1. Caro Visitante, por que não gastar alguns segundos e criar uma Conta no Fórum Valinor? Desta forma, além de não ver este aviso novamente, poderá participar de nossa comunidade, inserir suas opiniões e sugestões, fazendo parte deste que é um maiores Fóruns de Discussão do Brasil! Aproveite e cadastre-se já!

Dismiss Notice
Visitante, junte-se ao Grupo de Discussão da Valinor no Telegram! Basta clicar AQUI. No WhatsApp é AQUI. Estes grupos tem como objetivo principal discutir, conversar e tirar dúvidas sobre as obras de J. R. R. Tolkien (sejam os livros ou obras derivadas como os filmes)

A Polêmica da Amamentação

Tópico em 'Atualidades e Generalidades' iniciado por Erendis, 10 Jul 2015.

  1. Erendis

    Erendis I'm a motherfucking woman

    Mais uma polêmica absurda, que não deveria nem virar polêmica, mas como eu vi um pessoal do fórum comentando sobre isso off fórum, quis trazer pra cá, pra ver se por aqui vai surgir alguma opinião de bosta discussão bacana sobre o assunto.
    O que aconteceu?
    O Matando Robôs Gigantes, do Jovem Nerd, postou um podcast sobre o
    Este conteúdo é limitado a Usuários. Por favor, cadastre-se para poder ver o conteúdo e participar (não demora e não possui custos)
    , onde eles fizeram alguns comentários que, IMO são absurdos e de extremo mal gosto.
    A Nanda Café do Blog
    Este conteúdo é limitado a Usuários. Por favor, cadastre-se para poder ver o conteúdo e participar (não demora e não possui custos)
    , postou um
    Este conteúdo é limitado a Usuários. Por favor, cadastre-se para poder ver o conteúdo e participar (não demora e não possui custos)
    criticando essas opiniões.
    Blog | Como NÃO falar de amamentação
    Posted on 25 de junho de 2015 by Nanda Café

    1: – Você acha que o fim do futuro, ou o Fim dos Tempos da DC, é uma revista que você não consegue parar de olhar, tipo mãe amamentando?
    2: – Cara, Diogo…
    1: – Ah, você não consegue parar de olhar.
    2: – Não, cara. Eu acho horroroso, cara.
    1: – Mas tu não consegue… Cara, se tem uma mãe amamentando no local, você pode estar de costas, mas o seu sonar, ele tá captando ali.
    2: – Diogo, isso é você cara. Às vezes tu entra no metrô e aí tem aquela mulher amamentando e é tipo ‘moça: guarde o seu peito, assim tipo, você está no metrô.’
    1: – Eu também acho. Eu também acho. Mas é assim, tipo, isso, mas…
    3: – Eu não acho não. Eu acho que é normal… Mas concordo com o Diogo que é muito difícil você não olhar seja por qual for a razão, porque isso tá no nosso DNA, a atração ali é super natural.
    1: – Se você mulher acha que a gente tem que ser mais ‘ai, que babaquice’, desculpa. Tipo… (risos) não depende de escolha, pelo menos pra mim.
    3: – Ah, dá vontade de olhar, ué. Fazer o que?
    1: – Meu olho vai automaticamente.
    3: – É tipo a atração gravitacional do decote.
    2: – Eu acho meio bizarro porque é um momento de… É um momento de amamentar, é um momento de dar a vida, e, olhar com teor sexual eu vou confessar que eu nunca consegui não.
    3: – Não, eu acho que você olha pelos dois, entende? Às vezes por um teor sexual, porque de repente a menina te atrai e natural pra você se você gosta daquilo, e de repente você olha por uma herança mesmo, memória, tipo, é instintivo o seio. Tipo, seio, BUM, você bate o olho. Até mulher tem isso, cara.
    1: – Você na verdade afasta o olho por causa da lembrança erótica da parada. Você é atraído por outro motivo.
    3: – É muito confuso, cara. É confuso como a DC Comics.

    O diálogo acima foi transcrito, palavra a palavra, de um podcast brasileiro muito famoso. Este programa, que foi ao ar no dia 05 de junho, tinha como proposta discutir a HQ da DC Comics, Fim dos Tempos. Então se você, como eu fazia, tem o costume de ouvir podcasts enquanto amamenta, sugiro que pule o programa para o leite não secar.

    Eu não sei nem por onde começar, porque sinto como se tivesse levado um soco no estômago. Sabem, é difícil ser mulher no meio nerd. É muito difícil ser mãe no meio nerd. E praticamente impossível ainda falar de temas como gravidez, parto e amamentação e manter o conteúdo ligado à cultura pop, como tentamos fazer aqui no Pac Mãe. E o diálogo acima ilustra perfeitamente os motivos pelos quais isso e tão difícil.

    A transcrição não faz jus ao tom utilizado pelo apresentador para expressar seu horror pela amamentação. Sabem, aquela coisa realmente horrorosa de alimentar um ser humano que depende de você para tal? Aquela aberração que tem benefícios a longo prazo para as crianças alimentadas por leite materno nos primeiros meses de vida (e benefícios ainda maiores para os que continuam a ser amamentados depois)? Não é realmente terrível que transeuntes tenham que se submeter a um ato tão vil quanto uma mãe amamentando uma criança?

    Este conteúdo é limitado a Usuários. Por favor, cadastre-se para poder ver o conteúdo e participar (não demora e não possui custos)


    Mas claro, ele não consegue deixar de olhar. Porque é instintivo. Todos sabemos que seres humanos não são animais racionais e são incapazes de controlar seus instintos. Ao menos enquanto são… bebês. Quando eles são bebês, não conseguem controlar a hora em que vão sentir fome. E quando não conseguem controlar, bem, eles choram. Se coubesse ao excelentíssimo podcaster, a criança iria chorando durante todo o trajeto do metrô porque seus sensíveis olhos não podem ser agredidos pela horrorosa amamentação.



    Sabem, matadores, essa desculpa do instinto é usada para diversos outros atos. Cantadas na rua, por exemplo. Ou estupros. Se vocês não conseguem controlar o campo visual de vocês com um simples ato de virar a cabeça, ou colocar dentro dela o fato de que a amamentação, sim, é instintiva e não tem nada a ver com você, o que mais vocês não conseguem controlar? Usar o instinto como justificativa é irresponsável e francamente, ridículo.

    Este conteúdo é limitado a Usuários. Por favor, cadastre-se para poder ver o conteúdo e participar (não demora e não possui custos)


    Vejam bem: eu estou perfeitamente ciente de que o podcast em questão é composto de opiniões de bosta. Embora eu concorde absolutamente com isso, não sou eu quem digo: são os próprios apresentadores. E apesar dessas opiniões de bosta serem em geral machistas, misóginas e preconceituosas, foi a gratuidade deste assunto em específico que me atingiu. Era um episódio sobre quadrinhos! A pororoca de chorume veio do nada, sem necessidade, passou incólume pela edição e chegou ao ouvido de milhares de jovens (em sua maioria homens).

    Vocês querem falar de amamentação e quadrinhos? Excelente, eu também! Por exemplo, quando falei de
    Este conteúdo é limitado a Usuários. Por favor, cadastre-se para poder ver o conteúdo e participar (não demora e não possui custos)
    , fiz questão de lembrar que em um cenário pós-apocalíptico, a amamentação é a única forma de manter uma criança viva, assim como fizeram os autores:

    Este conteúdo é limitado a Usuários. Por favor, cadastre-se para poder ver o conteúdo e participar (não demora e não possui custos)


    Quando falei sobre
    Este conteúdo é limitado a Usuários. Por favor, cadastre-se para poder ver o conteúdo e participar (não demora e não possui custos)
    eu nem precisei lembrar da amamentação: ela está lá na capa. E não está lá para o deleite visual dos homens leitores, está lá, novamente, porque os protagonistas estão em um cenário onde a amamentação é o que? Isso mesmo: necessária.
    Este conteúdo é limitado a Usuários. Por favor, cadastre-se para poder ver o conteúdo e participar (não demora e não possui custos)


    Aliás, já que vocês manjam tanto de quadrinhos, devem lembrar que o Brian K. Vaughan, autor de Saga e recorrente nos prêmios Eisner, tende a colocar a amamentação em seus quadrinhos de forma absolutamente natural, porque como pai de dois filhos, ele entende o que o ato representa. A cena abaixo é um recorte de um quadro de Y: The Last Man.

    Este conteúdo é limitado a Usuários. Por favor, cadastre-se para poder ver o conteúdo e participar (não demora e não possui custos)


    Passaria despercebida por qualquer pessoa, mas não por uma mãe que amamentou. Sabem, a representação materna nas HQs é bastante problemática. Como eu disse, é extra-difícil ser mãe no meio nerd. E a representação não é o único problema: em eventos, raramente existem fraldários, banheiros familiares ou locais apropriados para a amamentação.

    Este conteúdo é limitado a Usuários. Por favor, cadastre-se para poder ver o conteúdo e participar (não demora e não possui custos)


    Não que sejam necessários, porque amamentar em público não deveria ser um problema.

    Este conteúdo é limitado a Usuários. Por favor, cadastre-se para poder ver o conteúdo e participar (não demora e não possui custos)


    Mas é. E parece que vai continuar a ser por muito tempo. Com a contribuição de vocês, formadores de opinião, produtores de conteúdo na internet, que fazem questão de perpetuar esses conceitos extremamente equivocados de que mulheres são objetos a serem olhados, seios são para uso exclusivamente sexual e que são nojentos quando não estão sendo utilizados para tal fim.

    E o mais curioso é que duas semanas depois deste episódio eles lançam um conteúdo sobre feminismo. MRG: apenas pare!

    Este conteúdo é limitado a Usuários. Por favor, cadastre-se para poder ver o conteúdo e participar (não demora e não possui custos)

    A esposa do Diogo Braga, do MRG foi lá e comentou o tal post, rebatendo as críticas, particularmente achei que ela usou bons argumentos e em nenhum momento foi desrespeitosa ou partiu para ataques pessoais.
    Àqueles que leram e lerão o post de Nanda Café.

    Todos sabem que não costumo participar de nenhuma discussão em redes sociais, principalmente quando relativas ao MRG. Mas, pela primeira vez, sinto-me na obrigação moral de responder às acusações injustas e infundadas que a blogueira Nanda Café fez aos apresentadores do Matando Robôs Gigantes.

    Talvez as pessoas ainda não tenham noção de que, atualmente, tudo que é postado na internet, para o bem ou para o mal, será eternizado. Por isso, estou me expondo agora, para que, sempre que alguém deparar com o texto de Nanda Café em seu blog, possa ter acesso aos verdadeiros fatos.

    Nanda Café se apropriou de um diálogo apresentado no MRG em que se afirmava ser incômodo ficar diante de uma mulher que expõe o seio ao amamentar em público para acusar meu marido e os demais apresentadores de serem contra a amamentação com leite materno – o que, em momento algum, foi discutido no programa -, de terem uma postura misógina e machista. Tais acusações, além de muito sérias, são de uma leviandade sem tamanho, sobretudo quando feitas ao meu marido, que tem dois filhos.

    Eu e Diogo somos pais do Bruno e do Pedro, como todos os ouvintes do MRG sabem. Meu marido e eu somos adeptos do parto normal, como aqueles que realmente nos conhecem sabem. O nascimento do Bruno, entretanto, foi por meio de cesárea, pois fomos enganados pela obstetra do plano de saúde. Por isso, no segundo filho, resolvemos gastar tudo que tínhamos guardado para pagar uma obstetra fora do plano de saúde e aumentar a chance de termos um parto normal. E assim ocorreu.

    Meus dois filhos foram amamentados EXCLUSIVAMENTE com leite materno até os seis meses de idade porque eu e Diogo acreditamos que isso é o melhor para as crianças. O Bruno mamou leite materno até os 10 meses, quando desistiu do seio. O Pedro já fez um ano e continua mamando. Quis parar de dar leite materno para o Pedro quando ele completou 10 meses porque me sinto exausta acordando todas as noites. Mas o Diogo, apesar de não impor sua opinião, sempre afirmou ser contra. Acabou que resolvi que o Pedro ainda vai mamar mais um pouquinho. O Diogo quer que ele mame até desistir do peito.

    Quando o Bruno nasceu, o Diogo passou 3 meses inteiros acordado todos dias até as seis horas da manhã com nosso filho no colo, pois só assim nosso bebê ficava um tempinho sem chorar e eu conseguia dormir. Quando o Pedro nasceu, o Diogo ficou quase que inteiramente responsável pelo Bruno. Passou muita noite em claro medindo febre, controlando vômitos e diarreias, porque eu tinha de amamentar o Pedro de duas em duas horas, às vezes de hora em hora.

    O Diogo dá banho, troca fralda, dá remédios (aliás, é ele quem consegue convencer o Bruno a tomar qualquer remédio) e SEMPRE vai junto comigo aos médicos de nossos filhos. Se o Bruno tem que ir ao dentista e começa a chorar, o Diogo pede para que seja feito o procedimento nele primeiro, só para acalmar nosso filho. Se temos de tomar vacina da gripe, o Diogo toma a vacina primeiro para o Bruno se acalmar. Se vamos sair, o Diogo é quem SEMPRE se lembra de levar um casaquinho para as crianças (isso é até motivo de encarnação na família).

    Quanto a mim, o Diogo sempre tentou reduzir meu cansaço, mesmo que isso o sobrecarregasse. E, quanto às transformações do meu corpo após duas gravidezes e duas amamentações, nunca recebi nenhum tipo de insinuação pejorativa, muito pelo contrário. E, sim, eu vejo que fisicamente as mudanças não foram para melhor.

    Tudo isso é fato, tudo isso é facilmente confirmado por quem realmente conhece o Diogo, por quem já teve a chance de conversar com ele, de encará-lo nos olhos. Por isso, se o texto de Nanda Café tivesse usado o diálogo do MRG como mote para discutir se as mulheres precisam ou não expor o seio ao amamentar em local público e se as pessoas presentes precisam ou não se sentir constrangida com isso, ok. Pode até criticar a opinião deles, mas deturpar o que foi dito e acusar injustamente os apresentadores do MRG é lamentável, beirando o criminoso.

    Sou mãe, amamentei meus filhos com leite materno e sempre fiquei desconfortável em me desnudar. Por isso, sempre escolhi locais resguardados para amamentar e, não sendo isso possível, sempre usei lenços para cobrir o seio (também não cobria meus filhos porque eles sentiam calor, mas um lenço cobrindo a mama e a boca do bebê não os faz suar). Também eu me sinto constrangida quando algumas mulheres expõem o seio ao amamentar em público, também meus olhos institivamente, AUTOMATICAMENTE (porque a acepção de instinto não necessariamente está relacionada a instinto animal, lascivo e libidinoso, como alguns falaram), vão diretamente para o seio, simplesmente por ser um tabu a nudez do seio ainda hoje. Isso não faz de mim uma pessoa contrária à amamentação, como os FATOS comprovam em minha vida pessoal. As mulheres têm todo o direito de amamentar seus filhos em locais públicos (em São Paulo até multa vai ter para estabelecimento que se mostrar proibitivo a isso), e o Diogo sempre foi favorável à amamentação materna, como os fatos comprovam; as mulheres têm todo direito de amamentar seus filhos desnudando seu seio sem constrangimento nenhum; e as pessoas que estão em volta e são obrigadas pelo contexto a encarar o seio desnudo têm todo o direito de se sentirem constrangidas com a imagem. Simples assim.

    Enfim, não me importo em que critiquem as opiniões do meu marido, mas não posso permitir que denigram a imagem dele com falsas acusações e deturpações interpretativas.

    Dona Maria

    PS: Particularmente não gosto de imagens de super-heroínas com seus bebês porque, apesar de haver inúmeras interpretações para elas, na minha opinião de bosta, essas figuras só ratificam a ideia de que nós mulheres temos de dar conta de tudo, de salvar o mundo e ainda ficar com cara de que isso tudo é muito fácil. Não quero ser mulher-maravilha. Quero ter o direito de me sentir cansada, de não ter vontade de trocar fraldas, de não dar conta, porque sou humana. Felizmente, posso não ser super-heroína, porque meu marido, uma pessoa rara e especial, divide comigo a árdua tarefa de criar dois filhos e acredita que isso é igualmente responsabilidade dos dois. E, por incrível que pareça, ele é quem está sempre sorrindo e dizendo que está tudo bem, mesmo destruído pela exaustão.
    Mas, aí, que que aconteceu? O Affonso Solano postou esse texto na página pessoal dele, e isso causou um ataque generalizado de defensores dos frascos de comprido à moça que escreveu o texto em primeiro lugar, Nanda Café e ao Blog Pac Mãe em geral.
    Começaram a se pronunciar dos dois lados e a coisa que poderia ter virado uma discussão bacana, acabou virando uma treta generalizada nas redes sociais.

    Particularmente, na qualidade de mãe que amamentei minhas duas filhas enquanto pude, eu achei absurdas as colocações dos rapazes do MRG. Honestamente, não consigo entender uma pessoa que: 1) consegue sentir qualquer tipo de impulso sexual ao ver uma mãe amamentando seu filho, uma vez que aquilo é um ato de amor, que deveria parecer extremamente natural aos olhos de quem quer que veja; 2) sinta nojo de ver tal cena, afinal de contas, é um bebê sendo cuidado por uma pessoa da qual ele depende para sobreviver; 3) se sinta constrangido por tal cena - que absurdo! Você se sente constrangido com uma pessoa sentada num banco de praça comendo uma coxinha? Não. Então porque deveria se sentir constrangido por uma criança sendo alimentada? "Aí, porque a mulher fica mostrando os peitos enquanto faz isso." E daí? Não era nem pra você estar olhando.
    Resumindo, eu concordo com absolutamente todo o post do Pac Mãe, não desmereço a opinião da esposa do Diogo, mas como ela disse, ela nunca amamentou em público porque ELA se sentia constrangida em fazer isso, ELA não gostava. Isso é uma coisa. Mas a decisão deve ser da mãe, do local que vai alimentar seu filho, se ela achar que é bacana e puder procurar um lugar mais reservado, beleza. Agora, se ela quiser tirar o peito pra fora, no meio da Sapucaí em dia de desfile de escola de samba e amamentar ali, ela pode e deve ter todo o direito de fazer isso.
     
    • Ótimo Ótimo x 9
  2. Bruce Torres

    Bruce Torres Let's be alone together.

    Eu realmente não entendo meus pares masculinos. É tão incômodo assim uma mulher amamentar em público? Pensando bem, é tão incômodo assim ver um seio em público? Sabe aquela coisa de que você não precisa dizer algo sobre tudo? Se aplica nesse caso também. Parece que não sabem como "funciona" um bebê. É decepcionante ver algo assim, mas pior mesmo é em um nicho como o dos nerds, que geralmente se auto-proclamam os mais entendidos e esclarecidos do Universo. Cada vez mais ando me decepcionando com essa cambada.
     
    • Gostei! Gostei! x 3
    • Ótimo Ótimo x 1
    • Mandar Coração Mandar Coração x 1
  3. Calib

    Calib Visitante

    Nunca vi nada de mal numa mulher amamentando em público. Nem senti nojo nem senti tesão. Qual é a desses caras? Um parecia o típico virjão tetudinho falando; o outro um babaca. Não sei até que ponto eles só estavam achando que faziam graça ali, ou se deixavam levar pelo grupo e entravam na onda. Mas sei lá. Três babacas defecando pela boca.

    Por isso é que não ouço esses podcasts nerdes. Eles mal têm algo a me acrescentar sobre os assuntos que "dominam", que dirá sobre os demais.
     
    Última edição por um moderador: 10 Jul 2015
    • Ótimo Ótimo x 2
    • Gostei! Gostei! x 2
    • LOL LOL x 1
  4. Elring

    Elring Depending on what you said, I might kick your ass!

    Nem sabia que existia esse tipo de polêmica. Parece mais daqueles comentários nonsense onde se encadeia um assunto nada a ver com o outro. Do tipo que o Sheldon e o Howard são capazes de fazer, só que desta vez o trio extrapolou na idiotice. Enfim, nunca dei bola para mulher amamentando, pra mim o gesto é mais que natural e normal.

    Mas gostei de terem citado Saga, é muito bom e recomendo :dente:
     
    • Ótimo Ótimo x 1
    • Gostei! Gostei! x 1
  5. Pim

    Pim God, I love how sexy I am!

    Homem que tem tesão por mãe amamentando precisa de tratamento. Tá demais essa turminha da Mimimilândia.
     
    • Gostei! Gostei! x 3
    • LOL LOL x 1
  6. Mireille

    Mireille One ring to rule them all

    Eu me sinto SUPER constrangida se eu vir mãe amamentando (em público ou não). Lendo os comentários de vocês é que percebo que é algo que eu preciso melhorar. Parece que estou vendo algo muito íntimo da pessoa, tipo ficar constrangido ao ver alguém sentado no vaso :dente: (aliás, isso tambem é algo natural, na minha mente esse argumento de "ser algo natural" não funciona :tsc:). Mas trabalhemos :mrpurple:
     
    • Gostei! Gostei! x 2
    • Ótimo Ótimo x 1
    • Mandar Coração Mandar Coração x 1
  7. Erendis

    Erendis I'm a motherfucking woman

    Eu acho que quem se sente constrangido, talvez, tenha dificuldade em perceber a naturalidade com que a mulher está fazendo aquilo. Entretanto, quem se sente constrangido pode sempre optar por não olhar, né? Enquanto que, pra mãe que está amamentando, fica complicado deixar o bebê dela passando fome, entende?
     
    • Gostei! Gostei! x 4
    • Ótimo Ótimo x 3
  8. Bruce Torres

    Bruce Torres Let's be alone together.

    Preciso ler desde o início. Peguei o volume 2 de curioso e fiquei encantado.
     
    • Gostei! Gostei! x 1
  9. Mireille

    Mireille One ring to rule them all

    Claro que não vai deixar o bebê com fome, mas é a forma como é feito, entende? Eu sempre achei que as mães podiam fazer que nem a moça do texto e usar - no pior dos casos, quando não tem banheiro, nem nada - um paninho discreto, sem deixar o bebê todo coberto.
    Eu sempre opto por não olhar, sempre viro o rosto. Mas a questão que eu parei pra pensar é que é melhor eu procurar mudar minha atitude e encarar de uma forma diferente e não só ficar evitando olhares (e parar de julgar a maneira como as mães optam por amamentar tb). :think:
     
    • Ótimo Ótimo x 1
    • Gostei! Gostei! x 1
  10. Erendis

    Erendis I'm a motherfucking woman

    Eu acho OK você pensar assim, principalmente pelo fato de que, você ainda não é mãe (eu acho) mas um dia pode vir a ser e talvez esse vai ser o jeito que você vai optar por fazer isso, certo? Isso é uma opção sua: se cobrir ou não, procurar um lugar mais reservado se for possível ou não. Você deve ter o direito de decidir.
    Dito isso e com todo o respeito, honestamente, eu não entendo porque, principalmente os homens, se incomodam com isso:
    Este conteúdo é limitado a Usuários. Por favor, cadastre-se para poder ver o conteúdo e participar (não demora e não possui custos)
    Mas acham o máximo ver isso:
    Este conteúdo é limitado a Usuários. Por favor, cadastre-se para poder ver o conteúdo e participar (não demora e não possui custos)
    Pra mim, o seio está amostra da mesma forma nas duas imagens.
     
    • Gostei! Gostei! x 1
  11. Bruce Torres

    Bruce Torres Let's be alone together.

    Este conteúdo é limitado a Usuários. Por favor, cadastre-se para poder ver o conteúdo e participar (não demora e não possui custos)
     
    • LOL LOL x 2
    • Ótimo Ótimo x 1
  12. Erendis

    Erendis I'm a motherfucking woman

    Mas, aí é que está @Bruce Torres quando a mulher está amamentando os "mamylos" dela vão estar escondidos pela boca/cabeça do bebê., o que vai estar efetivamente a mostra é o mesmo que aparece quando ela usa um decote mais ousado.
    A não ser que tu vá lá em cima dela olhar como que o bebê está abocanhando o peito, né...
     
    • Ótimo Ótimo x 2
    • Gostei! Gostei! x 1
  13. Elring

    Elring Depending on what you said, I might kick your ass!

    Só posso dizer que chegamos ao volume morto de assuntos polêmicos. Não tem nada de mais na amamentação! Shoppings, praças, cinema, entrada de hospital, estádio de futebol, na várzea... qualquer lugar tem mulheres amamentando. Só espero que esse assunto não desencadeie um tsunami de fotos de mães com bebês seguidos por alguma hastag #amamentonaruaetenhoorgulho.
     
    • Ótimo Ótimo x 5
    • Gostei! Gostei! x 1
  14. [F*U*S*A*|KåMµ§]

    [F*U*S*A*|KåMµ§] Who will define me?

    Eu achei que uma frase do post de resposta disse tudo.
    Qualquer mãe tem o direito de amamentar o seu filho onde e como quiser. E todo mundo tem o direito de se sentir incomodado ou não. Simples assim.
    O erro vem se o incomodado quiser começar a impor suas vontades sobre a mãe. Enquanto isso não ocorre, ele tem esse direito.
    É como o quadrinho postado pelo primeiro post colocou. Você pode se sentir incomodado pelo cara pelancudo, peludo, suado, fedorento andando sem camisa na rua. Não tem o direito de ir lá e querer se impor sobre como ele deve ser.

    Pessoas são diferentes. Pessoas se sentem atraídas por coisas diferentes e se sentem incomodadas por coisas diferentes. Ficar querendo julgar ou homogeneizar toda a humanidade não é a resposta, ao meu ver. Só precisam todos terem respeito um com o outro na hora do tratamento, da interação social.
     
    • Ótimo Ótimo x 11
    • Gostei! Gostei! x 2
  15. Fúria da cidade

    Fúria da cidade ㅤㅤ ㅤㅤ ㅤㅤ

    Bebê não escolhe horário e nem local pra ficar com fome. Amamentação é acima de tudo uma necessidade de alimentação.

    Pra mim, ainda mais que sou naturista, tenho uma opinião pessoal que numa sociedade madura deveria ser algo absolutamente normal que jamais deveria incomodar ninguém, mas já que incomoda alguns, acho tolerável a mulher usar um pano como cobertura. Até aí tudo bem.

    No entanto, acho extremamente lamentável quem possa se incomodar com o local onde ela está amamentando, pois estando num banco, loja, restaurante, transporte público, não importa onde esteja e se não tem ala privativa, é uma necessidade que tem que ser suprida e que não pode ser adiada.

    Trata-se de um tema que de certa forma não foge de uma outra discussão que é essa onda do "politicamente correto" pra tudo. Se isso for levado ao pé da letra a ferro e fogo até na amamentação será o fim da picada mesmo.
     
    • Gostei! Gostei! x 3
  16. Omykron

    Omykron far above

    o que me admira mesmo é que tem gente que da corda para Affonso Solano, Cardoso e outras sub celebridades da internet.
    é só chorume que verte dessas pessoas.
     
  17. Grimnir

    Grimnir Usuário

    Alguém ainda escuta Jovem Nerd? Aquela cagação de regra do Azghal? No fucking way.
     
    • Gostei! Gostei! x 2
    • LOL LOL x 1
  18. Calib

    Calib Visitante

    Em toda a minha vida, acho que ouvi, somando tudo, só 30 min desse Jovem Nerd aí.
     
  19. Erendis

    Erendis I'm a motherfucking woman

    Eu nunca nem tinha ouvido falar desses sujeitos antes dessa parada aí rolar.
    Só fui descobrir quem era pq acompanho o blog da Pac Mãe.
    Depois dessa aí, espero passar mais 31 anos sem ouvir falar deles. :rofl:
     
  20. Bruce Torres

    Bruce Torres Let's be alone together.

    Ah, é da Nova Literatura Fantástica Brasileira? Passo.
     
    • LOL LOL x 3

Compartilhar