1. Caro Visitante, por que não gastar alguns segundos e criar uma Conta no Fórum Valinor? Desta forma, além de não ver este aviso novamente, poderá participar de nossa comunidade, inserir suas opiniões e sugestões, fazendo parte deste que é um maiores Fóruns de Discussão do Brasil! Aproveite e cadastre-se já!

Dismiss Notice
Visitante, junte-se ao Grupo de Discussão da Valinor no Telegram! Basta clicar AQUI. No WhatsApp é AQUI. Estes grupos tem como objetivo principal discutir, conversar e tirar dúvidas sobre as obras de J. R. R. Tolkien (sejam os livros ou obras derivadas como os filmes)

A menina que roubava livros (Markus Zusak)

Tópico em 'Literatura Estrangeira' iniciado por Anica, 1 Dez 2007.

  1. Anica

    Anica Usuário

    Bom, acho que foi uma das melhores surpresas que tive em 2007, então vou abrir um tópico aqui. E na maior cara de pau, copiar e colar o que eu escrevi lá no Hellfire :mrpurple:

    Antigamente, quando eu ainda estava na fase das grandes descobertas literárias, lembro que terminar um livro do qual gostava muito era ao mesmo tempo bom e ruim: bom, porque eu sabia o destino de personagens que me cativaram. Ruim, porque a história acabava, e não existiriam novas histórias com essas personagens.

    Dava saudade, sabe? E fazia muito tempo que não sentia isso. Ontem, depois de anos, senti novamente quando cheguei ao fim de A menina que roubava livros, do Markus Zusak. O enredo é interessante, Zusak utiliza técnicas bacanas durante a história toda, mas o que encanta mesmo são personagens como a roubadora de livros, Liesel, e seu pai de criação, Hans.

    São personagens boas, mas não no sentido piegas da coisa, mas por causa da doçura com a qual atravessam uma guerra. E eu sei que enxergar os horrores da Segunda Guerra Mundial tendo como personagem principal uma criança não é exatamente algo novo, mas o modo como Zusak o faz, é.

    Para começar, a questão da narração sob o ponto de vista da Morte. É esse distanciamento (o fato de não ser o humano contando a história) que talvez permite tirar a pieguice da obra, uma vez que você vê os fatos nu e crus a partir da visão de alguém que não entende o que é ser humano, mas ainda assim se permite observá-los (e como a narradora mesmo diz em certo momento, acaba por subestimar ou superestimar cada um que vê).

    Outra coisas são os saltos temporais dentro da obra. Eu obviamente não revelarei spoilers porque acho que vocês devem (e merecem) ter o prazer da experiência de ler este livro, mas o fato é que a Morte, acaba em alguns momentos antecipando o destino das personagens. Chega até a ser cruel, porque parece que isso faz você gostar ainda mais delas.

    E elas são apaixonantes, mesmo. Fazia tempo que eu não via um livro com um punhado de personagens tão carismáticas como Max, Liesel, Hans, Rudy, Rosa e outros. Acredito que principalmente porque há um balanço - eles não são perfeitos, ou seja, são humanos.

    Ai, por fim, ainda há todas as imagens criadas pelo autor, que são poesia pura. Estrelas queimando os olhos, uma cozinha cheia de neve, o homem com a mão cheia de cerejas. As figuras criadas por ele servem como um contraponto ao horror que acontece na rua Himmel, espaço principal da obra, durante a guerra.

    No final das contas, junto com Budapeste de Chico Buarque é o primeiro caso no qual concordo com uma lista de mais vendidos (e agradeço o fato de minha birra contra essas listas não ser tão forte). A menina que roubava livros é certamente uma das melhores obras lançadas recentemente e merece uma conferida.
     
  2. Skywalker

    Skywalker Great Old One

    RE: A menina que roubava livros, Markus Zusak

    Esse livro é foda, fala sério. Minha namorada leu o Eu sou o mensageiro, do Zusak também, e achou bem fraquinho.
     
  3. Marcileia

    Marcileia Usuário

    RE: A menina que roubava livros, Markus Zusak

    Também gostei MUITO desse livro. No começo achei meio devagar, de imediato não senti aquele "tesão" pela obra, quando do nada me apaixonei e não larguei mais até terminar de ler....
    Com certeza é um livro que merece ser lido, relido....

    "Quando a Morte conta uma história você deve parar para ler."
     
  4. lipecosta

    lipecosta Usuário

    RE: A menina que roubava livros, Markus Zusak

    Esse livro é demais. Chorei muito quando acabou o livro...
    Muito bom e diferente sem ser chato.

    Muito bom mesmo, recomendo.

    Vlw
     
  5. Ptah

    Ptah Usuário

    RE: A menina que roubava livros, Markus Zusak

    Consegui esse livro emprestado hoje!!! Prentendo le-lo na viagem de ida e volta para o Rio nesse feriado!!! Estou bem curiosa :D
     
  6. RE: A menina que roubava livros, Markus Zusak

    Realmente é um ótimo livro. O começo não é grande coisa, mas depois a história engrena e aí sim que começa a ficar melhor. Também ja ouvi falar que o "Eu sou Mensageiro" é mais fraco, ai pode acontecer alguma decepção pra quem estava acostumado com as historias de Liesel e de Molching.
     
  7. Ronzi

    Ronzi Oh, Crap!

    RE: A menina que roubava livros, Markus Zusak

    Só para constar, A Menina que Roubava Livros está em promoção na Saraiva on-line. De R$ 39,00 por R$ 23,00.

    Neste Link: http://www.livrariasaraiva.com.br/produto/produto.dll/detalhe?pro_id=1658571&ID=C896BE2C7D80107082E070012
     
  8. Anica

    Anica Usuário

    RE: A menina que roubava livros, Markus Zusak

    Eu já tinha visto isso, mas achei tão cara de pau da parte deles chamar de promoção. Eu comprei o livro lá na Saraiva mesmo, por 18,90. =P
     
  9. imported_Cleo

    imported_Cleo Usuário

    RE: A menina que roubava livros, Markus Zusak

    Realmente muito bom! Ganhei de presente, comecei a ler na mesma hora e terminei com umas insistentes lágrimas nos olhos :rolleyes:

    Acho que sou só mais para falar que o livro é bom. A narrativa da Morte é ótima e as personagens chegam até a sair um pouco do papel. =)
     
  10. Perséfone

    Perséfone Usuário

    RE: A menina que roubava livros, Markus Zusak

    Li esse tem pouco tempo e adorei. No início eu fiquei um pouco desanimada, porque o modo como o Zusak escreve é bem diferente, mas já no meio do livro essa particularidade dele passou a me chamar mais atenção positivamente. Adoro o modo como ele conduz a narrativa, porque, como a Anica disse...

    ... ele(ou ela, no caso) antecipa o final mas sem descrevê-lo. Adorei a personagem principal, apesar de sentir raiva dela em algumas situações. Ou talvez seja só o modo como a Morte descreve tudo, concordando novamente com a Anica:

    Enfim, esse entra pro time dos meus favoritos de 2007 também.
     
  11. imported_Amélie

    imported_Amélie Usuário

    RE: A menina que roubava livros, Markus Zusak

    Estou morrendo de raiva desse livro... Grrrrrrrrrr... Eu amava o Hans... O Rudy... A Liesel... Principalmente ela, a roubadora de livros! Até a Rosa, aquela Sausmench!

    E não acreditei quando o narrador revelava trechos do fim já no meio, fui ficando nervosa, pq entro como voyer na vida dessas personagens, me apaixono por elas e acontece tudo o que acontece?!?!?!

    Estou furiosa! Apesar do consolo estar, inevitavelmente, na primeira página estou odiando o livro nesse exato momento!
     
  12. Anica

    Anica Usuário

    RE: A menina que roubava livros, Markus Zusak

    eu nem tive tempo de odiar, pq acabei devorando a segunda metade numa madrugada só, hehe

    mas chorei um monte - chorei mesmo, com lágrima e tudo - quando a morte começa a narrar o que acontece com cada personagem

    e como sempre digo, qualquer livro que cause reações assim nas pessoas merece ser considerado um ótimo livro ^^
     
  13. Marco

    Marco may the force be with... wait

    RE: A menina que roubava livros, Markus Zusak

    Gente eu estou com ele e empaquei na parte que o lutador chega e não consigo sair!
    E pior que estou gostando do livro, mas nao consigo ler... aaaahhhhhhhhhhhhhhhhhh!
     
  14. imported_Amélie

    imported_Amélie Usuário

    RE: A menina que roubava livros, Markus Zusak

    Pois é, sabe que toda perda (como eu perdi a compania diária dos personagens) tem um tempo de adaptação... Então antes de acabar (sabendo como ia acabar) fui me revoltando... Dizem que são 5 fases né? Choque, Negação, Raiva, Depressão, Aceitação... Estou na 3 hahahaha Talvez na fase 5 eu concorde mais com o pessoal hahahaha
     
  15. Hérmia

    Hérmia Usuário

    RE: A menina que roubava livros, Markus Zusak

    Olha pessoal, eu já acabei de ler. Concordo que tem umas partes massantes mesmo, mas eu cheguei ao final e gostei muito. Não posso falar nada do final, não vou ser indiscreta, afinal vcs estão lendo, mas eu gostei muito...não parem de ler, Amélie!!!!!!!!! são livros assim que nos fazem apaixonar cada vez mais pela leitura, eles têm que despertar em nós algum sentimento, seja ele qual for, raiva, pena, ódio, choque, depré, não vale desistir!!!!!!!!!!
     
  16. imported_Amélie

    imported_Amélie Usuário

    RE: A menina que roubava livros, Markus Zusak

    é gi... o problema é que eu terminei definitivamente a leitura e continuei com raiva hahahaha
     
  17. imported_marie

    imported_marie Usuário

    RE: A menina que roubava livros, Markus Zusak

    É um livro extremamente envolvente, curioso, intrigante e humano. Confesso que, me apaixonei no mesmo instante pelo livro só por conta do título. Como assim? Uma menina que roubava livros? É lógico que Liesel tornaria uma das personagens que marcaria a minha vida! Namorei o livro durante meses nas vitrines das livrarias. Mas, tinha um enorme preconceito pelo fato do livro estar entre os mais vendidos há tanto tempo. Afinal, será que o livro era realmente bom?

    Esse preconceito acabou quando ganhei o livro de presente de aniversário. Era impossível não ceder: o título, a capa, o cheirinho de livro novo, a narradora mais incrível de todos os tempos! Cedi. E me apaixonei, chorei, dei gargalhada, chorei de novo, escutei pacientemente as histórias de Liesel, adrenalina pulsante, entrei pela janela, brinquei, chorei de novo e de novo.

    Até hoje sinto falta da menina Liesel. Acho que ela se tornou como uma amiga de infância. Embora, teve uma experiência de vida durante a sua infância que não compararia com a minha. Mas, Liesel fez com que eu desse ainda mais valor as palavras e aos sentimentos. Fez com que eu amasse ainda mais o ser humano apesar dos erros, covardias e egoísmo. Fez com que eu acreditasse ainda mais no amor entre as pessoas apesar de todos os pesares.

    Os personagens Liesel Memiger, Hans Hubermann, Rudy Steiner e Max Vanderburg irão marcar a minha vida para sempre.
    E deixe que eles marquem a sua vida também.

    (L)
     
  18. Oropher

    Oropher Hmm... oi?

    RE: A menina que roubava livros, Markus Zusak

    O livro fez a mesma coisa comigo.


    Alguém sabe se esse Markus Zusak escreveu algum outro livro? :think:
     
  19. Anica

    Anica Usuário

    RE: A menina que roubava livros, Markus Zusak

    Sim, ano passado chegou aqui no Brasil o segundo livro dele, Eu Sou o Mensageiro. As pessoas que leram não gostaram muito (mas acho que é por causa do apego às personagens de A Menina que Roubava Livros, natural). Está na minha lista de livros para ler :)
     
  20. Marcileia

    Marcileia Usuário

    RE: A menina que roubava livros, Markus Zusak

    Sim. Ele escreveu também Eu Sou o Mensageiro.
    Só li o resumo do Submarino, parece ser bom... Quero ler ele assim que tiver oportunidade...

    Venha conhecer Ed Kennedy. Dezenove anos. Um perdedor.
    Seu emprego: taxista. Sua filiação: um pai morto pela birita e uma mãe amarga, ranzinza. Sua companhia constante: um cachorro fedorento e um punhado de amigos fracassados.
    Sua missão: algo de muito importante, com o potencial de mudar algumas vidas. Por quê? Determinado por quem? Isso nem ele sabe.
    Markus Zusak, autor do best-seller A Menina que Roubava Livros, nos fornece essas respostas bem aos poucos neste incomum romance de suspense, escrito antes do seu maior sucesso. O que se sabe é que Ed, um dia, teve a coragem de impedir um assalto a banco. E que, um pouco depois disso, começou a receber cartas anônimas. O conteúdo: invariavelmente, uma carta de baralho, um ou mais endereços e... só. Fazer o que nesses lugares? Procurar quem? Isso ele só saberá se for. Se tentar descobrir. E, com o misto de destemor e resignação dos mais clássicos anti-heróis, daqueles que sabem não ter mesmo nada a perder nesse mundo, é o que ele faz.
    Ed conhecerá novas pessoas nessa jornada. Conhecerá melhor algumas pessoas nem tão novas assim. Mas, acima de tudo, a sua missão é de autoconhecimento. Ao final dela, ele entenderá melhor seu potencial no mundo e em que consiste ser um mensageiro.
     

Compartilhar