1. Caro Visitante, por que não gastar alguns segundos e criar uma Conta no Fórum Valinor? Desta forma, além de não ver este aviso novamente, poderá participar de nossa comunidade, inserir suas opiniões e sugestões, fazendo parte deste que é um maiores Fóruns de Discussão do Brasil! Aproveite e cadastre-se já!

Dismiss Notice
Visitante, junte-se ao Grupo de Discussão da Valinor no Telegram! Basta clicar AQUI. No WhatsApp é AQUI. Estes grupos tem como objetivo principal discutir, conversar e tirar dúvidas sobre as obras de J. R. R. Tolkien (sejam os livros ou obras derivadas como os filmes)

À Queima Roupa (idem, 2014)

Tópico em 'Cinema' iniciado por [F*U*S*A*|KåMµ§], 2 Mai 2015.

?

Qual a sua nota para o filme?

  1. 10

    0 voto(s)
    0,0%
  2. 9

    0 voto(s)
    0,0%
  3. 8

    0 voto(s)
    0,0%
  4. 7

    100,0%
  5. 6

    0 voto(s)
    0,0%
  6. 5

    0 voto(s)
    0,0%
  7. 4

    0 voto(s)
    0,0%
  8. 3

    0 voto(s)
    0,0%
  9. 2

    0 voto(s)
    0,0%
  10. 1

    0 voto(s)
    0,0%
  1. [F*U*S*A*|KåMµ§]

    [F*U*S*A*|KåMµ§] Who will define me?

    Divulgando mais brazucas.


    Este conteúdo é limitado a Usuários. Por favor, cadastre-se para poder ver o conteúdo e participar (não demora e não possui custos)


    Este conteúdo é limitado a Usuários. Por favor, cadastre-se para poder ver o conteúdo e participar (não demora e não possui custos)
    |
    Este conteúdo é limitado a Usuários. Por favor, cadastre-se para poder ver o conteúdo e participar (não demora e não possui custos)
    |
    Este conteúdo é limitado a Usuários. Por favor, cadastre-se para poder ver o conteúdo e participar (não demora e não possui custos)

    Título: À Queima Roupa

    Diretora: Thereza Jessouroun

    Ano de lançamento:
    Setembro 2014 - Festival do Rio
    16 Outubro 2014 - Circuito comercial Espaço Itaú
    2015 - Net Now

    Prêmios:
    Festival do Rio - Melhor Documentário, Melhor Diretor (Documentário)

    Sinopse:
    [Festival do Rio]
    Documentário investigativo que mostra a violência e a corrupção da polícia do Rio de Janeiro nos últimos 20 anos, apresentando os fatos mais emblemáticos deste período do ponto de vista dos familiares, testemunhas, sobreviventes e demais envolvidos diretamente nos casos, como advogados, promotores e juízes. O filme parte da Chacina de Vigário Geral de 1993, culminando com execuções cometidas em nome da lei em 2012 e 2013. Os fatos são apresentados através de entrevistas, imagens de arquivo e cenas ficcionais que reconstroem a memória dos sobreviventes das chacinas.
    [/Festival do Rio]

    Videos:
    Este conteúdo é limitado a Usuários. Por favor, cadastre-se para poder ver o conteúdo e participar (não demora e não possui custos)
    Este conteúdo é limitado a Usuários. Por favor, cadastre-se para poder ver o conteúdo e participar (não demora e não possui custos)

    Opinião:
    Ganhou o prêmio de documentário no Festival do Rio por motivos bem evidentes da sua relação íntima com a cidade. Segue os caminhos de outros documentários que vem sendo produzidos recentemente como os igualmente interessantes Rio Ano Zero (sobre as milícias) e Morro dos Prazeres (sobre as UPPs).
    Como projeto investigativo, é louvável pela quantidade de arquivo revistado e acumulado. Inclusive convém mencionar que o documentário possui cenas muito fortes com fotos e cenas gravadas das vítimas reais das chacinas (misturadas com encenações).
    Contudo, como grande parte dos documentários políticos, não consegue esconder em muitos momentos uma certa partidarização e maniqueísmo da situação abordada, colhendo as provas pra corroborar suas conclusões prévias ao invés de colher as provas e só então tirar conclusões. Mas fica um pouco acima da média por ao menos dar em um breve momento uma humanização ao "outro lado".
    Por se tratar de um grande apanhado dos acontecimentos nos últimos anos, não há exatamente nada de novo sendo apresentado ao público com excessão da organização e das ligações feitas entre acontecimentos que usualmente são noticiadas em separado e que, infelizmente, caem no esquecimento da população em geral. Consegue assim criar um grande plano geral sobre esses acontecimentos de forma a ajudar bem didaticamente as pessoas que não são assíduas sobre políticagens e similares a compreender a importância da questão levantada pela diretora.
    A montagem do filme é bem simples, intercalando as declarações com imagens de arquivo ou encenações. Segue cronologicamente as chacinas ocorridas desde Vigário em 93 até o Alemão em 2007.
    Enfim, documentário importante para ser assistido mais pelo seu conteúdo, principalmente aos cariocas.
     

    Arquivos Anexados:

    Última edição: 2 Mai 2015

Compartilhar