1. Caro Visitante, por que não gastar alguns segundos e criar uma Conta no Fórum Valinor? Desta forma, além de não ver este aviso novamente, poderá participar de nossa comunidade, inserir suas opiniões e sugestões, fazendo parte deste que é um maiores Fóruns de Discussão do Brasil! Aproveite e cadastre-se já!

Dismiss Notice
Visitante, junte-se ao Grupo de Discussão da Valinor no Telegram! Basta clicar AQUI. No WhatsApp é AQUI. Estes grupos tem como objetivo principal discutir, conversar e tirar dúvidas sobre as obras de J. R. R. Tolkien (sejam os livros ou obras derivadas como os filmes)

A Queda de Gondolin

Tópico em 'J.R.R. Tolkien e suas Obras (Diga Amigo e Entre!)' iniciado por Nienna..., 17 Set 2018.

  1. Nienna...

    Nienna... Worrier/Warrior

    Acabei de começar a queda de gondolin e já no prólogo tô mega confusa.
    As nomenclaturas estão super diferentes.

    -Ao invés de Kementari usam Palúrien pra se referirem a Yavanna.

    -A árvore prata/branca não se chama Telperion e sim Silpion

    -Quendi não se refere a todos os elfos, mas aos Vanyar em particular e eles são denominados os Elfos da luz

    -ao invés de Avari, os elfos que não foram a Valinor são chamados Ikorindi

    -Ulmo é também chamado de Ylmir

    -Avathar é chamada de Arvalin

    Enfim, criei o tópico mais pra expressar minha confusão. À medida que for lendo vou completando essas mudanças. E, assim, se alguém souber me explicar elas vou ficar mega feliz
     
    Última edição: 17 Set 2018
  2. Meneldur

    Meneldur We are infinite.

    É porque o Prólogo foi retirado principalmente do "Esboço da Mitologia", escrito por Tolkien em 1926. Portanto, ele traz as nomenclaturas e ideias que o Tolkien usava na época, que não diferentes das usadas no Silmarillion publicado (que tem como base textos mais tardios).

    Btw, Ilkorindi não são apenas os Avari, mas todos o que não moraram em Kôr = Tirion. Os elfos que posteriormente se chamaram Sindar também eram Ilkorindi.
     
    • Ótimo Ótimo x 1
  3. Nienna...

    Nienna... Worrier/Warrior


    Tá, perdi completamente essa menção, devia estar com a cabeça na Lua, mas faz bastante sentido.
     
  4. Keltos

    Keltos Flautista Verde


    Bem, algumas construções já foram abordadas em outras publicações, né? Como Telperion ser chamada de Silpion, por exemplo. Acho que retirando poucas alterações de grafia graças a própria data do texto, não é tão confuso assim. No máximo um estranhamento nos toma, né?

    Mas confesso que é muito bom ter esse estranhamento lendo em português também, e não apenas ao consultar os textos no HoME.
     
  5. Nienna...

    Nienna... Worrier/Warrior

    Então, até hoje não li o HoME, porque quando tinha dinheiro e coragem (de gastar tanto dinheiro), não tinha inglês suficiente pra encarar. Daí adquiri o inglês, mas não tinha o dinheiro. E aí hoje que tenho o inglês e o dinheiro, não tenho a coragem
     
    • LOL LOL x 9
  6. adrieldantas

    adrieldantas Relax and have some winey

    Post do ano! hahaha
     
    • Ótimo Ótimo x 1
    • LOL LOL x 1
  7. Giuseppe

    Giuseppe Eternamente humano.

    Goodness gracious, e eu que me confundo todo lendo O Silmarillion. Suspeito fortemente que quando eu ler A Queda de Gondolin provavelmente não vou entender nada.
     
  8. Nienna...

    Nienna... Worrier/Warrior

    Ah, aparentemente é só no prólogo que tem essas diferenças mais drásticas mesmo. Li mais um pouco ontem e as diferenças que encontrei são bem pequenas
     
  9. Neoghoster Akira

    Neoghoster Akira Brandebuque

    Estes escritos mais antigos são também fortemente influenciados pelas referências literárias "pré-refinamento" do mundo de Tolkien. Tanto na forma dos nomes, quanto na própria estrutura física dos seres que habitam a estória vemos que se remete a uma abordagem um pouco diferente daquilo que se tornou nas últimas versões dos textos.
     
  10. Keltos

    Keltos Flautista Verde

    Verdade! Podemos notar bem uma maior aproximação com o nosso mundo. Tanto no referencial de cidades, formas humanas ou mesmo nos nomes de personagens com nomes ainda próximos da realidade histórica nossa. Acho legal justamente isso na leitura da Queda de Gondolin e de outros textos no HoME, ver como esse véu entre o histórico foi aos poucos se tornando o texto final de Tolkien, com outras referências fechadas em si. =)
     

Compartilhar