três partes, começando pelo futuro do livro. Aqui, o assunto mais recorrente é o Google Book Search, iniciativa da empresa em digitalizar acervos de grandes bibliotecas e disponibilizá-los em um banco de dados para acesso de qualquer pessoa. Sua opinião sobre esse empreendimento é dividida. Por um lado, aprova a ideia, pois facilita a difusão de conteúdo e de conhecimento. Por outro, desaprova a ideia de cobrar pelo acesso a essas informações, forma escolhida pela empresa para pagar pelos direitos autorais das obras depois de um processo que terminou em acordo entre editores, autores e o Google.

    Este conteúdo é limitado a Usuários. Por favor, cadastre-se para poder ver o conteúdo e participar (não demora e não possui custos)
     
  2. Tuca.

    Tuca. Usuário

    Pow, taí um livro que quero (E MUITO) ler.
     

Compartilhar