1. Caro Visitante, por que não gastar alguns segundos e criar uma Conta no Fórum Valinor? Desta forma, além de não ver este aviso novamente, poderá participar de nossa comunidade, inserir suas opiniões e sugestões, fazendo parte deste que é um maiores Fóruns de Discussão do Brasil! Aproveite e cadastre-se já!

Dismiss Notice
Visitante, junte-se ao Grupo de Discussão da Valinor no Telegram! Basta clicar AQUI. No WhatsApp é AQUI. Estes grupos tem como objetivo principal discutir, conversar e tirar dúvidas sobre as obras de J. R. R. Tolkien (sejam os livros ou obras derivadas como os filmes)

A ida de Frodo para Valinor e a desilusão de Tolkien

Tópico em 'J.R.R. Tolkien e suas Obras (Diga Amigo e Entre!)' iniciado por Depressive Vampire, 13 Mar 2011.

  1. A ida de Frodo para Valinor após ser perturbado pelos poderes maléficos do Um Anel tem correlação com a necessidade de Tolkien de se afastar das questões mundanas após ser contaminado pelas desgraças da Primeira Guerra?
     
    Última edição: 13 Mar 2011
  2. Meneldur

    Meneldur We are infinite.

    Na minha opinião, não. Foi algo que, basicamente, a história pediu. Tolkien estabeleceu, no decorrer da história, que o ferimento e a dor de Frodo eram, no fundo, profundos (frase horrível hessa, hein?) demais para serem curados. E pareceria um pouco inverossímil se, no fim, tudo desse certo. E também era uma maneira de Tolkien introduzir melhoro conceito de "Valinor" e fazer uma conexão com o Silmarillion.

    E o abandono da Terra-média por Frodo estava prevista desde as primeiras fases de escrita de Senhor dos Anéis. Sem conferir nos meus HMe exatamente quando foi que Tolkien introduziu esse conceito, diria que foi antes do começo da 2ª Guerra, ou pelo menos antes que Tolkien começasse a se envolver profundamente com ela.

    Além disso, não acho que Tolkien teve que se afastar dos problemas mundanos depois da guerra. Pelo contrário, acho que ele ficou realmente preocupado com eles, com toda a questão da industrialização.

    EDIT: Olhando o Return of the Shadow, vemos o seguinte, num conjunto de rascunhos para a obra:
    Esses rascunhos são datados pelo próprio Tolkien como sendo de "Agosto de 1939". Parece certo, então, que essa ideia surgiu no máximo antes do segundo semestre de 1939, confirmando minha teoria acima (lembrando que a 2ª Guerra começou sem Setembro de 1939).

    Já que o Depressive Vampire editou o post para se referir apenas à Primeira Guerra: ainda creio que não, por oraticamente os mesmos motivos citados no parágrafo anterior: Tolkien nunca procurou se afastar das questões humanas. Acho que a Obra, em certos momentos, acaba nos puxando mais e mais para a realidade, para o que acontece hoje. Creio que a destruição de Isengard pe um bom exmplo. Além disso, Valinor não é isenta de problemas ditos mundanos, como vemos no Silma.
     
    Última edição: 13 Mar 2011
  3. Certo, mas estou me referindo a Primeira Guerra. A guerra em que Tolkien esteve como soldado.
     
  4. McLucz

    McLucz Usuário

    Mais um papo bem sério.

    Meneldur concordo contigo. Se a 1ª guerra tivesse tido um efeito tão introspectivo em Tolkien, nos ja teriamos sentido isso n'O Hobbit, e temos de concordar que não é o que acontece.

    Acredito sim que o fato de Frodo ir para Valinor se deve as cicatrizes deixadas por tudo que ele passou na demanda do Um anel, não falo das cicatrizes físicas, mas de todo o contexto.

    Afinal se simplificarmos bem muito toda a estória, Frodo esteve em contato direto com o "poder" de um Ainur, sucumbindo no final. Então nada mais justo que o mesmo ser levado a Valinor.
     
  5. Neoghoster Akira

    Neoghoster Akira Brandebuque

    Poderíamos pensar na viagem de Frodo em cima do conceito de herança e recompensa que encontramos em SdA.

    Para que pudessem receber essas coisas as pessoas precisavam antes ter acesso a elas.

    Para os homens, em comparação com os elfos, a vida significava receber bençãos de forma lenta e indireta, pois seus braços eram curtos para presentes maiores. Receber uma recompensa ou benção na terra média era a bem da verdade receber um desafio. Quando a benção é grande para as mãos que a recebem o corpo não suporta e o acesso a própria herança se torna doloroso.

    A benção em SdA, possuindo significado positivo, existia se a pessoa pudesse desfrutar de sua alma e de seu corpo de acordo com as determinações de Eru. Bençãos ou presentes entregues erradamente para quem não tinha como recebê-las ocasionava efeito contrário produzindo sofrimento e destruição.

    Depois que Frodo viu a glória inesquecível e marcante de Lórien e a sombra negra também marcada a fogo até a morte em seu corpo o estado em que passou a viver começou a pedir por algo que não mais se encontrava na terra média. E aqueles que entendiam dessas questões (os elfos) souberam que o pedido dele era honesto pois haviam sido testemunhas. Nas terras mortais e nas terras de Aman Frodo seria morto igualmente de acordo com seu destino, mas se fosse para Aman o mal de Sauron não seria aumentado e isso já seria um bem.
     
  6. deus da guerra

    deus da guerra Usuário

    O Hobbit Tolkien escreveu primeiramente para os seus filhos, SDA ja é mais sério então acho mais facil Tolkien ter tentado transmitir alguma coisa com ele.
    Agora tentar imaginar o que se passou na mente de Tolkien é praticamente impossivel.
     
  7. Anwel

    Anwel Nazgûl Cavaleiro

    A Bretanha que Tolkien queria era anterior à Revolução Industrial, e não só a Primeira Guerra. O professor sabia que seu país (e o mundo) tinha mudado, e via isso com tristeza.

    As Guerras fazem parte de um mesmo cenário de evolução tecnológica que incomodava Tolkien e isso ele deixou bem claro nas obras. Por algum motivo todo mundo bate na tecla da 1a e da 2a Guerra, mas esquecem desse fato que para mim é muito mais expressivo.

    Como o Meneldur disse, a opção de Frodo voltar à Valinor é para manter uma coerência na narrativa. Não acho que seja mais do que isso.
     
  8. Morgomir

    Morgomir Ou não.

    O próprio Tolkien faz questão de deixar claro que nunca visou nenhum paralelo com o mundo real, e duvido que esse tipo de coisa surgiria inconscientemente na obra. Mas a partida de Frodo pode ser analisada por muitos outros prismas incluindo a influência (não referência) que Legendarium como um todo tem da espiritualidade cristã. Pensem na salvação, na redenção, em Frodo ultrapassando os limites do humano, como os grandes heróis da Primeira Era, na inauguração de uma nova época na Terra Média.
     
  9. Elfulano

    Elfulano Brandebuque

    Um reflexo inconsciente? Talvez.
    Mas quanto a isso podemos só especular, já que nem Tolkien tinha noção - se foi algo inconsciente.
    Aliás, é algo bastante corriqueiro nas vidas humanas, ainda que quase sempre não percebamos até que alguém nos aponte.

    Lembrando que somos construídos - para o bem ou para o mal - por tudo aquilo o que nos acontece.
     
  10. Fernanda

    Fernanda Andarilho de Eriador e

    Na verdade Tolkien nunca demonstrou nenhuma necessidade de se afastar das questões mundanas. Muito pelo contrário.

    Casou, criou filhos, era um pai particularmente atento, trabalho, discutiu literatura, implicou com o Lewis, fundou várias sociedades para discutir literatura, respondia aos fãs, tinha um círculo vasto de amigos (estava inclusive hospedado na cas de um deles quando adoeceu e morre).

    Além disso, Frodo não é o alter ego do Tolkien.

    Acho que a ida de Frodo para o Oeste é uma necessidade da história do Frodo mesmo. Ele não tinha a caracteristica dos outros tres de poder viver normalmente depois de tudo que passou. Até porque ele passou por mais coisa que os outros. Coisas mais irremediáveis.
     
  11. Myreal

    Myreal Usuário

    Seguindo o que vários aqui disseram, também acho que não.

    Primeiramente porque as reflexões sobre a Primeira Guerra deveriam, então, aparecer em O Hobbit ou em textos anteriores. Tolkien não parece querer marcar esses pontos de pós-guerra dentro dos seus textos, até mesmo porque a idéia de Valinor não é de caráter social, inclinando-se mais para uma perspectiva metafísica (como a personificação da Paz ou do Descanso).

    Além disso, a ida de Frodo para essa região já havia sido esboçada anteriormente, como parte natural do enredo - na minha humilde opinião, se Frodo permanecesse na Terra Média geraria certa ausência de diálogo com o restante do livro, até mesmo pelo ponto de vista dos princípios da dita "mitologia" tolkeniana.

    Talvez, e esse é um grande talvez, a única correlação que possamos traçar entre o destino de Frodo e o impacto da Primeira Guerra é a presença de certas marcas incuráveis (de caráter abstrato) deixadas após uma experiência traumática.
     
  12. Snaga

    Snaga Usuário não-confiável!!!

    Exatamente isso, sem tirar nem pôr! Creio que esse ponto deve ser analisado secamente, apenas dentro da obra. Como disse o Anwel, a Inglaterra que Tolkien anciava era a pré-industrial, sem carros, sem barulho etc.

    Mas preciso acrescentar que não é só o ferimento em si que faz com que Frodo parta. Frodo havia se tornado grande demais para aquele mundo. Ele havia conhecido coisas que estavam acima daquela vidinha mundana que levava antes.
    E é isso que a ida a Valinor significa: a continuação de uma vida mais ampla e o descanso tão merecido.

    Mas a questão do depressivo é interessante.
     
  13. Schoppen

    Schoppen Usuário

    Na minha humilde opinião, Frodo foi baseado em Tolkien. A guerra era um peso enorme para Tolkien, corria um grande risco, a morte. Com Frodo não era diferente, estava sempre em perigo. Dificilmente alguém sai ileso da guerra, com Tolkien não seria diferente após ver seus melhores amigos morrerem em sua frente.

    E a ida de Frodo a Valinor seria Tolkien saindo da Grande Guerra e voltando a Inglaterra, tentando assim esquecer as terríves experiências que ele teve na guerra.
     
  14. Snaga

    Snaga Usuário não-confiável!!!

    Tolkien nunca foi para as trincheiras, ele nunca correu risco algum e ficou doente logo após ter sido convocado, passando todo o período da guerra internado num hospital, onde começou a escrever A Queda de Gondolin.

    Ele nunca passou por perigos que possam ser comparados aos de Frodo. O máximo que a Primeira Guerra possa lhe ter influenciado são questões políticas e paisagísticas. Mas não direta e pessoalmente.
     
  15. Schoppen

    Schoppen Usuário

    Então as informações que recebi do History Channel foram erradas. haha
    Se quiser dar uma olhada no episódio o nome é o seguinte "Guerra entre Deuses: A Mitologia de Tolkien". Faz tempo que assisti, talvez esqueci corretamente o que foi dito lá. Mas essas informações de que Frodo seria baseado em Tolkien, veio desse episódio.
     
  16. Rodrigo S

    Rodrigo S Banned

    Se ele foi pra a 1ª Grande Guerra me parece óbvio que foi influenciado por ela. Ninguém passa por uma situação tão ruim sem carregar marcas pro resto da vida.
     

Compartilhar