1. Caro Visitante, por que não gastar alguns segundos e criar uma Conta no Fórum Valinor? Desta forma, além de não ver este aviso novamente, poderá participar de nossa comunidade, inserir suas opiniões e sugestões, fazendo parte deste que é um maiores Fóruns de Discussão do Brasil! Aproveite e cadastre-se já!

Dismiss Notice
Visitante, junte-se ao Grupo de Discussão da Valinor no Telegram! Basta clicar AQUI. No WhatsApp é AQUI. Estes grupos tem como objetivo principal discutir, conversar e tirar dúvidas sobre as obras de J. R. R. Tolkien (sejam os livros ou obras derivadas como os filmes)

A Invenção de Morel (Adolfo Bioy Casares)

Tópico em 'Literatura Estrangeira' iniciado por Pips, 19 Fev 2009.

  1. Pips

    Pips Old School.

    A tecnologia um dia suprirá todos os anseios da consciência humana? Será que um dia o ser humano poderá fugir da morte ou pelo menos matar o seu medo de morrer. Afinal a morte é a única certeza da vida, do ventre até sete palmos, o que existe no meio vai de cada um, mas além nunca. Dessa forma podemos usar “A Invenção de Morel” como um verdadeiro questionamento de até onde o homem pode chegar com a tecnologia.

    Seguimos o diário do personagem principal, nunca nomeado, o qual nos revela ser um fugitivo da polícia venezuelana e que está escondido em uma ilha inabitável e misteriosa. Em certo momento pessoas começam a surgir na ilha, mas aparentemente pouco se importam com o malfeitor. Ele acaba apaixonando-se por uma morena chamada Faustine que, assim como todos os outros novos habitantes, não interage ou reage as investidas do personagem. Entretanto ele não desiste e acompanhamos sua obstinação em entrar em contato.

    Este conteúdo é limitado a Usuários. Por favor, cadastre-se para poder ver o conteúdo e participar (não demora e não possui custos)
     
  2. Breno C.

    Breno C. Usuário

    RE: A Invenção de Morel

    Muito bom o artigo Pips. Claro de uma forma sem igual.
     
  3. Pips

    Pips Old School.

    RE: A Invenção de Morel

    Obrigado Breno. Espero ter sanado sua dúvida sobre Dr. Moreau.
     
  4. Rodovalho

    Rodovalho Usuário

    RE: A Invenção de Morel

    Ficção científica e amor platônico.

    Não acho que Morel estava brincando de Deus. Se um escritor tenta se imortalizar em sua própria obra, ele não está brincando de Deus. Por que Morel estaria?

    Morel era um apaixonado. E o nosso protagonista seu rival póstumo. Um fugitivo da polícia, um náufrago. A solidão dele fez com que enlouquecesse e se apaixonasse por uma mulher fantasma, distante. E a solução para se juntar a ela um tanto desesperada.

    Uma reflexão: você diminuiria conscientemente a duração de sua vida para poder marcar a vida dos outros? Ter sua vida na história? Todo operador de máquina de raio x deve pensar a mesma coisa. Mas por um salário. E os jovens guerreiros morrendo jovens. Ainda acho que morrer jovem é uma vergonha, um desperdício.

    Outro detalhe que me surpreendeu foi a forma de se conseguir energia elétrica para a ilha: utilizando a força maremotriz. E isso em 1940! Uma tecnologia tão velha e a gente ainda queimando fósseis.

    Kurzweil acredita numa imortalidade a partir das sensações. Ele quer ressucitar o pai criando um clone dele a partir das memórias de todos os que o conheceram. Eles juntariam o quebra-cabeças e o reconstruiriam. É claro que os segredos nunca partilhados ficaram para trás, mas ele seria completamente reconhecível, porque foi feito de memórias. Ok, poderia resultar numa grande brincadeira de mau gosto. Não há um paralelo de Kurzweil e Morel?

    E a invenção de morel foi incompleta. Ele mesmo diz que poderia ser feita uma máquina que registrasse os pensamentos da pessoa captada, não só as sensações que ela proporciona aos sentidos alheios.

    E há uma máquina ainda mais avançada: Neuromancer. Neuromancer não apenas copia a personalidade de seus alvos, como também é capaz de simular suas interações com novas experiências. Isso sim é imortalidade!

    Mas é incrível pensar que um argentino teve uma idéia tão boa a 70 anos atrás. Eu, como engenheiro eletricista, até acho que ele foi bem razoável nas descrições técnicas. Coisa de Júlio Verne. Neuromancer é muito mais pesado, com um mundo de drogas e computadores, que são uma droga também. Morel é apaixonado e analógico. Retrô puro e literal, feito com a tecnologia da época, por alguém que viveu naquela época.

    E algo nesse livro me lembrou um jogo excelente: BioShock. Mas aí já é demais. Uma comparação muito forçada.

    E a resenha ficou ótima, Pips. Pena que tem spoilers. Mas se falasse que era um livro de náufrago, ninguém entenderia porque esse livro é excelente.
     
  5. imported_Rafaela

    imported_Rafaela Usuário

    RE: A Invenção de Morel

    Pips,só pq resolvi não adicionar mais nenhum livro para minha lista dos que vou ler neste ano, vc me aparece com este!! Adorei o artigo do blog e fiquei morrendo de vontade de ler! :hahano:
     
  6. Pips

    Pips Old School.

  7. aces4r

    aces4r Usuário

    A Invenção de Morel me dixava doido, como era possível aquelas coisas? Como, como? Deveria existir mais histórias assim.
     
  8. imported_Rafaela

    imported_Rafaela Usuário

    Pips, vc me fez apaixonar pelo autor sem nem mesmo conhecê-lo!

    Pesquisando no catálogo online da rede de bibliotecas daqui de SP, encontrei 2 títulos do autor na biblioteca perto de casa, são eles:

    A Invensão de Muriel
    Histórias fantásticas

    Como me comprometi a ler os livros da minha lista antes de qualquer coisa, só vou ler esses depois, mas já marquei na agenda pra não esquecer!
     
  9. Jarsgirl

    Jarsgirl Usuário

    Casares soube estruturar muito bem a história. Fiquei perdida, sem entender o que se passava na ilha, fez com que sentissemos o mesmo que o fugitivo sentia ao estar ali, não sabia o que estava acontecendo, como.

    A medida que as respostas apareciam o queixo ia caindo tamanha a surpresa. Ele foi muito inteligente em usar uma superstição da epoca (de que as cameras roubava sua alma) misturar com tecnologia e criar um livro como este.

    Foi um dos melhores livros que li em 2010.

    Rafaela, esses dois livros são publicados pela Cosac Naif e até ano passado estavam na biblioteca saraiva, que é uma coleção com desconto muito bom.
     
  10. Jarsgirl

    Jarsgirl Usuário

    ah, esqueci de mencionar, que tbm resenhei o livro. Segue o link para quem se interessar.

    http://becodaspalavras.wordpress.com/2010/04/11/a-invencao-de-morel/
     

Compartilhar